Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

domingo, 26 de fevereiro de 2017

As cidades da Região Noroeste de Minas

(Por Arnaldo Silva) A Região Noroeste de Minas Gerais começou a ser povoada no final do século XVII, com a chegada de bandeirantes e fazendeiros à região. Hoje é formada por 19 municípios, sendo a região menos populosa do Estado, mas com grande extensão territorial, ocupando uma área de 62.381 km². É uma região desenvolvida, com grande presença industrial e grande número de atrativos naturais e arquitetônicos, além de ser uma das principais regiões agrícolas do país, se destacando na produção de mandioca, milho, gado e feijão, sendo o município de Unaí, o maior produtor de feijão do Brasil. A região começou a ser povoado no final do século XVII.
          A região conta com belíssimas paisagens, com córregos e rios afluentes do Rio São Francisco, como os rios Paracatu, Urucuia e Pardo, além de impressionantes cachoeiras e cidades charmosas e atraentes, como Paracatu, (na foto acima do Thelmo Lins) distante 200 km de Brasília e 483 km de Belo Horizonte, com cerca de 95 mil habitantes. A cidade surgiu no início do século XVIII com a formação de um povoado, elevado a freguesia e a Vila em 20 de outubro de 1798, data em que o município comemora sua fundação oficial.   
          É uma cidade histórica, que guarda relíquias arquitetônicas dos tempos do Brasil Colônia, presentes em suas igrejas, casarões (foto acima de Vicente Oliveira), chafarizes e em sua história, ao longo dos séculos de sua fundação, com seu Centro Histórico tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Hoje a cidade é uma mistura da arquitetura antiga, com a moderna e com valorização e preservação de suas origens, arquitetônicas, culturais, gastronômicas e religiosas com grande fluxo de turistas que visitam a cidade, principalmente nos períodos de festas tradicionais como Carnaval; a Encenação da Semana Santa; a Hallel; a Feira da Cachaça; a ExpoParacatu; as comemoração do Aniversário da cidade e as festas de fim de ano.
           Paracatu é uma cidade desenvolvida, polo educacional, sediando uma das unidades do Instituto Federal do Triângulo Mineiro, do SENAI, tendo ainda um ótimo nível educacional no ensino fundamental e médio. (na foto acima do Eduardo Afonso, um dos imponentes casarões coloniais da cidade)
          A cidade se destaca também na agropecuária, além de contar com várias universidades, uma ótima rede hoteleira, bons restaurantes, bares, pizzarias agradáveis, uma variada rede de prestação de serviços e comércio variado. (foto abaixo do Thelmo Lins, o antigo chafariz, um dos mais importantes pontos turístico de Paracatu)
          O município tem ainda a agricultura, bastante forte no município e a pecuária leiteira e de corte, com alguns produtores comercializando e produzindo selas, botinas e calçados feitos com couro. Outros produtores se dedicam a fabricação de doces de leite e de frutas, na produção de cachaças, além da cidade ter um rico artesanato, como os bordados e o artesanato em pedras preciosas. Outro segmento importante em Paracatu é a mineração, estando instalada na cidade a Gold Corporation, empresa canadense que explora ouro no município. 
          Um dos destaques da região é a cidade de Unaí, grande produtora de grãos, principalmente feijão, está distante 590 km de Belo Horizonte e tem cerca de 85 mil habitantes. (Na foto acima de Raul Moura) 
          A cidade possui um prestação de serviços e comércio variados, pequenas e médias indústrias, além de ser um dos maiores produtores de grãos do Brasil, se destacando a produção de soja, arroz, sorgo, trigo, milho e feijão, contando ainda com produção de hortaliças, frutas e várias granjas, além da pecuária leiteira e de corte.
          Unai conta com uma ótima estrutura urbana, com bons hotéis, pousadas, restaurantes, ótimos bares, choperias, pizzarias, realizando ainda eventos sociais e religiosos durante o ano. Na área rural, o destaque é para o turismo ecológico, possuindo vários atrativos naturais, como as cachoeiras do Rosário, do Zico Esteves, do Bebedouro, de São Miguel, da Jiboia, na divisa de Uruana de Minas (na foto acima do Gilberto Valadares), além das grutas do Curral, do Gentio, do Bart Cave, da Moeda, do Tamboril, da Ritinha, do Mamoeira, além das lapas do Sapezal, da Foice, da Pedra do Canto e Trilha do Zé Pauzinho. São lugares ótimos para contato com a natureza e prática de esportes radicais.  
          Outro destaque no Noroeste Mineiro é a bela cidade de Presidente Olegário (na foto acima do Sérgio Mourão), distante a 433 km de Belo Horizonte. O município tem aproximadamente 22 mil habitantes, tendo ainda os distritos de Galena, Santiago de Minas e Ponte Firme, além de um povo bom e hospitaleiro, conta com um comércio variado, bons restaurantes com comidas típicas da região, artesanato local e produção artesanal de doces e queijos.
          As festas religiosas estão presentes na tradição da cidade como a Folia de Reis, a Festa de São Sebastião e de Nossa Senhora da Abadia, que acontece no povoado de Andréquicé.  Seu relevo é formado por imensos chapadões, encontrando-se em seu território, centenas de cavernas calcárias e também ocorrência de arenito. Na agricultura, Presidente Olegário, se destaca na agropecuária e principalmente na produção de grãos, sendo uma das maiores produtoras de grãos do Brasil.  
O Noroeste de de Minas presenteia o Estado com uma das mais belas cidades mineiras, com várias cachoeiras simplesmente impactantes, além da beleza do Rio Urucuia, de suas veredas e chapadões. Essa cidade é Buritis, cujo nome é ligado ao coco buritis (foto acima de Paulo Ryan/enviada por Gilberto Valadares) cidade com cerca de 25 mil moradores, conhecida como a "cidade das belas paisagens". Buritis é uma cidade charmosa e muito atraente, tendo como destaque, as cachoeiras da Barriguda, dos Mangues, do Confins, do Passa Três, do Retiro, além, do Rio Urucuia e várias trilhas pelo município. (na foto abaixo do Gilberto Valadares, a veredinha e o buriti, que deu nome à cidade)
          Em sua área urbana, se destaca a Praça Dom Elizeu, com um centenário pé de Jatobá, a Igreja de Nossa Senhora da Pena com destaque para as folias de Reis, a Festa do Carro de Boi e a Festa de Setembro, que acontece todos os anos na cidade, desde 1805, em dedicação à Nossa Senhora da Pena, padroeira da cidade.
          Distante 543 km de Belo Horizonte e com pouco mais de 4 mil habitantes, está acidade de Dom Bosco (na foto acima do Maurício Soares). A cidade é charmosa, aconchegante e pacata, com um povo muito hospitaleiro e bem jovem. Foi fundada em 21 de dezembro de 1995.
          Arinos é outro município de destaque na região e em Minas Gerais. Distante 727 km de Belo Horizonte, o município conta com cerca de 20 mil habitantes. Seu nome tem origem no maior expoente da influente família Melo Franco, o jornalista, escritor, membro da Academia Brasileira de Letras e jurista brasileiro, Afonso Arinos de Melo Franco (Paracatu, 1º de maio de 1868 - Barcelona - 19 de fevereiro de 1916), tendo adotado o nome de Arinos, em sua homenagem, quando de sua criação em 1º de março de 1963. Destaca no município o Parque Nacional Grande Sertão Veredas (na foto acima do Thelmo Lins), preservando a mais brasileira das palmeiras, os buritis, descrita no livro o Grande Sertão Veredas, de Guimarães Rosa. Além do Parque, em Arinos encontra-se várias cachoeiras, como Boi Preto, da Ilha do Rio Claro, do São Miguel e do Bebedouro. Além da Cachoeira da Jiboia, na vizinha Uruana de Minas.
          A culinária da cidade é um destaque à parte pela riqueza e cores e sabores do cerrado mineiro, além dos pratos típicos da cozinha mineira. São vários pratos que aguçam o apetite, como  a carne de sol, pão de queijo, quiabo com angu, paçoca, feijão tropeiro, beiju, rapadura, panelada, picado de arroz, dourado assado, pratos com o surubim, peixe muito comum nos rios da região e claro, as deliciosas frutas do Cerrado mineiro como como tamarindo, umbu, pinha, o araticum, coquinho, cagaita, maxixe, buriti, jenipapo, banana-caturra, dentre outras frutas, utilizados na fabricação artesanal de sucos, licores e doces, além claro, dos pratos feitos com o ouro do Cerrado, o pequi, que origina pratos diversos como o arroz com pequi, a farofa, pequi com carne de sol, com mandioca ou mesmo cozido com sal ou açúcar, além de sucos e licores que são feitos com o fruto. 
          Outra cidade de destaque no Noroeste de Minas é João Pinheiro, a 380 km de Belo Horizonte. Com cerca de 50 mil habitantes, o município surgiu no século XIX, com a formação de um pequeno arraial, mais tarde elevado a freguesia e a vila, tendo sido fundado em agosto de 1911, sendo instalado em 10 de setembro, data do aniversário da cidade. 
          É atualmente o maior município em extensão territorial de Minas Gerais, com área total de 10.716,960 km². Sua sua economia se baseia na prestação de serviços, comércio variado, indústrias de confecção, atividades agroflorestal e sucroalcooleiro, além de ser destaque no agronegócio na região. 
          Em João Pinheiro, um atraente e charmoso casario, em estilo colonial, eclético e contemporâneo, chama a atenção pelo zelo de seus moradores. Durante o ano, a cidade promove eventos que atraem visitantes à cidade, como seu carnaval, Festa do Peão de Boiadeiro, em abril, a festa de Nossa Senhora de Sant´Ana, padroeira da cidade, realizada em 26 de julho, a festa de comemoração do aniversário da cidade em setembro, além dos tradicionais festejos de fim de ano
          Vazante é outra charmosa cidade do Noroeste Mineiro. Foi fundada em 12 de dezembro de 1953. Está a 520 km de Belo Horizonte e conta atualmente com cerca de 21 mil moradores. Seu nome tem origem nas cheias dos rios da região, que transbordavam. Um dos grandes destaques na economia do município é a extração mineral de zinco e ainda de calcário, já que é no município que está uma maiores reservas de calcário da região. Além da mineração, na cidade existe pequenas indústrias de confecção de roupas, granjas, beneficiamento de calcário, produção de carvão vegetal, produção de queijos e leite, no cultivo de arroz, milho, feijão e soja e pecuária de corte. 
           É em Vazante que está a Gruta da Lapa Nova, uma das maiores do Brasil, com 4.550 metros de extensão, com grande quantidade de cavernas. Já no perímetro urbano, a cidade se destaca pelo charme de seu casario e cuidado de seus moradores para com sua cidade, bem como por sua religiosidade. Durante os dias de sua principal festa, em louvor à Nossa Senhora da Lapa, em 1, 2 e 3 de maio, a cidade mais que dobra de tamanho, chegando a 50 mil pessoas. Tem ainda a Exposição Agropecuária, a Festa do Carro de Boi em julho, as festividade de aniversário da cidade e de fim de ano. 
          Além de Paracatu, Unaí, Presidente Olegário, Dom Bosco, Buritis, Arinos, João Pinheiro e Vazante, citadas acima, fazem parte da Região Noroeste de Minas as cidades de  Brasilândia de Minas, Guarda-Mor, Lagamar, Lagoa Grande, São Gonçalo do Abaeté, Varjão de Minas, Bonfinópolis de Minas, Cabeceira Grande, Formoso, Natalândia e Uruana de Minas.

0 comentários:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Facebook

Postagens populares

Seguidores