Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

domingo, 12 de fevereiro de 2017

As cidades da Zona da Mata Mineira

(Por Arnaldo Silva) Na Região da Zona da Mata vivem mais de 2 milhões de mineiros, em 142 municípios, ocupando uma área total de 35,7 mil km², estando na divisa com os Estados do Rio de Janeiro e Espirito Santo. A região é dividida em 7 microrregiões,  com sede nas cidades de Juiz de Fora, a cidade de maior destaque na região, Cataguases, Ponte Nova, Ubá, Manhuaçu, Muriaé, Viçosa e Juiz de Fora (na foto abaixo de Bruno Estevão)
            uma das regiões mais tradicionais e desenvolvidas do país, com altos Índices de Desenvolvimento Humano, principalmente na área educacional, com a presença de universidades, escolas de ensinos fundamental e médio, de qualidade, além de ser destaque na área, comercial, na industrial, na agropecuária, quanto na agricultura, onde se destaca na produção de cafés especiais, de alta qualidade, premiados não só no Brasil, mas no exterior. É uma região riquíssima, tanto em história, em belezas naturais, como em patrimônio e povoados coloniais.  
            Na economia da Zona da Mata destacam-se as indústrias metalúrgicas, automobilísticas, têxteis e moveleiras, sendo Juiz de Fora o principal polo industrial da região e o 10º polo industrial de Minas Gerais. Tem ainda Ubá, como destaque na indústria moveleira, sendo a cidade o maior polo moveleiro de Minas Gerais e o segundo do Brasil atualmente. (na foto acima do Brunno Estevão, a charmosa cidade de Eugenópolis)
          O setor de serviços responde por mais de 60% do PIB da região com destaque para Carangola, Ponte Nova, Viçosa, Ubá, Cataguases, Muriaé, Leopoldina (na foto acima do Duu @divagante84), Além Paraíba e Juiz de Fora, o maior polo regional neste segmento, bem como, o quinto no Estado de Minas.
           A agropecuária é uma atividade muito expressiva na região, sendo uma das regiões de destaque no Brasil pela sua produtividade agrícola como milho, arroz, feijão, cana-de-açúcar, destacando o café, cultivado em boa parte, na região norte da Zona da Mata, além da pecuária leiteira e criação de bovinos, suínos e aves. As cidades de Carangola (na foto acima de Terezinha Ognibene) Manhuaçu, Juiz de Fora, Lima Duarte, Ervália, Leopoldina, Muriaé, Ponte Nova são os destaques na agricultura e pecuária da Zona da Mata.
A região é cortada pelas antigas ferrovias Central do Brasil e E.F. Leopoldina, alem de estar numa região estratégica, servidas por importantes rodovias como a BR-040, BR-116, BR-262, BR-267 e BR-482. (foto acima de Sérgio Mourão, pela estrada, próximo a Juiz de Fora, com destaque para a beleza da Mata Atlântica)
No turismo a região se destaca por cidades e fazendas centenárias com casarões suntuosos, do tempo dos Barões do Café e período colonial como a Fazenda Santa Clara em Santa Rita de Jacutinga, a maior da América Latina (na foto acima do Duu @divagante84).
Tem ainda a beleza das cidades pelo caminho novo da Estrada Real que corta a região, em especial, Santos Dumont. 
O Caminho da Luz, uma rota religiosa, histórica e ecológica de 200 km, feita à pé  com início na cachoeira de Tombos (na foto acima do @shakalcarlos) até o Pico da Bandeira em Alto Caparaó.
A Zona da Mata, guarda verdadeiros santuários ecológicos, preservados em parques estaduais e nacionais como Parque Nacional do Caparaó, na charmosa e atraente Alto Caparaó (na foto acima do Elpídio Justino de Andrade), o Parque Estadual da Serra do Brigadeiro em Araponga e um dos mais belos santuários naturais do Brasil, o Parque Estadual do Ibitipoca, na charmosa vila colonial de Conceição do Ibitipoca, (na foto abaixo do Sérgio Mourão), distrito de Lima Duarte.
Em toda a região da Zona da Mata, pequenos povoados, cidades pacatas e charmosos distritos encantam a todos pela singeleza, beleza de sua arquitetura colonial e eclética e por sua história. Um desses exemplos é São José da Três Ilhas, (na foto abaixo do Thelmo Lins), um dos mais belos distritos de Minas Gerais, surgido no auge do Ciclo do Café.
As microrregiões e cidades da Zona da Mata
01 - A microrregião de Juiz de Fora MG
          Com cerca de 570 mil habitantes, Juiz de Fora é o quarto município mais populoso de Minas Gerais e o 36º mais populoso do Brasil. (fotografia acima de André Saliya) Distante 283 km, Juiz de Fora tem sua origem no século XVIII, tendo desmembrando-se de Barbacena em 31 de maio de 1850, data em que se comemora sua fundação e oficialmente, à cidade em 1856, com o nome de Cidade do Paraibuna, adotando o nome atual, Juiz de Fora, a partir de 1865.
          Por sua história, passado e riqueza, Juiz de Fora (foto acima de Marcelo Melo) guarda relíquias  arquitetônicas dos tempos do Brasil Colônia, da época do auge do Ciclo do Café, além da beleza de sua arquitetura eclética e neoclássica, do século XX. Riquezas essas ainda visíveis nas belas fazendas centenárias na zona rural do município, muitas delas hoje, hotéis fazenda, além de charmosos distritos como Sarandira, Chapéu d'Uvas, Dias Tavares, Rosário de Minas, Humaitá e Torreões e ainda, paisagens espetaculares, como esta abaixo, da Represa João Penido.
          A formação cultural de Juiz de Fora é uma mescla de valores e culturas diferentes, como a cultura negra e indígena além de portugueses, italianos, alemães, sírios, libaneses, que deram suas contribuições, não só para a cultura, arte, arquitetura, religiosidade e folclore da cidade, mas no desenvolvimento, industrial, comercial e agrícola de Juiz Fora. (na foto acima do Brunno Estevão, o Morro do Imperador) Essa riqueza cultural presente em Juiz de Fora, a transformou no centro cultural do estado, no início do século passado, sendo a cidade ainda hoje, referência na cultura e arte em Minas Gerais, além claro, de ser uma das melhores cidades de Minas Gerais e do Brasil para se viver, com Índice de Desenvolvimento Humano (IDHM), da ONU, em 0,778, considerado alto, sendo atualmente, a sétima melhor cidade de Minas Gerais para se viver, de acordo com IDHM dos 853 municípios mineiros.
          O município tem grande potencial turístico e uma excelente infraestrutura em sua rede hoteleira e gastronômica para para receber turistas que conta vários pontos turísticos entre fazendas centenárias, trilhas, cachoeiras, museus, teatros (na foto acima do Marcelo Melo, o Cine Teatro Central), cinemas, templos religiosos, shopping, destacando o Museu Mariano Procópio e o Museu de Arte Moderna Murilo Mendes, além da charmosa Rua Halfeld; Cine-Theatro Central; Parque da Lajinha; Morro do Imperador; Usina de Marmelos Zero; Aeroclube de Juiz de Fora; a Catedral Metropolitana de Juiz de Fora, a Igreja Ortodoxa Melquita de São Jorge, dentre outros pontos turísticos.
          Além de Juiz de Fora, a microrregião é formada pelos municípios de Aracitaba (na foto acima do Marcelo Melo), Belmiro Braga, Bias Fortes, Bicas, Chácara, Chiador, Coronel Pacheco, Descoberto, Ewbank da Câmara, Goianá, Guarará, Lima Duarte, Mar de Espanha, Maripá de Minas, Matias Barbosa, Olaria, Oliveira Fortes, Paiva, Pedro Teixeira, Pequeri, Piau, Rio Novo, Rio Preto, Rochedo de Minas, Santa Bárbara do Monte Verde, Santa Rita de Ibitipoca, Santa Rita de Jacutinga, Santana do Deserto, Santos Dumont, São João Nepomuceno, Senador Cortes e Simão Pereira.
02 - A microrregião de Muriaé MG
         Muriaé, distante 322 km de Belo Horizonte, tem sua origem no final do século XVIII, tendo sido elevada à categoria de Vila em 16 de maio de 1885. (na foto acima do Brunno Estevão). Atualmente, vivem cerca de 110 mil pessoas. É uma das mais importantes cidades de Minas Gerais e uma das melhores cidades de Minas Gerais para se viver, por sua ótima estrutura urbana, atrativos naturais, culturais, praças, monumentos, com várias opções de lazer e entretenimento, tanto na área urbana, quanto na zona rural, com belas paisagens e fazendas centenárias. Além de excelente nível em sua rede educacional, que conta com várias escolas de ensino fundamental e médio, além de importantes instituições de ensino como UNOPAR, UNIFRAM, UNIFAMINAS, Estásio de Sá, FASM, IF Sudeste, UNIP e uma unidade do SENAI/MG . Conta com uma ótima rede hoteleira, gastronômica, excelente malha rodoviária, além de um aeroporto, localizado a 2 km do centro da cidade. 
          A cidade vive em constante crescimento e desenvolvimento industrial, destacando em Muriaé (na foto acima do Brunno Estevão) e nas vizinhas Eugenópolis, Laranjal, Patrocínio do Muriaé e Recreio, a indústria da moda, formando juntas o 4º maior polo têxtil de Minas Gerais, além de em Muriaé, seu parque industrial contar com indústrias de bebidas e montagem de veículos. O município se destaca também na agricultura, destacando o cultivo de banana, arroz, cana-de-açúcar e pecuária leiteira e de corte. Outro destaque importante na economia muriaense é o setor de serviços, com um centro comercial bastante desenvolvido e muito variado, sendo responsável pela maior parte do PIB do município.
          Além de Muriaé, a microrregião é formada pelos municípios de Antônio Prado de Minas, Barão de Monte Alto, Caiana, Carangola, Divino, Espera Feliz, Eugenópolis, Faria Lemos, Fervedouro, Miradouro, Miraí, Orizânia, Patrocínio do Muriaé, Pedra Dourada, Rosário da Limeira, São Francisco do Glória (na foto acima de Cristiano Ribas Moreira), São Sebastião da Vargem Alegre, Tombos e Vieiras.
03 - A Microrregião de Cataguases MG         
          Tem sua origem no final do século XVIII, tendo sido elevada à Vila em 7 de setembro de 1877, contando hoje com cerca de 80 mil moradores. O município é servido pela BR-12-, MG-285 e MG-447, além de contar linha férrea, da antiga Estrada de Ferro Leopoldina. (foto acima de Elpídio Justino de Andrade)
          Guardando traços da arquitetura colonial, bem como de sua história, Cataguases, além de ser uma cidade rica, desenvolvida, com ótima estrutura urbana e rural, é considerada uma cidade histórica de grande importância para Minas Gerais. (fotografia acima de Elpídio Justino de Andrade) Na cultura, teve papel de destaque nos movimentos culturais das primeiras décadas do século XX, em destaque para o cinema, com Humberto Mauro, que nasceu em Volta Grande, pequena e charmosa cidade na zona da Mata, gravando seu nome na cidade de Cataguases, onde se destacou para o Brasil e o mundo.          
           Cataguases também esteve à frente  no Movimento Moderno de arquitetura na década de 1940, movimento este que modificou a arquitetura do Brasil, com traços diferentes das tradicionais arquiteturas barrocas, ecléticas, neoclássica, neogóticas e neorromânicas, predominantes até então. (na foto acima de Elpídio Justino de Andrade, a sede da Prefeitura, em arquitetura do Movimento Modernista)
          Convidados por Francisco Inácio Peixoto e José Pacheco de Medeiros Filho, chegaram à cidade arquitetos, paisagistas e artistas com visões modernas, como Oscar Niemeyer, Cândido Portinari, Burle Marx, Joaquim Tenreiro, Djanira, José Pedrosa, Jan Zach, dentre outros grandes nomes da arquitetura, paisagismo e arte brasileira. Grandes artista deixaram na cidade seus traços arquitetônicos, colocando Cataguases à frente do modernismo na época, construções hoje, presentes na cidade, sendo um de seus maiores atrativos, bem como a Igreja Matriz de Santa Rita de Cássia, padroeira da cidade (na foto acima do Duu @divagante84).
          Além da cultura, arquitetura e arte, de suas belezas naturais, belíssimas fazendas e charmosos povoados em sua zona rural, em Cataguases estão instaladas várias indústrias como a tecelagem Companhia Industrial Cataguases (na foto acima do Elpídio Justino de Andrade), a Cataguases Papel, a Mineradora Rio Pompa, a Companhia Manufatora, que fabrica algodão hidrófilo, a metalúrgica alemã do Grupo Zollern, sendo também sede do Grupo Energisa, grande empresa do setor elétrico presente em Minas Gerais, Rio de Janeiro, em cidades do Nordeste e Centro Oeste brasileiro.
           Além de Cataguases, a microrregião é formada pelos municípios de Além Paraíba (na foto acima do Elpídio Justino de Andrade), Argirita, Dona Eusébia, Estrela Dalva, Itamarati de Minas, Laranjal, Leopoldina, Palma, Pirapetinga, Recreio, Santana de Cataguases, Santo Antônio do Aventureiro e Volta Grande.
04 - A Micro Região de Ponte Nova MG
          Sua origem é do século XVIII, surgindo como um pequeno arraial a partir de 12 de dezembro de 1770, data em que se comemora sua fundação. Foi elevada à cidade em 1866. Está distante 180 km de Belo Horizonte, contando com uma população de cerca  de 60 mil pessoas. Ponte Nova faz parte do Circuito Turístico Montanhas da Fé. (foto acima de Fabinho Augusto)
          Cidade com belas paisagens, rios como o Rio Piranga (na foto acima enviada pelo Evânio Cerqueira) e cachoeiras, com destaque para a Cachoeira do Vau-Açu, além de seu belo casario em estilo colonial, eclético, modernista e contemporâneo, destacando na cidade a belíssima igreja de São Sebastião, Conta ainda com uma boa rede hoteleira e sua rica culinária, além de contar com uma ótima estrutura urbana e rural.  A cidade se destaca na suinocultura, na agropecuária, além de contar com um forte comércio varejistas, um setor de serviços variado.
          Além de Ponte Nova, a microrregião é formada pelos municípios de Acaiaca, Barra Longa, Dom Silvério, Guaraciaba, Jequeri, Oratórios, Piedade de Ponte Nova, Raul Soares, Rio Casca, Rio Doce, Santa Cruz do Escalvado, Santo Antônio do Grama, São Pedro dos Ferros (na foto acima do Elpídio Justino de Andrade), Sem-Peixe, Sericita, Urucânia e Vermelho Novo
05 - A microrregião de Manhuaçu MG
          Com cerca de 90 mil habitantes, Manhuaçu, (na foto acima de Wilson Fortunato) é um dos principais municípios cafeeiros de Minas Gerais, fazendo parte ainda do Circuito Turístico do Pico da Bandeira. Além do café, destaca no município a mineração, a construção civil, grandes redes de lojas, principalmente do setor varejistas, além de um comércio intenso e variado. Importantes rodovias como a MG-111, BR-262 e BR-116, corta a cidade, distante 290 km de Belo Horizonte.
          Além de Manhuaçu, a microrregião é formada por São João do Manhuaçu (na foto acima do Elpídio Justino de Andrade) Abre Campo, Alto Caparaó, Alto Jequitibá, Caparaó, Caputira, Chalé, Durandé, Lajinha, Luisburgo, Manhumirim, Martins Soares, Matipó, Pedra Bonita, Reduto, Santa Margarida, Santana do Manhuaçu, São José do Mantimento e Simonésia.
06 - A microrregião de Viçosa MG
          Cidade de destaque no Brasil por sua rede educacional, em especial pela Universidade Federal de Viçosa (na foto acima de Alexandre Vidigal, o Campus da Universidade), fundada em 1926, pelo viçosense Arthur Bernardes, presidente da República na época. Tem ainda seu famoso doce de leite, eleito por 10 vezes o melhor doce de leite pastoso do Brasil e um dos melhores do mundo, produzido no laticínio a Universidade Federal de Viçosa.
          Atualmente, para viver e estudar, Viçosa (na foto acima do Chico do Vale) é uma das melhores cidades de Minas pela qualidade de seu ensino e ótima infraestrutura urbana. (na foto acima do Alexandre Vidigal, Sua origem é do início do século XIX, tendo sido fundada em 30 de setembro de 1871 com o nome de Viçosa de Santa Rita, passando a ser somente Viçosa a partir de 1911. Viçosa fica a 230 km de Belo Horizonte e conta atualmente com cerca de 80 mil habitantes, desses, a maioria são jovens, com a cidade promovendo anualmente diversas festividades voltadas para esse público, em sua maioria estudantes. 
          Além de Viçosa, a microrregião é formada pelos municípios de Alto Rio Doce, Amparo da Serra, Araponga, Brás Pires, Cajuri, Canaã, Cipotânea, Coimbra, Ervália, Lamim, Paula Cândido, Pedra do Anta, Piranga (na foto acima de Alexandre Vidigal), Porto Firme, Presidente Bernardes, Rio Espera, São Miguel do Anta, Senhora de Oliveira e Teixeiras.
07 - A micro Região de Ubá MG
          Sua origem dada de 1815, com a formação de uma arraial. Em 1841, o arraial em desenvolvimento passou a se chamar Capela de São Januário de Ubá, tendo sido elevado à Vila em 3 de julho de 1853, com o nome de Vila de São Januário de Ubá e à cidade em 17 de junho de 1857, adotando o nome em definitivo de Ubá a partir de então. Está a 290 km de Belo Horizonte, contando atualmente com cerca de 120 mil habitantes. (foto acima e abaixo de Elpídio Justino de Andrade)
          Em termos de industria, comércio e estrutura na Zona da Mata, Ubá está atrás apenas de Juiz de Fora. Seu polo industrial conta com cerca de 1000 indústrias de pequeno e médio e grande porte, nos segmentos de vestuário, calçados e da indústria moveleira, sendo Ubá o maior polo moveleiro de Minas Gerais, com cerca de 500 indústrias do ramo. É umas das referências nacionais em organização e desenvolvimento desse setor e ainda, sedia uma das maiores feiras de móveis do país, a Feira de Móveis de Minas Gerais - FEMUR. 
          O município se destaca na produção de manga, sendo uma das variedades dessa fruta, carrega o nome da cidade, a Manga Ubá, uma das identidades da cidade, declarado Patrimônio Natural de Ubá em 2003. A fruta é encontrada facilmente nos quintais da cidade, fazendas, chácaras. É uma das identidades do município e valorizada por seu povo. A cidade conta com uma ótima infraestrutura urbana, pelo setor de serviços que muito abrangente e de qualidade, além de um variado comércio,com grandes lojas, supermercados e farmácias, além da cultura e educação, já que a cidade conta com várias instituições culturais e de ensino.
          Além de Ubá, é a microrregião é formada pelos municípios de  Astolfo Dutra, Divinésia, Dores do Turvo, Guarani, Guidoval, Guiricema, Mercês, Piraúba, Rio Pomba, Rodeiro, São Geraldo, Senador Firmino (na foto acima do Pedro Henrique), Silveirânia, Tabuleiro, Tocantins e Visconde do Rio Branco.

43 comentários:

  1. Respostas
    1. Barbacena está na região do Campo das Vertentes

      Excluir
    2. Tá de sacanagem, ponte nova é uma bela cidade? Existem muitas não citadas aí como Ervalia que dão de 10 em ponte nova.

      Excluir
    3. Sacanagem... É feia demais...

      Excluir
    4. Ainda bem que a escolha das cidades passa por um criterioso processo até a seleção das melhores....Se dependesse da escolha de alguns essa lista seria terrível! !

      Excluir
    5. Ponte Nova não é um pouco bonita.

      Excluir
    6. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  2. bem mais que 10km de estrada Rea passam pelo município de Santos Dumont.e tem muito mais atrações como a locomotiva Zezé Leone,as fazendas Mantiqueira,Santo Albano,Boa Sorte,os distritos de Conceição do Formoso,Patrimônio dos Paivas,etc....

    ResponderExcluir
  3. Guidoval uma pequena cidade 15 km de ubá também é uma delicia, a cidade se reconstruiu depois das enchentes está muito bom para se passear e tem alguns pontos de interesse.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado bruno! Como Guidovalense fico Lisonjeado por sua lembrança e reconhecimento.Abrços

      Excluir
  4. Manhuaçu deve ter bem mais habitantes do que o que rezam as estatísticas do IBGE.A cidade cresceu muito, se verticalizou, tem cerca de 100 prédios, se espalhou pelos vales e pelos morros e o município tem 7 distritos: Sacramento, Dom Correia, São Pedro do Avaí. Vila Nova, Realeza, Santo Amaro de Minas e Ponte do Silva. Manhuaçu é hoje um polo regional, é a segunda economia da região, só perde para Juiz de Fora. Estive lá recentemente, este ano, e constatei isto.

    ResponderExcluir
  5. Muriaé fora da lista??? ����

    ResponderExcluir
  6. Respostas
    1. Sou de Juiz de Fora na concordo! Espera Feliz deveria estar na lista!

      Excluir
  7. Cctz faltou entres as 5 a mnha cidade! Alto Caparaó 👌

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Viste o site. São mais de 800 post e no site tem matéria exclusiva sobre Alto Caparaó, aliás,tem 3 matérias.

      Excluir
  8. Respostas
    1. Se procurar no site, que tem mais de 800 post, encontrará reportagem exclusiva sobre São Lourenço. Esse post é sobre a Zona da Mata, São Lourenço é Sul de Minas.

      Excluir
  9. Minha mae era de Corrego de Areia.

    Regiao bem querida, embora nao conheça.

    Qqer hora irei vistar Mar de Espanha e Sao joao Nepomoceno, terra de de um idolo Botafoguense HELENO DE FREITAS............

    ResponderExcluir
  10. Faltou Santa Rita de Jacutinga kkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No site tem um post somente sobre Santa Rita de Jacutinga. Não havia necessidade de repetir as mesmas informações.

      Excluir
  11. É lógico que eu queria ver o nosso pequeno e bucólico CALAMBAU inserido nesta relação.Queria ver também Divinésia, com o seu clima serrano, sua linda Praça e seu povo acolhedor.Por estar muito próxima a Ubá (15 Km), muitos ubaenses possuem casas nesta cidade.

    ResponderExcluir
  12. Faltou Rio Pomba, berço da Zona da Mata Mineira.

    ResponderExcluir
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  14. araponga tem a maior parte do parque da serra do brigadeiro, belas cachoeiras, paisagens de tirar o folego e visitada por toda região e colocar ponte nova, foi frustante.

    ResponderExcluir
  15. Faltou Rio Pomba que foi o berço da civilização da zona da mata. Primeira cidade da zona da mata e conhecida como cidade sedução cometeram um gafe deixando ela de fora.

    ResponderExcluir
  16. Ponte Nova...Linda cidade,pólo macroreginal em saúde, cidade referência em Minas na suinocultura....Terra da melhor goiabada do mundo.
    Eterna Princezinha, Docinho da Zona da Mata Mineira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza! Ta pra nascer o dia que Ervália vai ser mais bonita que Ponte Nova. Esse cidadão acima que falou isso devia valorizar sua cidade e respeitar a dos outros.

      Excluir
    2. Ponte Nova é horrível. Das que têm mais de cinquenta mil habitantes é a mais feia e sem opção de lazer.

      Excluir
  17. Ta pra nascer o dia que Ervalia vai ser mais bonita que Ponte Nova. As 17 primeiras foram muito bem escolhidas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ponte Nova de importantes comércios, de boa cachaça e de lindas mulheres .Ponte Nova ainda é grandiosa e importante da zona da mata.

      Excluir
  18. Acho que ficou faltando nossa sedutora Rio Pomba,berço da civilização da zona da mata.
    "A Freguesia de São Manoel do Pomba foi criada por provisão régia de Dom João V, em 16 de fevereiro de 1718.
    Pela resolução da Regência de 13 de outubro de 1831, a povoação de São Manoel do Pomba foi elevada a vila, sendo o pelourinho implantado no dia 25 de agosto do ano seguinte (1832). A elevação à categoria de cidade se deu pela lei nº 881 de 6 de junho de 1858, quando passou a chamar-se “Pomba”

    ResponderExcluir
  19. Faltou Rodeiro polo moveleiro da zona da Mata Cidade maravilhosa pra se viver.

    ResponderExcluir
  20. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  21. De todas estas, a única que me chama a atenção diretamente é Manhuaçu por ser a minha terra natal. Eu não entendo essa "população estimada pelo IBGE". Nem deveriam dizer nada, pois todo mundo sabe que isto não funciona. É verdade que tem cidades que decrescem e até desaparecem, mas há casos até cômicos: cidades ou municípios que nunca chegam a 100 mil habitantes. A quem isto interessa? Manhuaçu já deve estar perto de 120.000, pois só Distritos tem 7 e alguns tem mais de 5.000 habitantes e a cidade só cresce, inclusive verticalmente.

    ResponderExcluir
  22. Um dia vou passear por cada uma delas é escolher qual irei morar.

    ResponderExcluir
  23. Pena que nossa linda Manhumirim perdeu o encanto das lindas árvores, que além das sombras, nos enchiam os olhos com a beleza de seus ipês floridos.����

    ResponderExcluir
  24. Faltou a linda Eugenópolis, com suas cachoeiras, suas serras, suas confecções e seu povo acolhedor!!!

    ResponderExcluir

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Facebook

Postagens populares

Seguidores