sábado, 15 de junho de 2019

Jacutinga: a Capital das Malhas no Brasil

Compartilhe:

Jacutinga é uma encantadora cidade do Sul de Sul de Minas a 839 metros de altitude. É uma estância hidromineral de Minas Gerais, possui praças e jardins pitorescos, um povo bom e hospitaleiro e uma natureza em redor espetacular. 

É reconhecida nacionalmente como a Capital Nacional das Malhas (foto acima de André Daniel). A cidade sozinha, é responsável pela produção de 27% das malhas no Brasil. Segundo o IBGE, o município contava com 25.684 em 2018. Faz divisa com os municípios de Albertina e Andradas a norte; Ouro Fino a leste; Monte Sião a sul e os paulistas Itapira e Espírito Santo do Pinhal a oeste. Fica distante 480 km de Belo Horizonte e 200 km de São Paulo pela BR 381 e 590 km do Rio de Janeiro, pela BR 040.
O nome do município é porque na região é comum a espécie de ave jacutinga,  da ordem dos Galiformes, da família Cracidae. (foto acima de Thelmo Lins) O povoamento da região começou em 1835, quando foi construída a primeira capela, no então povoado de Ribeirão de Jacutinga, posteriormente chamado de Santo Antônio do Jacutinga. Por fim, Jacutinga, a partir de sua emancipação em 16 de setembro de 1901. A partir de então, o município alçou um  desenvolvimento rápido graças ao cultivo do café, em seu grande período de expansão, até 1930.
No início do século 20, a cidade começou a receber imigrantes italianos, para o cultivo do café e para trabalhos nas indústrias do município, atividade que estava crescendo no Brasil. (foto ao lado de Thelmo Lins) 
Os italianos dominavam muito bem a técnica de tecer e bordar, sendo os responsáveis pelo incremento da qualidade e solidificação da vocação para a tecelagem em Jacutinga tornando o município hoje em  referência nacional na fabricação de malhas e tricô. A maioria dos moradores do município carregam sobrenomes italianos.
Hoje Jacutinga é um dos maiores potenciais econômicos do Brasil com mais de mil pequenas empresas, popularmente chamadas de malharias.
Esse potencial favorece o turismo de negócios que recebe a cada ano, milhares de visitantes de todo o Brasil. (foto acima de André Daniel) São cerca de 500 lojas a varejo na cidade que comercializam a produção local, em média dois milhões de peças por mês, gerando milhares de empregos, principalmente na alta temporada, de março a julho. 
Feira da Malhas
Na cidade acontece anualmente a tradicional no mês de junho a Feira das Malhas, que em 2020 estará em sua 43ª edição (foto acima de André Daniel no local da feira). É o maior evento de moda e malha retilínea do Brasil com variadas opções de modelos de malhas e tricôs expostos em dezenas de estandes. Na feira acontece desfile de modas, shows musicais e culturais, além de espaço para entretenimentos de crianças. (Por Arnaldo Silva)

Nenhum comentário:
Faça também comentários