Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

10 cidades top do Mar de Minas

Conhecido como Mar de Minas, o Lago de Furnas banha 34 cidades das regiões Sul, Sudoeste e Oeste de Minas Gerais, transformando a paisagem e a vida dos moradores dos municípios que tiveram parte de suas terras férteis inundadas por suas águas a partir de 1960. São 1.457,48 km² de águas de nascentes e rios de águas cristalinas, sendo quatro vezes maior que a Bahia de Guanabara, no Rio de Janeiro, sendo portanto, um dos maiores lagos artificiais do mundo. (foto acima e abaixo de Douglas Arouca) Por isso o imenso lago é chamado carinhosamente de "Mar de Minas". Se por um lado as terras férteis foram reduzidos, por outro, surgiu uma nova e forte economia nesses municípios que o turismo. As águas de Furnas adentraram em fendas abertas pela natureza, deixando à mostra nossos cânions antes despercebidos. Fez surgir também cachoeiras, cascatas e ilhas paradisíacas, além de propiciar a prática de esportes náuticos e o turismo ecológico nas 34 cidades banhadas por suas águas que atraem todos os anos milhares de turistas vindos de todo o Brasil e também do exterior. 
Os município que fazem parte do “Mar de Minas” são: Aguanil, Alfenas, Alpinópolis, Alterosa, Areado, Boa Esperança, Cabo Verde, Camacho, Campo Belo, Campo do Meio, Campos Gerais, Cana Verde, Candeias, Capitólio, Carmo do Rio Claro, Coqueiral, Cristais, Divisa Nova, Elói Mendes, Fama, Formiga, Guapé, Ilicínea, Juruaia, Lavras, Muzambinho, Nepomuceno, Paraguaçu, Pimenta, Ribeirão Vermelho, São João Batista do Glória, Três Pontas, Varginha e São José da Barra onde podemos ver na foto abaixo, do Douglas Arouca o Rio Grande.
 Dessas 34 cidades, listamos essas 10 cidades todas top!
Por Arnaldo Silva
01 - São José da Barra
As cachoeiras dos Cânions, (na foto abaixo de Marcelo santos) é uma das paisagens mais conhecidas dos mineiros. As escunas e barcos saem de Capitólio até o local, por isso é chamado popularmente de Cânions de Capitólio, mas na verdade não pertence a Capitólio e sim a São José da Barra, no Sul de Minas, município que faz divisa com Alpinópolis, São João Batista do Glória, Guapé, Carmo do Rio Claro e Capitólio.
São José da Barra é um das mais jovens cidades mineiras, tendo sido emancipada de Alpinópolis em 21 de dezembro de 1995, tendo hoje cerca de 8 mil habitantes. Boa parte da cidade foi inundada pelas águas da represa, sendo reconstruída em outro local. Hoje é sede da Usina Hidrelétrica de Furnas e é um dos municípios mais ricos da região, graças aos impostos oriundos da Usina e do turismo. 
A cidade é aconchegante, com bons hotéis, pousadas e uma gastronomia tipicamente mineira e recebe muito bem os turistas que procuram a cidade para conhecer as belezas naturais do município, como os cânions, o mirante, de onde se pode ver as comportas da usina.
Hoje, o município é composto por cerca de 7 mil habitantes e abriga pousadas e hotéis que recebem turistas em busca de momentos em meio à natureza. O mirante da barragem é um dos pontos mais visitados, de lá é possível ter a visão das comportas da usina. A gastronomia tipicamente mineira é outro atrativo e incluem muitos pratos preparados no fogão a lenha. (foto acima de André Saliya)
02 - Carmo do Rio Claro
Uma cidade acolhedora, culinária riquíssima com pratos a base de peixes e doces cores e sabores variados, bem como um casario charmoso, museus arqueológicos e sobre a historia indígena. (foto cima de Douglas Arouca) Essa é Carmo do Rio Claro, no Sul de Minas. Com cerca de 22 mil habitantes é uma das cidades banhadas pelo Mar de Minas que mais encanta os turistas graças a sua exuberante natureza, que proporciona diversos atrativos naturais como cachoeiras, matas, vistas maravilhosas do alto da montanhas, além claro, da beleza das águas do Lago de Furnas.
03 - Capitólio
Capitólio (na foto acima de Aender Mendes) é uma cidade pequena, com menos de 10 mil moradores, mas em dias de alto temporada, feriados e datas festivas, esse número triplica. Isso porque a cidade é um dos mais badalados pontos turísticos de Minas Gerais atualmente, graças as suas belezas impressionantes, que atrai milhares de turistas todos os anos. Suas belezas e qualidade de vida atrai artista para cidade, muitos deles mantém casas às margens do Lago de Furnas, no bairro Escarpas do Lago (na foto abaixo de Deocleciano Mundim)
A cidade possui uma boa rede hoteleira e uma gastronomia especial, a base de peixes, sem contar a nossa cozinha típica mineira. Os turistas vem à Capitólio vivenciar as belezas naturais do município como cachoeiras, matas nativas, trilhas, cascatas, o mirante dos cânions e passear de barcos ou escunas, pelas águas verdes-esmeralda do Lago de Furnas, adentrando entre os cânions. (na foto abaixo, do Pedro Beraldo, a pureza das águas de Capitólio)
Fica na divisa exata do Sul e Oeste de Minas, tanto vale dizer que o município é do Sul de Minas, quanto do Oeste Mineiro.
04 – Boa Esperança
Boa Esperança, no Sul de Minas é uma das mais belas cidades mineiras. Sua população em julho de 2019 era de 40.127 habitantes, de acordo com a estimativa do IBGE. Está distante 280 km de Belo Horizonte. A Serra, que leva o nome da cidade ficou famosa com a canção composta por Lamartine Babo, interpretada por vários nomes da música brasileira. (foto abaixo de João Paulo de Mendonça)
Além da Serra da Boa Esperança, o Lago de Furnas que banha  a cidade é formado pelo represamento das águas do ribeirão Marimbondo, Maricota e Cascavel. São  8 km² do "Mar de Minas" em Boa Esperança. O Rio Grande, que passa nas terras do município, é outro atrativo natural. 
No perímetro urbano de Boa Esperança, as águas circundam praças, suas ruas são arborizadas e bem cuidadas.(na foto acima de João Paulo de Mendonça) Boa Esperança conta com uma boa rede hoteleira e gastronômica, com  cozinha mineira, incrementada com os pratos a base de peixes. A prainha, a beira do lago, é um dos pontos mais badalados da cidade. Já paras os amantes de esportes radicais ha opções de passeios de Lancha, de Jet Sky, pesca esportiva com vara.
05 – Alfenas
Alfenas, no Sul de Minas, tem cerca de 80 mil habitantes. Sua localização é privilegiada, já que está localizada próximas as rodovias federais (BR-491, BR-267 e BR-369), e pelas rodovias estaduais (MG-179, MG-184, MG-453 e MG-879). Chegar a Alfenas é um caminho fácil. Grande produtora de café e gado de leite, com vários estabelecimentos comerciais de pequenos médios portes, indústrias de segmentos diversos se destacando o setor alimentício, como o de sucos é laticínios. Alfenas se orgulha de ser uma Cidade Universitária oferecendo vários cursos superiores, recebendo estudantes de todo o país.
O maior atrativo turístico do município é sem dúvidas o Lago de Furnas (na foto acima de Bosco Azevedo), onde Alfenas é considerada a "Porta de entrada do Mar de Minas", recebendo um grande numero de visitantes que vem à cidade conhecer as belezas do Mar de Minas, bem como as belezas arquitetônicas da cidade como igrejas, praças, bares, restaurantes, casarões, etc.
06 - São João Batista do Glória
Com cerca de 8 mil habitantes, São João Batista do Glória ou simplesmente Glória, fica no Sudoeste de Minas se destaca por suas tradições religiosas e sua rica gastronomia, bem como suas espetaculares belezas naturais. (na foto de Sérgio Mourão, a Matriz de São João Batista do Glória) É um dos destinos mais procurados pelos amantes do Ecoturismo de aventuras ou simplesmente por aqueles que preferem o sossego e a tranquilidade das montanhas, matas nativas e se deliciar calmamente nas cachoeiras paradisíacas do município. Segundo a Prefeitura local, são cerca de 130 cachoeiras em Glória. A cidade é ideal para passeios em família. Calma, tranquila, bonita, bem mineira e tradicional que proporciona um passeio saudável. Ainda, Glória está próximo a portaria do Parque Nacional da Serra da Canastra. Os visitantes não resistem em ir à Serra da Canastra, conhecer o berço do Rio São Francisco.
Glória é ligada a Passos por uma ponte, sobre o Rio Grande, outra bela cidade da Região. (na foto acima de Luis Leite)  É em Glória que estão algumas das mais belas paisagens da região, o Caminho do Céu, o Vale da Babilônia e o Paraíso Perdido, um complexo natural formado por três ribeirões, 18 piscinas naturais e oito cachoeiras de águas puríssima e bem cristalina. 
07 – Fama
Fama (na foto acima: Prefeitura Municipal/Divulgação) é uma das menores cidades do Sul de Minas, com menos de 3 mil habitantes. O Lago de Furnas emoldura a cidade, hoje uma das mais charmosas e encantadores cidades mineiras com ruas arborizadas e praças bem cuidadas. . Quem vem a Fama, nunca esquece. A cidade é aconchegante, tranquila, bem organizada, com uma boa rede hoteleira e principalmente gastronômica, destacando os pratos com peixes, sem dúvida, os melhores sabores do Brasil. A cidade está a 362 km de Belo Horizonte e na divisa com Alfenas, Campos Gerais, Três Pontas e Paraguaçu.  Distante 362 km de Belo Horizonte, o município faz divisa com Alfenas, Campos Gerais, Três Pontas.Paraguaçu. A cidade, com seu charme e belezas naturais é ótimo para passeios e férias em família.
08 – Guapé
Guapé no Sul de Minas, tem aproximadamente 15 mil habitantes. A cidade é nova, já que a antiga foi inundada pelas águas de Furnas na década de 1960, transformando a cidade, numa península, rodeada pelo águas do lago, proporcionando uma agradável vista e para a prática de esportes e passeios de lancha e barcos. 
Cidade tipicamente mineira, que preserva suas tradições religiosas e folclóricas como a Folia de Reis e o Reinado de Nossa Senhora do Rosário. O carnaval em Guapé é um dos melhores de Minas. A economia do município tem como base a produção de café, pecuária leiteira, grãos, cachaça, estação de pedras, pequenos comércios e claro, o turismo. Possui ótimos hotéis, pousadas e restaurantes com comida mineira. 
Um dos acessos  a Guapé é por balsas, um passeio gostoso pelas águas do Mar de Minas. No município encontra-se diversas trilhas, opções de rapel e escalada e várias cachoeiras como a Cachoeira do Paredão, Cachoeira do Inferno, Cachoeira do Macuco, Cachoeira do Garimpo (na foto acima de Carias Frascoli), Cachoeira do Capão Quente, Cachoeira da Água Limpa, Cachoeira do Moinho, Cachoeira do Lobo, da Volta Grande, entre outras.
Outro atrativo da cidade é o Parque do Paredão, formado em uma fenda, entre belas serras e vasta natureza, com três cachoeiras paradisíacas e uma boa estrutura para os turistas como restaurante, banheiros, estacionamento e área para camping.
09 – Pimenta
Emoldurada pela Serra da Pimenta, (na foto acima de Sérgio Mourão)  hoje com cerca de 9 mil moradores é uma tranquila, charmosa, aconchegante cidade do Oeste Mineiro. Espelhada pelo Lago de Furnas está localizada entre o Rio Grande o Rio São Francisco, cujas águas passam próximo ao município que passa próximo.
Além do charme da cidade, sua boa gastronomia, ótimas pousadas, pertence a Pimenta uma das mais charmosas e atraentes vilas mineiras, Santo Hilário. São cerca de 200 moradores vivendo na vila, rodeada por montanhas, paisagens espetaculares e pelas águas do Lago de Furnas. Esse nome é em homenagem ao naturalistas francês August de Saint Hilaire que passou pela localidade em pesquisas pela região. Santo Hilário é um lugar magnífico, como pode ver acima na foto de Pedro Beraldo.
10 - Campos Gerais
Campos Gerais, no Sul de Minas tem cerca de 30 mil habitantes. Cidade bonita, com belas praças, igrejas, casario charmoso e um povo muito hospitaleiro. O destaque na cidade é sua Igreja Matriz (na foto acima de João Paulo de Mendonça), construção gótica, inspirada na Catedral de Burgos, na Espanha e a estátua do Cristo Redentor, com 32 metros de altura, sendo a quarta maior do país. Rico em belezas naturais, tendo como destaque a Serra do Paraíso, com suas deslumbrantes cachoeiras e paisagens espetaculares. Um verdadeiro convite para o descanso, sossego e também aventuras pelas trilhas da serra. 
A cidade ainda tem como atrativo a Ponte das Amoras, ligando-a a Alfenas (como pode ver na foto acima de João Paulo de Mendonça), um belo parque aquático e a Praia das Amoras, no Mar de Minas. 

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Felício dos Santos MG e suas águas quentes medicinais

(Por Arnaldo Silva) Felício dos Santos vem chamando a atenção por suas cachoeiras, paisagens nativas de transição de Mata Atlântica para o Cerrado e sua charmosa arquitetura urbana. A região é dotada de um berço hídrico extenso, onde estão as primeiras correntezas do Rio Araçuaí, que formam em seus trechos belas cachoeiras como a do Bode e a de Carrancas. A Cachoeira do Sumidouro é uma das mais belas de Minas Gerais, com uma impressionante queda de 75 metros. Essa cachoeira pode ser vista de vários pontos da cidade.
A riqueza hídrica de Felício dos Santos vem chamando a atenção, principalmente as suas águas quentes com propriedades medicinais. Suas águas medicinais vem sendo sendo descoberta pelos turistas do Brasil inteiro, que vem à cidade em busca de descanso do bem estar que as águas medicinais oferecem e como complemento de tratamentos. (na foto acima de Luiz Carlos da Silva, o balneário da Fazenda Águas Quentes e abaixo, de Marcelo Santos Santos, a Cachoeira do Sumidouro)
          A cidade é charmosa, tranquila e pacata cidade e conta com cerca de 5 mil habitantes. Seu povo é alegre, hospitaleiro e muito simples. Recebem com muito carinho os visitantes. 
          Felício dos Santos guarda relíquias históricas dos tempos da Escravidão, com traços coloniais em sua arquitetura. O município faz parte da região mineradora de Diamantina MG, tendo seu povoamento iniciado em meados do século XIX, estando por isso,  na área de influência da Estrada Real.
          Além de sua bela arquitetura, em Felício dos Santos a gastronomia tipica mineira é preservada, destacando o biscoito de goma, frango caipira, doces, frango ao molho parte e outros deliciosos pratos.  Faz divisa com os municípios de Senador Modestino Gonçalves, Itamarandiba, Rio Vermelho, Couto de Magalhães de Minas e São Gonçalo do Rio Preto.
          Outro atrativo da cidade é o artesanato feito com sementes e a capa da palmeira. Uma arte muito atrativa e bem feita, pelos artesãos locais. (na foto acima enviada pela Fabiana Gomes)
Seu povo é tradicionalmente Católico e preserva as tradições religiosas como a Festa do Sagrado Coração de Jesus e a Marujada de Nossa Senhora do Rosário, o maior evento religioso do município. A Festa do Peão de Boiadeiro é muito tradicional na cidade e um dos atrativos populares para os visitantes. 
O grande atrativo de Felício dos Santos (na foto acima de Edson Borges) é sem dúvida suas águas. A água geladíssima, com características rochosas da Comunidade do Loronha é um dos atrativos da cidade. Mas sem dúvida alguma, o grande interesse do visitante são as águas quentes, por suas propriedades medicinais, mineral, hipotermal e radioativa. 
As águas medicinais são excelentes complementos de tratamentos dermatológicos porque repõe os sais minerais e antioxidantes perdidos pela pele; hidratam a pele ressecada e diminuem sua oleosidade. Além de equilibrar o PH da pele, auxiliam nos tratamentos estéticos, além de ajudar na recuperação da barreira de proteção da pele. As águas termais ajudam ainda no combate a dores crônicas como artrite, artrose e dores nas costas. Além desses benefícios, o banho nessas águas proporcionam uma agradável sensação de conforto, calma, relaxamento e bem-estar. (foto acima e abaixo enviadas por Luiz Carlos da Silva)
As águas quentes das Estâncias Hidrominerais mineiras, concentradas basicamente no Sul de Minas, atraem turistas de todo o mundo em busca de seus benefícios. Felício dos Santos, já no Vale do Jequitinhonha, vem aos poucos sendo uma nova opção para os turistas que buscam fugir do estresse do dia a dia e o bem estar que suas águas quentes e medicinais oferecem.
 A cidade, tem boas opções de pousadas e restaurantes para o turista se sentir confortável. No próprio entorno da fonte, tem a Pousada da Água Quente (na foto acima enviada por Luiz Carlos da Silva), com conforto e uma ótima estrutura para receber bem os turistas. São cerca de 780 hectares de mata nativa, muito verde, trilhas, fauna e flora variadas e muita água. O visitante se sentirá em casa. 
O contato da Fazenda Água Quente é 38 9 9990-6405 - 9 9908-5641 com Luiz Carlos

15 pacatas e charmosas cidades do Sul de Minas

(Por Arnaldo Silva) O Sul e Sudoeste de Minas são formados por 146 municípios que se destacam em Minas por suas belezas naturais, forte economia e ótima qualidade de vida. Algumas se destacam no cenário estadual e nacional, como Poços de Caldas, Itajubá, Santa Rita do Sapucaí, São Sebastião do Paraíso, Pouso Alegre, Varginha e outras se destacam por serem charmosas, históricas, pitorescas e de grande importância para a região e Minas Gerais, como Campanha, a primeira cidade do Sul de Minas que ainda guarda em seus casarões, relíquias do tempo do Brasil Colônia, bem como as estâncias hidrominerais famosas no Brasil e também todo o mundo, como Caxambu. 
          Cidades que recebem turistas o ano inteiro, vindos de vários estados e países, como na foto acima, do Vinícius Barnabé, em Passa Quatro, uma charmosa, bucólica e linda estância hidromineral, surgida no século XIX, guardando relíquias de nossa história como seu belo casario, em estilo colonial e eclético, sua charmosa Maria-fumaça, que proporciona um passeio esplêndido, o famoso Trem da Serra da Mantiqueira que passa por belíssimas paisagens entre Passa Quatro e Cruzeiro/SP, o Túnel da Garganta do Embaú, palco de batalhas durante a "Revolução de 1932", dentre outros atrativos naturais e arquitetônicos.
          Nessa reportagem vamos passear por charmosas e pitorescas cidades do Sul e Sudoeste de Minas que mais parecem presépios de tão bem feitas que são.
01 - São Sebastião da Bela Vista
          Com apenas 5.504 habitantes, segundo o IBGE em 2019 e distante 240 km de São Paulo, 385 km do Rio de Janeriro e a 362 km da Capital, São Sebastião da Bela Vista (na foto acima do Leonardo Souza/@jleonardo_souza_srs) é uma charmosa, tranquila aconchegante cidade tipicamente mineira com um povo hospitaleiro, que recebe muito bem os visitantes. O município, banhado pelos Rios Sapúcai e Ribeirão Bela Vista,  faz divisa com Pouso Alegre, Careaçu, Natércia, Silvianópolis e Santa Rita do Sapucai. A economia do município é baseada em pequenos comércios, na produção artesanal de doces, queijos, etc., e nas atividades agrícolas, em destaque para as lavouras de café,  pecuária leiteira e de corte.
          Famosa pela Festa do Peão de Boiadeiro, tradicionalmente realizada em setembro, a cidade é conhecida como "Barretinho" do Sul de Minas devido a tradição do rodeio que atrai milhares de pessoas de todo o pais. A festa é uma das mais empolgantes de Minas Gerais, levando à cidade milhares de pessoas de todo o país, para participarem da festa e assistir aos shows musicais. É tão forte essa tradição em São Sebastião da Bela Vista que na entrada do Parque de Exposições José Poli de Oliveira Dorta, foi construído um momento (na foto acima do Leonardo Souza/@jleonardo_souza_srs) em homenagem ao Peão de Boiadeiro com 9 metros de altura, obra do artista plástico Genésio Gomes Moura"Ceará", o mesmo artista que fez as estátuas do Menino da Porteira em Ouro Fino, do Rei Pelé em Três Corações e dos Cristos em Elói Mendes e Pouso Alegre, todas cidades do Sul de Minas. O monumento é um dos atrativos da cidade, estando em fase de tombamento pelo município como Patrimônio Histórico Cultural de São Sebastião da Bela Vista. 
02 - Borda da Mata
          Com 19.412 habitantes em 2019, segundo o IBGE, Borda da Mata é uma cidade charmosa, com clima ameno, paisagens lindíssimas, um povo bom hospitaleiro, com uma culinária tipicamente mineira. Sua economia é baseada na agricultura, pequenos comércios, no artesanato, em especial os trabalhos em madeira  e na indústria de malhas, destacando-se em Minas na produção de pijamas e tecelagens de qualidade, atraindo durante o ano todo, turistas de todo o Brasil para compras. (fotografia de Leonardo Souza/@jleonardo_souza_srs)
          A cidade possui uma boa rede hoteleira, bons restaurantes e muitas belezas arquitetônicas, entre elas a Matriz de de Nossa Senhora do Carmo. Borda da Mata faz parte da rota do Caminho da Fé que começa em Águas da Prata/SP into até Aparecida/SP, passando por várias cidades do Sul de Minas, numa caminhada de 500 km, trajeto este feito a pé pelos fiéis.
          No dia 16 de julho é comemorado o aniversário da cidade e o dia da padroeira da cidade, Nossa Senhora do Carmo. Durante as festividades, acontecem com shows, barraquinhas com comidas típicas e eventos musicais que atrai atrai visitantes de todo o Brasil.
03 - Natércia
          A 387 km de Belo Horizonte, fazendo divisa com Santa Rita do Sapucaí, Heliodora, Lambari, Jesuânia, Conceição das Pedras e Careaçu, está a charmosa e aconchegante Natércia, com apenas 4.730 habitantes, em 2019, segundo o IBGE. (fotografia de Leonardo Souza/@jleonardo_souza_srs) Cidade tipicamente mineira, com um povo simples, amigo, hospitaleiro, tranquilo como a cidade que tem como destaque a Igreja Matriz de Santa Catarina de Alexandria. Natércia é rodeada por  paisagens esplêndidas, belas cachoeiras e montanhas que possibilitam a prática de esportes radicais,  como o rapel, atrai amantes da natureza e trilheiros. A cachoeira da Usina, em Conceição das Pedras, na divisa com Natércia é um dos atrativos imperdíveis.
04 - Cambui
Com 29.165 habitantes em 2019, segundo o IBGE, fazendo divisa com Camanducaia, Senador Amaral, Bom Repouso, Córrego do Bom Jesus, Consolação, Munhoz, Estiva e Itapeva, está Cambui, distante 429 km de Belo Horizonte. (foto acima enviada pela Sônia Luz/@lhuz_sonia) Seu povo é carinhoso, hospitaleiro, amigo e recebem todos os  visitantes muito bem. A cidade é tranquila e suas belezas naturais impressionam, como o Morro do Cruzeiro, as Cachoeiras da Meia Légua, da Usina, dos Fonsecas, de Nossa Senhora de Lourdes e do Andorinhão. Tem ainda a Pedra de São Domingos, que propicia uma vista fantástica da região em torno da cidade e a Pedra da Onça, o mais importante ponto ecológico de Cambui, lugar ideal para quem gosta de esportes radicais. O município está inserido no complexo da Mata Atlântica, na região serra do Sul de Minas, fazendo parte ainda do Circuito Serras Verdes do Sul de Minas. 
05 - Poço Fundo
          Distante 395 km da Capital, fazendo divisa com Machado, Caldas, São João da Mata, Carvalhópolis, Turvolândia, Campestre, Ipuiúna e Espírito Santo do Dourado, está Poço Fundo, charmosa, elegante e pacata cidade com estilo de vida típico das pequenas cidades do interior Mineiro. (foto acima de Fernando Campanella) Em Poço Fundo são 16.791 moradores, segundo o IBGE em 2019. Sua economia é baseada em pequenos comércios e agropecuária, com destaque para a produção de Fumo de Rolo, totalmente artesanal, tradição no município desde o século XIX, sendo que Poço Fundo considerada a  "Capital do Fumo" pela excelente qualidade do produto.
          No Centro da cidade se destaca a Igreja de São Francisco de Paula, construção de 1936 e o antigo prédio do Cine Ouro Negro, datado de 1956. Fundada em 2 de abril de 1870, na cidade podem ser vistos belos casarões em estilo colonial. Outro atrativo no município são as ruínas do casarão e o túmulo de Lourenço Westin, diplomata e comerciante de nacionalidade sueca, radicado no Brasil, tendo sido o primeiro cônsul do reino da Suécia e Noruega. Suas paisagens são magníficas com montanhas, belas cachoeiras como as cachoeiras Grande, do Porto e da Bocaina, muito procurada por praticantes de esportes radicais. 
06 - Soledade de Minas
          Com cerca de sete mil habitantes e apenas 10 km de São Lourenço está Soledade de Minas. Uma pacata cidade, tranquila, destacando a beleza e riqueza do artesanato local, os doces e quitandas, sua Igreja Matriz com belos detalhes em seu interior e a charmosa e atraente Estação Ferroviária (na foto acima de Thelmo Lins), parada final do Trem das Águas, que sai de São Lourenço.
07 - Pouso Alto
          Com 6 mil habitantes, a 422 km de Belo Horizonte, pertencendo ao circuito turístico Terras Altas da Mantiqueira, encravada nos picos mais altos do Brasil, está Pouso Alto. Uma charmosa, pacata e bucólica cidade, rodeada por exuberantes paisagens, picos, trilhas, cachoeiras, montanhas e clima frio que lembra muito o inverno europeu, com temperaturas baixíssimas no inverno. Cidade com característica tipicamente mineira excelentes pousadas, instaladas na área rural, com muito verde e tranquilidade, além de contar restaurantes rústicos, servindo pratos típicos de Minas, bem como várias lojas com todas as delicias de Minas feitos artesanalmente na região como queijos, cachaças, linguiças, biscoitos de polvilho, etc. 
          Sua historia tem origem no início do século XVIII, com a chegada de bandeirantes que formaram um núcleo de pouso na parte alta da região. O núcleo se tornou vila e por fim, cidade emancipada em 19 de outubro de 1878. Como o local do pouso era alto, com o tempo passou a ser chamado de Pouso Alto e permaneceu como nome do local e por fim da cidade. Na cidade são guardadas relíquias de sua história, com belas fazendas, casarões bem preservados, destacando sua bela igreja dedicada a Nossa Senhora da Conceição. Seu povo é hospitaleiro, vivendo uma vida tipicamente mineira, numa cidade em que todos se conhecem e recebem com carinho os visitantes.
08 - Brazópolis
          Distante 453 km de Belo Horizonte, fazendo divisa com Piranguinho, Piranguçu, Paraisópolis, Conceição dos Ouros, Cachoeira de Minas e Campos do Jordão, com 14.559 habitantes, segundo o IBGE em 2019, está a cidade de Brazópolis (fotografia de Leonardo Souza/@jleonardo_souza_srs). Sua origem data de 1812, com o nome de São Caetano da Vargem Grande. O pequeno arraial cresceu, passou a distrito em 1848, elevada a Vila em 16 de setembro de 1901, data em que se comemorara sua fundação. Em 1909, seu nome passou a ser Vila Braz e por fim, município emancipado por Lei Estadual de 7/9/1923, já com o seu nome atual, Brazópolis. 
          Uma cidade tranquila, charmosa, tradicional, bem cuidada, rodeada por paisagens espetaculares da Serra da Mantiqueira, com destaque para o distrito de Luminosa, uma pitoresca Vila no Caminho da Fé. Outro destaque de Brasópolis é Observatório do Pico dos Dias (na foto acima de Valéria Gonçalves da Siva, via Cássia Almeida), um dos principais pontos turísticos da cidade. Sua economia é volta para a agropecuária, destacando a produção de banana-prata e eucalipto. Da fibra extraída da bananeira, depois de processadas, se transformam em lindos artesanato, pelass mãos dos artesãos locais.
09 - Ouro Fino
Fundada em 1749 e emancipada em 1880, Ouro Fino, hoje com 33.639 habitantes, segundo o IBGE, em 2019 é uma das mais antigas e importantes cidades do Sul de Minas. ((fotografia acima de Leonardo Souza/@jleonardo_souza_srs) É cortada por vales, montanhas e serras, com altitudes variando entre 997 metros a 1591 metros. De sua história, destaca-se belos casarões e a Praça da Matriz, marco da cidade com mais de 250 anos, sua igreja, hoje Santuário de Nossa Senhora de Fátima, além de vários monumentos espalhados pela cidade, que marcam a história de Ouro Fino. Entre seus monumentos, destaque para as estátuas do Boi Sem Coração, Berrante e Menino da Porteiro, porque a cidade foi fonte de inspiração para o compositor Teddy Vieira, compor uma das mais famosas canções sertanejas do século XX, o Menino da Porteira.  (na foto abaixo de Cássia Almeida)
          Ouro Fino faz parte do Circuito das Malhas, sendo a indústria da confecção um dos principais segmentos da cidade. Faz parte ainda do Circuito Turístico Malhas do Sul de Minas com belas paisagens, rios, cascatas, cachoeiras e picos que possibilitam a prática de Canoagem, paraglider, motocros, passeio de bóia, cavalgadas, pesca, trekking, trilhas para bikes, dentre outros.
          Na cultura, destaca na cidade a Ourofolia, um dos melhores carnavais da região. A festa Italiana do Circuito Italo-Braziliano, realizado em março. A Semana Santa e Corpus Christi. A Feira das Indústrias e Ouromalhas, em maio. As festas juninas em junho, além da realização do Festival de Interpretação de Música Sertaneja com entrega do Troféu O Menino da Porteira. Em julho acontece a Festa do Peão e em agosto o Ouro Rock, além de outros eventos ecológicos, religiosos, esportivos e musicais durante o ano. 
10 - São Bento Abade
          Com pouco mais de 5 mil habitantes, vizinha a São Tomé das Letras, tem suas origens no século XVIII, com a chegada à região do Padre José Bento Ferreira de Toledo por volta de 1752. (foto acima da Fazenda Lavandas da Serra/Divulgação) Muito devoto de São Bento, o eremita construiu uma ermida em homenagem ao santo em sua fazenda. Com o passar dos anos em redor da pequena capela surgiu um povoado com o nome de Povoado de São Bento. Após ser distrito, o nome passou a ser São Bento do Abade, simplesmente para distingui-lo de outros municípios com o mesmo nome.  Em 30 de dezembro de 1962 o distrito é emancipado e torna-se cidade, preservando seu nome, São Bento do Abade.
          A cidade é calma, pacata, pitoresca, charmosa, bem cuidada. Um dos destaques do município é a fazenda Lavandas da Serra (na foto acima/Divulgação) que cultivam as belíssimas flores, um dos atrativos da região já que o visitante pode conhecer a fazenda, como a loja de produtos a base de lavandas, na vizinha São Tomé das Letras. 
11 - São João da Mata
          Com menos de 3 mil habitantes, São João da Mata (na foto acima da Fernando Campanella) é uma pacata, tranquila, charmosa e aconchegante cidade do Sul de Minas, agraciada com belezas naturais incríveis como cachoeiras, trilhas, rampas para paraglider e asa delta, mirante, o Parque Pedra do Navio, que conta com impressionantes formações rochosas. Da estrada, pode ser admirada em sua simplicidade charme, destacando a Matriz de São João Batista. As festas de São João Batista, São Sebastião e as Congadas de Nossa Senhora do Rosário são eventos tradicionais na cidade.
12 - Jacutinga
          Famosa por suas malhas e ótima qualidade de vida que oferece a seus moradores aos seus cerca de 28 mil habitantes, bem como excelentes opções gastronômicas e hoteleiras que oferece aos visitantes que vão à cidade para comprar malhas das centenas de indústrias de confecções, Jacutinga (foto acima de Thelmo Lins), é uma das mais bela cidades mineiras. Sua arquitetura é atraente, e a cidade tem grande potencial de crescimento turístico, por suas belezas, pela água mineral e sua arquitetura atraente. A economia gira em torno das malhas, que fomenta o turismo de negócios, gerando milhares de empregos diretos e indiretos. A cidade é muito bonita, aconchegante, confortável, com belas praças e um lago com ótima estrutura urbana. 
13 - Monte Sião
          Uma das mais atraentes cidades do Sul de Minas. Por sua belas praças, destacando a Praça Mário Zucato (na foto acima de Marcos Pieroni), uma das mais belas de Minas, casario charmoso, ótima gastronomia e excelentes hotéis e pousadas, com boa estrutura para receber o turista. As ruas do centro da cidade possuem centenas de lojinhas com ofertas variadas. Nos fins de semana, centenas de turistas chegam à cidade para comprarem roupas. São cerca de 800 malharias, que geram milhares de empregos diretos e indiretos. Essa é Monte Sião, considerada a Capital Nacional do Tricô e uma referência em moda no Brasil. Durante o inverno, a cidade recebe um número enorme de turistas para o Festival de Inverno, Fenat entre outros. 
          Outro destaque em Monte Sião são suas porcelanas azul e branca (na foto acima de Thelmo Lins), únicas no Brasil, cuja fábrica é aberta a visita. As águas de Monte Sião são de altíssima qualidade e com propriedades medicinais, se destacando as fontes Virtuosa e Virtuosinha, indicadas para quem tem problemas de pele.
          Outra atração pouco conhecida em Monte Sião é o turismo religioso. Isso porque Monte Sião foi fundada no século 19 em torno de um santuário dedicado à Medalha Milagrosa de Nossa Senhora. 
          A crença na Medalha surgiu na França, fruto de uma aparição da Mãe de Jesus à Catarina, que anos depois foi Canonizada pelo Vaticano como Santa, que visualizou a imagem de Maria de forma pouco comum do convencional, com uma fita na cintura, trazendo um símbolo com a letra"M" e a cruz de Cristo. (na foto acima de Thelmo Lins) Com essa descrição feita por Santa Catarina, foi desenhada uma imagem da aparição e cunhada uma medalha, considerada milagrosa.  A crença na medalha foi se expandindo pelo mundo, chegando a Minas, tendo sido Monte Sião a primeira cidade no mundo a construir uma igreja dedicada a Medalha Milagrosa. (na foto abaixo de Thelmo Lins)
          Todos os anos, milhares de fiéis chegam a Monte Sião em grandes grupos para agradecer ou pedir bênçãos.
14 – Tocos do Moji
          Com cerca de 5 mil habitantes, Tocos do Moji faz parte do Caminho da Fé e do Circuito Turístico Serras Verdes do Sul de Minas. (foto acima de Leonardo Souza/@jleonardo_souza_srs)Se destaca pelas montanhas presentes em seu território, chegando até a 1600 metros de altitude, o que faz do município um dos mais procurados pelo amantes da natureza. São cachoeiras, maciços rochosos e belas vistas do alto do topo das montanhas. A cidade é pacata, tranquila, bem organizada,  seu povo é simples, muito bom e hospitaleiro. A cidade vive de pequenos comércios, da produção artesanal de queijos e doces e da produção agropecuária, se destacando a pecuária leiteira, o cultivo de café  e principalmente, de morango, cuja produção é comercializada nos mercados de Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo. 
15 – Campanha
          Terra natal de personagens importantes de nossa história, como do cientistas Vital Brazil. (foto acima de Rildo Silveira) Foi o primeiro ponto de parada dos bandeirantes paulistas quando chegaram a Minas, pelo sul do estado, formando um arraial, distrito e por fim cidade, em 1737, sendo a primeira cidade a ser fundada no Sul de Minas Gerais. Campanha conta hoje com cerca de 16 mil habitantes, com belas paisagens e cachoeiras e ainda uma rica história para contar, sendo a porta de entrada para turistas que visitam o Circuito das Águas de Minas Gerais e para conhecer a cidade, com seus belos casarões coloniais, cultura, folclore e gastronomia.
          A cidade é ainda a sede da Academia Sul Mineira de Letras. (foto acima de Fernando Campanella) Campanha se orgulha de ter sido o local onde o escritor Euclides da Cunha escreveu os primeiros capítulos de seu mais famoso livro Os Sertões, cidade em que nasceu um de seus filhos.
          Entre seus pontos turísticos urbanos se destacam o Museu do Sul de Minas, em cujo prédio esteve hospedado a Princesa Isabel e seu esposo Conde d´Eu, quando visitaram a cidade em 1868. O variado e rico artesanato local, como tapetes e imagens religiosas em madeira, são famosos na região por sua qualidade e beleza, bem como casarões em estilo colonial onde grandes nomes da literatura, cultura e política viveram. A Catedral de Santo Antônio, uma das mais antigas de Minas, datada de 1787, é um dos marcos da fé dos campanenses. O Colégio Sion, construído por freiras e padres franceses, é um dos marcos da educação na região. Foi em Campanha que nasceu Padre Victor, beatificado pelo Vaticano em 2015. Na cidade encontra-se sua igreja construída em estilo barroo e obras talhadas em ouro.

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Facebook

Postagens populares

Seguidores