Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

terça-feira, 16 de abril de 2024

A cidade que mudou de nome por causa de Santa Catarina SC

(Por Arnaldo Silva) Natércia, no Sul de Minas, conta atualmente com 4.691 habitantes, segundo Censo do IBGE. Cidade pequena, pacata, charmosa e acolhedora, está a 387 km da capital, fazendo limites territoriais com Heliodora, Lambari, Jesuânia, Conceição das Pedras, Pedralva, Santa Rita do Sapucaí e Careaçu.
          Seu relevo é montanhoso, com belíssimas paisagens naturais nativas, rios e cachoeiras como a cachoeira da Usina, com 45 metros de queda, ótimos atrativos para um convívio maior com a natureza prática de caminhadas e esportes radicais como rapel. (foto acima de José Valmei)
Origens
          O que é hoje a cidade de Natércia, tem origens no arraial de Descoberto da Pedra Branca, seu primeiro nome, em 1741. Dois anos depois, em 28/02/1743, passa a se chamar Arraial de Santa Catarina da Pedra Branca, tendo como padroeira, Santa Catarina de Alexandria. Elevado a freguesia em 11/07/1822 por Alvará de 09/05/1822 e a vila/distrito em 14/09/1891, por Lei Estadual n° 2 de 14/09/1891, subordinado a Santa Rita de Sapucaí MG.
          Na data de elevação a Freguesia, 11/07/1822, a Igreja de Santa Catarina foi elevada a Paróquia e a partir desta data, a freguesia/vila, passou a se chamar Santa Catarina, posteriormente, elevada à cidade emancipada pela Lei Estadual nº 843, de 07-09-1923.
          Tanto a freguesia, vila e cidade se desenvolveram a 3 km do primitivo Arraial de Santa Catarina da Pedra Branca. A elevação sua igreja a Paróquia em 11/07/1822 e sua elevação a vila, em 7/09/1923, são datas comemorativas da cidade.
De Santa Catarina MG para Natércia MG
          No século passado, encomendas e cartas levavam semanas e até meses para chegar aos destinatários. O envio era basicamente feito por trens, já que até o anos 1970, o transporte por terra era predominante. As longas distâncias e o tempo para chegar ao destinatário, ocasionava extravios ou desvios de correspondências.
          É o caso de Santa Catarina MG. Muitas correspondências enviadas a destinatários na cidade, acabavam indo para o estado de Santa Catarina, o que gerava enormes transtornos. Para por fim a essa questão, os vereadores de Santa Catarina MG se mobilizaram junto ao poder municipal, Assembleia Legislativa e Governo do Estado de Minas Gerais para mudarem o nome da cidade, que foi feito através da Lei nº 1039, de 12-12-1953. Com a aprovação dessa lei, Santa Catarina MG teve o nome alterado para Natércia MG, nome escolhido pelo poder legislativo e municipal, com apoio da população.
Por que Natércia?
          Natércia é um anagrama de Caterina, em alusão aos versos de Luís Vaz de Camões (1524 – 1580, português e Renascentista, é considerado um dos maiores escritores da língua portuguesa de todos os tempos, tido inclusive como o “pai da língua portuguesa”. Camões nutria um forte amor por Caterina de Ataíde, uma linda jovem de olhos azuis, filha de um nobre português e membro da administração da corte.
          Sua beleza impressionava tanto Camões que Caterina de Ataíde foi imortalizada em diversos de seus sonetos. Um desses sonetos, tem o nome de Natércia. Sua amada havia morrido ainda jovem, vítima de uma grave e fulminante doença. O poeta nunca escondera as saudades e o amor ardente que nutria por sua amada Caterina.
          Camões à época era um jovem irrequieto, aventureiro e demonstrava muita valentia. Por esses motivos, sempre se metia em confusões por onde passava e por várias vezes, foi parar em prisões.
Em uma de suas viagens, se envolveu em problemas na Índia, tendo sido capturado na China enviado à Índia de navio para ser julgado. Foi nessa viagem de volta à Índia que escreveu o soneto Natércia.
          Para não identificarem o nome da amada, Camões misturou as sílabas de CATERINA, dando nome ao poema de NA-TER-CIA.
Por esse motivo, as autoridades e populares da cidade, à época, optaram pela troca do nome Santa Catarina MG para Natércia MG. O anagrama é uma linda poesia de amor, além de fazer alusão à padroeira da cidade, Santa Catarina de Alexandria.
Atrativos de Natércia
          Além da Paróquia de Santa Catarina de Alexandria, Natércia tem como outros atrativos a Igreja de Nossa Senhora da Conceição, construída no século XIX, com belíssimas obras de arte em seu interior e outras belas igrejas. (na foto acima do Leonardo Souza/jleonardo_souza_srs, a Paróquia de Santa Catarina de Alexandria)
          Além disso, tem o Mirante do Cruzeiro, com uma vista panorâmica espetacular da cidade, as cachoeiras do Salto e sua impressionante queda, trilhas como a Trilha da Pedra do Cruzeiro e estradas rurais que levam a outras cachoeiras como a Cachoeira da Usina na vizinha Conceição das Pedras. Sem contar a possibilidade de praticar esportes aquáticos no Rio Sapucaí, como a canoagem ou mesmo, relaxar às margens do rio e praticar pesca esportiva em seus rios e represas. (foto acima de José Valmei)
          Pra quem prefere um programa familiar, tem o Parque Municipal, um lugar com boa estrutura para diversão, ideal para o dia com a família e fazer piqueniques.
          Para os amantes da cultura que queiram conhecer mais a fundo a história da cidade, Natércia conta com Museu Histórico e a Casa da Cultura, além de preservar suas festas tradicionais como a de Nossa Senhora da Conceição e de Santa Catarina de Alexandria, a padroeira, em 25 de novembro, dentre outras festividades. Tem ainda a oportunidade de visitar fazendas históricas, com construções do período colonial, já que algumas são abertas a visitação.
          E como toda tradicional cidade mineira, a culinária de Natércia é bastante tipicamente mineira e rica em sabores, com destaque para o feijão-tropeiro, o frango com quiabo e a tradicional broa de milho. (na foto acima de José Valmei, a Paróquia de Santa Catarina de Alexandria)
          Natércia conta ainda com uma boa estrutura urbana, um variado comércio, bares, restaurantes, padarias e lanchonetes, além pequenos hotéis e pousadas aconchegantes, ruas e praça arborizadas, um charmoso e atraente casario. (foto acima de Fernando Campanella)
          Além disso, a calma e tranquilidade de Natércia, é por si só um convite ao sossego, bem como a hospitalidade de seu povo, muito gentil e acolhedor. Inclua Natércia em seu roteiro de cidades para conhecer. Irá se encantar com sua história, cultura, turismo, tradições e belezas naturais e rurais.

quinta-feira, 4 de abril de 2024

Pesquisa aponta interesse dos brasileiros por morar em Minas

(Por Arnaldo Silva) Santa Catarina ficou em primeiro lugar com 18,3% na preferência da população adulta brasileira como estado preferido para se mudar. Em segundo lugar ficou São Paulo, com 11,8% e Minas Gerais, com 8,9%, entre as melhores opções de estados para se morar no Brasil.
          Isso é o que afirma a pesquisa Tendências de Moradia no Brasil realizada pela Loft em parceria com a Offerwise, sobre a preferência da população adulta em se mudar de estado, caso decidam um dia sair de seu estado de origem. (fotografia acima de Cássia Almeida, do Parque das Águas de São Lourenço MG, Sul de Minas)
          A pesquisa aponta ainda uma preferência maior dos moradores dos estados do Sudeste de permanecerem na região, mas manifestam uma tendência maior de morar em Minas Gerais. Ao todo, 11% dos entrevistados dos demais estados do Sudeste (São Paulo, Rio de Janeiro e Espirito Santo), afirmaram que se mudariam para Minas Gerais, caso optem em deixar seus estados de origem. Em ordem, nas demais preferências dos entrevistados em morar, aparecem as regiões Norte (7,9%), Nordeste (7,7%), Centro-Oeste (6,3%) e o Sul do Brasil (5,3%).
Abaixo, a lista dos estados de preferência dos brasileiros para se mudar
Santa Catarina                                18.3%
São Paulo                                        11.8%
Minas Gerais                                   8.9%
Rio de Janeiro                                 8.7%
Rio Grande do Sul                          7.5%
Bahia                                               6.5%
Paraná                                              6.0%
Ceará                                               3.8%
Goiás                                               3.4%
Pernambuco                                    3.1%
Distrito Federal                               2.9%
Espírito Santo                                 2.6%
Alagoas                                           2.5%
Paraíba                                            2.5%
Mato Grosso                                   1.9%
Rio Grande do Norte                      1.7%
Mato Grosso do Sul                       1.4%
Maranhão                                       1.1%
Tocantins                                        1.1%
Sergipe                                           0.9%
Amazonas                                      0.8%
Pará                                                0.7%
Piauí                                               0.5%
Rondônia                                       0.5%
Acre                                               0.5%
Amapá                                           0.2%
Roraima                                         0.2%
Fonte: Loft e Offerwise

quarta-feira, 3 de abril de 2024

Terra de Gigantes de Uberaba é reconhecido pela Unesco

(Por Arnaldo Silva) No dia 27/03/2024, em Paris, na França, Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e Cultura (Unesco) concedeu o título de Geoparque a Uberaba MG, no Triângulo Mineiro. Com o reconhecimento internacional, o Geoparque Uberaba, com o nome de “Terra de Gigantes”, se torna o primeiro patrimônio geológico de Minas Gerais, reconhecido pela Unesco e o primeiro da Região Sudeste.
Geoparques no mundo e no Brasil
          São 195 geoparques, em 48 países, reconhecidos até o momento pela Unesco. No Brasil, agora com o Geoparque Uberaba – Terra de Gigantes, são 6. O primeiro geoparque reconhecido no Brasil foi o Geoparque Araripe (CE), em 2006; seguido pelo Geoparque Seridó (RN), e Caminhos dos Cânions do Sul, do litoral de Torres (RS) até a Serra Catarinense, em 2022; e, em 2023, Caçapava do Sul e Quarta Colônia, ambos no Rio Grande do Sul.
As Minas Gerais patrimônio do mundo
          O Geoparque Uberaba – Terra de Gigantes, integra agora a lista dos sítios de Minas Gerais reconhecidos como Patrimônios da Humanidade, juntando-se a Ouro Preto, na Região Central, que recebeu o título de Patrimônio Mundial da Unesco em 1980; o conjunto da Basílica Bom Jesus de Matosinhos, em Congonhas MG, Região Central, reconhecido em 1985; o Centro Histórico de Diamantina, no Vale do Jequitinhonha, reconhecido em 1999; a Serra do Espinhaço, reconhecido pela Unesco como Reserva da Biosfera em 2005 e o Conjunto Moderno da Pampulha, em Belo Horizonte, em 2016. (nas fotos acima de Luís Leite, o Parque dos Dinossauros em Peirópolis, distrito de Uberaba)
Que são geoparques?
          Geoparques são áreas geográficas, sem igual em outros lugares e unificadas, com grande relevância geológica internacional. Com o reconhecimento da Unesco, essas áreas denominas geoparques passam a ser gerenciadas com um conceito holístico de proteção, preservação, educação e desenvolvimento de forma sustentável, uma região e toda sua identidade.
Projeto iniciado em 2010
          Para fazer o inventário, uma equipe formada por pelos pesquisadores e cientistas Luiz Carlos Borges Ribeiro, Gyzah Amui Barros, Paula Cusinato, Gustavo Vaz Silva, Laís Lima Brandespim Gomes, Marcius Marques Mendes, Fabrício Aníbal Corradini, Josenilson Bernardo da Silva, Stela Mariana de Morais, Lúcia Cruvinel Lacerda e Maria Aparecida Basílio, que prepararam todo o dossiê para ser entregue a Unesco.
          O projeto foi idealizado e liderado pelo geólogo Luiz Carlos, foram 14 anos de trabalho, com muita dedicação e empenho, desde 2010. A partir de 2017, o estudo contou com a parceria da Prefeitura de Uberaba, a Associação Brasileira de Criadores de Zebu (ABCZ), o Sebrae e a Universidade Federal do Triângulo Mineiro.
          O Geoparque Uberaba – Terra de Gigantes possui 4.540,51 km² de área, de acordo com inventário apresentado à Unesco. São 30 sítios paleontológicos, com achados de fósseis da era dos dinossauros, de grandes valores históricos e culturais, incluindo o Museu dos Dinossauros em Peirópolis, distrito de Uberaba MG, onde encontra-se fósseis do “Uberabatitan Ribeiroi” e várias coleções cientificas. (na foto acima do Duva Brunelli, o interior do Museu dos Dinossauros de Peirópolis)
Uberaba MG
          Conhecida internacionalmente como a Capital Mundial do Gado Zebu e a cidade que revelou ao mundo o médium espírita Chico Xavier (1910-2002), Uberaba se torna agora conhecida no mundo como a terra dos dinossauros, atraindo com isso turistas e estudiosos à cidade mineira.
          Uberaba é uma cidade que prioriza o seu crescimento econômico e científico, preservando sua história, seu patrimônio cultural e natural. Por esse motivo, projeta-se na cidade, a construção de 3 rotas turísticas referentes a “terra de gigantes”, com foco no patrimônio geológico, histórico e cultural de Uberaba, como exemplo, construções do século XIX e início do século XX, como antigas fábricas, igrejas e casarões coloniais, além de suas belezas naturais. (nas fotos acima de Luís Leite, algumas igrejas de Uberaba MG: Igreja de Santa Rita, Igreja das Dores, Igreja de São Domingos e a Catedral)
Orgulho para Minas
          Com o reconhecimento de Uberaba, como geoparque, pela Unesco, tornará Minas Gerais mais conhecida no mundo, atraindo com isso o aumento do turismo nacional e internacional, como consequência, maiores investimentos públicos na cidade e aquecimento da economia do município.

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Facebook

Postagens populares

Seguidores