Tecnologia do Blogger.

sábado, 24 de junho de 2017

Conheça a Pedra da Boca

(Por Arnaldo Silva) Quem passa pela BR-418, perto de Pedro Versiane, distrito de Teófilo Otoni MG, na região do Vale do Mucuri, se impressiona com a impactante beleza da Pedra da Boca. O enorme maciço rochoso, com 970 metros de altura, lembra uma baleia. Uma fenda frontal, aberta a milhares de anos, lembra uma boca, por isso o nome. Tem formato de uma grande baleia, sendo que a fenda frontal em formato de uma boca deu origem ao nome da pedra. Possui 970 m de altura. A Pedra da Boca está perto do distrito de Pedro Versiane, na BR 418.
          Não é apenas a beleza da Pedra da Boca que impressiona e atrai turistas para o local, mas também a aventura de escalar a montanha, por isso, cada dia mais percebe-se a presença de amantes de esportes radicais na região. Chegar ao topo, é chegar ao ápice, a da região nos quase mil metros de altura da Pedra da Boca é impressionante.
          No Vale do Mucuri e Vale do Rio Doce, são comuns esses tipos de pedras, formando paisagens belíssimas nessas regiões. São afloramentos, que segundo a geologia, é uma exposição de uma rocha na superfície da Terra, que se formam ao longo de milhões de ano por erosão do solo e em alguns casos, por ação do homem, por exemplo, na abertura de estradas ou exploração de pedreiras, mas em sua maioria, são fenômenos naturais.
          Esses afloramentos rochosos são muito importantes e estudados pela geologia com análises sobre sua idade, composições mineralógicas e químicas, além de poderem fazer mapas geológicos dos tipos de afloramentos existentes nessas regiões, sua extensão, dentre outros estudos. (As fotografias dessa edição são de autoria de Dinho Santos, enviadas pela Cibelle Viana)

Dicas de turismo em cidades frias do Sul de Minas

(Por Arnaldo Silva) Embora o inverno começa oficialmente em junho, o frio sempre chega antes em Minas. Em maio as temperaturas já começam a cair no Estado. E nessa época do ano, uma região de Minas chama a atenção, justamente pelo frio. É o Sul de Minas, principalmente nas cidades da Serra da Mantiqueira onde as temperaturas caem tanto que geadas são comuns, em temperaturas abaixo de 0 grau, como podemos ver na foto acima do do @sitiodocanion, num dia de frio de intenso frio, abaixo e zero grau, em Monte Belo, povoado de Itamonte, no Sul de Minas. 
Algumas cidades da região da Mantiqueira são especiais, famosas pelo frio, gastronomia, vinhos, cervejas, chocolates e opções de lazer variadas. (foto acima de Ricardo Cozzo)
Vamos conhecer algumas cidades frias do Sul de Minas?
Monte Verde

          Monte Verde (na foto acima de Wellington Diniz) distrito de Camanducaia MG, é uma dos destinos turísticos de Minas que mais cresce no Brasil. Está a 1600 metros de altitude, rodeado por montanhas e paisagens deslumbrantes. Tem uma ótima estrutura para receber o turista, com hotéis, pousadas e restaurantes de qualidade. A arquitetura de Monte Verde tem origem na Letônia, Leste Europeu sendo um dos atrativos do local, juntamente com o frio,que atrai para a cidade casais que gostam de curtir momentos especiais a dois, já que o distrito tem opções para todos os gostos, desde os mais caseiros até os que gostam de esportes radicais. Monte Verde está a 166 km de São Paulo, a 140 de Campos do Jordão e a 488 km de Belo Horizonte. 
Gonçalves
          A 80 km de Monte Verde está a cidade de Gonçalves, conhecida por pérola da Mantiqueira (na foto acima de Gislene Ras). Lugar tranquilo, rodeado por paisagens deslumbrantes, cachoeiras, corredeiras do Rio Capivari, matas nativas, propícias para fazer trilhas e passeios em 4x4. No município encontra-se pousadas e restaurantes aconchegantes e um rico artesanato em madeira, tecido, argila, palhas que podem ser encontrados nas lojas da cidade.       
Passa Quatro
          Passa Quatro (na foto acima, de Anderson Veloso a Casa do Chocolate) tem uma temperatura média mínima de 8ºC e máxima de 13ºC no inverno, segundo o Inmet. No inverno mais rigoroso, pode chegar a 0º C ou até menos que isso. A cidade é charmosa, aconchegante, com uma bela arquitetura urbana, igrejas charmosas, boa rede hoteleira e restaurantes com comidas típicas. No município encontra-se belezas naturais e históricas esplêndidas com matas nativas com trilhas ótimas para caminhadas ou mesmo fazer trilhas de bike, a cavalo e de jeep. Pelo caminho, encontra-se cachoeiras e impressionantes montanhas. 
          Outro atrativo imperdível de Passa Quatro é o passeio de Maria Fumaça, nos fins de semana e feriados, pelas paisagens da Serra da Mantiqueira com duas paradas para que os turistas possam conhecer a história da cidade, ver fotos e adquirir o artesanato local, bem como experimentar sua culinária típica. (a foto acima de Anderson Veloso,  mostra a Maria Fumaça na Estação de Passa Quatro). Durante o passeio de trem, o turista terá a oportunidade de conhecer o Túnel da Mantiqueira inaugurado por Dom Pedro II em 1981, tendo sido  palco de sangrenta batalha na guerra travada entre mineiros e paulistas, durante a chamada "Revolução Constitucionalista de 1932). 
Machado
          Machado é considerada pelo  Inmet como uma das mais frias do Sul de Minas. Está a 381 km de Belo Horizonte. (foto acima de Carias Frascoli) A média no inverno varia de 9,4ºC a no máximo 14,3ºC. Em 9 de junho de 1985 foi registrado no município, sua menor temperatura, -1,4ºC . 
          A cidade aconchegante, conta com uma boa rede hoteleira e gastronômica, preserva tradições religiosas e folclóricas. É uma das maiores produtoras de café de Minas e conta também com várias atrações como o monumento do Cristo e o Lago Artificial, conhecido por prainha, inaugurado em 1981, a Casa da Cultura, além de abrigar o Instituto Federal de Minas Gerais.        
          Quem visitar Machado no mês de agosto poderá conhecer a Festa de São Benedito, com mais de um século de existência é uma das mais antigas e tradicionais festas religiosas, cultural e folclórica de Minas Gerais. A festa é realizada durante 12 dias do mês de agosto.   Indo à cidade, não deixe de experimentar também o famoso Pastel de Fubá  uma das principais iguarias do município. O pastel de fubá é encontrado em vários pontos da cidade e no popular Mercado Municipal. A culinária de Machado é ótima e diversificada. A cidade possui pesqueiros, pizzarias, comida oriental e comida tradicional de Minas. 
Caldas
          Caldas (na foto acima de Joelmir Barbosa) é uma das cidades mais antigas de Minas Gerais. É conhecida nacionalmente pela sua culinária, principalmente quitandas diversas. Todos os anos a cidade promove a Festa do Biscoito que atrai turistas de toda a região e de vários estados do Brasil nos dias de festa, que acontece todos os fins de semana do mês de julho de cada ano, em Pocinhos do Rio Verde, distrito de Caldas. A cidade é também uma das pioneiras na produção de vinhos em Minas. 
          O município possui belas paisagens, cachoeiras, montanhas, grutas, cavernas, formações rochosas e água medicinal, que fica no distrito de Pocinhos do Rio Verde.  A Pedra Branca e a Pedra do Coração suas duas paisagens lindas de Caldas que merecem ser visitadas. Na Pedra do Coração tem a capelinha de Santa Bárbara (na foto acima de Joelmir Barbosa), singela e bem simples.  
Maria da Fé
          É a cidade mais fria de Minas segundo o Inmet. A média mínima no inverno é 5,4ºC e máxima de 10,1ºC.  A menor temperatura registrada no município, segundo o Inmet, foi em 21 de julho de 1981 quando os termômetros marcaram -8,4ºC. Nos últimos invernos as temperaturas estão sempre próximas do 0 grau ou abaixo. 
          Maria da Fé é a pioneira na produção de azeites na Serra a Mantiqueira. Através da Epamig, que mantém tem sua fazenda experimental na cidade,  foi a responsável por introduzir as oliveiras na cidade e na região da Mantiqueira. São azeites de alta qualidade, reconhecidos internacionalmente. (foto acima de Rinaldo Almeida) A fazenda da Epamig é aberta a visitação.
          Um atrativo para os turistas no inverno são as cerejeiras que foram plantas após a desativação da linha férrea na cidade. As cerejeiras seguem o trajeto da linha. (na foto acima de Leonardo Bueno) O entorno da cidade o visitante se depara com paisagens de tirar o fôlego. O Pico da Bandeira (não é o de Alto Caparaó MG) é um dos mais visitados, bem como a Pedra do Pedrão. 
          A igreja Matriz de Nossa Senhora de Lourdes é um espetáculo. Vale a pena uma visita. (na foto acima de Gislene Ras) No mês de julho acontece na cidade o Festival de Inverno com produtos culinárias locais como o azeite, shows e bebidas e comidas quentes, já que o inverno é muito rigoroso. 
Mais cidades
          Toda a região Sul de Minas é fria no inverno. Praticamente em todas as cidades da região acontece geadas no inverno com termômetros próximos de 0 grau ou abaixo como em Poços de Caldas, Marmelópolis, (na foto acima de Jair Renato Teixeira), Paraisópolis, Sapucai-Mirim, Cambui, Alagoa, Bueno Brandão, Carvalhos, Baependi, Virgínia, Itamonte, Aiuruoca, São Bento Abade, Extrema entre tantas outras cidades, que além do frio, tem muitas belezas naturais e ótimas culinárias tipicamente mineiras. 

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Saiba onde encontrar os melhores Azeites Mineiros

(Por Arnaldo Silva) A primeira extração de azeite em Minas Gerais foi em 2008, após décadas de pesquisas e experimentos feitos pela Empresa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) em Maria da Fé, no sul do estado. Desde então, a produção de azeites na região da Serra Mantiqueira começou a crescer, tanto em quantidade e qualidade, chegando a ter hoje cerca de 200 olivicultores que
cultivam o fruto típico dos países do mar Mediterrâneo em cerca de 50 municípios. Esse crescimento registrado a cada ano coloca Minas Gerais na rota da extração e produção de azeites no Brasil e no mundo. 
          A região da Mantiqueira (formado por Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo) é o maior produtor de azeitonas do Brasil, sendo Minas Gerais o Estado que produz a maior parte do fruto.  O azeite produzido na região é mais saboroso que o azeite importado e considerado de qualidade próxima aos famosos azeites portugueses, espanhóis, italianos e gregos.  (fotografias acima de Erasmo Pereira - Ascom Epamig de Maria da Fé MG/Divulgação).
Algumas marcas de Azeites da Serra da Mantiqueira
AZEITE PRADO & VAZQUEZ - Alagoa MG
          O clima da Serra da Mantiqueira favorece o cultivo de oliveiras. A produção de azeite de qualidade nessa região do Sul de Minas, está sendo reconhecido, inclusive internacionalmente. O azeite extra virgem de Alagoa MG vem se despontando como produto de ótima qualidade, abrindo novas vagas de trabalho na cidade. A marca do Azeite é Prado & Vasques, produzido pela Cauré Agronegócios, na Fazenda Arrozal. Informações:www.pradoevazquez.com.br
AZEITE BORRIELLO - Andradas MG
          A marca pertence ao Casal Carla Retuci e Mário Borriello, de Andradas MG. Extraem azeite de arbequina e grappolo na fazenda, aberta a visitação. Em 2018, esse azeite foi um dos premiados no concurso internacional World´s Best Olive Oils New York, na categoria Blend. Informações: www.azeiteborriello.com.br
VERDE OLIVA - Delfim Moreira MG
          Azeite orgânico produzido em Delfim Moreira MG, pelo casal Newton Litwinski e Fátima Garcia. Visitas a fazenda podem ser agendadas e também aceitam encomendas pelo correio. Informações: tel.: 35 3624-1334 (foto acima de Mateus Ribeiro)
PAIOL VELHO - Cristina MG
          Numa fazenda em Cristina MG, pertencente a família de Luiz Menezes, são plantados 4 variedades de azeitonas. A produção desse azeite vem crescendo a cada ano. Informações: tel.: 12 99719-2083
NVOVÓ - Maria da Fé MG
          A Estatal Mineira sediada em Maria da Fé MG, produz azeites em seus olivais experimentais e processa azeitonas de produtores da Região da Mantiqueira. Informações: tel.: 35 3662-1227 (foto acima de Rinaldo Almeida)
AZEITE SERRA QUE CHORA - Itanhandu MG
          AZEITE EXTRA VIRGEM 0,1% de acidez (valor de referência até 0,8%). Esse azeite das Terras Altas da Mantiqueira, (Itanhandu MG) é de altíssima qualidade. Fotos e demais informações você pode obter pelo site da marca www.azeitenovo.com.br 
Contato:(35)3361.1233 / (35)3361.1014 / (31)98788.2051.(foto:reprodução do Facebook na página Azeite que Chora)​
Locais onde encontrará o azeite Serra que Chora:
Em Contagem: Casa Pimentel Empório
R. Manoel Alves, 237 - Centro, Contagem - MG, 32041-400​
Em Belo Horizonte: Distral Cruzeiro - Nectar do Serrado
R. Ouro Fino, 452 - Cruzeiro, Belo Horizonte - MG, 30310-110
Em São Paulo:Mercado Municipal de Pinheiros
R. Pedro Cristi, 89 - Pinheiros, São Paulo - SP, 05421-040
AZEITE OLIBI - Aiuruoca MG
          Azeite produzido em Aiuruoca MG do produtor Nélio Weiss. A fazenda é aberta do público e o empresário, além da produção do azeite, colabora com o reflorestamento, com o Projeto Adote uma Oliveira com o objetivo de reflorestar a região com o cultivo de oliveiras.(fotos acima enviadas por Marlon Arantes/Divulgação) O azeite Olibi, que em tupi-guarani significa "Óleo da Terra", é um dos mais premiados azeites do Brasil, de altíssima qualidade e reconhecimento nacional e internacional. Para conhece o azeite, a história, contato, bem como informações de como fazer uma visita á fazenda, entre em contato através do site http://www.olibi.com.br/
Onde encontrar alguns dos azeites mineiros em BH:
De Lá
Endereço: rua Santa Rita Durão 919, Savassi, Belo Horizonte/MG
Informações: (31) 3225-6347

Néctar do Cerrado (Mercado Distrital do Cruzeiro)
Endereço: rua Ouro Fino 452, loja 2B, Cruzeiro, Belo Horizonte/MG Informações: (31) 8706-5074
Casa Bonomi
Endereço: av. Afonso Pena 2600, Funcionários, Belo Horizonte/MG Informações: (31) 3261-3460/8334

Empório do Carmo
Endereço: 
rua Grão Mogol 535, Carmo, Belo Horizonte/MG
Informações: (31) 2555-4545

Roça Capital (Mercado Central)
Endereço: av. Augusto de Lima 744, loja 268, Centro, Belo Horizonte/MG Informações: (31) 3789-8669

Mercado Grano
Endereço:
 rua Niágara 320, Jardim Canadá, Nova Lima/MG
Informações: (31) 3541-1036

A diferença entre o queijo do Serro e o queijo Canastra

(Por Arnaldo Silva) Nos dois melhores queijos do Brasil, Serro e Canastra, são usados leite cru na produção com adição do "pingo" que é o fermento láctico natural, recolhido a partir do soro drenado do próprio queijo. O que difere um do outro é o processo de produção desde a manipulação do leite, das massas, da prensagem e das bactérias que dão sabor ao queijo. Esse é o grande diferencial porque cada região tem suas características próprias, com diversos tipos fungos devido as diferenças regionais como clima, solo, manejo do gado etc. O resultado final são dois queijos de excelente qualidade, constantemente premiados no Brasil e no exterior, com grande reconhecimento internacional.
Queijo do Serro
Produzido há mais de 300 anos, da mesma forma na cidade do Serro em sua região queijeira formada pelos municípios pelo próprio Serro, Alvorada de Minas, Conceição do Mato Dentro, Dom Joaquim, Materlândia, Paulistas, Rio Vermelho, Sabinópolis, Santo Antônio do Itambé e Serra Azul de Minas. É um dos melhores queijos do mundo, com várias premiações nacionais e internacionais. O modo artesanal da produção do queijo do Serro é Patrimônio Imaterial de Minas Gerais e do Brasil tombado pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional)..A massa é bem homogênea, com coloração clara, consistente,  macia e sem rachaduras. Possui maior acidez em relação aos outros queijos.Quando curada, ganha uma crosta amarela e dependendo do tempo de cura, uma rígida crosta marrom. (foto acima de Tiago Geisler)
Queijo da Serra da Canastra
Produzido há mais de duzentos anos, é o melhor queijo do Brasil e um dos mais premiados do mundo, sendo Patrimônio Imaterial mineiro e brasileiro, tombado pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). (foto acima de Arnaldo Silva) É produzido na Serra da Canastra, tradicional região queijeira formada pelos municípios de engloba as cidades de São Roque de Minas, Medeiros, Bambuí, Vargem Bonita, Piumhi, Tapiraí e Delfinópolis. É um tipo de queijo em que se pode dizer claramente, é único. Não tem igual em lugar algum do mundo. Sua massa é densa e encorpada. Tem um sabor forte e meio picante. Sua casca  rígida, lisa, ligeiramente oleosa, com coloração amarelada e alguns mofos brancos. 

quinta-feira, 15 de junho de 2017

O Queijo de Ouro de Alagoa

Você vai conhecer o mais novo queijo mineiro premiado na França e sua história de coração e superação, diante das dificuldades de se produzir e comercializar queijos artesanais no Brasil.
Um queijo mineiro que entrou recentemente para o seleto clube dos melhores do mundo. É o queijo produzido na Fazenda Bela Vista, em Alagoa MG, pequeno município com menos de 3 mil habitantes, Sul de Minas Gerais.

O casal de produtores de queijo minas artesanal Renato e Thaylane, receberam 1 medalha de ouro e duas de bronze com o queijo Bela Vista, produzido na fazenda de mesmo nome, no último concurso Mondial du Fromage, realizado em Tours,  na França, em junho de 2019.

Trata-se do mais importante concurso de queijos do mundo. Entre mais de 700 competidores de 20 países, com 953 queijos disputando, o Brasil levou 56 medalhas, sendo 50 somente para Minas Gerais com medalhas super ouro, ouro, prata e bronze. 

O queijo minas artesanal gera renda e emprego para mais de 30 mil famílias em cerca de 600 municípios mineiros. É reconhecido como Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro pelo Instituto de Patrimônio Histórico Nacional (Iphan). (Por Arnaldo Silva)
---------------------------------------------------------------------------------------------------
A origem e historia do Queijo Fazenda Bela Vista contada pelo casal de produtores Renato e Thaylane.
Nossa história: Sr. Cláudio e Sra. Maria casaram e foram morar no sítio do pai do Cláudio. Os irmãos do Cláudio foram tentar a vida na cidade grande e outros foram para a cidade de Alagoa mesmo e no bairro Companhia no alto da montanha ficaram o casal Cláudio e Maria, que desde o início o sustento do casal vem do trabalho rural, tirando leite e fazendo o Queijo Artesanal de Alagoa todos os dias. 
O casal tive 3 filhos: Cláudia, Carolina e Renato. Hoje todos já casados. Renato foi tentar a vida na cidade grande, mas vendo que não era aquilo que ele queria para o resto de sua vida, voltou para Alagoa e foi trabalhar com seus pais na roça, tirando leite, fazendo queijo e cuidando do sítio. 
No ano de 2017 as coisas ficaram bem difíceis, os compradores do queijo que desde o início Cláudio e Maria sempre passaram os queijos para os “atravessadores” que compram o queijo do produtor e revendem, muitas vezes são os atravessadores que colocam o preço no queijo. E o preço em 2017 na época das águas estava baixo demais e dinheiro não estava dando para pagar a ração do gado e muito menos para fazer a despesa da família. A queijeira chegou a ficar com mais de 600 kg de queijos empacados sem ter para quem vender. 
Vendo a situação dos pais, Renato e sua esposa Thaylane colocaram no carro 12 peças de queijos de 5 kg cada e saíram para as cidades vizinhas, venderam 2 peças e voltaram com 10 dentro do carro. Quando Cláudio viu, ele perdeu a esperança e disse que teria que entregar os queijos por qualquer preço que pagassem pois, já não havia mais espaço para colocar os queijos na queijeira e as contas estavam acumulando. Mas para Renato e Thaylane foi só o começo. Eles estavam com o casamento marcado para o julho de 2018 e decidiram pegar o dinheiro que estavam juntando e compraram uma máquina de embalar a vácuo e investiram dinheiro também em embalagens e em rótulos. 
Devagar foram entrando nas cidades vizinhas e divulgando o queijo que passou a se chamar Queijo Artesanal de Alagoa MG Fazenda Bela Vista e com isso eliminaram os atravessadores da fazenda em pouco tempo. Começaram a participar de concursos, o 1º foi em Alagoa mesmo no ano de 2018, o queijo da Fazenda Bela Vista foi eleito o Melhor Queijo Artesanal de Alagoa, mas o casal não parou por aí, no mesmo ano foram para São Paulo e participaram do Prêmio Queijo Brasil e lá também conquistaram mais prêmios.
 No ano de 2019 receberam o convite do amigo e também produtor rural de Alagoa, Humberto, para enviar 3 exemplares do queijo da fazenda para Mondial du Fromage na França. A portadora foi a Mrly Leite do queijo Senzala de Araxá-MG. No início seria apenas mais um concurso que iriamos participar. Colocamos os queijos no correio e pronto, só ficamos sabendo que tudo tinha dado certo pelo instagram do queijo canastra e foi aí que veio a maior e melhor notícia, a Fazenda Bela Vista conquistou medalhas com os 3 exemplares de queijos enviados: 1 ouro e 2 bronze, foi muita alegria passar por tudo que passamos e ter esse reconhecimento, é tudo que um produtor rural merece. 
Essa conquista não só da Fazenda Bela Vista, mas sim de todos os produtores rurais de Alagoa que colocam a mão na massa todos os dias. É o primeiro ouro de Alagoa em um mundial de queijo. E para finalizar Renato e Thaylane realizaram o tão sonhado casamento. Fotografias de Informações enviadas pela Thaylane.

quarta-feira, 7 de junho de 2017

11 praias mineiras que encantam moradores e turistas

Minas não tem mar mas tem praia. São bancos de areia formada pelos rios, as chamadas praias fluviais ou praias de água doce. São centenas espalhadas por toda Minas Gerais, não dá mesmo para publicar todas, por isso, dessas centenas de praias escolhemos apenas 11.
01 - Praia de Lagoa da Prata
A praia de Lagoa da Prata, na Região Centro Oeste de Minas, é uma boa opção de lazer. Tem toda infraestrutura para você curtir um momento agradável. Bares, quiosques, academia, quadras, barcos, restaurantes. O lugar é limpo e muito bem cuidado. (fotografia acima de Henrique Lacerda Fotografias)
02 - Praia da Cachoeira da Maria Augusta em S.J.B do Glória 
Essa bela cachoeira, formada por duas grandes quedas de mais ou menos 35 metros é uma das mais belas da região sudoeste de Minas. (foto acima de Luis Leite) As duas quedas formam um poço de água cristalina, ideal para banhos e relaxamento. Para quem gosta de banho de sol, uma gostosa praia, de areia branca e bem fina é um convite para um bom bronze e refresco no poço formado pelas águas da cachoeira. O complexo da Maria Augusta fica em São João Batista do Glória, distante 20 km do centro da cidade e conta com pousadas próximas, bem como guias que levam visitantes em 4x4 de São João Batista do Glória e da vizinha Delfinópolis para o local.
03 - Praia da Cachoeira do Telésforo em Conselheiro Mata
A primeira é a Cachoeira do Telésforo.(foto acima de César Rocha) Fica em Conselheiro Mata, distrito de Diamantina MG no Alto Jequitinhonha. A pequena queda forma um enorme poço e em seu entorno, uma areia branquíssima atrai para o local quem quer pegar um bronze e curtir a natureza em volta que é belíssima.
04 - Praia do Rio São Francisco em Pirapora 
As águas do Rio São Francisco (na foto acima de Sérgio Mourão) presenteiam Pirapora, no Norte de Minas com belas paisagens e diversos bancos de areia fina e branca,ao longo de  2 km de extensão. Pirapora sempre atraiu visitantes por causa de sua águas e pelo potencial turístico da cidade. O ponto mais visitado em dias de calor é o Balneário das Duchas, bem no centro da cidade. 
05 - Praia da Cachoeira do Crioulo 
No Alto Jequitinhonha,  em São Gonçalo do Rio Preto tem a prainha da Cachoeira do Crioulo, uma das mais belos do Parque Estadual do Rio Preto. São lindos bancos de areia bem branca e água limpa e cristalina, irresistível para os visitantes.(foto acima  de Thelmo Lins)
06 - Praia do Lapeiro em São Gonçalo do Rio Preto
A praia do Lapeiro fica também em São Gonçalo do Rio Preto, a Praia do Lapeiro (na foto acima de Sérgio Mourão). É uma das mais procuradas por seu fácil acesso. Fica a 1 km do centro da cidade de São Gonçalo do Rio Preto. É um dos locais preferidos para um passeio em família porque suas águas são rasas, o que permite a presença de crianças, acompanhadas dos pais. Os adultos podem aproveitar para jogar peteca, futevôlei ou vôlei de areia já que no local tem quadra para prática desses esportes, além de bares e restaurantes com comidas feitas no fogão à lenha.
07 - Praia de Capitólio 
No território Sudoeste do estado também é possível encontrar essas águas relaxantes. Fundada em 1988, a Praia Artificial Municipal Domingos Gonçalves Machado é um dos principais atrativos de Capitólio e está localizada no centro da cidade. (na foto acima de Allan Sant´Anna Photografo) Banhada pelo Rio Piumhi, a praia é considerada um refúgio para os que querem descansar a mente e o corpo. Com uma boa infraestrutura, a praia conta com banheiros públicos, quadras poliesportivas e um calçadão para deliciosas caminhadas ao entardecer, emoldurado pelas lindas montanhas da região. Há bares com piscinas naturais e quem gosta de passear nas águas pode escolher entre barco, canoa e Jet Ski.
08 - Praia da Represa de Três Marias
Uma outra opção é a praia Mar de Minas em Três Marias, cidade onde está a maior parte da Represa de Três Marias, na Região Central Mineira (na foto acima de Sérgio Mourão/Encantos de Minas) e também em Morada Nova de Minas (na foto abaixo), vizinha a Três Marias, banhada pelas águas do Rio São Francisco cujas águas formam belas praias fluviais, uma das atrações turísticas naturais do município.
09 - Praia de Januária MG. Norte de Minas
Praia do Rio São Francisco em Januária, Norte de Minas. Já foi uma das maiores do Norte de Minas mas ainda hoje é muito frequentada. Tem bares, lanchonetes e quiosques. É um dos principais pontos de lazer da cidade. Fotografia de Pingo Sales
10 - Praia da Saudade em Almenara MG - Jequitinhonha
Praia da Saudade, em Almenara, Rio Jequitinhonha (foto enviada por João Avelar Almenara). A cidade tem uma das mais belas praias de Minas Gerais e o local é emoldurado pelo Morro do Cruzeiro, uma das paisagens naturais mais exuberantes do Vale do Jequitinhonha. Praia fluvial exuberante, uma maravilha da natureza no contexto bucólico do Rio Jequitinhonha no perímetro urbano de Almenara. A Praia da Saudade é uma das paisagens naturais mais exuberantes do Vale do Jequitinhonha.
11 - Praia do Rio do Peixe em Botumirim MG - Norte de Minas
Rodeado por paisagens paradisíacas e uma flora exuberante, o Rio do Peixe em Botumirim (na foto acima de Wilson Ferreira Santos), no Alto Jequitinhonha proporciona um espetáculo de beleza com suas águas cristalinas, limpas e bancos de areia branquíssimas, que formam um conjunto de praias fluviais maravilhoso constantemente visitado por banhistas e amantes da natureza. 

Triângulo Mineiro lidera na produção de girassol

Segundo dados da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais, o Triângulo Mineiro lidera o ranking de produção de girassol em Minas Gerais. (foto acima de Cris Ferreira/@paisagenscsf) A região é responsável pela produção de 56% de girassol no Estado.  A  produção dessa flor vem crescendo em Minas Gerais, seja na produção de óleo de cozinha e biodiesel, bem como para ornamentação de jardins e alimentação de aves. Mas inegavelmente, a flor chama a atenção por sua beleza. Em Minas Gerais é plantado no outono, entre fevereiro e março. A florada da planta vai de maio a agosto. 
No Triângulo Mineiro existem várias plantações de girassóis principalmente em Uberlândia, Uberaba e Araguari. E a produção vem crescendo a cada ano,  já que a planta existe menos chuva, deixa matéria orgânica no solo, o que favorece o próximo plantio e ainda recicla nutrientes que foram perdidos no solo. (foto acima e abaixo de Cris Ferreira/@paisagenscsf)
Na região de Araguari, o girassol é cultivado em várias propriedades com muito sucesso, já que o Triângulo Mineiro está numa posição geográfica estratégica no Brasil, o que facilita o escoamento mais rápido da produção para os grandes centros urbanos. Outro fator preponderante é o clima da região que é propícia para o desenvolvimento desse tipo de cultura. Girassol requer solos corrigidos, profundos e compactos, característicos dos solos de Araguari e da região do Triângulo Mineiro em geral, por isso o sucesso e crescimento contínuo da produção da flor.

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Facebook

Postagens populares

Seguidores