13 lindas cidades do Campo das Vertentes

Tiradentes é uma das cidades que faz parte do Campo das Vertentes. Fotografia de Reinaldo Ziviani
A Região do Campo das Vertentes é formada pela união de 36 municípios agrupados em três microrregiões: Lavras, Barbacena e São João del Rei. Esta região tem o nome de Campo das Vertentes por fazer parte da Serra da Mantiqueira, surgindo como um descampado no município de Barbacena. Por isso é também chamada de Campos da Mantiqueira. Esta mesorregião é um importante divisor de águas do planalto brasileiro. Devido ao relevo formado por mares de morros há muitas nascentes de rios e pequenos cursos de água, contribuindo para a formação de três grandes e importantes bacias hidrográficas do Brasil. Duas de âmbito nacional: as bacias do Paraíba do Sul e do São Francisco e uma internacional, a bacia do Paraná.

A Micro Região de Lavras é formadas pelos municípios de Carrancas, Ijaci, Ingaí, Itumirim, Itutinga, Lavras, Luminárias, Nepomuceno, Ribeirão Vermelho


01 – Lavras
Vista aérea de Lavras. Fotografia de Anízio Rezende
Sua população contada em 2016 pelo censo era de 101.208 habitantes. O município de Lavras está numa localização privilegiada, entre os 3 maiores grandes centros do país, estando, em linha reta, a apenas 184, 262 e 307 Km de Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo, respectivamente. Por via terrestre, é ligado às regiões metropolitanas dessas capitais através de linha férrea e duas rodovias principais: i) BR-381 (Autopista Fernão Dias) que conecta Lavras a Belo Horizonte (237 Km de condução) e a São Paulo (379 Km de condução) e ii) BR-265 (em Barbacena continua-se pela BR-040) que liga a "cidade dos ipês" ao Rio de Janeiro (423 Km de condução)
Principais pontos turísticos
Edifícios na região central
Departamento de Ciências Florestais da UFLA
Lavras faz parte do circuito turístico Vale Verde e Quedas D'Água. Além das opções culturais oferecidas pelos museus, teatros e campi das universidades locais, a cidade conta com diversas atrações, tais como:
Igreja de Nossa Senhora do Rosário (Lavras), construída entre 1751 e 1765 e conhecida como Matriz de Sant'Ana até 1917. Foi tombada pelo Instituto Nacional do Patrimônio Histórico em 1948.
Igreja Matriz de Sant'Ana (Lavras) - Construída entre 1904 e 1917, principal igreja católica da cidade.
Recanto do Sagrado Coração de Jesus: casa de retiro e eventos da paróquia de Sant'Ana de Lavras.
Campus atual e campus histórico da UFLA (Universidade Federal de Lavras): é interessante caminhar pelo campus histórico, e percorrer de carro o campus atual.
Museus de História Natural e Bi Moreira, situados no Campus Histórico da UFLA (Universidade Federal de Lavras).
Trilha das Lagoas, uma trilha autoguiada na Universidade Federal de Lavras.
Parque Florestal Quedas do Rio Bonito: reserva florestal mantida pela Associação Abraham Kasinski. A área do parque compreende muitas atrações, como cachoeiras, trilhas para caminhada e arena, pedalinhos, piscinas naturais, tobogã, restaurante, mirante, cachoeira, tirolesa, circuito de arvorismo e playground.
Serra do Campestre (ou da Bocaina): ponto culminante do município, de onde se pode ter ampla visão da região. Dependendo da visibilidade é possível avistar a cidade de São Thomé das Letras, Luminárias, São Bento Abade, Ijaci e outras cidades vizinhas.
Cachoeira dos Ipês É um dos principais atrativos turísticos de Lavras, possui uma exuberante queda e entorno e fica a apenas 13 km do centro da cidade.
Lago da usina Hidrelétrica do Funil
Feira de Artesanatos que ocorre aos domingos oferecendo uma grande variedade de artesanatos e uma farta gastronomia local.
A locomotiva Baldwin, chamada popularmente de "Maria-Fumaça", que levou passageiros de 1929 até 1969, exposta na Praça Doutor José Esteves, nas proximidades da Estação Ferroviária e galpões da antiga RFFSA).
Em fase de planejamento a cidade vai contar com o expresso vale verde que é um trem turístico a vapor que sairá da cidade de Perdões e irá até Carrancas passando por Lavras [quando?].
Lavras Rodeo Festival (Rodeio Universitário), que é uma das etapas da PBR, com montarias profissionais e shows com grandes

02 – Itumirim
 Vista parcial de Itumirim. Fotografia de Marselha Rufino
"Itumirim" é um termo de origem tupi que significa "cachoeira pequena", através da junção dos termos ytu ("cachoeira") e mirim ("pequeno"). Sua população segundo o IBGE é de 6.225 habitantes, em 2016.
Trem de carga passando por Itumirim. Fotografia de Marselha Rufino
Seu território é montanhoso, a cidade é entrecortada pelas serras do Campestre e da Estância sendo a última a mais alta e extensa do município e entre elas está situado o cânion da Pirambeira, no Rio Capivari, considerado o segundo melhor rio em Minas, para a prática de esportes radicais. Este canyon possui mais de um quilômetro de extensão, com paredões de mais de cem metros de altura e inúmeras corredeiras propícias à prática de esportes radicais como canyoning, canoagem e boia-cross. Possui, ainda, a Cachoeira do Engenho, do Curtume, das Aranhas, dos Cruz e diversas corredeiras dos Rios Capivari e Grande sem denominação. Dista 395 km de São Paulo, 415 do Rio de Janeiro e 248 km de Belo Horizonte. O município é cortado pela BR 265 e fica a 33 km da BR 381, possui um ramal ferroviário serpenteando suas montanhas que liga ao estado do Rio de Janeiro, com futuro projetos de implantação de trens turísticos e paisagens deslumbrantes aos olhos dos visitantes.
Turismo
Cachoeira das Andorinhas, uma das inúmeras cachoeiras de Itumirim. Foto de Ézio Donizete
O turismo em Itumirim é predominante ecológico. Possui várias cachoeiras: Cachoeira das Aranhas, Cachoeira do Engenho, Cachoeira do Paraíso (conhecido popularmente como Paraíso), Cachoeira das Andorinhas e Cachoeira dos Cruzes. Porém, este potencial ainda não é explorado pelos governantes da cidade.
Itumirim possui grande potencial para se tornar referência em turismo de aventura no estado, possui serras propícias para prática de vários esportes, além de um cânion conhecido como Pirambeira, localizado na zona rural do município.

As cachoeiras são as principais atrações deste pequeno e aconchegante município. Destaque para a Cachoeira do Engenho, que possui uma grande queda d'água, propícia para tomar um delicioso banho de cachoeira e relaxar vendo a paisagem montanhosa do local. (foto de Ézio Donizete)
Outra cachoeira que merece destaque é a Cachoeira das Aranhas. Localizada a aproximadamente dezesseis quilômetros do Centro da cidade, esta cachoeira reserva várias particularidades para os turistas. Primeiramente, vale destacar que esta cachoeira se localiza no meio de um complexo de serras, portanto, a paisagem já compensa a viagem. A cachoeira possui, basicamente, três locais onde se pode tomar um bom banho de cachoeira, são eles: o poço de cima, o poço do meio, e o poço de baixo. No poço de baixo, há uma pedra onde os turistas podem saltar há uma altura de aproximadamente cinco metros até a água. Esta experiência proporciona sensações incríveis aos banhistas. Além disso, a cachoeira das aranhas conta com uma grande área propícia à prática do camping. Próximo ao poço de cima, existe uma área plana onde se pode armar os acampamentos com toda segurança e conforto.

03 – Ingai 
Fotografia de Gilson Nogueira 
Sua população estimada em 2016 era de 2.775 habitantes. Cidade referência em qualidade de vida. Rica em belezas naturais como serras, cânions, cachoeiras e o Rio Grande que corta o território do município.
O nome Ingaí teve sua origem graças ao nome de uma árvore que, de acordo com relatos, era abundante na região,a árvore do Ingá,que é muito encontrada próxima de rios ou riachos, além de ter uma fruta com um sabor muito doce.
Turismo
A maior atração turística do município é a festa da fogueira de São João que é realizada dia 23/6, com uma fogueira acima dos 30 metros. (Foto ao lado, de Gilson Nogueira)


4 – Ribeirão Vermelho 
Foto extraída do site: http://memoriasribeiraovermelho.blogspot.com.br/2016/02/belas-imagens-aereas-de-ribeirao.html
Sua população estimada em 2016 era de 4.042 habitantes. Hoje, de acordo com o último censo do IBGE a população subiu para 3.773 habitantes. É um dos menores municípios do Estado, com apenas 39 km² de território. A sede tem boa estrutura urbana, a região é montanhosa e o Rio Grande é sua principal bacia hidrográfica. O crescimento, tanto populacional quanto econômico, está ligado à implantação da ferrovia na região, pois a Estrada de Ferro Oeste de Minas ali construiu pontes, facilitou e incrementou o comércio e propiciou oportunidades de emprego. A areia é seu principal produto mineral, e a agricultura tem por base o café e o milho. O Centro Literário apóia as iniciativas culturais. O povoado nasceu em 1886, na margem oposta à foz do ribeirão Vermelho com o rio Grande, em terras de Ana Custódia do Nascimento. Ali aportou o negociante Antônio Lúcio, que ajudou a inaugurar o povoado com a denominação de Porto Alegre. Em 1888, com a construção da estação de ferro Ribeirão Vermelho, o povoado passa a ser conhecido pelo nome atual. Em 1901, cria-se o distrito, elevado à categoria de município em 1948, desmembrando-se de Lavras. Fonte: Secretaria da Cultura em 1 de outubro de 1999
O município possui um acervo ferroviário muito grande que encontra-se em restauração, talvez um dos maiores do país. É junto à estação de Ribeirão Vermelho que se encontra a maior rotunda da América Latina.

A Micro Região de São João Del Rei é formada pelas cidades de Conceição da Barra de Minas, Coronel Xavier Chaves, Dores de Campos, Lagoa Dourada, Madre de Deus de Minas, Nazareno, Piedade do Rio Grande, Prados, Resende Costa, Ritápolis, Santa Cruz de Minas, Santana do Garambéu, São João del-Rei, São Tiago, Tiradentes.

05 – São João Del Rei 
 Fotografia de Kiko Neto
É uma das maiores cidades setecentistas mineiras. A cidade foi fundada por bandeirantes paulistas, considera-se Tomé Portes del-Rei como seu fundador. Contava com 89.832 habitantes em 2016, segundo o IBGE
Localizado na Bacia do Rio Grande, tem seu relevo formado pelas serras do complexo da Serra da Mantiqueira. É um polo para cidades do sudeste e sul de Minas Gerais. O aeroporto Prefeito Otávio de Almeida Neves, localizado na Regional Colônia (Zona Norte da cidade), é o mais importante da região.
Dotada de uma vasta gama arquitetônica, na qual não se restringe apenas ao Barroco. Mesmo na região do Centro Histórico é possível observar diversas linhas arquitetônicas. São João del-Rei é conhecida também por ser uma cidade universitária devido a presença da UFSJ, do IPTAN e IF-Sudeste de MG, além do grande número de repúblicas estudantis espalhadas pela cidade.
Nasceram, em São João del-Rei o presidente eleito do Brasil Tancredo Neves, o cardeal dom Lucas Moreira Neves, Otto Lara Resende, padre José Maria Xavier (compositor sacro), Francisca Paula de Jesus, a Nhá Chica e o violeiro cantador Chico Lobo.


06 – Ritápolis
Fotografia de André Saliya
A cidade contava com 4.892 habitantes em 2016, segundo o IBGE e localiza-se a noroeste de São João del-Rei - MG, distante 14 km da mesma. Em relação a Belo Horizonte são 200 km. Fica a 70 km da Rodovia Fernão Dias (BR-381) e a 120 km da BR-040.
Cultura e sociedade
Dispersa em seu núcleo urbano, a cidade caracteriza-se por três bairros separados envoltos em um grande espaço vazio verde. Constitui-se do centro como origem, do Bairro de Cássia se estendendo até Cidade Nova a oeste, sendo mais populoso e da Várzea ao sul, caracterizando como acesso principal à cidade.
No centro encontramos o conjunto arquitetônico mais expressivo, incluindo o Santuário Diocesano (Matriz), a Igreja do Rosário, a Prefeitura Municipal, a Casa Grande, o Cine Teatro Pio XII, a Sede Musical e vários exemplares residenciais. Vista como uma cidade, o que chama mais atenção é a baixa densidade demográfica e a cara quase rural e bucólica, onde na paisagem urbana o verde predomina. O Bairro Tiradentes, a leste, representa o espaço novo da cidade.
Além da beleza natural que inclui rios, cachoeiras, montanhas e reservas florestais, Ritápolis possui as ruínas da fazenda do Pombal. Possui ainda o balneário do Jaburu, o Hotel-Fazenda Cachoeira e uma forte vocação festiva, religiosa, culinária e artesanal.
Turismo Rural
Ruínas da Fazenda do Pombal, local onde Tiradentes nasceu. Localizadas em Ritápolis
Em terras ritapolitanas nasceu e foi batizado Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes. A Fazenda do Pombal, pertencente aos pais de Tiradentes, se encontra hoje no município de Ritápolis, mas na época de seu nascimento era alvo de disputas entre as vilas de São João del-Rei e São José del-Rei. A cidade faz parte da rota da Estrada Real , Circuito Trilha dos Inconfidentes. (estátua de Tiradentes em frente a Igreja Matriz. Fotografia de Sônia Fraga)
Ritápolis é rica em cursos d’água com belos ribeirões e cachoeiras, fator que condicionou as origens pelas atividades agrícolas e pecuárias. Além disto apresenta fazendas do século XVIII e XIX, dentre elas a Fazenda do Pombal onde nasceu Tiradentes que é considerada patrimônio histórico nacional.

07 – Lagoa Dourada 
Fotografia de Sérgio Freitas 
Lagoa Dourada é famosa por seu Rocambole. É a terra do melhor rocambole do Brasil. Cidade histórica com cerca de 12.999 habitantes em 2016, segundo o IBGE. É cortada pela Estrada Real em seu perímetro urbano. Na zona rural são preservados marcos de seu passado.Sua população estimada em 15 mil habitantes. A sede do município de Lagoa Dourada é cortada pela BR-383, sendo localizada entre os municípios de Entre Rios de Minas e São João Del Rei. Lagoa Dourada possui uma diversidade ecológica grandiosa, com uma biodiversidade representativa de alguns ecossistemas importantes do bioma Mata Atlântica e Cerrado. 
Patrimônio histórico
Igreja de Nossa Senhora do Rosário

De seu passado colonial, Lagoa Dourada preserva, na sede, alguns casarões e igrejas com expressivos fragmentos da arte colonial mineira. O acervo de imaginária é notável. A Igreja Matriz de Santo Antônio e a Igreja do Senhor Bom Jesus compõem o tradicional cenário urbano das cidades do interior de Minas.
Igreja Matriz de Santo Antônio
A igreja foi construída no fim do século XIX para substituir um antigo templo. A matriz de Santo Antônio conserva os quatro retábulos em talha, estilo D. João V, da antiga construção. Na planta primitiva da nave e da capela-mor foram acrescentados corredores laterais, que limitam um tapavento em forma de curva, onde possivelmente está a data de sua construção.
Igreja do Senhor Bom Jesus
Acompanhando a subida para a Igreja do Senhor Bom Jesus, estão painéis com os passos da Via Sacra aplicados em graciosas muretas construídas de tijolinhos. Na Semana Santa, comunidade e visitantes participam ali dos rituais religiosos da Paixão de Cristo. Apesar da edificação ser simples, pode-se notar em sua fachada principal um certo apuro no frontão, bem como nos guarda-corpos de metal trabalhado das três janelas rasgadas por inteiro que se abrem para o coro.

08 – Madre de Deus de Minas 
Imagem extraída do site https://www.jornaldaslajes.com.br/integra/as-varias-fases-da-politica-de-madre-de-deus-de-minas-/1132/
A cidade tem aproximadamente 5.139  habitantes em 2016, segundo o IBGE e distante 50 km de São João del-Rei.
Pontos turísticos
Praça do Cruzeiro do Rosário - você tem uma vista parcial da área urbana da cidade e parte da área rural. Pode-se enxergar a torre da Igreja Matriz de Piedade do Rio Grande e por outro lado acompanhar as curvas do Rio Grande que serpenteia melancolicamente, entre os montes.
Bares da cidade - são vários bares, à moda antiga para todos os gostos e bolsos. Há, também, clubes de danças e um salão paroquial para eventos.
Morro Dois Irmãos - próximo á cidade vizinha São Vicente de Minas, é um ótimo passeio para quem tem disposição em caminhar. Tem-se uma bela vista de toda a região.
Represa do Rio Grande - muito próxima da cidade, cerca de 9 km é excelente para pesca esportiva. Pontos como Feixo, Canjica, Forno, Zumbi etc.
Ribeirão Casa Nova - próprio para banhos ao ar livre. Exige cuidados pois há pontos de águas fortes e profundas.
Córrego do Biscoito - é a praia de água doce da cidade. Pequenas cachoeiras se formam ao longo deste que é formado por grandes lajes de pedras naturais.
Córrego José Lopes - é o mais frequentado pelos moradores, lavadeiras e visitantes, pois, é de fácil acesso, por se localizar próximo ao perímetro Urbano.
Represa de Camargos - também no distrito de Brasilinha - possui vários pontos para pescas e uma balsa para atravessar a cidade de Carrancas - MG.

09 – São Tiago
Festa do Biscoito de São Tiago. Fotografia de Jader Souza 
É conhecido também por "Terra do Café com Biscoito" e está localizado na mesorregião do Campo das Vertentes, a cerca de 200 quilômetros da capital, Belo Horizonte. As principais rodovias que servem o município são a BR-381 e BR-494. Sua população em 2016, segundo o IBGE era de 11.046 habitantes.
Turismo
O município de São Tiago foi incluído pelo Governo de Minas no circuito da Estrada Real, estando bem próximo das cidades históricas de Tiradentes e São João del-Rei, distante cerca de 44 quilômetros deste último.
A "Festa do Café com Biscoito", que acontece na Praça Ministro Gabriel Passos, (SEMPRE NA SEGUNDA SEMANA DO MÊS DE SETEMBRO DE TODO ANO) atrai visitantes de diversas localidades e está se consolidando como mais um atrativo da região. Começa na sexta-feira com espetáculos musicais, se prolonga pelo sábado com degustações de produtos nos stands, oficinas e atividades culturais, e termina no domingo, com teatros, apresentações artísticas e musicais. Sempre no segundo final de semana do mês de Setembro.
A cidade também possui atrativos naturais: como as cachoeiras da Solidade e do Simplício; o Balneário da Usina; e o Recanto do Rio do Peixe, que dispõe de área gramada, uma prainha de 200 metros de extensão e duchas. A Igreja Matriz de São Tiago em estilo neo-clássico, a cidade possui a Capela do Rosário, e a Capela São Sebastião. As igrejas foram edificadas pelo são-tiaguense, Vigário Monsenhor Francisco Elói de Oliveira, veterano da Força Expedicionária Brasileira que auxiliou as tropas brasileiras na Itália durante a Segunda Guerra Mundial.

A Micro Região de Barbacena é formada pelas cidades de Alfredo Vasconcelos, Antônio Carlos, Barbacena, Barroso, Capela Nova, Caranaíba, Carandaí, Desterro do Melo, Ibertioga, Ressaquinha, Santa Bárbara do Tugúrio, Senhora dos Remédios

10 – Barbacena
Fotografia de Valdir Codinhoto
Sua população estimada pelo IBGE em julho de 2016 era de 135.829 habitantes.É um grande produtor de frutas e de flores. Se destaca como centro de ensino, com expressiva influência regional, tendo também um comércio diversificado. Barbacena fica na Serra da Mantiqueira. Dista 169 quilômetros da capital do estado, Belo Horizonte.
Pontos turísticos
Os edifícios históricos, de estilo colonial ou barroco, são, sobretudo, a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Piedade, Igreja de Nossa Senhora da Boa Morte, Igreja de Nossa Senhora do Rosário, Igreja de Nossa Senhora do Carmo, Capela de Santo Antônio - Santa Casa de Misericórdia, Antiga Casa de Saúde, Cadeia Velha, Câmara Municipal, Museu Municipal, Solar dos Andradas, Sobrado dos Vidigal, Sobrado Paolucci, Residência Ânuar Fares e o Sobrado de Olinto de Magalhães.
São também atrativos pontos de visitação pelo seu estilo ou importância histórica: o Fórum Mendes Pimentel, a Igreja Basílica de São José Operário, o Solar Bias Fortes, Solar dos Canedos, Grupo Escolar Bias Fortes, a Fundação Porphíria de José Máximo de Magalhães, Escola Estadual Adelaide Bias Fortes, o Pontilhão Ferroviário, a Escola Preparatória de Cadetes-do-Ar, Escola Agrotécnica Federal "Diaulas Abreu", Santa Casa de Misericórdia, Farmácia Santa Terezinha, Estação Ferroviária, o Colégio Imaculada Conceição, a Casa-museu de Georges Bernanos, o Manicômio Judiciário, Museu da Loucura (no antigo Hospital Colônia), edifício da antiga Sericicultura e o leito da antiga Estrada de Ferro do Oeste de Minas. O cemitério antigo, da Igreja de Nossa Senhora da Boa Morte, data da década de 1850, também possui algumas obras de arte.
O ponto mais elevado que permite vista de toda a cidade e adjacências é o mirante, localizado no bairro Monte Mário. A cidade tem restaurantes de comida típica italiana, árabe, oriental e mineira, além de bons serviços de hotelaria. No entanto, sofre efeitos da concorrência de outras cidades históricas mais próximas, como Tiradentes e São João del-Rei que têm investido em gastronomia e eventos relacionados ao cinema.

11 – Barroso
Fotografia de Wanderson Nascimento
De acordo com a estimativa do IBGE, em julho de 2016 sua população era de 20.790 habitantes. O barrosense mais ilustre foi Basílio de Magalhães, historiador, folclorista e professor.
O município tenta se firmar com o Turismo de Eventos, e em julho acontece o Inverno Cultural com festas diversificadas por todo o mês. Como exemplo de diversidade festiva, temos o Encontro de Motociclistas, organizado pelo Koward´s Moto Clube da cidade (com mais de 10 anos de fundação) que vem se destacando como um dos melhores da região, além do Encontro de Jipeiros, Encontro de Bandas, etc. Também no mês de Julho a cidade comemora o dia da padroeira, Sant'Ana. Durante uma semana, na praça principal da cidade, acontecem shows, leilões, barraquinhas com jogos para as crianças e adultos, além das várias iguarias gastronômicas como o delicioso "Chico Paio", um caldo de feijão branco, com frango, bacon e linguiça calabresa. Nesse período do ano, faz muito frio na cidade e as temperaturas costumam variar entre oito e seis graus positivos. A festa se encerra no dia da padroeira, 26 de Julho.
O município conta com atrativos antrópicos e naturais. O patrimônio feito pelo homem conta com uma arquitetura moderna, jardins, praças, igrejas e algumas construções antigas.
Nascer do sol em Barroso visto da Torre de TV. Fotografia de Giovani Ambrósio
Atrativos naturais: existem vários atrativos naturais em Barroso, cachoeiras, matas, cânions, trilhas, caminhos, rios e lagos de beleza inestimável.
Entre as cachoeiras estão a da Laginha, de incrível beleza em suas águas e no caminho até ela. A cachoeira do Padeiro, a mais alta das quedas do município, de água fria e limpa se encontra entre a mata do morro da telha.
Pela antiga estrada de ferro (Linha) como é conhecida pela população, segue subindo sentido contrario ao Rio das Mortes por suas margens, um passeio exuberante com alguns pontos no rio para prática de pesca (lambari, piau, bagre, dourado, branquejas entre outros), pesca essa que pode ser praticada com caniço, molinetes leves e até mesmo esportiva com carretilha e iscas artificiais, além da pesca se encontra vários pontos onde se pode tomar banho de rio e contemplar sua beleza.
Um lindo por do sol pode ser observado do ponto mais alto do município o Morro da Telha (Torre de TV).

12 – Carandai 
Fotografia de Silvânia Baeta 
Conhecido como o Celeiro de Minas Gerais, o município é o maior horticultor de Minas Gerais e está a 1057 metros acima do nível do mar. Divide-se entre o distrito sede, Pedra do Sino e Hermílio Alves. É cortada pela antiga Estrada de Ferro Central do Brasil e pela Rodovia JK (BR-040). Segundo o IBGE, em 2016, sua população era de 25.204 habitantes.
O Coreto situado na Praça Barão de Santa Cecília; o Cruzeiro, onde temos a vista parcial da cidade; Hotel Fazenda Pedra do Sino; o Calçadão, onde pessoas de todas as gerações se reúnem aos finais de semana (nem todas as gerações e nem todos os finais de semana); além de diversas outras praças.
Carandaí faz parte também da Estrada Real. Possui restaurantes que servem comidas tipicamente caseiras. 

13 - Antônio Carlos
O município de Antônio Carlos (foto acima de Ana Catarina Marcier), situado na serra da Mantiqueira, tem aproximadamente 15 mil habitantes. Abrigou pessoas ilustres, com o passado rico de valores culturais, como o presidente Antônio Carlos, Marechal Henrique Dufles Teixeira Lott, General José Maria de Andrada Serpa, General Antônio Carlos de Andrada Serpa e Manoel Carlos de Andrade, Carlos Pereira de Sá Fortes, (primeiro importador de gado holandês do Brasil e fundador da primeira escola de laticínios do Brasil). Sua população, segundo o IBGE em 2016 era de 11.584 habitantes.
Hoje o município oferece oportunidades para o turismo ecológico, destacando resquícios da mata atlântica, rios e lindas cachoeiras como: Cachoeira da Copasa; Cachoeira da Fazenda dos Gerais; Cachoeira D.Mariana Afonso; Cachoeira do buraco do bicho; *Área de preservação ambiental Fazenda ponte funda.
No turismo rural o município possui um grande acervo histórico representado por antigas fazendas: Fazenda Borda do Campo (Século XVII); Fazenda Gerais de Barros: (Século XVIII); Fazenda Passa-Três: (Século XVIII); Fazenda Jacutinga: (Século XVIII); Fazenda Cimodócia: (Século XVIII); Fazenda Olhos D água (hoje Hotel-Fazenda Caminho Novo); Fazenda Picumã; Fazenda Azul; Fazenda das Rosas. 
Fonte da matéria: Wikipédia

AVISO LEGAL:
Este conteúdo pode ser publicado livremente, no todo ou em parte, em qualquer mídia, eletrônica ou impressa, desde que contenha um link remetendo para o site www.conhecaminas.com

Um comentário: