domingo, 9 de junho de 2019

Conhecendo Ouro Preto

Compartilhe:

A cidade fica a 97 km de Belo Horizonte, com fácil acesso e estrada em bola qualidade. Por sua importância histórica e arquitetônica, é Patrimônio da Humanidade desde 1980. 

Fundada em 1711, Ouro Preto foi a cidade mais população da América no século 18, no auge da extração do ouro em Minas, chegando a 80 mil habitantes, superior a Nova York, na época. Quem vem a Ouro Preto sente algo diferente, uma sensação de volta ao passado. Não é por menos. Cada canto, cada esquina, cada ladeira, cada pedra em suas ruas, tem uma história para contar. É um museu a céu aberto. São mais de 300 anos de história, arte e cultura pura. Os primórdios da extração de minério, da identidade da arquitetura barroca mineira, em especial as obras de Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho e do Mestre Ataíde, presentes principalmente nas igrejas barrocas ouro-pretanas e guardadas também nos museus da cidade, podem ser vistas e contempladas por todos. 

O que visitar em Ouro Preto? 
Chegando a Ouro Preto, de carro ou de ônibus, a primeira vista que terá será a Igreja de São Francisco de Paula, descendo mais um pouco, tem a Igreja de Nossa Senhora das Mercês e Misericórdia. Ambas proporcionam linda vista de todo o casario histórico ouro-pretano.

O ouro-pretano valoriza a sua culinária. Em todos os restaurantes da cidade você encontra a autêntica e genuína cozinha mineira, feita em panela de pedra sabão e em alguns restaurantes, no fogão a lenha. As dezenas de pousadas da cidade, seja a mais simples a mais requintada, oferecem aos hóspedes um café tipicamente mineiro. 

Aproveite a noite ouro-pretana. Os bares centrais oferecem cardápios variados como tira gostos, pizzas e claro, a deliciosa culinária mineira. Não falta também, cervejas, licores e diversos drinks preparados no capricho. As cervejas artesanais mineiras são de alta qualidade e as de Ouro Preto não fogem à regra. Experimente as cervejas artesanais de Ouro Preto.  

 O Museu da Inconfidência é uma verdadeira aula de história. Pertinho do Museu tem a Casa do Inconfidente Tomaz Gonzaga, em frente à Igreja de São Francisco de Assis. Em frente a essa igreja tem a feira de artesanato em pedra sabão. São milhares de obras de arte mostrando o mais genuíno artesanato mineiro. 

As igrejas são pontos de visita obrigatórios, pela história e beleza arquitetônica. São espetaculares! As igrejas de Nossa Senhora da Conceição, São Francisco de Assis e Nossa Senhora das Mercês e Perdões, que tem obras do Mestre Aleijadinho, são as mais procuradas pelos visitantes. Essas três igrejas compõem o Museu Aleijadinho, criado em 1968. As três igrejas guardam 250 peças da arte sacra e documentos gráficos, com história do período colonial e imperial Brasileiro. A Matriz de Nossa Senhora da Conceição guarda os restos mortais do Mestre Aleijadinho. 
Se você gosta de uma boa caminhada, uma boa dica é subir a ladeira para a Igreja de Santa Efigênia. A vista de Ouro Preto do alto é impressionante.

Ao lado do Museu da Inconfidência está à belíssima Igreja de Nossa Senhora do Carmo. Descendo a escadaria, numa pequena ruela, encontra-se a Casa da Ópera de Ouro Preto. Foi o primeiro teatro das Américas. Nos palcos da Casa da Ópera, nos 300 anos de sua existência, artistas famosos de todas as épocas se apresentaram. Diferente da arquitetura barroca, o teatrinho, como é chamado, tem em sua arquitetura a influência italiana. É um espetáculo! 

O casarão da Casa dos Contos é um dos mais importantes monumentos do barro mineiro. Impressiona pela construção imponente e por sua importância histórica para Minas Gerais. Quem quer conhecer a história do ciclo do ouro em Minas, as moedas de cada período brasileiro, bem como uma senzala e os instrumentos usados para castigos dos escravos, esse é o lugar. Estar na Casa dos Contos é estar em uma verdadeira sala de aula de história. 
Seguindo a rua de acesso a Casa dos Contos, passará pela Rua São José onde estão os bancos, restaurantes finos e lojas diversas. A rua é plana e o casario é lindo. É a rua mais fotografada em Ouro Preto. Ao fim da rua, estará próximo das Igrejas do Pilar e de Nossa Senhora do Rosário. 
A Igreja de Nossa Senhora do Pilar é outra igreja que não pode deixar de ser visitada. Seu altar é ornado com belíssimas obras de arte do período barroco, talhados em ouro. Foram usados 400 quilos de ouro puro.
No subsolo da igreja tem o Museu de Arte Sacra, com valiosas peças do século XVIII. Um balcão em madeira bruta com gavetas, montado sem usar um prego sequer, chama muita a atenção dos visitantes pela qualidade do trabalho e imponência do móvel.

Próximo a Igreja do Pilar está a Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos. O visitante não deve deixar de conhecer esse impressionante templo e vislumbrar o casario em torno da igreja.
No perímetro urbano de Ouro Preto o visitante tem a oportunidade de entrar dentro de minas de extração de ouro desativadas, que são abertas ao público. Uma oportunidade única de conhecer por dentro como eram as técnicas rudimentares de extração de ouro. As mais visitadas são: Mina do Jeje (foto acima) Mina Chico Rei, Mina Du Veloso, Mina Felipe dos Santos e Mina Santa Rita. É cobrada taxa de entrada.

Passeio de trem
O trem que faz o percurso de 18 km de Ouro Preto até a vizinha Mariana é um das melhores opções de passeios para turistas e moradores. Até Mariana, são cerca de 30 minutos de viagem passando por belas paisagens. O trem é confortável e circula nas sextas, sábados, domingos e feriados. A passagem pode ser comprada nas bilheterias da Estação. Tem vagão convencional e panorâmico.

Festivais
Além do privilégio de estar em Ouro Preto, conhecer sua arquitetura, museus, igrejas, seus belos e preservados casarios, Ouro Preto é uma cidade que respira cultura e arte por toda parte. 

Além dos festejos religiosos, preservados desde os tempos do Brasil Colônia, Ouro Preto oferece a seus moradores e visitantes um diversificado calendário cultural com grandes festivais de música, cinema, eventos artísticos, gastronômicos e culturais, praticamente o ano todo.

Durante o ano, algumas festividades se destacam na vida ouro-pretana. Uma é sem dúvida o Carnaval, considerado um dos melhores do Brasil. Outra festividade é o Festival de Inverno de Ouro Preto e Mariana, que acontece em julho. Outro evento é a Festa do 12, criada para marcar a fundação da Escola de Minas, em 12 de outubro de 1876. A festividade se caracteriza pela presença de ex-alunos da universidade às suas repúblicas de origem. Nesse período a cidade fica repleta de turistas num clima quase que carnavalesco. 
Outra festividade é a Mostra de Cinema de Ouro Preto que atrai milhares de amantes da bela arte, no mês de junho. 

Pra quem gosta de música de qualidade quem vier à Ouro Preto em setembro poderá conhecer o Festival Ouro-pretano de Bandas. Para quem gosta de jazz, no fim do ano acontece o Festival Tudo é Jazz.
Dicas importantes
Um passeio pelo Centro Histórico de Ouro Preto, para ser completo leva no mínimo dois dias. 

A melhor forma de conhecer Ouro Preto é andando a pé pela cidade e claro, ter em mãos um mapa ou com acompanhamento de um guia credenciado pela Prefeitura. 

Todas as igrejas do período barroco em Ouro Preto são verdadeiros museus, sendo abertas à visitação. As igrejas e museus em Ouro Preto não abrem às segundas-feiras. Também não é permitido fotografias no interior das principais igrejas e museus, além de ser cobrada uma taxa de manutenção por visitante. 

Ouro Preto tem muita ladeira. Poucas ruas da cidade são retas. Tem ainda o calçamento em pedra. Mulheres devem evitar salto alto e usar calçados confortáveis. Tanto para homens, quanto para mulheres, o mais indicado são sapatos ou tênis com solado antiderrapante. (Texto e fotografias de Arnaldo Silva)

Nenhum comentário:
Faça também comentários