quarta-feira, 24 de julho de 2019

Conheça um paraíso chamado Ibitipoca

Compartilhe:

     Quando vemos fotos de belezas do nosso Brasil, muita gente chega a duvidar se realmente existem aqui em Minas Gerais. Um desses lugares é o Ibitipoca (na foto acima a Janela do Céu, no Parque do Ibitipoca, autoria de Marcos Lamas), em Conceição do Ibitipoca, distrito de Lima Duarte, na Zona da Mata Mineira. Uma das mais encantadoras vilas mineiras e porta da entrada para o Parque Estadual do Ibitipoca, que abriga uma flora e fauna valiosíssimas e belezas impressionantes, que deixam qualquer um de boca aberta. 
     O parque (na foto acima de Marselha Rufino) foi criado em 1973 para proteger e preservar as belezas minerais, a fauna que conta com vários animais, alguns ameaçados de extinção e flora com variedades de plantas exóticas e rupestres, nativas da região. Ao todo o parque possui 1500 hectares de área formada por rios, lagos, poços de águas com cores vermelhas e escuras, cascatas, paredões, penhascos, grutas, trilhas, paisagens rupestres com as cores vivas, mescladas com as cores impressionantes das rochas de quartzito, que é uma mistura de quartzo com matéria orgânica. Esse mineral é abundante na região e sua cor dá mais brilho e beleza a toda a paisagem da área. (na foto abaixo o Paredão de Santo Antônio de autoria de Glauco Umbelino)
     Todo o Ibitipoca é espetacular, mágico, cheio de vida, e cores. É um verdadeiro paraíso, que impressiona todos os visitantes. Uma sensação de êxtase e perplexidade diante de tamanha beleza preservada. É uma das mais importantes reservas ambientais de Minas. Não tenha dúvidas: o Ibitipoca te deixará de queixo caído. 
     No decorrer da matéria você estará vendo fotos da charmosa vila e da área do parque do Ibitipoca.(uma dessas é essa ai, da Marselha Rufino, mostrando uma simpática casa no distrito) Só pelas imagens ficará encantado. Nem irá acreditar que no Brasil temos um paraíso verde preservado com tamanha e rara beleza, um verdadeiro oásis para quem ama e busca vivenciar plenamente a natureza.
Agora o mais importante. Como conhecer esse paraíso. Vamos lá.
Como chegar? 

     Saindo de Belo Horizonte via BR 040, até Lima Duarte são 293 km. Saindo de São Paulo, via BR 116, são 426 km de distância e do Rio de Janeiro são 247 km, via BR 040.
     Chegando a Lima Duarte siga até Conceição do Ibitipoca pela LMG 871. São apenas 26 km. Já no distrito, aproveite para conhecer um pouco a vila. Irá gostar. Em estilo colonial, com muita tradição em doces, quitandas e cervejas artesanais, com bares pitorescos e vendas charmosas. Capelas e igrejas centenárias, que guardam um pouco da história dos tempos do Brasil Colonial. Conceição do Ibitipoca tem hoje cerca de 1500 habitantes. (foto abaixo de Glauco Umbelino)
     A beleza da região sempre atraiu cientistas e naturalistas desde os primórdios tempos como o botânico, naturalista e viajante francês Auguste de Saint-Hilare, (Orleãs, 4 de outubro de 1779 – Orleãs, 3 de setembro de 1853) Em 1906 uma comissão de cientistas esteve no Ibitipoca para descrever as paisagens da região. Em 1922, outro cientista, Álvaro Astolfo da Silveira também esteve no Ibitipoca. 
      Isso porque, algo de especial tem Conceição do Ibitipoca (na foto acima um boteco, de autoria de Lucas Vieira) e toda sua beleza em redor. E como tem. Vale a pena conhecer não só as belezas, mas a história, o povo do povoado, sua culinária e sua arquitetura, simples, mas valiosa em termos culturais e arquitetônicos. Não deixe de apreciar as cervejas artesanais, os doces, a culinária típica mineira e o famoso pão de canela do Ibitipoca. É uma das mais antigas receitas da culinária mineira. Esse pão não falta nas casas dos moradores da vila, faz parte da identidade gastronômica do Ibitipoca. 
     Depois de conhecer a Vila, vamos então aprender a chegar ao Parque do Ibitipoca. (na foto ao lado do Lucas Vieira)
Você vai pegar a via principal do distrito que é uma subida, passando em frente ao Portal da Serra e restaurante Ibitilua. Continuando a subida encontrará um pequeno trevo. A partir dai você segue reto a vida toda. É logo ali. Bem pertinho mesmo. Não tem erro! Vai sair em frente à portaria. É logo ali mesmo. Não fique desconfiado do meu ali. Não é aquele ali de mineiro que mata qualquer um de tanto andar e nunca chega. São apenas 3 quilômetros da vila até a portaria do parque. Da pra ir até a pé, de bicicleta, a cavalo ou correndo. É um tirim de espingarda.
     Já dentro do parque terá que andar mais 2 km para chegar até o Centro de Visitantes. 
     Se você está de ônibus o jeito é descer em Lima Duarte e de lá pegar um ônibus até Conceição do Ibitipoca (na foto acima do Marlon Arantes). Já no distrito, para ir até a portaria do Parque você pode pegar uma van que leva turistas até o local. Eles cobram um valor. Eu não sei qual é, porque eu optei pela “viação canela”. Passei sebo na canela e fui correndo. São apenas 3 km. No caminho vi muita gente indo de bicicleta.
     Mas se você quer algo mais personalizado, conhecer tudo que tem no Ibitipoca eu indico do Márcio Lucinda, da Sauá Turismo. (na foto acima do Marlon Arantes a Praça da Matriz de Conceição do Ibitipoca) Esse é o cara, conhece tudo do Ibitipoca e te leva e te acompanha em todos os lugares para você não perder nenhum detalhe desse paraíso em Minas. É super gente boa, muito atencioso e conhecidíssimo na região. Se quiser passo o telefone dele: 32 988550231 e 984180494. Anotou? 
Quando ir? 
     A melhor época para você ir ao Ibitipoca (na foto acima da Marselha Rufino) é no período da estiagem, entre abril a outubro. Em dias chuvosos não aconselho muito não, principalmente se você quer curtir as trilhas e admirar as belezas da região, bem como os rios e águas ótimas para banho. Mas se quiser ir no verão, pode ir, siga seu gosto e instinto. Já aviso que o verão na região é muito chuvoso, mas isso tem sua vantagem porque com as chuvas os rios e cachoeiras ficam muito volumosos e propícios para um bom banho. Não chove o verão inteiro claro, tem dias que são de intenso calor e sol. O jeito é ir e contar com a sorte de estar lá num dia escaldante de verão e curtir aquelas águas geladas e vermelhas.
Dias e horários de visitas 
     O Parque Estadual do Ibitipoca funciona de terça a domingo, das 7 hs às 18hs. (foto acima da Marselha Rufino) 
No período de férias escolares funciona em dias de feriados e também nas segundas-feiras. Quando isso acontece, fica fechado no dia útil seguinte ao feriado. 
     Cobra-se para entrar. Em dias úteis o valor é mais barato. Sábado, domingos e feriados, mais caro.
O ingresso é somente em dinheiro e vendido apenas na portaria de entrada do parque. Estudantes e idosos pagam meia entrada.
Por dia, são aceitos somente 1000 pessoas nas dependências do parque. Isso é para preservar as belezas naturais da região e ainda você poderá desfrutar de toda essa maravilha, sem aquele amontoado de gente por todos os lados. (foto ao lado de Lucas Vieira) Em dias úteis é mais tranquilo, mas nos finais de semana e feriados é muita gente querendo entrar no parque. Nesse caso, o melhor mesmo é chegar cedo, bem cedo, antes da abertura do parque, às 8 hs, para garantir seu ingresso. 
Estacionamento:
     Se for de carro até a portaria, tem estacionamento. O espaço é pequeno. Para garantir seu lugar no estacionamento o jeito é chegar bem cedo, caso contrário, poderá não encontrar espaço para estacionar, principalmente nos fins de semana e feriados. Em dias úteis é mais tranquilo.
     Dentro do parque tem várias áreas avisando da proibição de estacionar, fique atento e se informe antes onde pode parar na área do estacionamento para evitar ser multado ou mesmo ter o carro rebocado pela Polícia de Meio Ambiente. Fique atento às placas de proibição e permissão de estacionar na área do parque.
Área de Camping
     Uma boa notícia é que dentro do parque há uma área para camping. E isso é bom demais. Poderá ficar lá, acampado curtindo as belezas da natureza tranquilamente. Para acampar, avise na entrada. Para montar camping no parque terá que pagar diária.
Mas fiquem atentos as regras do parque. Não custa nada perguntar para os funcionários do parque sobre essas regras. Já te adianto que a entrada no parque é somente até às 17h30min horas. Após essa hora, não entra mais ninguém.
     No interior do Parque Estadual do Ibitipoca, o visitante tem a sua disposição vestiários, lanchonete e restaurante para atender o visitante acampado. Para saber como fazer reservas no camping ligue para (32) 3281-1101. Para conhecer melhor o parque, o ideal é ficar lá por 3 dias. No centro de visitantes você poderá pedir um mapa dos atrativos do parque, caso não tenha guia para te acompanhar.
E Agora, o que fazer dentro do parque?
     Já entrou, estacionou o carro, armou a barraca no camping, está com o mapa da área e agora, o que fazer? 
     Agora sim você vai ler e ver fotos de cair o queixo e entender porque chamo o Ibitipoca de paraíso (foto acima de Glauco Umbelino) e porque tanta gente vem se interessando em conhecer esse pedacinho do céu em Minas Gerais. 
     O parque é bem organizado e o turista é bem atendido, com ótima estrutura e conta ainda com trilhas muito bem preservadas, seguras e bem sinalizadas. Pelas trilhas você conhecerá os tesouros naturais do Ibitipoca. Sentirá ao longo do percurso das trilhas uma tranquilidade e paz incrível. É nesse momento que perceberá toda a perfeição divina. Deus caprichou quando desenhou o Ibitipoca. 
Passarão por rios, cachoeiras, grutas, mirantes, paredões rochosos, poços de águas para banhos (na foto ao lado do Márcio Lucinda - Sauá Turismo as águas da Cachoeira dos Macacos vista da Ponte de Pedra) e outras tantas belezas. 
     Mas já adianto que para contemplar essa beleza toda terá que ter um bom preparo físico. Andará muito e em boa parte, subidas, mas no final sentirá a compensação pelo cansaço. Ficará extasiado com cada pedaço do Ibitipoca que conhecer.
     Para facilitar para o turista, o Ibitipoca foi dividido em 3 circuitos com trajeto em média 5 km de extensão cada um. Cansa, mas valerá a pena, pelas fotos que está vendo até aqui. O mais adequado é fazer um circuito por dia, durante 3 dias. Assim aproveitará mais, poderá conhecer tudo nos circuitos.
O primeiro circuito é o das Águas 
     É menor e o mais fácil para chegar. É tipo um aquecimento para os dois seguintes. Nessa trilha tem um mirante que te proporcionará um visual espetacular. O trajeto é de 5 km, em forma circular, com algumas subidas, com descidas um pouquinho inclinadas. Ao descer o mirante, perceberá no decorrer do percurso perceberá os tons variados da vegetação do Ibitipoca e a cor vermelha escura de seus rios, riachos e poços que encontrará pelo caminho, como o Lago dos Espelhos (na foto acima do Marcos Lamas) formado pelas águas de um pequeno riacho com águas na cor vermelha, com os tons da cor cinza das pedras. Junto com o verde da mata e um enorme e impressionante maciço rochoso que te fará sentir insignificante diante de sua magnitude e tamanho. Nesse circuito encontrará ainda o Lago das Miragens e o Lago Negro.
O segundo circuito é a Janela do Céu 
     Literalmente é a porta do céu de Minas. É de extasiar. Você vê o céu, como uma janela natural. Uma escultura perfeita da mãe natureza! (na foto acima do Marcos Lamas) Pra chegar lá não é fácil e em dias de domingo e feriados, é tanta gente querendo ir lá que tem até fila para subir e ficar alguns minutos apenas para tirar fotos e admirar. Em dias de semana são menos pessoas e dá para ficar mais tempo, mas se tiver muita gente, os funcionários do parque controlam a subida conhecida por pé de feijão. E olha que subida! São 16 km ida e volta. Os primeiros km de trilha são bem íngremes. O melhor é sair bem cedo e não se preocupar em voltar.       Se tiver muita gente para subir o pé de feijão, relaxa, aprecie a área até chegar sua vez. Valerá a pena, pode acreditar. Todos dizem que é a mais difícil e cansativa das trilhas, mesmo assim, quando chegam até a Janela do Céu, esquecem o tempo que ficaram na fila esperando. No trajeto da trilha até a subida terá pelo caminho várias grutas. Se tiver lanterna, aproveite para conhecer essas grutas. Depois disso, continue a subida do pé de feijão. Chegando sua vez, poderá contemplar a vista, mesmo que seja por alguns minutos. Assim já estará na janela do céu. Todos que chegam até a Janela do Céu dizem claramente se sentir no topo do paraíso. Uma liberdade incrível. Sentimento de estar num oásis. 
     Depois de sair da Janela do Céu, desça e siga até a Cachoeirinha. Com uma queda de 30 metros, é formada por um rio da cor vermelha. Em redor do poço formado pela cachoeira, existe uma pequena “praia” com uma areia branquíssima. Banhe-se, deite e role na areia e desfrute essa beleza incrível! (foto ao lado de Marcos Lamas) 
O último circuito é o Pico do Pião 
     São 11 km de ida e volta numa trilha espetacular. A trilha não é em sentido circular como nos outros dois, mas retilínea e com uma subida bem puxada. Levará umas 5 horas para percorrer essa trilha de campos rupestres que está a 1732 metros de altitude.
     Você passará pela Gruta dos Viajantes, Gruta do Monjolinho, Gruta do Pião, Lagoa Seca e o próprio Pico do Pião com as ruínas de uma capela no topo. Essas grutas são espetaculares, te proporcionará visuais incríveis e deslumbrantes. É um visual fantástico! É a coroação do final do passeio. Vivência pura com a natureza do Ibitipoca. (essa é a Gruta da Ponte de Pedra, fotografada pelo Glauco Umbelino)
É isso ai gente. Podem vir para o Ibitipoca. Podem vir para o paraíso! Isso é Minas, é Brasil! O nosso país! (Por Arnaldo Silva)

Nenhum comentário:
Faça também comentários