Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

Mostrando postagens com marcador Sul e Sudoeste de Minas. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Sul e Sudoeste de Minas. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 16 de abril de 2024

A cidade que mudou de nome por causa de Santa Catarina SC

(Por Arnaldo Silva) Natércia, no Sul de Minas, conta atualmente com 4.691 habitantes, segundo Censo do IBGE. Cidade pequena, pacata, charmosa e acolhedora, está a 387 km da capital, fazendo limites territoriais com Heliodora, Lambari, Jesuânia, Conceição das Pedras, Pedralva, Santa Rita do Sapucaí e Careaçu.
          Seu relevo é montanhoso, com belíssimas paisagens naturais nativas, rios e cachoeiras como a cachoeira da Usina, com 45 metros de queda, ótimos atrativos para um convívio maior com a natureza prática de caminhadas e esportes radicais como rapel. (foto acima de José Valmei)
Origens
          O que é hoje a cidade de Natércia, tem origens no arraial de Descoberto da Pedra Branca, seu primeiro nome, em 1741. Dois anos depois, em 28/02/1743, passa a se chamar Arraial de Santa Catarina da Pedra Branca, tendo como padroeira, Santa Catarina de Alexandria. Elevado a freguesia em 11/07/1822 por Alvará de 09/05/1822 e a vila/distrito em 14/09/1891, por Lei Estadual n° 2 de 14/09/1891, subordinado a Santa Rita de Sapucaí MG.
          Na data de elevação a Freguesia, 11/07/1822, a Igreja de Santa Catarina foi elevada a Paróquia e a partir desta data, a freguesia/vila, passou a se chamar Santa Catarina, posteriormente, elevada à cidade emancipada pela Lei Estadual nº 843, de 07-09-1923.
          Tanto a freguesia, vila e cidade se desenvolveram a 3 km do primitivo Arraial de Santa Catarina da Pedra Branca. A elevação sua igreja a Paróquia em 11/07/1822 e sua elevação a vila, em 7/09/1923, são datas comemorativas da cidade.
De Santa Catarina MG para Natércia MG
          No século passado, encomendas e cartas levavam semanas e até meses para chegar aos destinatários. O envio era basicamente feito por trens, já que até o anos 1970, o transporte por terra era predominante. As longas distâncias e o tempo para chegar ao destinatário, ocasionava extravios ou desvios de correspondências.
          É o caso de Santa Catarina MG. Muitas correspondências enviadas a destinatários na cidade, acabavam indo para o estado de Santa Catarina, o que gerava enormes transtornos. Para por fim a essa questão, os vereadores de Santa Catarina MG se mobilizaram junto ao poder municipal, Assembleia Legislativa e Governo do Estado de Minas Gerais para mudarem o nome da cidade, que foi feito através da Lei nº 1039, de 12-12-1953. Com a aprovação dessa lei, Santa Catarina MG teve o nome alterado para Natércia MG, nome escolhido pelo poder legislativo e municipal, com apoio da população.
Por que Natércia?
          Natércia é um anagrama de Caterina, em alusão aos versos de Luís Vaz de Camões (1524 – 1580, português e Renascentista, é considerado um dos maiores escritores da língua portuguesa de todos os tempos, tido inclusive como o “pai da língua portuguesa”. Camões nutria um forte amor por Caterina de Ataíde, uma linda jovem de olhos azuis, filha de um nobre português e membro da administração da corte.
          Sua beleza impressionava tanto Camões que Caterina de Ataíde foi imortalizada em diversos de seus sonetos. Um desses sonetos, tem o nome de Natércia. Sua amada havia morrido ainda jovem, vítima de uma grave e fulminante doença. O poeta nunca escondera as saudades e o amor ardente que nutria por sua amada Caterina.
          Camões à época era um jovem irrequieto, aventureiro e demonstrava muita valentia. Por esses motivos, sempre se metia em confusões por onde passava e por várias vezes, foi parar em prisões.
Em uma de suas viagens, se envolveu em problemas na Índia, tendo sido capturado na China enviado à Índia de navio para ser julgado. Foi nessa viagem de volta à Índia que escreveu o soneto Natércia.
          Para não identificarem o nome da amada, Camões misturou as sílabas de CATERINA, dando nome ao poema de NA-TER-CIA.
Por esse motivo, as autoridades e populares da cidade, à época, optaram pela troca do nome Santa Catarina MG para Natércia MG. O anagrama é uma linda poesia de amor, além de fazer alusão à padroeira da cidade, Santa Catarina de Alexandria.
Atrativos de Natércia
          Além da Paróquia de Santa Catarina de Alexandria, Natércia tem como outros atrativos a Igreja de Nossa Senhora da Conceição, construída no século XIX, com belíssimas obras de arte em seu interior e outras belas igrejas. (na foto acima do Leonardo Souza/jleonardo_souza_srs, a Paróquia de Santa Catarina de Alexandria)
          Além disso, tem o Mirante do Cruzeiro, com uma vista panorâmica espetacular da cidade, as cachoeiras do Salto e sua impressionante queda, trilhas como a Trilha da Pedra do Cruzeiro e estradas rurais que levam a outras cachoeiras como a Cachoeira da Usina na vizinha Conceição das Pedras. Sem contar a possibilidade de praticar esportes aquáticos no Rio Sapucaí, como a canoagem ou mesmo, relaxar às margens do rio e praticar pesca esportiva em seus rios e represas. (foto acima de José Valmei)
          Pra quem prefere um programa familiar, tem o Parque Municipal, um lugar com boa estrutura para diversão, ideal para o dia com a família e fazer piqueniques.
          Para os amantes da cultura que queiram conhecer mais a fundo a história da cidade, Natércia conta com Museu Histórico e a Casa da Cultura, além de preservar suas festas tradicionais como a de Nossa Senhora da Conceição e de Santa Catarina de Alexandria, a padroeira, em 25 de novembro, dentre outras festividades. Tem ainda a oportunidade de visitar fazendas históricas, com construções do período colonial, já que algumas são abertas a visitação.
          E como toda tradicional cidade mineira, a culinária de Natércia é bastante tipicamente mineira e rica em sabores, com destaque para o feijão-tropeiro, o frango com quiabo e a tradicional broa de milho. (na foto acima de José Valmei, a Paróquia de Santa Catarina de Alexandria)
          Natércia conta ainda com uma boa estrutura urbana, um variado comércio, bares, restaurantes, padarias e lanchonetes, além pequenos hotéis e pousadas aconchegantes, ruas e praça arborizadas, um charmoso e atraente casario. (foto acima de Fernando Campanella)
          Além disso, a calma e tranquilidade de Natércia, é por si só um convite ao sossego, bem como a hospitalidade de seu povo, muito gentil e acolhedor. Inclua Natércia em seu roteiro de cidades para conhecer. Irá se encantar com sua história, cultura, turismo, tradições e belezas naturais e rurais.

segunda-feira, 1 de janeiro de 2024

Juruaia: capital da lingerie e moda íntima

(Por Arnaldo Silva) Cidade pequena, com apenas 11 mil habitantes, muito charmosa, com povo hospitaleiro e elegante, Juruaia, no Sul de Minas, está distante 450 km de Belo Horizonte. Juruaia é nome indígena e tem dois significados no tupi-guarani: “barra mansa” e “boca com dentes”. A cidade era distrito de Muzambinho, até 27 de dezembro de 1948, quando foi elevada à cidade emancipada, nesta data, que é data de aniversário da cidade e feriado municipal.
          O município faz limites territoriais com Nova Resende, Monte Belo, Muzambinho, Guaxupé e São Pedro da União. A economia da cidade tem como base a indústria de confecções, o comércio, o setor de serviços e agricultura. Juruaia é um dos maiores produtores de café do Brasil. (fotografia acima de Elpídio Justino de Andrade)
Da cafeicultura à produção de lingeries
          Até o fim dos anos 1980, a base da economia do município era predominantemente cafeeira. Essa realidade começou a mudar a partir de 1992, através da iniciativa de alguns empreendedoras e empreendedores locais para a criação, produção e vendas no atacado e varejo de lingeries e peças íntimas. (acima letreiro e abaixo, a Matriz de São Sebastião. Fotos de Elpídio Justino de Andrade)
          Desde o surgimento da indústria de confecção na cidade, a economia de Juruaia cresce e se desenvolve a cada ano. Isso faz o Produto Interno Bruto (PIB) do município crescer em média 20% ao ano. Atualmente, Juruaia é o maior produtor de lingeries do país, respondendo sozinha por 15% de toda produção de peças íntimas do Brasil.
Capital da Lingerie e Moda Íntima
          Hoje, a cidade é conhecida como a Capital da Lingerie e Moda Íntima, além de ser destaque e uma das referências mundiais na confecção de roupas de moda íntima no Brasil, graças à criatividade, constante inovação, empreendedorismo e profissionalismo dos empresários e empresárias locais.
          São mais de 300 indústrias na cidade, em sua maioria, 95%, comandadas por mulheres. Essas indústrias produzem mensalmente cerca de 2 milhões de peças, com um faturamento todo acima de 20 milhões de reais por mês. (na foto acima do Elpídio Justino de Andrade, uma das dezenas de loja das cidade)
          As lingeries fabricadas na cidade são consideradas de alta qualidade, confortáveis e de designs atraentes. Além disso, Juruaia é fornecedora de matéria-prima para várias cidades brasileiras como Nova Friburgo RJ, Taquaral e Pontalina em Goiás, dentre outras, além de algumas fábricas da cidade exportarem sua produção para vários países como Argentina, Austrália, Alemanha, Bolívia, Canadá, Estados Unidos, Emirados Árabes, Holanda e Portugal.
Cuecas com GPS e sutiãs com diamantes
          A maioria das fábricas de Juruaia conta com loja própria na cidade. Isso faz do município um centro de compras nacional. Todos os dias, pessoas de várias cidades do Brasil, vem à Juruaia comprar peças íntimas, para revenderem em suas cidades.
          Na cidade, os turistas têm a opção de comprarem peças íntimas criadas para cada signo do zodíaco, sutiãs com diamantes, conjuntos com sachês de sementes e corpete de ouro, cuecas com GPS, além de calcinhas, biquínis, sungas, cuecas, dentre outros.
          Isso tudo e muito mais com a vantagem de terem designs avançados, inovadores, criativos, de qualidade e por preços direto da fábrica. Nos dias de eventos e feiras, quando o fluxo de visitantes aumenta, as cidades vizinhas a Juruaia são opções de hospedagens e alimentação.
O maior sutiã do Brasil
          Produção e criação de lingeries é a principal vocação e a identidade da cidade. Falou-se em lingeries no Brasil, o nome é Juruaia. Por esse motivo, em 2015, os empresários e empresárias locais da confecção, se uniram e confeccionaram um sutiã gigante. A peça foi instalada permanentemente bem no centro da cidade, na praça Prefeito Benjamim Antônio. (na foto acima do Elpídio Justino de Andrade)
          É 300 vezes maior que o sutiã normal. Tem 15,7 metros de largura, 5 metros de altura e 3,17 metros de comprimento de cada bojo. É o maior sutiã do Brasil e um dos maiores do mundo, segundo o RankBrasil, se tornando desde então um marco na história da cidade e um de seus atrativos.
A maior calcinha fio dental do Brasil
          Já que foi feito um sutiã gigante, por que não uma calcinha fio dental gigante? É o que foi feito. A peça gigantesca é 450 maior que uma calcinha comum. Tem 5 metros de altura, seis metros de largura e estrutura com dois arcos de 6 metros de diâmetro cada. Foi confeccionada por 43 pessoas em 22 dias. Para sua confecção, foram usadas microfibra de alta qualidade, sendo 92% de poliamida e 8% de elastano. (foto acima do Elpídio Justino de Andrade)
         A impactante peça foi instalada na Praça Regina Ribeiro do Valle Tomaz. É a maior calcinha fio dental do Brasil, e juntamente com o sutiã gigante, se tornou atrativo turístico da cidade, além de serem dois pontos instagramáveis. Isso porque é impossível ir à cidade e não fotografar e se fotografar junto ao sutiã e calcinha, gigantes.
          As duas peças gigantes, foram homologadas pelo RankBrasil como as maiores do Brasil. Os dois monumentos são tributos à arte, inovação e a ousadia na criatividade dos artesãos e artesãs locais, principalmente os pioneiros que deram início a confecção de peças íntimas a partir de 1992.
Principais eventos da cidade
          Durante o ano, acontecem 3 eventos em Juruaia relacionados às lingeries.
          No mês de janeiro ocorre os outlets das confecções. Nessa época, os produtos das lojas e fábricas de lingeries chegam a ter até 70% de desconto, o que atrai milhares de turistas e compradores à cidade.
          O maior evento do ano na cidade é a Feira da Lingerie de Juruaia (Felinju). A feira marca o lançamento da coleção outono/inverno com mostras das novas produções de peças íntimas da cidade e tendências da moda como moda de praia, pijamas e fitness. A feira ocorre geralmente entre abril e maio de cada ano.
          Em setembro, na semana do feriado de 7 de setembro, acontece a Festlingerie, uma festa repleta de glamour com mostras dos estilos e tendências da moda intima, de praia, homewear e fitness. Esse evento mobiliza todas as fábricas e lojas da cidade e atrai mais de 15 mil pessoas, durante os dias de festa.

sábado, 25 de novembro de 2023

9 paraísos com cachoeiras e poços espetaculares em Capitólio

(Por Arnaldo Silva) Capitólio, a 276 km de Belo Horizonte, no Sudoeste de Minas, é referência em Minas Gerais em qualidade de vida, turismo natural e de aventuras, graças à belíssimos paraísos naturais e o Lago de Furnas. 
          É a mais badalada cidade turística em Minas, não apena por seus cânions, águas esverdeadas e passeios de lancha pelo “Mar de Minas”, o Lago de Furnas, mas também por suas dezenas de cachoeiras e complexos que formam poços de águas limpas, cristalinas e geladas, além de trilhas, imensas formações rochosas. São paisagens de tirar o fôlego.
          Algumas dessas paisagens vamos conhecer agora. Listamos 9 paraísos imperdíveis com impactantes cachoeiras em Capitólio ou nas cidades de São João Batista do Glória e São José da Barra, com acesso por Capitólio.
          Vamos então conhecer 9 belíssimos paraísos naturais com cachoeiras e paisagens de tirar o fôlego em Capitólio MG.
1 - Paraíso Perdido
          Em São João Batista do Glória, na divisa com Capitólio MG, temos uma das mais belas paisagens naturais de Minas. É o Paraíso Perdido, formado por uma vasta e rica fauna, composta por lobo-guará, onça-parda, pato mergulhão, tamanduá-bandeira, dentre outros e flora de cerrado e Mata Atlântica.
          Além disso, a reserva conta com água em abundância, esverdeada, cristalina e gelada e ainda cachoeiras, pequenos ofurôs, piscinas naturais e gigantescos rochedos de quartzito. Fica numa reserva particular, totalmente preservada.
          O acesso é pago e a área é bem estruturada com camping com churrasqueiras, mesinhas, pia para lavar utensílios, banheiros com chuveiros de água quente e restaurante aberto nos fins de semana e feriados prolongados, barracas simples com luz elétrica e duas camas de solteiro. Custos de hospedagem e alimentação devem ser consultados.
2 – Retiro Vikings
          Também chamado de Recanto dos Vikings é um impressionante complexo natural formado pela Cachoeira do Trovão, Cachoeira do Patinho Feio, Cachoeira da Caixinha de Surpresas, Cachoeira Pequena Sereia e Cachoeira do Quelé. Essas 5 cachoeiras formam várias poços e piscinas de águas cristalinas, geladas e transparentes.
          O acesso é por uma trilha de 2.600 metros a pé ou em veículos 4x4. A portaria do Retiro dos Vikings está a 7 km da MG-050. O acesso é pago e fica aberto todos os dias de 8h as 18h.
3 – Paraíso Achado
          Reserva particular em Capitólio, na divisa com São João Batista do Glória MG, o nome faz jus ao lugar. É um verdadeiro oásis, um paraíso fácil de achar e chegar, mas difícil de sair. O lugar é incrível e quem vai quer ficar mais tempo e voltar. Um lugar bem estruturado com banheiro, passarelas, corrimões, estacionamento, espaço para acampamento, energia elétrica e lanchonete.
          Lugar ideal para passar com a família. O Paraíso Achado é formado por trilhas e várias cachoeiras, que formam poços de águas cristalinas impressionante, rodeados por paisagens naturais de tirar o fôlego.
          O Paraíso Achado está apenas no km 371 da MG-050. Desse ponto até a portaria, são apenas 5 km. Está aberto todos os dias, inclusive em feriado, de 9h às 17h. A visita é feita acompanhada de guia eu acesso é pago.
4 – Cachoeira do Vale
          Cachoeira de queda baixa, mas que forma um poço espetacular com água esverdeada e cristalina. Um convite irrecusável a um mergulho. Rodeada por uma exuberante mata nativa, além de trilhas, o visitante tem uma linda vista para o Mar de Minas. 
          A área é particular e cobra-se para entrar. O acesso à Cachoeira do Vale é pela MG-050, no km 28,4, a 5 km do Mirante dos Cânions, no lado direito da rodovia. Fica aberta entre 9h a 18h às terças, quarta, quarta, quinta, sexta, sábado e domingo. Na segunda-feira não abre. A visita é guiada.          
          Para quem quer apenas passar o dia, o espaço abre todos os dias das 8h até as 17h.
5 – Cachoeira da Capivara
          E como falamos do Ribeirão Capivara, vamos conhecer agora a Cachoeira da Capivara. Fica perto da Cachoeira do Beija-flor, a 33 km do Centro de Capitólio MG. O lugar oferece uma boa estrutura para visitantes com banheiros, lojas de souvenirs e de doces, queijos, cachaça, bonés, canecas, etc., restaurante, guias, instrutores, estacionamento, além de oferecer passeios guiados pelas belezas naturais das redondezas.
          Além da Cachoeira da Capivara, tem nas proximidades a Cachoeira da Pedra Ancorada, a 200 metros do estacionamento. Fácil de chegar, é adequada para crianças e idosos, devido o acesso fácil e ser um lugar tranquilo para banhos.
          A Cachoeira da Capivara está um pouco mais distante, a 900 metros, às margens do Ribeirão Capivara, mas é um caminho curto e no caminho, o visitante se deslumbrará com belíssimos cenários naturais, ótimos para fotos. O poço formado pelas águas da cachoeira tem a profundidade de 16 metros, portanto, ideal para mergulhos.
           As águas do Ribeirão Capivara formam vários poços e ofurôs em seu trecho. Ofurôs naturais são pequenos pocinhos formados no leito desse ribeirão, como podem ver na foto acima do Guia Pércio. 
O lugar conta ainda com cerca de 40 piscinas naturais, com águas cristalinas e geladas.
6 – Cascata Eco Parque
         Esse lugar incrivelmente lindo, está localizado bem pertinho do Mirante dos Cânions, no km 35 da MG-050, bem próximo da entrada para a Cachoeira da Capivara.
          O Eco Parque é um complexo natural formado por cachoeiras, mirantes e trilhas, muito bem sinalizado, além de contar com hostel, estacionamento e área de camping, possui ainda uma a ótima estrutura para receber turistas. A entrada é paga e fica aberto todos os dias da 9h às 18h.
7 – Cachoeira da Lagoa Azul
          É uma das cachoeiras mais visitadas em Capitólio MG por sua beleza cênica e paradisíaca. As águas da cachoeira são esverdeadas e cristalinas. Deságuam numa lagoa bem azul, onde está um pequeno porto para embarcações, que saem do porto da Ponte do Rio Turvo, deixando e buscando turistas. Fica aberto todos os dias de 8h às 18h, inclusive nos feriados. O poço formado pela Cachoeira da Lagoa Azul, que fica na parte baixa, só pode ser acessado por embarcações.
          A parte alta da cachoeira está localizada numa área privada, de propriedade do Empório Lagoa Azul, no km 311 da MG-050, com acesso pago. O lugar está apenas 400 metros da rodovia MG-050 e a 6 km da Ponte do Rio Turvo. Lugar de beleza cênica e paradisíaca, com montanhas, rios, lagos e formações rochosas impressionantes, é uma parada obrigatória para quem vem a Capitólio.
8 – Vale do Tucanos
          Um lugar formado pela natureza, causado pela erosão natural de rochedos, há milhões de anos. São gigantescos rochedos e canais abertos pela força da natureza que impressionam, extasiam e nos convidam um mergulho nas águas limpas e esverdeadas, que correm pelos canais do Vale dos Tucanos, em São José da Barra, na divisa com Capitólio MG.
          Além dos gigantescos rochedos, o som da natureza soa como música aos ouvidos. O vento, o barulho das águas, o barulho dos animais silvestres, os voos e o cantos do pássaros, principalmente de tucanos que são vistos em bandos no lugar, encantam e nos convivam a fotografar. É um lugar de plena paz, sossego e harmonia.
          Para chegar ao Vale dos Tucanos, o acesso é feito por barcos e lanchas e com guia especializado. Fica aberto todos os dias de 7h às 19h, inclusive nos feriados.
9 – Cachoeira Beija-flor
          É uma pequena queda d´água que formam um poço enorme, profundo, ótimo para mergulhar, nadar e boiar. Suas águas são bem geladas e o fundo e o entorno todo revestido por pedra de quartzito e paredões naturais, além de vasta natureza em redor.
          Embora o acesso seja gratuito, não é muito fácil chegar até a cachoeira, requer apoio de guia e um veículo 4x4. O acesso é por estrada de terra com muita pedra e mesmo assim, vale muito a pena porque é uma das mais belas cachoeiras de Minas Gerais. Impressiona no primeiro olhar.
          Fica no Ribeirão Capivara (na foto acima), em Capitólio MG, na divisa com São João Batista do Glória. Está apenas 2 km do Paraíso Perdido.
Dicas importantes
          Vale lembrar que esses lugares são reservas ambientais particulares e o acesso, em, sua maioria, são pagos. Uma outra dica, é o período do ano para aproveitar melhor as belezas naturais do município e região.
          O mais aconselhável é visitar Capitólio entre maio e outubro, meses de estiagem. Durante o período chuvoso, entre novembro e abril, as águas estão turvas, além dos riscos de cabeças d´águas e cheias dos rios e córregos. (na foto acima a Lagoa da Pedreira e abaixo a Cascatinha, que fica entre São Capitólio e São João Batista do Glória MG)
          A cidade não conta com aeroporto e por isso, o acesso é rodoviário, através da Rodovia MG-050. Essa rodovia tem início em Belo Horizonte e termina em São Sebastião do Paraíso, no Sudoeste de Minas, na divisa com Ribeirão Preto em São Paulo. O acesso à MG-050 pode ser feito pela BR-262 a partir de Mateus Leme e pela BR-381 (Fernão Dias) em Perdões MG.
As fotos acima são de autoria do Guia de Turismo Pércio/@percio_passeioscapitólio. Contato: 35 9749-0699

quinta-feira, 29 de junho de 2023

As 10 maiores cidades do Sul de Minas

(Por Arnaldo Silva) O Sul de Minas Gerais é uma região formada por 162 municípios onde vivem 2.897.745 habitantes, segundo dados do Censo Demográfico do IBGE, divulgados em junho de 2023.
          Além do número de habitantes, são cidades que se destacam pelo desenvolvimento de suas economias, tecnologia agroindustrial de ponta, além de boa qualidade de vida e melhor infraestrutura urbana.
          A região em si é um dos maiores PIB´s do Estado de Minas, com altos índices de IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano dos Municípios), por oferecer melhores condições de saúde, saneamento básico, educação em nível fundamental, médio e superior de qualidade e geração de empregos e renda a seus moradores. (na foto acima de Vinícius Montgomery, a cidade de Itajubá MG)
          São cidades com com grande presença industrial de indústrias locais, nacionais e multinacionais, em diversos segmentos comerciais, de prestação de serviços e industriais como metalurgia, siderurgia, mineração, laticínios, eletrodomésticos, indústrias químicas, moveis, calçados, de tecnologia industrial de ponta, etc.
          Além disso, o Sul de Minas é uma região tradicional na produção agrícola, com destaque para o cultivo do café, da batata, do morango, da uva para produção de vinhos e sucos, da pecuária leiteira e corte, dentre outras culturas diversas. (na foto acima de Luís Leite, dia de colheita de batatas)
          Outro fator importante que gera emprego e renda nas cidades sulistas é o turismo. Isso porque as cidades do Sul de Minas tem por natureza própria, forte vocação para o turismo, seja religioso, de aventuras, gastronômico, ecológico, cultural, de passeios ou de negócios.
          Isso devido a Mata Atlântica, a Serra da Mantiqueira, centenas de cachoeiras, represas e estâncias climáticas e minerais diversas, que desde o século XIX, atraem turistas de todo o mundo que vem à região em busca das propriedades medicinais de suas fontes de águas minerais, sulfurosas, termais e radioativas. (na foto acima de Luís Leite, Poços de Caldas MG)
          Sem contar a história da região, que começou no século XVII com a chegada das Bandeiras Paulistas e dos imigrantes italianos, alemães, letões, franceses, dinamarqueses, poloneses, japoneses e outros povos que vieram para a região no final do século XIX e início do século XX. Esses povos deixaram um grande legado na história, arquitetura e desenvolvimento agroindustrial da região.
Extrema: cidade diferenciada
          Nos últimos anos, a cidade de Extrema vem experimentando um crescimento e desenvolvimento econômico e industrial , visível aos olhos de todos. Tanto é que o censo demográfico do IBGE de 2022 confirmou o que era notório. 
          Extrema é a cidade que mais cresce e mais se desenvolve, não só em Minas Gerais, mas no Brasil. O município ficou na 12° posição no ranking nacional das cidades que mais crescem no país.
            Segundo o Censo 2022 do IBGE, Extrema saltou da 19ª posição entre as maiores cidades do Sul de Minas, no último Censo, em 2010 para a 11° posição. Nessa época a cidade contava com 28.599 moradores. Hoje está na 11° posição, com 53.482 habitantes. Ou seja, um crescimento de 87% de 2010 até 2022. São 24.883 novos habitantes a mais, em relação ao Censo anterior. (na foto acima do Marcelo Lagatta/@marcelo.lagatta, vista parcial de Extrema MG)
          Não apenas isso, Extrema é atualmente a cidade com o maior PIB do Sul de Minas e é a campeã em geração de empregos e investimentos industriais em Minas Gerais.
          Seguindo essa tendência, a 11° posição atual de Extrema é por pouco tempo. Em breve estará entre as maiores do Sul de Minas e entre as maiores cidades de Minas Gerais.
Lista dos 10 maiores municípios do Sul de Minas
1° Poços de Caldas – 163.742 habitantes
          Estância hidromineral, turística e polo industrial, a cidade de Poços de Caldas é o maior município do Sul de Minas. É ainda o 15° município mais populoso do Estado. (foto acima de Luís Leite)
          Poços de Caldas está a 461 km distante de Belo Horizonte e faz limite territorial com Águas da Prata; Andradas; Bandeira do Sul; Botelhos; Caconde; Caldas; Campestre; Divinolândia, São Sebastião da Grama e Águas da Prata em São Paulo.
2° Pouso Alegre – 152.212 habitantes
          Polo industrial desenvolvido e destaque no cultivo do morango, a cidade de Pouso Alegre está a 373 km distante de Belo Horizonte e faz limites com Congonhal, São Sebastião da Bela Vista, Silvianópolis, Espírito Santo do Dourado, Borda da Mata, Estiva, Cachoeira de Minas e Santa Rita do Sapucaí. (foto acima de Fernando Campanella)
3° Varginha – 136.467 habitantes
          Cidade polo industrial e turística, se destaca ainda na agricultura, em especial no cultivo de café. A cidade de Varginha faz está a 320 km de Belo Horizonte e faz limites com Três Corações, Elói Mendes, Monsenhor Paulo, Três Pontas, Carmo da Cachoeira. (fotografia acima de Elpídio Justino de Andrade)
4° Passos – 111.939 habitantes
          Polo econômico industrial, a cidade de Passos está a 352 km distante de Belo Horizonte. Faz limites com Delfinópolis, Cássia, São João Batista do Glória, Alpinópolis, Bom Jesus da Penha, Jacuí, Itaú de Minas, Fortaleza de Minas. (na foto acima de William Cândido, noturna de Passos MG)
5° Lavras – 104.761 habitantes
          Polo industrial e universitário, a cidade de Lavras está a 237 km da capital e faz limite com Carmo da Cachoeira, Perdões, Nepomuceno, Ribeirão Vermelho, Ijaci, Itumirim e Ingaí. (foto acima do Rogério Salgado)
6° Itajubá MG – 93.073 habitantes
          Cidade Universitária e polo industrial, Itajubá está distante 445 km da capital e faz limites com São José do Alegre, Maria da Fé, Wenceslau Braz, Piranguçu, Piranguinho e Delfim Moreira. (na foto acima de Vinícius Montegomery, vista noturna parcial de Itajubá MG)
7° Alfenas – 78.970 habitantes
          Cidade Universitária, Alfenas está a 335 km da capital e faz limites com Serrania, Divisa Nova, Machado, Areado, Paraguaçu, Campos Gerais, Fama, Carmo do Rio Claro, Alterosa, Campo do Meio. (na foto acima do Bosco Azevedo, noturna de Alfenas)
8° Três Corações – 75.485 habitantes
          Cidade com grande participação na economia mineira, grande produtora de leite e gado de corte, se destaca ainda no cultivo de milho, café e produção de vinhos finos. Três Corações está a 287 km de Belo Horizonte e faz limites com Carmo da Cachoeira, Varginha, Conceição do Rio Verde, Cambuquira, São Bento Abade, São Tomé das Letras, Campanha e Monsenhor Paulo. (fotografia acima de Elpídio Justino de Andrade)
9° São Sebastião do Paraíso – 71.796 habitantes
          Polo industrial com destaque para os setores de material cirúrgico, calçadista, confecções e industrialização de azeite e cosméticos de abacate, dentre outros segmentos, São Sebastião do Paraíso está a 400 km distante da capital e faz limites territoriais com São Tomás de Aquino, Capetinga, Pratápolis, Fortaleza de Minas, Jacuí, Monte Santo de Minas, Itamogi, Santo Antônio da Alegria (SP), Altinópolis (SP) e Patrocínio Paulista (SP) (na foto acima do Elpídio Justino de Andrade, a Matriz da cidade)
10° Três Pontas – 55.259 habitantes
          A décima maior cidade do Sul de Minas é também uma das 10 maiores produtoras de renda agrícola no Estado de Minas Gerais graças ao cultivo do café, sua principal riqueza, além da agricultura em geral e pequenas e médias indústrias locais. (na foto acima da Cristina Pimenta Krauss, cafezal em Três Pontas MG)
          Três Pontas está a 297 km de Belo Horizonte e faz limites com Santana da Vargem, Varginha, Carmo da Cachoeira, Campos Gerais, Nepomuceno, Elói Mendes e Paraguaçu.

sábado, 29 de outubro de 2022

Fama: a cidade do Mar de Minas

(Por Arnaldo Silva) Fama é uma pequena, pacata, charmosa e atraente cidade mineira, com cerca de 2400 habitantes, no Sul de Minas, na divisa com Alfenas, Campos Gerais, Três Pontas e Paraguaçu. Distante 362 km distante de Belo Horizonte, o município é banhado pelas águas da Represa de Furnas, estando inserido no Circuito Turístico Mar de Minas. 
          O Lago de Furnas é conhecido como Mar de Minas e abrange 34 municípios mineiros. São 1.406,06 km² de extensão. Para se ter ideia da dimensão do Lago de Furnas, a Baia de Guanabara, no Rio de Janeiro, tem 412 km² e todo o litoral brasileiro possui 7.491 km². Por isso o Lago de Furnas é o mar dos mineiros. Fama é uma das 34 cidades do Mar de Minas. (fotografia acima de Marcos Pieroni)
          O município está numa posição geográfica estratégica, com acesso fácil pela BR-381, BR-491, BR-369 e MG-179. Além disso, abriga uma grande e rica biodiversidade, natureza nativa em grande parte preservada, relevo e clima suave, além de contar com um grande potencial hídrico.
          Cidade de paisagem cênica e paradisíaca, Fama atrai turistas de todo o Brasil que vem à cidade passar momentos agradáveis e tranquilos à beira do Lago de Furnas, saboreando a típica comida mineira e conhecendo a genuína hospitalidade do povo de Minas Gerais. (fotografia acima de Alexandra Lisboa)
          A cidade é bem estruturada para receber turistas. Conta com diversos hotéis, pousadas e restaurantes com comidas típicas de Minas e da região, em especial, pratos e petiscos com peixes de água doce.
Origem
          A história de Fama começa a partir de 1837 com a formação de um povoado em torno de uma capela às margens do Rio Sapucaí, construída pelo fazendeiro capitão Tomás Alves de Figueiredo, dando nome ao povoado de Vila da Fama. (fotografia acima de Marcos Pieroni)
          A proximidade do povoado junto ao Rio Sapucaí permitiu tornar o lugar em um pequeno porto, usado para navegação e transporte de bens, mercadorias e pessoas, no século XIX, Com o desenvolvimento da região e chegada dos trens de ferro e abertura de estradas, no final do século XIX e XX, o transporte por barcos foi sendo reduzido gradualmente.
          O arraial se desenvolveu, foi elevado a distrito e posteriormente, à cidade emancipada em 1° de janeiro de 1949.
O Lago de Furnas
          Na década de 1960 boa parte das terras da região foram inundadas para represar as águas da Represa de Furnas. Apesar da perda de terras férteis, as águas do chamado Mar de Minas trouxeram emprego, renda e desenvolvimento, graças ao turismo. Além disso, a cidade conta com um pequeno, mas variado comércio, um bom setor de prestação de serviços, além de uma boa estrutura para receber turistas. O turismo e a agricultura familiar são as principais bases da economia do município. (na fotografia acima de Elpídio Justino de Andrade)
Convite ao sossego
          Fama já era uma cidade com grande potencial turístico, desde sua origem. As águas do Lago de Furnas tornou a cidade mais bonita, atraente e mais convidativa para conhecer. Um cenário espetacular de charme, beleza, natureza exuberante, paisagens encantadoras, cênicas e românticas. 
          Para quem ama a natureza, ecoturismo, sossego e de estar numa cidade com boa qualidade de vida e atraente, Fama é uma das mais indicadas para ser visitada em todo o Brasil. (fotografia acima de Alexandra Dias)
O que fazer em Fama?
          Opções de lazer e diversão é o que não falta. Pesca esportiva, prática de esportes náuticos e radicais pelo Lago de Furnas que circunda a cidade, cachoeiras, rios, trilhas para caminhadas e motociclismo, passeios passarela do lago e pelo Parque Municipal Francisco Cândido da Silva, são algumas opções para moradores e turistas.
            Durante todo o ano, vários eventos atraem turísticas da região e de todo o Brasil. 
          Entre esses eventos destacamos o famoso e tradicional Carnaval de Rua, considerado um dos melhores da região, bem como o Réveillon, as Festas Juninas e o Encontro de Carros de Bois. As festividades religiosas como Semana Santa e encenação da Paixão de Cristo no adro da Matriz do Sagrado Coração de Jesus, Natal, Festa de Nossa Senhora Aparecida e de São Pedro, com procissão fluvial e queima de fogos, são outros eventos importantes da cidade. (fotografia acima de Marcos Pieroni e abaixo de Elpídio Justino de Andrade)
          Além disso, tem a Paróquia do Sagrado Coração de Jesus, a Estátua do Cristo Redentor, as festividades de aniversário da cidade no dia 19 de março, vários quiosques, pracinhas charmosas, a casa do artesão, um singelo casario e a típica tranquilidade das tradicionais cidades interioranas mineiras como atrativos.
          Venha conhecer Fama. Lugar agradável, de gente simples, bonita, hospitaleira. Uma cidade com cenários românticos, naturais, deslumbrantes. Uma cidade para visitar e se apaixonar.

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Facebook

Postagens populares

Seguidores