Tecnologia do Blogger.

domingo, 17 de julho de 2016

A florada do Ipê Roxo-rosado


(Por Arnaldo Silva) É a primeira espécie de ipê a florir. Já no início do inverno, em junho o Ipê roxo (Tabebuia avellanedae) começa a colorir as ruas, praças, avenidas e paisagens rurais de Minas Gerais, onde é abundante e em parte do Brasil. (foto acima de Nilza Leonel em Vargem Bonita MG) Já em setembro, floresce o Ipê rosa (Tabebuia impetiginosa e a Tabebuia heptaphylla), com a diferença é que as flores do ipê roxo te a cor rosa mais escura, por isso é chamada de roxo. Suas folhas são leves, finas, na cor verde água. Já o Ipê-rosa, tem as flores com tendência a um rosa mais claro ou mesmo com tons rosa mais brancos e folhas grandes, na cor verde mais escura.
          Muita gente confunde Ipê roxo com Jacarandá Mimoso (Jacarandá mimosifolia ou com o Jacarandá Caroba -Jacarandá cuspidifolia) na foto acima de Arnaldo Silva. Nada a ver uma árvore com a outra. São plantas diferentes sem nenhuma relação. Como eu disse acima, a flores do ipê roxo tem o tom rosa bem mais escuro, por isso o nome. As as sementes dos ipês se formam em vagens, dos Jacarandás em cápsulas. Ipê roxo é uma planta, jacarandá é outra. Pela foto acima, dá para perceber a diferença gritante de uma planta para outra, além das flores, percebe-se nitidamente as cápsulas no Jacarandá, onde surgem as sementes.
          Entre as espécies de ipês, é a que tem crescimento mais rápido, podendo chegar a altura de 25 metros em regiões de clima mais quente, como no Cerrado. Nas regiões mais frias, com ocorrência constante de geadas, seu crescimento e florada são comprometidos. (foto acima de Wilson Fortunato, ipê roxo nativo em Bom Despacho MG) Suas flores podem ser em cachos, lembrando uma bola ou em folhas recortadas, em forma de sino, muito atrativas aos polinizadores. As sementes se formam após a florada, quando seus frutos, em formato de pequenas vagens, que após secarem, abrem-se, com as sementes sendo dispersadas pelo vento.
          Mesmo sendo uma árvore de grande porte, é muito comum ser usada na ornamentação urbana em praças, canteiros centrais de avenidas e calçadas largas, por sua beleza impactante. Além disso, é uma espécie excelente para recuperação de áreas degradadas. 
(foto acima de Jefferson Souza em Formiga MG e abaixo, de Arnaldo Silva, detalhes das flores de ipês no chão)
          Sua madeira sempre foi cobiçada e muito usada na indústria moveleira, na construção civil, além de ter sido usada para fazer carros de bois e carroças, antigamente. Por conter, em sua casca, substâncias benéficas a saúde humana como o potássio, cálcio, ferro, bário, estrôncio e iodo, foi e é ainda largamente usado na medicina popular, em forma de chá e usada como auxiliar no tratamento de inflamações, úlceras, infecções bacterianas e fúngicas. 
Essas propriedades curativas presentes na casca do Ipê roxo, segundo pesquisadores, é devido a presença da substância "beta-lapachone", substância estudada como sendo de grande potencial no tratamento contra o câncer de pulmão, próstata e pâncreas. (na foto acima de Arnaldo Silva, ipês em Bom Despacho MG e abaixo, de autoria Giselle Oliveira em Diamantina MG
          Apesar de estar presente em quase todo o Brasil, a espécie corre perigo de extinção, por ser medicinal e por isso sofre danos em seu tronco e cortes desenfreados, sem nenhum critério ou preocupação de se preservar e plantar outra espécie no lugar. Quando a florada do ipê-roxo terminar, vem as sementes. Colha e espalhe sementes pelas estradas, pelas matas e plante em uma praça, um canteiro central de seu bairro. Plante ipê-roxo! Faça sua parte.

2 comentários:

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Facebook

Postagens populares

Seguidores