quarta-feira, 12 de fevereiro de 2020

A Matriz de ouro de Tiradentes

Compartilhe:

(Por Arnaldo Silva) Com meia tonelada de puro ouro em obras de arte, a Matriz de Santo Antônio em Tiradentes é uma das mais belas, imponentes e importantes igrejas do Estado de Minas e uma das mais belas do Brasil não apenas pela arte em ouro, mas por sua história, riqueza arquitetônica e valor cultural para Minas e Brasil. 
Sua construção começou em 1710, tendo sido inteiramente concluída por volta de 1752. O seu interior impressiona pela beleza e riqueza dos detalhes das obras sacras esculpidas em ouro e pelas pinturas religiosas nos painéis laterais e forros da igreja. (na foto acima de César Reis) São seis altares em seu interior, destacando a impressionante capela-mor, esculpida no estilo do barroco Joanino.  
Construída sobre uma colina, onde pode ser vista a distância, a Igreja de São José (fotografia acima de Elvira Nascimento) é uma das mais bela e importante igreja para Tiradentes e Minas Gerais. Sua fachada, com ornamentação em estilo rococó, executada em taipa, tijolos e argamassa, é atribuída ao Mestre Aleijadinho.       
Dezoito quadros emoldurados por folhagens em ouro, representando encenações bíblicas, ornamentam a nave e as laterais do interior da Matriz. (foto acima de César Reis) Não existe até o momento definição exata da autoria dos quadros. Pisando no assoalho feito em óleo de bálsamo, percebe-se vários números, número 1 ao 116. Prática comum naquele tempo era sepultar pessoas dentro das igrejas, no caso, na Matriz de Santo Antônio, 116 pessoas estão enterradas. Cada sepultura com uma numeração. São pessoas de todas as camadas sociais da época, desde fidalgos, membros da irmandade local, religiosos a escravos. 
No coro da igreja havia um pequeno órgão, que posteriormente foi substituído por outro órgão maior. (na foto acima de César Reis) Foi feita a encomenda da parte mecânica de um órgão médio, em Portugal. A peça chegou a Tiradentes em 1788, dois anos depois. A parte de entalhe da caixa do órgão foi feita pelo entalhador Salvador de Oliveira e a pintura, por Manoel Victor de Jesus. A montagem do órgão, entalhe da caixa e pintura foram concluídos em 1798.
Já no adro da Matriz, encontra-se um relógio que foi esculpido em pedra sabão em 1785, por Leandro Gonçalves Chaves. (na foto acima de César Reis) É uma das atrações do complexo religioso. Como não naquela época não existia relógios como hoje este relógio de sol da Matriz era a referência de tempo dos moradores de Tiradentes. 
Se perceberem bem, em uma das torres da Matriz tem outro relógio, vindo de Portugal em 1788. (na foto acima e abaixo de César Reis)
Visitando Tiradentes, não deixe de conhecer a Matriz de Santo Antônio. As visitas são diárias, nos horários de 9h às 17 horas. 

Nenhum comentário:
Faça também comentários



Este site se reserva no direito de moderação dos comentários de acordo com sua idoneidade e teor. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Comentários que contenham linguagem vulgar ou desrespeitosa, bem como assuntos fora do tema da matéria serão excluídos.