Tecnologia do Blogger.

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

A lenda da mulher que amamentou uma cobra

No passado, as superstições mitos e lendas criadas pelo imaginário sertanejo ganhavam certo lirismo, ao serem veiculadas de boca em boca e acabavam adquirindo credibilidade. Transformavam em as mentiras históricas que perduram por gerações.

Esse contexto sócio cultural repassado pela tradição histórica se destacou arraigado nos costumes da sociedade por longos tempos. Talvez o inexistente acesso ao conhecimento, os poucos recursos disponíveis, a falta de contato com uma sociedade mais culta, sejam os fatores responsáveis por esta hereditária situação do passado. Não havia rádio, televisão, e outros tantos bens os quais atualmente temos ao nosso alcance.

O vazio provocado pela falta de atividades culturais permitia que as lendas e mitos criados por narrativas, distorcidas se destacasse em nosso folclore.


Quando eu era criança conheci alguns personagens, envolvidos em uma lenda, sem a menor probabilidade de ser verdadeira, no entanto foi mantida por longo tempo, com atestados de veracidade narrados por uma diversidade de pessoas. Até hoje vez por outra encontramos algum idoso narrando o acontecimento.

Conta à lenda que durante vários meses, uma moradora de nossa comunidade amamentou uma cobra todas as noites sem perceber.
Chiquinha Tôco. Esposa de Juca Xavier criava seu bebê de nome Sebastião. Muito dorminhoca costumava amamentar o guri, durante o profundo sono. No decorrer do tempo notaram o menino sempre faminto, e a cada dia mais subnutrido. Época que a alimentação infantil se restringia ao aleitamento materno, e outras poucas alternativas, as quais fugiam às condições financeiras do casal. Embora carentes e analfabetos, mas cuidavam muito bem do filho.

O pai tornou-se uma figura nobre, pela arte da qual se serviu. Fabricando os utensílios domésticos, trabalhando em madeira de lei. Não havia nenhuma cozinha pela região que não fosse equipada com as gamelas, colheres, e outros similares fabricados pelo velho Xavier. Objetos, que mais tarde substituídos pelo aço industrializado.

Certa noite recolhendo mais tarde do que a esposa, Juca notou algo muito estranho na cama, quando a mulher amamentava o filho, uma enorme cobra caninana com a cauda metida na boca do bebê e sugando o leite da mãe. Assustado, sua única alternativa foi esperar a serpente se fartar do leite voltando ao seu esconderijo. Em um pote de barro na despensa da casa. Afirma a lenda que ao abater o réptil, espirrou leite até no teto da casa.
E como se não bastasse, o filho era portador de certa anormalidade no entorno da boca. Moléstia que contribuem com absurda anedota ajudando nas narrativas afirmando, serem sequelas das mamadas do menino na cauda do animal. 

-------------------------------------------------
Geraldinho do Engenho - 
Escritor, natural do Engenho do Ribeiro, distrito de Bom Despacho MG - A ilustração é do artista Daniel Renaud

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

A menor e mais bela Basílica do mundo está em Minas

(Por Arnaldo Silva) Construída no século XVIII, por volta de 1767, no ponto mais alto da Serra da Piedade em Caeté MG, distante 55 km de Belo Horizonte e 16 km de Caeté, a charmosa e singela Ermida Nossa Senhora da Piedade, em conjunto com a Igreja das Romarias, anexo a Ermida, já mais recente, edificada a partir de 1974, projetada pelo arquiteto carioca Alcides da Rocha Miranda, foram elevadas de simples Ermidas a basílicas, pelo Papa Francisco, em 2017. O  templo religioso (na foto acima, de Henrique Caetano) é um dos mais importantes santuários do Brasil e um dos principais pontos de peregrinação de fiéis, além de ter para Minas Gerais, alto valor histórico, por sua arquitetura e arte barroca presente em seu interior. 
          Com o reconhecimento, a pequena Igreja das Romarias, com capacidade para cerca de 60 fiéis, passou a denominar-se Basílica Estadual de Nossa Senhora da Piedade - Padroeira de Minas Gerais. 
          A elevação das ermidas a basílicas se deu nas comemorações dos 250 anos de história de fé e peregrinação à Serra da Piedade, lugar sagrado para os mineiros, tanto é que Nossa Senhora da Piedade é a Padroeira do Estado de Minas Gerais.
          Desde a elevação a basílica, a Ermida de Nossa Senhora da Piedade passou a se chamar Basílica da Ermida da Padroeira de Minas Gerais - Nossa Senhora da Piedade, com capacidade para cerca de 100 fiéis, no interior do templo, sendo atualmente a menor basílica existente no mundo. Não existe nenhuma outra basílica em todo o planeta menor que a de Nossa Senhora da Piedade, sediada em Minas Gerais. E entre as menores basílicas do mundo, a Basílica de Nossa Senhora da Piedade, é para nós mineiros, a mais bela também. (na foto, de Josiano Melo, o altar da Basílica de Nossa Senhora da Piedade) 
          A basílica, além de grande valor religioso para os católicos mineiros, é de grande valor histórico e arquitetônico para Minas Gerais, sendo um dos patrimônios mineiros mais visitados por turistas e fieis. A Ermida guarda um dos tesouros do nosso Barroco, a imagem de Nossa Senhora da Piedade, cuja autoria é atribuída ao mestre Aleijadinho. Por ano, o Santuário recebe entre 500 e 700 mil pessoas. 
         Mesmo os que não sobem a serra, com o objetivo religioso, busca um contato maior com a natureza. (foto acima de Henrique Caetano) Estar no topo da serra é como estar tocando no céu, literalmente. A natureza em volta é um proporciona uma beleza impressionante. São 1746 metros e altitude. Lugar ideal para meditação, oração, encontro com Eterno e descanso para a mente. 
          A vista do alto da serra (foto acima de Douglas Arouca), principalmente no inverno e dias nublados, impressiona os visitantes. Dá para ver em 360 graus as cidades de Belo Horizonte, Caeté, Contagem, Lagoa Santa, Nova União, Raposos, Sabará, Santa Luzia e Vespasiano.

terça-feira, 21 de novembro de 2017

Conheça um paraíso chamado Santo Hilário

(Por Arnaldo Silva) Santo Hilário, é distrito da cidade de Pimenta MG, na Região Oeste de Minas. Fica a 235 km de Belo Horizonte. Pimenta faz divisa com as cidades de Pains, Formiga, Guapé e Piumhi. (foto acima de Jefferson Souza/@jeffersonsouza_) O pequeno povoado com menos de 200 habitantes, fica as margens do lago de Furnas. O distrito tem um ar bem interiorano, mesclado a uma agitada vida típica de cidades do litoral, graças as águas do Lago de Furnas, suas paisagens e cachoeiras paradisíacas. É um dos lugares mais procurados de Minas pelos Turistas e um dos mais belos pontos turísticos do Estado. (foto abaixo, o porto de Santo Hilário, fotografada pelo Jefferson Souza/@jeffersonsouza_)
PRINCIPAIS ATRATIVOS DE SANTO HILÁRIO
Além do Lago de Furnas, Santo Hilário oferece ao turista vários opções de diversão e descanso:
PONTE SANTO HILÁRIO
A ponte oferece uma vasta vista do Lago de Furnas. (na foto acima de Jefferson Souza/@jeffersonsouz_)

HOTEL PENA BRANCA
As ruínas do velho Hotel Pena Branca (na foto acima de Maria Mineira) é um dos lugares mais procurados de Santo Hilário, pela vista linda que oferece e pelo lugar exótico, em ruínas, muito procurado por casais de noivos e modelos para fazerem fotos de seus books. (foto abaixo de Jefferson Souza/@jeffersonsouza_)

TRILHAS
A pé, de bike ou de moto, Santo Hilário oferece opções de trilhas com paisagens de tirar o fôlego. Uma das trilhas mais procuradas é a que leva à Capela de Nossa Senhora. A beleza da paisagem vista pelo caminho supera qualquer cansaço. (foto abaixo de Pedro Beraldo)

CACHOEIRAS
Santo Hilário tem cachoeiras magnificas, de água limpa e cristalina. As mais procuradas são: Cachoeira Quaresma ou das Andorinhas, a Cachoeira do Chapadão e a Cachoeira do Lajeado. Esta última fica numa propriedade particular e o dono cobra uma pequena taxa por pessoa. (foto abaixo de Jefferson Souza/@jeffersonsouza_)

PASSEIO DE BARCO
Sem dúvida alguma, os passeios de barco são a grande atração de Santo Hilário. De barco pode-se navegar pelas águas do Lago de Furnas. Um passeio maravilhoso e imperdível. No povoado, tem barcos a disposição do turista para este passeio. (foto abaixo de Jefferson Souza/@jeffersonsouza_)
MAIS INFORMAÇÕES
A cidade de Pimenta possui restaurantes, pousadas e hotéis, bem como as vizinhas Formiga, Piumhi, Pains e Guapé. Santo Hilário tem uma pousada e alguns moradores alugam casas para turistas, em temporadas, bem como no distrito e na sede, existem guias especializados.

domingo, 19 de novembro de 2017

Devoção a Padre Libério, transformou Leandro Ferreira MG

(Por Arnaldo Silva) Rodeada por montanhas e belas paisagens, está Leandro Ferreira, uma pequena cidade com apenas 3.226 habitantes, segundo o IBGE/2020. A pequena cidade fica na região Centro Oeste de Minas, na divisa com Bom Despacho, Pitangui, Conceição do Pará e Martinho Campos. O acesso mais fácil para a cidade é pela BR-262, entrando no trevo entre Nova Serrana e Bom Despacho. A cidade é bem organizada, com bom traçado urbano.
          Por ser uma cidade pequena, onde quase todos os moradores se conhecem e seu povo vive uma vida simples, com sua economia voltada para pequenos comércios, agricultura e pecuária e como é vizinha à cidade de Nova Serrana, famosa por ser um polo calçadista, uma parte de seus moradores trabalham nas indústrias de calçados dessa cidade. (na foto acima do @newdronens, vista parcial da cidade)
          Cidade típica do interior mineiro, charmosa, com restaurantes pitorescos, pequenas e aconchegantes pousadas, praças e casario bem cuidado, um povo acolhedor e muito hospitaleiro. (na foto acima do Arnaldo Silva, um pitoresco e nostálgico restaurante e pequena pousada, na Praça da Matriz, dirigido pela família do simpático "Seu" Antônio). 
          A rotina tranquila da cidade é quebrada pela grande quantidade de visitantes que a cidade recebe todos os dias, principalmente nas missas de domingo e nos meses de junho e julho. É que esses meses, marcam as festividades em honra ao Padre Libério. No dia do aniversário de seu nascimento, 30 de junho, a cidade recebe milhares de romeiros, vindos da região e de várias outras localidades de Minas Gerais e do Brasil. Chegam em grupos de caminhada, em cavalgadas, de ônibus, de carro e ainda, os que vêm à pé, individualmente, para pagar promessa. Nos dias de festejos religiosos, a presença de tantos fieis muda completamente a rotina da cidade, além de movimentar a economia do pequeno município.
           A fé no Padre Libério, considerado pelos católicos, como o Santo do Centro Oeste Mineiro, consolida Leandro Ferreira como um dos mais importantes caminhos religiosos de Minas Gerais. A cidade é rodeada por belas paisagens do Cerrado Mineiro, em meio a belas serras. (foto acima de @newdronens)
          Padre Libério (na foto/arquivo de memórias/Divulgação), é considerado Santo pelo povo da região. Seu nome completo é, Libério Rodrigues Moreira, nasceu em Lagoa Santa, em 30 de junho de 1884 e faleceu em Divinópolis, em 21 de dezembro de 1980, aos 96 anos. Um homem cativante, de fala mansa e de vida bem simples. Exerceu seu sacerdócio em Pitangui, São José da Varginha, Nova Serrana, Pará de Minas, mas boa parte de sua vida sacerdotal foi dedicada a Leandro Ferreira, cidade em que pediu para que fosse sepultado.
          Boa parte de sua vida como sacerdote, foi em Leandro Ferreira. Em vida, Padre Libério fazia milagres, garante quem o conheceu. A fama do Padre Libério, atraia sempre fieis da região, que iam a Leandro Ferreira em busca das bênçãos e curas de enfermidades. Mesmo depois de morto, milagres atribuídos ao padre são relatados por fieis, que vão à cidade pedir graças, fazer promessas e agradecer as graças alcançadas. 
          Um dos milagres mais famosos atribuídos ao Padre Libério foi de um rapaz de Pará de Minas, Walace de Souza, que sofreu um atropelamento quando participava de uma romaria. Nesse acidente, sofreu fratura na bacia e hemorragia interna e por isso foi desenganado pelos médicos. Sua avó orou ao Padre Libério para que curasse seu neto. De desenganado pelos médicos, um mês depois, já estava são, andando normalmente, sem precisar sequer de fisioterapia. A prova do milagre, segundo a família, está na radiografia feita no quadril do rapaz, onde claramente pode ser ver a imagem do rosto do Padre Libério. (na foto acima/arquivo de memórias/Divulgação)
          Para a igreja, o milagre apresentado pela família não foi levado para consideração do Vaticano, porque segundo afirmam os especialistas da área, é normal surgirem formas diferentes em exames de raios X.
          A Igreja encaminhou ao Vaticano relato de três milagres atribuídos a Padre Libério, bem como a história de sua vida. (na foto acima do Arnaldo Silva, missa em intenção da Beatificação do Padre Libério em 2016) O sacerdote mineiro foi declarado pelo Vaticano como “servo de Deus”. Um dos quesitos para canonização é a comprovação de pelos menos dois milagres. 
          Se o Vaticano o reconheceu como “servo de Deus”, significa que está em andamento pela Santa Sé, estudos de sua vida, visando sua beatificação e posterior santificação. Esse processo é longo, podendo levar décadas para conclusão. Mesmo assim, os fiéis não desanimam e acreditam que o Vaticano irá reconhecer o sacerdote mineiro como beato e santo posteriormente. Indiferentemente disso, para o povo, Padre Libério é santo e quem a ele recorre, é atendido em seus pedidos.
          Se o Vaticano canonizar Padre Libério, isso significa que além de Minas Gerais ter um santo, oficialmente pode-se fazer imagens, santinhos, orações etc. Sendo Santo, Padre Libério poderia então ser venerado. Mas isso já é feito na cidade desde sua morte, em 1980, por iniciativa popular. Imagens, orações, pedidos ao Padre Libério e veneração de fiéis são feitos pelos devotos, movidos pela fé e pelo coração.
          Tudo em Leandro Ferreira lembra Padre Libério. São várias barracas que vendem variados souvenires com a foto do padre ou com o nome dele. A cidade vive e respira sobre a figura do sacerdote, que doou sua vida ao ao amor ao próximo e ao Evangelho de Jesus Cristo, vivendo de forma bem simples, somente com o necessário.
          Em 1958, padre Libério inaugurou a Igreja de São Sebastião,  o templo era muito grande para a pequena cidade de Leandro Ferreira, que na época, mas a visão do Padre Libério era bem adiante, vislumbrou que a cidade cresceria e carecia de uma igreja maior que comportasse muita gente. Quem conheceu o sacerdote, sente que a igreja reflete o que foi o padre Libério em vida: leve, acolhedora, singela, ornamentação simples e com uma aura de paz e tranquilidade que transmite, que emociona. (na foto acima de Arnaldo Silva, a estátua do Padre Libério em frente a Igreja que mandou construir e abaixo de @newdrone, vista aérea do entorno da praça. Na esquerda, local de estacionamento de ônibus dos romeiros)
          Hoje a cidade tem um pouco mais de três mil habitantes. Naquela época, era bem menos que isso, mas mesmo assim o sacerdote fez uma igreja para 500 pessoas, com recursos de esmolas e doações. Esse templo hoje abriga os fiéis que vêm à cidade orar e pedir bênçãos ao Padre Libério. Seus restos mortais foram colocados dentro da igreja que construiu. Todos os domingos tem a Missa dos Romeiros, onde a cidade recebe caravanas de devotos de toda a região de Minas Gerais e também de Brasília, Rio de Janeiro, São Paulo e outras cidades brasileiras. 
          Ao lado do museu, dedicado ao Padre Libério, existe a Sala dos Milagres, onde pessoas que pediram e conseguiram graças, por intercessão de Padre Libério, relatam os milagres alcançados e deixam fixados na parede. Não só cartas, mas roupas, sapatos, fotos, objetos. São milhares! 
          Muitos nem relatam, fazem promessas e pagam até hoje. É o caso da Caminhada da Fé, organizada pelo comerciante José Antônio, desde 1985. Começou com ele e mais duas pessoas. No ano seguinte aumentou, bem como nos anos posteriores, chegando hoje a uma média de 20 mil pessoas. A Caminhada da Fé acontece sempre no primeiro domingo de julho. (na foto abaixo do Arnaldo Silva, o interior da Igreja de São Sebastião)
          Início parecido foi com a Cavalgada da Fé, evento organizado pelo produtor rural Antônio Ferreira, de Bom Despacho desde o início dos anos 80. Acontece sempre no dia do aniversário da morte do Padre Libério, 30 de junho. Por ter sido atendido em uma graça pelo Padre Libério, Antônio Ferreira prometeu ir de Bom Despacho até Leandro Ferreira a cavalo. Começou com ele, Bené Pião e mais uns poucos. Com o passar dos anos, a cavalgada foi ganhando novos adeptos, chegando hoje a milhares de cavalheiros. A cidade, principalmente o centro, onde está a matriz, fica lotada de cavaleiros sobre seus cavalos, para assistirem a missa. 
          São incontáveis relatos de milagres atribuídos ao Padre Libério expostos na Casa dos Milagres. (na foto acima do Arnaldo Silva, túmulo onde estão os restos mortais do Padre Libério, no interior da igreja de São Sebastião e na foto abaixo, o antigo túmulo, onde o padre foi sepultado) Gente simples ou com posses. De pouco estudo ou gente formada. Fazendeiros ou trabalhadores rurais. Empresários ou operários. São relatos de fé, que vem do coração das pessoas que acreditam na cura e no milagre, independentemente da condição social ou do problema de cada um. Quem vem a Leandro Ferreira, vem com o coração aberto e cheio de fé para pedir ou para agradecer. 
          Padre Libério em vida era perguntado se curava. Ele respondia com a serenidade e sinceridade que lhe era peculiar: “Eu apenas abençoo. Eu não curo, quem cura é Deus e a sua fé”.

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

A verdadeira Carne de Sol é assim que se faz:

INGREDIENTES
- 1 peça de aproximadamente
- 2 kg de chã de dentro ou alcatra
- 1 colher (sopa) de sal grosso para cada quilo de carne
Para acompanhar:
- 3 colheres (sopa) de óleo
- 2 colheres (sopa) de vinagre
- 1 cebola cortada em rodelas
- Sal a gosto
- Mandioca cozida
- Torresmo
Como fazer Carne de sol:
- Limpar a carne, retirando os nervos e a gordura.
- Com uma faca, retalhar a carne de cima para baixo, em cinco partes, no sentido horizontal, sem separá-las.
- Salpicar sal grosso dentro de cada corte e por fora da peça.
- Deixar descansar por quatro horas, coberta com um pano.
- Lavar a carne e pendurá-la em local que tome a luz do sol por duas horas, de preferência coberta com uma tela, para evitar insetos.
- Acender a churrasqueira com pouco carvão.
- Separar os cortes da carne e pôr cada um dos cinco pedaços em um espeto.
- Pôr os espetos na churrasqueira, não muito perto da brasa, para não queimar.
- Esperar 20 minutos e conferir se a carne está boa.
Pôr o vinagre e o sal na cebola e refogá-la em óleo quente.
- Fatiar a carne e servir com a cebola, a mandioca cozida e o torresmo. (fotos de Arnaldo Silva)

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

Conheça o artesão Leandro Júnior

Leandro Junior um jovem e promissor artista plástico do Vale Jequitinhonha. Nascido no distrito de Cachoeira do Norte, distrito de  Chapada do Norte no Vale do Jequitinhonha-MG, tem como sua fonte de inspiração tudo aquilo que vivência através da forte Cultura que o Vale oferece. 
          Escultor e pintor, estudou artes na Faculdade São Luís de Jaboticabal no interior de SP, desde então vem desenvolvendo sua arte usando o barro como principal matéria prima.
          Sua arte ganhou destaque em sua primeira exposição no Festivale na pequena cidade de Felício dos Santos em julho de 2017, desde então seu nome vem crescendo no cenários das artes dando destaque além das sua habilidade em esculpir as memória afro do Vale do Jequitinhonha.
As peças tem características únicas, o que o torna um artista requisitado para feiras, eventos e exposições.
          Atualmente tem obra exposta no Museu da Cemig-Belo Horizonte em comemoração aos 300 anos da aparição de Nossa Senhora Aparecida.
          Sua a habilidade é tão grande que tem sido convidado por autoridades, inclusive pelo governado do estado, para representar e divulgar a arte do Vale. 
          Vale a pena conhecer suas obras e seu talento que retratam expressões reais que provocam sensações de estar em contato direto com a história de um povo e as memórias de um artistas que carrega em si simplicidade tão grande quanto o seu talento. 
          Os trabalhos do artista chamaram a atenção da mídia local e da grande imprensa, como o portal G1 e Rede Globo de Televisão focando seus trabalhos em argila sobre a Escravidão no Brasil. Duas de suas obras (Ventre Livre e Pietá Negra) foram vencedoras no Salão de Arte da Assembléia Legislativa de São Paulo competindo com vários artistas do mundo todo.
O contato do artista é pelo whatsapp: 33 99989-2435

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Facebook

Postagens populares

Seguidores