sexta-feira, 24 de maio de 2019

O Dia da Culinária Mineira

Compartilhe:

O mineiro não é muito de alardear sobre os sabores que saem dos seus quintais. Quem visita Minas descobre e reconhece o quanto é saborosa a culinária do povo mineiro. Agora o mundo também vem descobrindo as delicias da comida dos mineiros. Cozinha é vocação do mineiro, está alma, no fogão à lenha e nos quintais. Mineiro e cozinha é uma simbiose perfeita! A culinária do Estado de Minas Gerais é uma das mais ricas do mundo e os pratos tradicionais de Minas, vem recheado com 300 anos de história. Uma cozinha tão rica e famosa no mundo inteiro tem data comemorativa, sabia disso? 

O dia da Gastronomia Mineira é o dia 5 de julho, data oficial, estabelecida pela Lei Estadual número 20.577 de 2012.
A data foi escolhida em homenagem ao dia do nascimento do professor e escritor Eduardo Frieiro, filho do casal Melchíades Frieiro e Maria Joana Pampin, imigrantes de Pontevedra, região da Galiza, Espanha. Frieiro nasceu em cinco de julho de 1889 em Matias Barbosa MG. 

Eduardo Frieiro é o autor do livro “Feijão, Angu e Couve – Ensaio sobre a comida dos mineiros”, publicado em 1966 pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Trata-se do primeiro livro dedicado à gastronomia mineira com abordagem sobre a história do surgimento da culinária de Minas Gerais, com uma visão sociológica abrangente sobre o tema. Esta obra é tão importante para Minas Gerais, que o dia do aniversário do escritor é o dia da culinária mineira.
No livro, Frieiro conta em minuciosos detalhes como Minas Gerais saiu da escassez de alimentos no final do século 17 e início do século 18, para se tornar uma das cozinhas mais rica, respeitada e apreciada em todo o país ao longo de três séculos. O estudo se baseia na evolução da nossa gastronomia desde o início do Ciclo do Ouro, até o início do século 20, quando a capital de Minas Gerais deixa de ser Ouro Preto para ser Belo Horizonte, numa época que a cozinha mineira estava consolidada e referência como culinária nacional. Desde aquela época, os nossos mais tradicionais pratos, como o tutu de feijão, frango com quiabo, costelinha de porco com angu, torresmo, feijão tropeiro, licores, queijos, café, doces e quitandas diversas já eram apreciados pelos brasileiros. Minas Gerais é um prato cheio de histórias e sabores diversos e mesmo com os avanços tecnológicos, as receitas mineiras se mantém preservadas e apreciadas.
Então já sabem por que 5 de julho é o Dia da Culinária Mineira. Uma data valiosa para Minas Gerais. Antes que me perguntem, no Google, na pesquisa, basta digitar o nome do livro “Feijão, Angu e Couve – Ensaio sobre a comida dos mineiros”, que aparecerá às opções de onde encontra-lo. Vale a pena ler este livro. (Por Arnaldo Silva)

Nenhum comentário:
Faça também comentários