Tecnologia do Blogger.

domingo, 30 de outubro de 2016

Receita de Caipirinha de Jabuticaba

Ingredientes
15 unidades de jabuticaba
1 colher de sobremesa de açúcar (a jabuticaba é muito doce)
1 dose de Cachaça
Pedras de gelo

Modo de preparoColoque no copo a jabuticaba e o açúcar e macere bastante.
Em seguida gelo até encher o copo.
Depois, cubra-o com destilado.
Caso queira, coloque mais gelo.
Mexa bem, de baixo para cima, até misturar completamente a jabuticaba e o açúcar com a cachaça e sirva.

Fotografia do Restaurante & Alambique Jotapé em Pompéu, distrito de Sabará MG

domingo, 23 de outubro de 2016

10 coisas que só mineiro fala, entende e vê.

(Por Arnaldo Silva) O jeito mineiro de falar, seu jeito simples e sua forma de se expressar antigamente está presente ainda hoje e esse jeito de falar é forte nos rincões de nosso sertão. 
          Nas cidade está sempre presente, esteja onde estiver. Conheça algumas dessas expressões. É jeito mesmo, é opção pela simplicidade. É o jeito mais puro e gostoso de falar e se expressar. 
          Esse jeito de falar todo errado não existe mais, pensam alguns que não conhecem Minas e nem as tradições orais regionais. Nos sertões de Minas, o sotaque e as formas erradas de falar continuam, com ou sem estudo, porque simplesmente, gostamos. Como diz um velho ditado "istudo nóis temo, nós fala errado pruque querêmo". 
          Quem ignora o mineirês, dizendo que o mineiro não fala assim, que isso é coisa do passado, ignora por completo a realidade de nossas cidades, as formas de falar de cada região e a cultura natural do sertanejo  Segue 10 expressões de nosso mineirês. Vejam:
01 - Todo mineiro ama Minas e ser mineiro
02 - Quem ama Minas, ama tudo isso!
03 - Assim fica fácil para todo mineiro entender o sinal de trânsito
03 - O mineirês tem que ser completo.
 4 - Mineiro é fácil de ser identificado.
05 - É desse jeito mesmo
06 - Esse trem é bom demais!
07 -  Agora você vai entender tudo direitinho!
 08 -  Isso é Minas. Bom mesmo é falar!
09 - Isso é bom demais!
10 - Isso mesmo, nosso uai, é o nosso uai. Não é sô?

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

A história da cozinha mineira

Os tempos são atravessados e contados através da culinária
Para falar de onde vem a comida mineira é preciso voltar um pouco na história do século XVIII para entendermos melhor a variedade culinária do estado.
          Foi durante este século que o Brasil viveu o ciclo do ouro com a descoberta das riquezas de Minas Gerais. O ouro e o diamante atraíram milhares de pessoas de todas as partes do país interessadas em ganhar dinheiro com o garimpo. (foto acima de Fabinho Augusto) A região na época era pouco explorada e os índios ofereceram resistência aos exploradores. Em pouco tempo as áreas de mineração se tornaram o mais importante centro econômico do Reino Português, o que fez com que as atividades produtivas de outras regiões se integrassem.
          As primeiras cidades como Mariana, Ouro Preto, Diamantina, São João Del Rei, Tiradentes e várias outras, surgiram nos locais da mineração. Havia uma quantidade enorme de escravos usada para mão-de-obra. Juízes, militares, funcionários civis, profissionais liberais, comerciantes, artistas e etc. também vieram para Minas e formavam a sociedade. O ouro foi responsável pela integração brasileira.
          Os bandeirantes de São Paulo descobriram as riquezas. No Rio de Janeiro estava o porto mais próximo para a saída do ouro e a entrada de mercadorias estrangeiras e escravos vindos da áfrica. Os fazendeiros da região nordeste traziam o gado e também produtos agrícolas. Do norte vieram trabalhadores atrás de riquezas. Do sul do país, os tropeiros gaúchos forneciam carne bovina e mulas para o transporte.
          A culinária mineira é o resultado de toda essa mistura de regiões brasileiras, sem nos esquecermos da influência dos estrangeiros que já estavam no país. As receitas vindas de diversas partes do Brasil sofreram mudanças e adaptações. A mistura de ingredientes ou a substituição de um pelo outro foram montando e construindo a culinária do estado.
          Os portugueses contribuíram muito para esta mistura de ingredientes. Durante navegações pelos continentes eles levavam e traziam todo tipo de especiarias, alimentos e bebidas. O que veio de fora se incorporou com a variedade de alimentos que já eram utilizados aqui. Frutas tropicais como a goiaba, a jabuticaba e alimentos que tribos indígenas já usavam como a mandioca, o milho, a batata doce e o mel. A culinária mineira é uma mistura da herança cultural de diversos povos que ajudaram a formar o estado.

          O mineiro está sempre pronto para tomar um cafezinho, por isso segundo o costume mineiro é necessário fazer cinco refeições por dia. Almoço, jantar e três cafés, que são: da manhã, da tarde e da noite. É claro que o cafezinho preto não é saboreado sozinho ele é acompanhado de pães, broas, bolos, biscoitinhos, docinhos e etc. O café pode ser apreciado também com um pouco de leite, mas os mineiros costumam bebê-lo sozinho a qualquer hora do dia.
          O café-da-manhã é simples: café, pão com manteiga ou a broa de fubá. No almoço um arroz com feijão, carne, legumes e verduras. A sobremesa não pode faltar, doce em compota, goiabada com queijo ou doce de leite. Depois vem o café da tarde, na verdade ele é parecido com o da manhã, mas é mais reforçado com bolo, rosca, biscoito e o queijo de minas fresco. O jantar geralmente repete o almoço e para fazer a digestão um licor ou uma cachaça boa vai bem. Antes de dormir mais um gole de café e algumas quitandas.
Pão de queijo com café
          A culinária mineira é uma mistura da herança cultural de diversos povos que ajudaram a formar o estado. Com a descoberta das riquezas do ouro e do diamante em Minas, milhares de pessoas de todas as partes do país surgiram em busca de dinheiro. Havia uma quantidade enorme de escravos usada para mão-de-obra, Juízes, militares, funcionários civis, profissionais liberais, comerciantes, artistas e etc. que também vieram para Minas e formavam a sociedade.
          Em pouco tempo as áreas de mineração se tornaram o mais importante centro econômico do Reino Português, o que fez com que as atividades produtivas de outras regiões se integrassem.
          Assim surgiram as primeiras cidades do estado, como Mariana, Ouro Preto, Diamantina, São João Del Rei, Tiradentes e várias outras que surgiram nestes locais.
          Os bandeirantes de São Paulo descobriram as riquezas. No Rio de Janeiro estava o porto mais próximo para a saída do ouro e a entrada de mercadorias estrangeiras e escravos vindos da áfrica. Os fazendeiros da região nordeste traziam o gado e também produtos agrícolas. Do norte vieram trabalhadores atrás de riquezas. Do sul do país, os tropeiros gaúchos forneciam carne bovina e mulas para o transporte. Sem nos esquecermos da influência dos estrangeiros que já estavam no país.
          As receitas vindas de diversas partes do Brasil sofreram mudanças e adaptações. A mistura de ingredientes ou a substituição de um pelo outro foram montando e construindo a culinária do estado.
         Durante navegações pelos continentes os portugueses levavam e traziam todo tipo de especiarias, alimentos e bebidas. O que veio de fora se incorporou com a variedade de alimentos que já eram utilizados aqui. Frutas tropicais como a goiaba, a jabuticaba e alimentos usados nas tribos indígenas como a mandioca, o milho, a batata doce e o mel.

Culinária de Minas Gerais
          Minas Gerais talvez seja o Estado que concentra a maior diversidade de pratos, pois em cada região há uma comida típica diferente, com ingredientes encontrados com fartura no meio rural. Quase todos os pratos da cozinha mineira contam com legumes, frutos ou tubérculos nativos. Há dois pratos que se destacam, oferecidos nas mesas de todas as casas mineiras, principalmente no interior: o Angu, muitas vezes confundido com a Polenta do sul mas que tem sua própria história, e o Feijão tropeiro. 

Fonte do texto, exceto fotos: Wikipédia, a enciclopédia livre. 

domingo, 9 de outubro de 2016

A tramela, o trinco e a cerca de bambu

(Por Arnaldo Silva) Era uma vez um pais onde todos viviam tranquilamente em casas que não tinham muros, nem cerca elétrica, nem cães ferozes, nem seguranças, alarmes, correntes, cadeados nem existia.
As cercas eram de bambu ou com trepadeiras. Ora-pro-nobis estava presente nas cercas das casas. Portas e janelas eram de madeiras e a única segurança eram as tramelas ou taramelas para alguns. As vezes usavam trincos. E ninguém se preocupava com nada. Nem em fechar as casas, quando tinham que sair, era preocupação. Boa parte ficava aberta, caso chegasse visitas, para quela ela entrasse e esperasse dentro de casa. 
Na mesa sempre tinha biscoitos, queijos, bolos e na chapa quente do do fogão à lenha, o bule com café prontinho, desse jeito que vê na foto do Juarez Teixeira acima. Seria uma desfeita chegar visitas e não ter o que comer em casa.
Muro não existia. O que protegia as casas eram cercas de bambu, desse jeito que vê acima na foto do Fernando Campanella. Servia apenas para evitar que animais entrassem nos quintais. Só pra isso. 
Quando a mãe e o pai resolviam visitar os compadres e comadres, arrumavam a gente e iam todos na charrete ou mesmo a pé. Se a casa tivesse chaves, nem levavam. Trancavam somente para evitar que as galinhas entrassem. A chave ficava pendurada na porta mesmo, como vê na foto acima do Paulo Santos ou num buraquinho perto do batente da porta. Ninguém se preocupava com nada.
A vida era calma, tranquila, bem sossegada. Viver era seguro naqueles tempos. Isso foi nos tempos de nossos pais e avós.

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Conheça Uberaba

Uberaba é um dos mais antigos municípios mineiros, fundado em 1820 e emancipado em 22 de fevereiro de 1836. Mesmo sendo um dos mais importantes e desenvolvidos municípios mineiros, a cidade ainda guarda relíquias do passado como casarões, praças e igrejas. (na foto abaixo, de Luis Leite, a Catedral Metropolitana de Uberaba)
Fica na Região do Triângulo Mineiro e segundo o IBGE, contava em 2019 com 333.783 habitantes, sendo a 8ª população do Estado e a 82ª do Brasil. Considerada cidade-polo, abriga ainda a Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM) e o Instituto Federal do Triângulo Mineiro. Uberaba faz divisa com os municípios de Água Comprida, Conceição das Alagoas, Uberlândia, Veríssimo, Indianópolis, Nova Ponte, Sacramento, Conquista e Delta (em MG);Igarapava, Aramina e Miguelópolis (em SP). Entre Belo Horizonte e Uberaba, são 481 km. (na foto abaixo de Jorge Nelson, a Igreja de São Domingos)
Turismo
Uberaba é sede da Academia de Letras do Triângulo Mineiro e nos últimos anos tem recebido um número expressivo e crescente de visitantes e turistas que a procuram com objetivos diversos.[carece de fontes] Desde o turismo de negócios, graças ao grande crescimento econômico; turismo religioso destacando aqui o museu de Chico Xavier e seu túmulo além de várias igrejas históricas; Há também diversos parques e museus dentre os quais podemos citar o Museu e sítio Paleontológico de Peirópolis, onde são encontrados fósseis de mais de 85 milhões de anos; o Parque ecológico Mata do Ipê e também o Parque Jacarandá (Zoológico de Uberaba). O município integra também, o Circuito Turístico dos Lagos e o Circuito Turístico do Triângulo que têm por missão fomentar o desenvolvimento do turismo sustentável, estabelecer e fortalecer parcerias para a geração de negócios, promover a melhoria da qualidade de vida da comunidade, preservando e potencializando as vocações locais.
Cultura
Uberaba possui vários Teatros, dentre os maiores se destaca o Teatro Municipal Vera Cruz que possui linda arquitetura que remonta meados do século XX.
A Biblioteca Municipal Bernardo Guimarães que tem mais cem anos de história e que foi recentemente reformada e construídos anfiteatros e salas de aula.
Junto a Biblioteca está a sede da Academia de Letras do Triângulo Mineiro.
Parques
Mata do Ipê; Parque Jacarandá (Zoológico de Uberaba); Mata do Carrinho; Memorial Chico Xavier; Parque das Acácias (Piscinão); Universidade (Parque Tecnológico)
Principais eventos
Axé Uberaba

Realiza-se, no segundo semestre, o Axé Uberaba, um dos maiores eventos do gênero no Brasil com dois dias de festas, geralmente no mês de outubro.
O Axé Uberaba tem uma grande estrutura com camarote, área do bloco e espaço para a pipoca, tudo para os foliões curtirem os dois dias de festa com segurança e conforto.
Expozebu
Foi fundada em 1934 e é uma das principais atrações turísticas de Uberaba. A Expozebu (maior exposição de gado zebu do mundo) se realiza anualmente no mês de maio, atraindo pessoas de várias partes do país e do exterior. Além de atrações como Rodeios, Shows musicais e a própria exposição, serve como ponto de encontro da cadeia produtiva da carne e do leite. Reúne mais de 3 mil animais das raças zebuínas – nelore, nelore mocho, gir, guzerá, tabapuã, indubrasil e sindi – que são julgados e premiados. Publica uma revista bimestral, e organiza cursos, congressos e seminários. O presidente da ABCZ é hoje o pecuarista Eduardo Biagi.
Centro Park - Sambódromo
Criado com o objetivo de abrigar os grandes eventos de música, tirando do meio da cidade as atividades que geram grande ruído, o local foi inaugurado em fevereiro deste ano, durante o carnaval com o Axé Uberaba 2008.
Feirarte
Centenas de expositores realizam esta feira, comercializando artesanato em geral, artigos de decoração, vestuário, acessórios e alimentos. São realizados ainda shows com artistas locais.
Maktub
Uma das maiores festas árabes do Brasil, realizada sempre no mês de novembro, onde um espetáculo com cerca de 180 dançarinas e dançarinos apresenta as diversas modalidades de danças árabes de todos os tempos.
Museus de Uberaba

Museu de Arte Sacra (Igreja Santa Rita na foto acima de Luis Leite) 
Museu dos dinossauros em Peirópolis, distrito de Uberaba na foto acima de Carias Frascoli
Museu Chico Xavier; MADA; Casa José Maria dos Reis
Shopping Centers
O Shopping Uberaba; Praça Uberaba Shopping Center; Manhattan Center Shopping; Shopping José Generoso Lenza; Shopping Center Urbano Salomão; Elvira Shopping
Fonte parcial das informações: Wikipédia 

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

As 15 melhores cidades de Minas para se viver

Minas Gerais tem 853 municípios onde vivem cerca de 22 milhões mineiros. É o segundo no país em número de habitantes e o quarto em extensão territorial.
          Na matéria estão 15 primeiras cidades mineiras mais bem colocadas no ranking que compõem o último Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) e no final, link com a listagem completa. (na foto acima de Andréia Gomes, em Nova Lima, na divisa com Belo Horizonte, as duas primeiras cidades no IDHM da ONU em Minas Gerais) Não se trata de pesquisa e sim cálculos baseado em informações fornecidas pelos municípios ao Governo Estadual, que encaminha ao Governo Federal, que por fim, encaminha os dados para a ONU, que faz o cálculo. O critério é o mesmo para todos os países. Basicamente, são levados em conta três itens: vida longa e saudável (nascimento por mortes, saneamento básico e longevidade), acesso ao conhecimento (educação pública em todos os níveis e crianças na escola) e padrão de vida (renda e emprego). A partir dos cálculos de cada um desses fatores, se chega ao índice geral de IDHM, organizado no Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil, feito em 2010 e divulgado em 2013.
          O cálculo de IDHM é feito a cada 10 anos e divulgado 3 anos depois. O próximo calculo será em 2020, com divulgação prevista para 2023.
          A metodologia do índice foi adaptada do IDH Global pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e pela Fundação João Pinheiro. 

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Muito alto, de 0,800 a 1;(2 municípios).
Alto, de 0,700 a 0,799;(226 municípios).
Médio, de 0,600 a 0,699;(552 municípios).
Baixo, de 0,500 a 0,599;(73 municípios).
Muito baixo, de 0 a 0,499;(nenhum município).
O IDHM do Estado de Minas é 0,731, considerado alto, sendo o nono no Brasil. Veja na listagem abaixo a colocação de cada cidade de Minas Gerais no ranking da ONU.
Veja as 15 primeiras cidades do ranking.
01.º Nova Lima - IDHM 0,813

Nova Lima, com cerca de 90 mil habitantes e a 30 km de Belo Horizonte, atingiu o maior índice no IDHM, 0,813, sendo a primeira do ranking e a melhor cidade de Minas para se viver.(foto acima de Cássia Almeida). Montanhas, belas paisagens, distritos pitorescos, excelente gastronomia típica, faz com que Nova Lima seja um pólo turístico e gastronômico e destaque na produção de cervejas artesanais em Minas e no Brasil. É o terceiro maior produtor de cervejas artesanais no país. É portando a melhor cidade de Minas Gerais para se viver com ótimos índices na avaliação. 99,47% das crianças entre 5 e 6 anos estão matriculadas em escolas. A proporção de estudantes no Ensino Fundamental é de 90,89%.
02.º Belo Horizonte - IDHM 0810

A capital Belo Horizonte, (foto acima de Charles Tôrres/BHumafotopordia) ficou em segundo lugar no ranking com IDHM com o índice 0,810. Com cerca de 2,5 milhões de habitantes, Belo Horizonte é a sexta cidade mais populosa do país. Segundo o Population Crisis Commitee, da ONU, Belo Horizonte está entre as 100 melhores cidades do mundo, ocupando a posição45.ª no ranking das melhores metrópoles. Segundo a revista América Economia,  é uma das 10 melhores cidades para fazer negócios da América Latina.
Belo Horizonte oferece uma boa qualidade de vida a seus moradores. A cidade possui importantes monumentos, cerca de 60 parques, 68 museus, dezenas de teatros, uma boa infraestrutura urbana e uma excelente gastronomia. 
03.º Uberlândia - IDHM 0,789

É uma das mais desenvolvidas cidades do Brasil, tanto na indústria, como no agronegócio, sendo este um dos grandes destaques do município do Triângulo Mineiro. Uberlândia (foto acima de Jorge Nelson) é a terceira do ranking com IDHM de 0,789. Entre as cidades melhores cidades brasileiras com melhor índice de desenvolvimento nas áreas de Saúde, Educação, Emprego e renda, está na 27.ª posição.
04.º Itajubá - IDHM 0,787

O município de Itajubá, no Sul de Minas(na foto acima de Jô Casarini) está na quarta posição no ranking, com IDHM de 0,787.  Com mais de 100 mil habitantes é um dos mais industrializados municípios do interior de Minas e destaque nacional em educação e distribuição de renda. Apenas 1,03% de sua população é considerada extremamente pobre. 
05.º Lavras - IDHM 0,782
Na quinta posição no ranking, está Lavras (foto acima de Gilson Nogueira) na região do Campo das Vertentes. Seu IDHM é de 0,782. O município se destaca pelo bom nível educacional da sua população e a boa qualidade de vida que oferece a seus moradores.
06.º Poços de Caldas - IDHM 0779

0,779 no IDHM, Poços de Caldas é uma das mais belas cidades de Minas e uma das estâncias hidrominerais mais procurados por turistas graças as suas fontes de águas medicinais, usadas em diversas terapias, seus doces e artesanato. Algumas indústrias se destacam na cidade como as de sabonetes de qualidade e de objetos decorativos em vidro fundido, que lembram os feitos na cidade italiana de Murano
07.º Juiz de Fora - IDHM 0,778
Conhecida como a Manchester mineira, Juiz de Fora (foto acima de André Saliya) com IDHM de 0,778, tem hoje mais de 565 mil habitantes, com uma das mais altas expectativas de vida e uma das mais altas rendas per capita do país, além de índices de escolaridade maiores que a média mineira. É a maior cidade da Zona da Mata e uma das que mais se destacam em Minas em investimentos em qualidade de vida.
08.º Varginha - IDHM 0,778
A famosa cidade do Sul de Minas, com cerca de 135 mil habitantes, distante 318 km de Belo Horizonte (fotografia acima de Marselha Rufino) está na oitava posição com IDHM de 0,778. Localizada na metade do caminho entre Belo Horizonte e São Paulo, é a porta de entrada para o Lago de Furnas. Essa posição geográfica privilegiada facilita o escoamento de sua produção de café e outros produtos através de sua estação aduaneira, único porto seco do sul de Minas. Além do cultivo do café e do turismo, Varginha é conhecida desde 1996 como a "cidade do ET", quando duas irmãs viram uma criatura, segundo Ufólogos, eram um Extra Terrestre. O fato até hoje atrai ufólogos e curiosos para Varginha. .
09.º Lagoa Santa - IDHM 0,777
Lagoa Santa (foto acima de Sônia Fraga) tem o IDHM de 0,777. Faz parte da Região Metropolitana de Belo Horizonte, distante apenas 40 km e com pouco mais de 50 mil habitantes. Cidade tranquila e muito procurada para quem busca um lugar promissor para viver. É conhecida no mundo todo por pela variedade de descobrimentos fósseis que constituem o rico acervo arqueológico da região.Além disso, belezas naturais do município chamam a atenção, bem como seus doces. Lagoa Santa faz parte da Rota das Doceiras de Minas Gerais. O seu mais belo atrativo é a lagoa, que faz parte de área ambiental protegida por lei. Segundo crenças, as águas da lagoa possuem propriedades curativas, crença esta que motiva pessoas a se banharem em suas águas. 
10.º Itaú de Minas - IDHM 0,776
Itaú de Minas está 360 km de Belo Horizonte, no Sudoeste de Minas (foto acima da Prefeitura de Itaú de Minas/Divulgação) com IDHM de 0,776, conta com 100% de suas crianças entre cinco e seis anos frequentando escola e a expectativa de vida chega 76,7 anos. A cidade tem grande vocação industrial. Um dos grandes fomentadores do desenvolvimento econômico da cidade é a famosa fábrica de cimento Itaú, considerada a maior fábrica de cimento da América Latina. Além do cimento, Itau de Minas possui uma das mais importantes jazidas de calcário, administrada pelo Grupo Votorantim. 
11.º Viçosa - IDHM 0,775
Viçosa é uma das cidades mais desenvolvidas de Minas Gerais.  Seu IDHM é de 0,775. Com mais de 75 mil habitantes, a maioria destes jovens, a população do município é predominantemente urbana, mais de 92% de seus habitantes vivem na cidade. É um dos grandes pólos de educação em Minas Gerais, graças a presença da Universidade Federal de Viçosa (na foto acima de Chico do Vale), fundada em 1926, pelo por Arthur Bernardes, presidente da República na época e nascido na cidade. A Universidade organiza anualmente centenas de eventos científicos e acadêmicos, o que atrai várias pessoas do Brasil e do mundo para a cidade. Um dos grandes atrativos da cidade é o doce de leite, produzido pela própria Universidade. É considerado um dos melhores doces do mundo.  Sua população é composta na sua maioria por jovens, o que confere uma dinâmica à cidade, além do grande número de festas que se realizam durante a semana.
12.º Pouso Alegre - IDHM 0,774
Pouso Alegre (foto acima de Fernando Campanella) tem o IDHM de 0,774. A bela cidade do Sul de Minas é um dos mais importantes pólos regionais do Estado, com grande atividade industrial, comercial e agropecuária. De posição geográfica privilegiada, as margens da Rodovia Fernão Dias, no corredor industrial Belo Horizonte - São Paulo, facilitando assim o escoamento rápido de sua produção industrial e agrícola. É a décima maior cidade de Minas Gerais, com cerca de 150 mil habitantes e a segunda do sul de Minas. 
13.º Araguari - IDHM 0,773

Araguari é a terceira maior cidade do Triângulo Mineiro. (foto acima de Thelmo Lins) Seu IDHM é 0,773. Está situada numa posição geográfica estratégica, servida por rodovias federais e estaduais, além de ferrovias. É uma grande produtora de leite e gado de corte, além de grãos e frutas como, soja, laranja, milho, sementes de girassol e uva onde a fruta é colhida e processada na indústria local. 70% do suco consumido no Brasil saem de Araguari. Além disso, o município produz café de alta qualidade, considerado um dos melhores cafés do mundo, bem como é o maior produtor de tomate do Estado. 
 O destaque de Araguari não é somente na indústria e agropecuária. O município é um pólo regional de turismo, sendo rico em cultura, folclore e artesanato. Suas belezas naturais, com mais de 100 cachoeiras, reservas ecológicas intactas, grutas, fauna e flora exuberante e inúmeras opções de lazer oferecidos pelos lagos das hidrelétricas próximas ao município são atrativos para os amantes do ecoturismo e prática de esportes radicais. 
14.º Uberaba - IDHM 0,772
Uberaba, no Triângulo Mineiro tem cerca de 331 mil habitantes e IDHM de 0,772 (na foto acima de Jorge Nelson) tem cerca de 325.279 mil habitantes e IDHM de 0,772. Famosa por ser a capital mundial do gado Zebu, raça de origem indiana introduzida em Minas Gerais no final do século 19, por criadores da cidade, sendo hoje pólo na criação, desenvolvimento genético e comercialização do zebu. Uberaba sedia a maior empresa de inseminação pecuária no país, a Alta Genetics. Todos os anos, acontece na cidade a Expozebu, a maior feira de gado zebu do mundo.  Uberaba se destaca também pela limpeza, sendo considerada uma das 10 cidades mais limpas do Brasil. Na cidade pode se encontrar um rico artesanato, o Museu Paleontológico de Peirópolis, distrito da cidade, bem como um conservado patrimônio histórico e cultural, principalmente os de cunho religioso, como o Reinado de Nossa Senhora do Rosário e as Folias de Reis. Foi em Uberaba que viveu Chico Xavier, famoso médium espírita que deixou uma grande obra na cidade. Uberaba tem ainda várias áreas verdes e diversas cachoeiras pelo município. 
15.º Araxá - IDHM 0,772

Araxá é famosa por ser a terra em que viveu Dona Beja, famosa cortesã que escandalizava a sociedade do século 19 que virou tema de novela, filme e samba enredo de escola de samba carioca.Além disso, Araxá (foto acima de Arnaldo Silva) é uma das mais belas cidades de Minas Gerais, considerada o maior spa de águas radioativas e medicinais do país. Suas águas e principal atrativo estão concentrados no Parque do Grande Hotel de Araxá, inaugurado por Getúlio Vargas em 1944,cuja arquitetura tem forte inspiração nos castelos europeus da Idade Média e todo o glamour da década de 1940, com luxuosos salões. No local estão as fontes de água radioativas, a preferida de Dona Beja e a fonte de água sulfurosa. As famosas termas de Araxá, ficam ao lado do Grande Hotel, oferecendo acupuntura, massagens, sauna, duchas, banhos medicinais e terapêuticos com lama e água sulfurosa.  
Além de sua história e águas medicinais, Araxá está próximo a uma as entradas do Parque Nacional da Serra da Canastra, onde nasce o Rio São Francisco e possui paisagens com rios e cachoeiras deslumbrantes, muito procurada por amantes do ecoturismo. 
Na cidade estão sediadas várias empresas, inclusive de grande porte, entre elas a CBMM, mineradora que explora o ferro-nióbio e a Vale Fertilizantes, que explora rocha fosfáltica e fertilizantes fosfatados. A mineração é sem dúvida a grande mola propulsora do desenvolvimento industrial da cidade, bem como a agropecuária, o variado comércio local e o turismo, já que a cidade é uma das mais procuradas por turistas tanto de Minas, quanto do Brasil e do mundo, que vem à cidade conhecer as Termas de Araxá.

sábado, 1 de outubro de 2016

Conheça Uberlândia

 Uberlândia (foto acima de Jorge Nelson) é um município da microrregião de Uberlândia, na mesorregião do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba, no estado de Minas Gerais, na Região Sudeste do Brasil. Localiza-se a oeste da capital do estado, distando, desta, cerca de 537 quilômetros. Sua população, segundo estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), era de 691.305 672 habitantes em 2019, sendo o município mais populoso da região do Triângulo Mineiro e o segundo mais populoso de Minas Gerais, depois da capital, Belo Horizonte.
     É, também, o município mais populoso do interior de Minas e o quarto município mais populoso do interior do Brasil, além de ser o 12º mais populoso do país, exceto as capitais. Ocupa uma área de 4,1 mil quilômetros quadrados, sendo que 135,3 quilômetros quadrados estão em perímetro urbano. A cidade de Uberlândia é mais populosa que nove capitais estaduais brasileiras, entre elas Vitória (ES), Aracaju (SE), Florianópolis (SC) e Cuiabá (MT).   
     A sede tem uma temperatura média anual de 22,3 graus centígrados. (foto ao lado de Jorge Nelson) Na vegetação do município, predomina o cerrado. Em relação à frota automobilística, em 2013 foram contabilizados 390 979 veículos. Com uma taxa de urbanização da ordem de 97,56 por cento, o município contava, em 2008, com 198 estabelecimentos de saúde. O seu Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), segundo dados de 2010, é de 0,789, considerado "alto" pela Organização das Nações Unidas, sendo o terceiro município com melhor IDH do estado e o 71° do Brasil, estando, inclusive, acima tanto da média estadual quanto nacional, que foram calculadas no mesmo ano como de 0,731 e 0,699, respectivamente. 
     A cidade de Uberlândia foi emancipada de Uberaba no final da década de 1880. Sua denominação atual foi introduzida pela Lei Estadual 1 128, de 19 de outubro de 1929. É também a principal e maior cidade do Triângulo Mineiro. Conta ainda com localização geográfica privilegiada, já que, com a sua malha rodoviária, está ligada aos grandes centros nacionais, como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Goiânia e Brasília. Os maiores centros econômicos do Brasil contam com Uberlândia como ponto de ligação. (Foto abaixo de Jorge Nelson)
     O município conta ainda com uma importante tradição cultural, que vai desde o seu artesanato até o teatro, a música e o esporte. Seu principal e mais tradicional clube de futebol é o Uberlândia Esporte Clube, fundado em novembro de 1922. Uberlândia também é destaque no turismo, com seus diversos atrativos culturais, naturais e arquitetônicos. Alguns dos principais são o Mercado Municipal, o Parque do Sabiá e o Parque Municipal Victorio Siquierolli. Um dos principais eventos é o carnaval de Uberlândia, que, além de bailes de clubes, conta ainda com a participação de quatro escolas de samba e blocos que realizam um carnaval de rua na cidade.O município possui destaque também no turismo de negócio em escala nacional.
Ecologia e Meio Ambiente
     A vegetação predominante do município é o cerrado e suas variáveis como veredas, campos limpos, campos sujos ou cerradinhos, cerradões, matas de várzea, matas de galeria ou ciliares e matas mesofíticas. Apenas na parte oeste do município, em locais onde a altitude varia de 700 a 850 m, os solos são mais rasos com baixa fertilidade e a vegetação predominante é a mata subcaducifólia. (foto acima de Jorge Nelson)
     A cidade conta com onze áreas protegidas pela legislação ambiental, as chamadas Unidades de Conservação que contam com a presença de mata ciliar às margens dos cursos d’água (rios, ribeirões, córregos, etc), que protegem suas águas contra o assoreamento e suas vertentes contra erosão, colaborando para preservação da fauna e da flora do Cerrado. Também com o objetivo de preservar o meio ambiente, a prefeitura organiza anualmente, em junho, desde 2007, a Semana do Meio Ambiente, que conta com a participação média de aproximadamente 1.500 pessoas. São realizadas palestras, oficinas e visitas monitoradas.Segundo estudos realizados, Uberlândia está localizada no país de maior biodiversidade do planeta.
Transporte rodoviário e ferroviário
Foto acima de Jorge Nelson
     A frota municipal no ano de 2010 era de 291 318 veículos, sendo 167 795 automóveis, 9 795 caminhões, 2 935 caminhões trator, 16 781 caminhonete, 873 micro-ônibus, 77 612 motocicletas, 13 951 motonetas, 1 440 ônibus e 136 tratores de roda. As avenidas duplicadas e pavimentadas e diversos semáforos facilitam o trânsito da cidade, mas o crescimento no número de veículos nos últimos dez anos está gerando um tráfego cada vez mais lento de carros, principalmente na Sede do município - onde às vezes o congestionamento em algumas grandes vias chega a 2,5 km. Além disso, tem se tornado difícil encontrar vagas para estacionar no centro comercial da cidade, o que vem gerando alguns prejuízos ao comércio. 
     A Secretaria de Trânsito e Transportes (SETTRAN) é o órgão municipal responsável pelo sistema de trânsito e de transporte da cidade. Ela regulamenta e regulariza o sistema de transporte público, gerencia o trânsito e, através de seus Agentes de Trânsito, aplica autuações aos motoristas que cometem infrações de trânsito. O município possui fácil acesso à BR-050 para Uberaba e São Paulo ao sul (sendo duplicada até São Paulo) e Araguari, Catalão e Brasília ao norte; BR-267 para Porto Murtinho; BR-365 para Ituiutaba, Patrocínio, Patos de Minas e Montes Claros; BR-452 para Rio Verde, Itumbiara, Araxá e Belo Horizonte; e BR-497 para Prata, Campina Verde e Iturama. Além disso, tem acesso às rodovias de importância estadual e até nacional através de rodovias vicinais pavimentadas e com pista dupla. 
     A cidade também possuía duas estações ferroviárias: a Estação Uberabinha (na zona urbana) e do Sobradinho (na zona rural), sendo que essa última foi tombada como Patrimônio Histórico Municipal pelo Decreto nº 10.228 de 31 de março de 2006. Ambas pertenciam à Companhia Mogiana de Estradas de Ferro. Foram as grandes responsáveis pelo crescimento do município no mercado regional e nacional, porém, após o rebaixamento do café na região do triângulo mineiro e do crescente aumento do transporte rodoviário, o transporte ferroviário de passageiros entrou em colapso, obrigando as empresas a diminuírem suas linhas e aperfeiçoarem seus serviços. 
Transporte aeroviário 
     Uberlândia possui o Aeroporto Tenente Coronel Aviador César Bombonato, conhecido simplesmente por Aeroporto de Uberlândia. É o terceiro maior aeroporto de Minas Gerais e o 27º do Brasil em número de passageiros transportados e possui capacidade para atender mais de 600 mil passageiros por ano e aviões de porte maior, como o Airbus A320 e o Boeing 737, após a reforma realizada em 2005. O aeroporto fechou o ano de 2011 com um movimento 907.169 passageiros. Em 2012 passou de 1 milhão de passageiros. O aeroporto opera com voos diretos para Belo Horizonte, São Paulo, Goiânia, Brasília, Ribeirão Preto, Campinas, Franca, Uberaba, Araxá, Porto Seguro, Cuiabá, Salvador, Curitiba. Operam no aeroporto diversas empresas, como a Tam, Gol Linhas Aéreas, Passaredo, TRIP Linhas Aéreas e Azul Linhas Aéreas. 
Turismo 
 Plantação de Girassóis em Uberlândia. Fotografia de Cris Ferreira
     A cidade de Uberlândia possui muitos atrativos turísticos, tanto de valor arquitetônico quanto cultural e natural. São alguns dos principais pontos da cidade: 
Mercado Municipal de Uberlândia: 
Está localizado no Centro da cidade. Foi instituído em 1923, mas só teve suas obras executadas em 1944, no mandato do prefeito Vasconcelos Costa, com arquitetura moderna para a época. Foi centro atacadista até 1977, quando o comércio foi transferido para a Ceasa. Situado à Rua Olegário Maciel, e oferece diversos produtos típicos de Minas Gerais e serviços variados.
Museu Municipal de Uberlândia: 
     Fica localizado no Centro da cidade, na Praça Clarimundo Carneiro. O mesmo foi sede da Prefeitura da cidade e também abrigou a Câmara Municipal. Totalmente reformado, hoje é palco de importantes trabalhos e é onde são realizados diversos projetos culturais.
Parque do Sabiá: 
     É um parque/zoológico administrado pela FUTEL (Fundação Uberlandense de Turismo, Esporte e Lazer), localizado no bairro Tibery, Zona Leste da cidade. É um complexo verde composto por Zoológico com animais em cativeiro de dezenas de espécies; Sete lagos que formam uma grande Lagoa; Aquário, que comporta 36 aquários e 36 espécies diferentes de peixes; Pista de Cooper de 5.100 metros de extensão; além de outros atrativos. 
Parque Municipal Victorio Siquierolli: 
     Está localizado na Zona Norte de Uberlândia, sendo onde encontram-se legítimos exemplos da vegetação do cerrado, com suas árvores de folhas coreáceas, troncos retorcidos e cascudos, flores coloridas e frutos agrestes, além de um espaço com brinquedos para crianças e museu de biodiversidade do cerrado. Conta com área total de 232 300 metros quadrados e fica entre os bairros Jardim América II, Residencial Gramado, Nossa Senhora das Graças e Cruzeiro do Sul. 
Avenida Rondon Pacheco:
     É considerada o "corredor gastronômico" de Uberlândia. Nela concentra a vida noturna da cidade, contando com vários bares, restaurantes, cachaçarias, pizzarias, cafeterias, sorveterias e docerias. São mais de 60 estabelecimentos com quase 8 mil lugares na avenida. Além disso a avenida conta com hotéis, lojas de conveniência, postos de gasolina, supermercados, e hipermercados.       A avenida corta a cidade de leste a oeste. A Avendida Governador Rondon Pacheco, se inicia no encontro com a Avenida Sílvio Rugani, no bairro Tubalina, na região sudoeste do município e vai até a BR-050, na altura do bairro Custódio Pereira, na região leste.
Turismo de negócios      Uberlândia integra o circuito turístico do Triângulo Mineiro e se destaca na área de turismo de negócio em escala nacional e no turismo comercial em âmbito regional. Recentemente a cidade foi classificada pela International Congress and Convention  Association (ICCA) (a principal entidade do segmento de turismo e eventos internacionais) como uma das cidades brasileiras que mais sedia eventos internacionais, ficando na nona posição. Entre as doze cidades melhores colocadas, Uberlândia é a única que não é capital, e superada apenas por grandes centros como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília. (fotografia de Jorge Nelson)
      Anualmente são realizados na cidade centenas de eventos de várias partes do país e até de outros países. Um estudo feito por entidades revelou que o turismo é o maior gerador de oportunidade de trabalho mundial com mais de 200 milhões de empregos, além de ter grande relevância no PIB e atingir diretamente cerca de 50 setores da economia. 
      E dentre os segmentos, o turismo de eventos é considerado como o que mais cresce no mundo, movimentando US$ 4 trilhões anualmente. Em Uberlândia, 17% das empresas que realizam eventos, 50% são de grande porte e em 82% dos eventos o público-alvo são os funcionários das empresas. (Fonte das informações: Wikipedia)

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Facebook

Postagens populares

Seguidores