domingo, 19 de novembro de 2017

Padre Libério: o santo do Centro Oeste Mineiro.

Compartilhe:

Rodeada por montanhas e belas paisagens, está Leandro Ferreira, uma pequena cidade com menos de três mil habitantes na região Centro Oeste de Minas, na divisa com Bom Despacho, Pitangui, Conceição do Pará e Martinho Campos. Por ser uma cidade pequena, onde quase todos os moradores se conhecem, vem à mente ser Leandro Ferreira uma cidade bem pacata e sossegada. É uma cidade ótima, bonita, com ruas calmas, mas não é tão sossegada assim. Mas é por um bom motivo. Leandro Ferreira vem se consolidando como um dos mais importantes caminhos religiosos de Minas Gerais, com peregrinação constante de fiéis vindos principalmente da região Centro Oeste de Minas e também de todo o Estado Mineiro e do Brasil o que torna a cidade muito movimentada, principalmente em dias de missas eventos religiosos.
Isso porque na cidade viveu Padre Libério (foto ao lado arquivo de memórias/Diovulgação), considerado Santo pelo povo da região. Seu nome completo é Libério Rodrigues Moreira, nasceu em Lagoa Santa em 1884 e faleceu em Divinópolis, em 1980, aos 96 anos. Um homem cativante, de fala mansa e de vida bem simples. Exerceu seu sacerdócio em Pitangui, São José da Varginha, Nova Serrana, Pará de Minas, mas boa parte de sua vida sacerdotal foi dedicada a Leandro Ferreira, cidade em que pediu para que fosse sepultado.
Boa parte de sua vida como sacerdote, foi em Leandro Ferreira. Em vida, Padre Libério fazia milagres, garante quem o conheceu. A fama do Padre Libério, atraia sempre fieis da região, que iam a Leandro Ferreira em busca das bênçãos e curas de enfermidades. Mesmo depois de morto, milagres atribuídos ao padre são relatados por fieis que vão à cidade pedir graças, fazer promessas e agradecer as graças alcançadas. 
Um dos milagres mais famosos atribuídos ao Padre Libério foi de um rapaz de Pará de Minas, Walace de Souza, que sofreu um atropelamento quando participava de uma romaria. Nesse acidente, sofreu fratura na bacia e hemorragia interna e por isso foi desenganado pelos médicos. Sua avó orou ao Padre Libério para que curasse seu neto. De desenganado pelos médicos, um mês depois, já estava são, andando normalmente, sem precisar sequer de fisioterapia. A prova do milagre, segundo a família, está na radiografia feita no quadril do rapaz, onde claramente pode ser ver a imagem do rosto do Padre Libério. (na foto acima/arquivo de memórias/Divulgação)
Para a igreja, o milagre apresentado pela família não foi levado para consideração do Vaticano, porque segundo afirmam os especialistas da área, é normal surgirem formas diferentes em exames de raios X.
A Igreja encaminhou ao Vaticano relato de três milagres atribuídos a Padre Libério bem como a história de sua vida. (na foto acima, missa em intenção da Beatificação do Padre Libério em 2016) O sacerdote mineiro foi declarado pelo Vaticano como “servo de Deus”. Um dos quesitos para canonização é a comprovação de pelos menos dois milagres. 
Se o Vaticano o reconheceu como “servo de Deus”, significa que estão em andamento pela Santa Sé, estudos de sua vida, visando sua beatificação e posterior santificação. Esse processo é longo, podendo levar décadas para conclusão. Mesmo assim, os fiéis não desanimam e acreditam que o Vaticano irá reconhecer o sacerdote mineiro como beato e santo posteriormente. Indiferentemente disso, para o povo, Padre Libério é santo e quem a ele recorre, é atendido em seus pedidos.
Se o Vaticano canonizar Padre Libério, isso significa que além de Minas Gerais ter um santo, oficialmente pode-se fazer imagens, santinhos, orações etc. Sendo Santo, Padre Libério poderia então ser venerado. Mas isso já é feito na cidade desde sua morte em 1980, por iniciativa popular. Imagens, orações, pedidos ao Padre Libério e veneração de fiéis são feitos pelos devotos, movidos pela fé e pelo coração.
Tudo em Leandro Ferreira lembra Padre Libério. São várias barracas que vendem variados souvenires com a foto do padre ou com o nome dele. A cidade vive e respira sobre a figura do sacerdote, que doou sua vida ao Evangelho, vivendo de forma bem simples, somente com o necessário.
Em 1958 inaugurou a Igreja de São Sebastião, para a cidade bem pequena, o templo era enorme, mas a visão do Padre Libério era bem adiante. Quem conheceu o sacerdote, sente que a igreja reflete o que foi o padre Libério em vida: leve, acolhedora, bem simples e com uma aura de paz impressionante.  

Hoje a cidade tem menos de três mil habitantes. Naquela época, era bem menos que isso, mas mesmo assim o sacerdote fez uma igreja para 500 pessoas, com recursos de esmolas e doações. Esse templo hoje abriga os víeis que vem à cidade orar e pedir bênçãos ao Padre Libério. Seus restos mortais foram colocados dentro da igreja que construiu. Todos os domingos tem a Missa dos Romeiros, onde a cidade recebe caravanas de devotos de toda a região de Minas Gerais e também de Brasília, Rio de Janeiro, São Paulo e outras cidades brasileiras. 
Ao lado do museu, dedicado ao Padre Libério, existe a Sala dos Milagres, onde pessoas que pediram e conseguiram graças, por intercessão de Padre Libério, relatam os milagres alcançados e deixam fixados na parede. Não só cartas, mas roupas, sapatos, fotos, objetos. São milhares! 
Muitos nem relatam, fazem promessas e pagam até hoje. É o caso da Caminhada da Fé, organizada pelo comerciante José Antônio, desde 1985. Começou com ele e mais duas pessoas. No ano seguinte aumentou, bem como nos anos posteriores, chegando hoje a uma média de 20 mil pessoas. A Caminhada da Fé acontece sempre no primeiro domingo de julho.
Início parecido foi com a Cavalgada da Fé, evento organizado pelo produtor rural Antônio Ferreira, de Bom Despacho desde o início dos anos 80. Acontece sempre no dia do aniversário da morte do Padre Libério, 30 de junho. Por ter sido atendido em uma graça pelo Padre Libério, Antônio Ferreira prometeu ir de Bom Despacho até Leandro Ferreira a cavalo. Começou com ele, Bené Pião e mais uns poucos. Com o passar dos anos, a cavalgada foi ganhando novos adeptos, chegando hoje a milhares de cavalheiros. A cidade, principalmente o centro, onde está a matriz, fica lotada de cavaleiros sobre seus cavalos, para assistirem a missa. 
São incontáveis relatos de milagres atribuídos ao Padre Libério expostos na Casa dos Milagres. (na foto acima, local onde estão os restos mortais do Padre Libério, no interior da igreja de São Sebastião e na foto abaixo, o antigo túmulo, onde o padre foi sepultado) Gente simples ou com posses. De pouco estudo ou gente formada. Fazendeiros ou trabalhadores rurais. São relatos de fé, que vem do coração das pessoas que acreditam na cura e no milagre, independentemente da condição social ou do problema de cada um. Quem vem a Leandro Ferreira, vem com o coração aberto e cheio de fé para pedir ou para agradecer. 
Padre Libério em vida era perguntado se curava. Ele respondia com a serenidade e sinceridade que lhe era peculiar: “Eu apenas abençoo. Eu não curo, quem cura é Deus e a sua fé”.
(Texto e fotografias (exceto as antigas) de  Arnaldo Silva. 

Nenhum comentário:
Faça também comentários