Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

quinta-feira, 16 de janeiro de 2020

As águas que brotam da Serra da Mantiqueira

(Por Arnaldo Silva) Na língua tupi-guarani, Mantiqueira significa “serra que chora”. Da Serra da Mantiqueira, em Minas Gerais, brotam águas minerais, sulfurosas, gasosas e medicinais, ricas em propriedades terapêuticas. 
          As águas que brotam das rochas do Sul de Minas concentram singulares potenciais hídricos em Minas Gerais. São águas que trazem a essência da beleza, da longevidade e da saúde, porque são águas medicinais, terapêuticas, e refrescantes. (foto acima de Sérgio Mourão no Parque das Águas de São Lourenço)
          As águas de Minas atraem todos os anos, milhares de turistas à região atraídos pelo cenário natural esplendoroso da Serra da Mantiqueira e pelas propriedades medicinais de suas águas. Vêm com o objetivo de melhorar e manter sua saúde, além de buscarem paz, tranquilidade relaxamento e sossego, longe do estresse do dia a dia, desfrutando das atividades oferecidas como terapias holísticas e contatos com a natureza, visando o relaxamento. (na foto acima do Rafael Siqueira, a Alameda dos Plátanos em Caxambu MG)
Vamos conhecer seis estâncias hidrominerais de Minas Gerais
São Lourenço 
          Conhecida por seu clima ameno, beleza arquitetônica singular com traços europeus, São Lourenço (na foto acima de Cássia Almeida)  é uma das cidades mais procuradas por turistas em Minas Gerais, principalmente por amantes da natureza, por casais em lua de mel ou de férias, já que a cidade oferece várias opções de diversão como eventos culturais, religiosos e folclóricos, bem passeios em pontos turísticos como a Ilha dos Amores, o Mirante, o Teleférico, Memorial Tancredo Neves, Aldeia Vila Verde, entre outros. Pelas ruas da cidade, o visitante encontrará um comércio variado com ótimas opções, principalmente artesanato local e as delícias da nossa culinária como queijos, doces, biscoitos, mel, balas, cachaças e licores. 
          Outro atrativo de São Lourenço é o Trem das Águas que faz um trajeto, de 10 km, margeando o Rio Verde, com direito a contemplação de belas paisagens da Serra da Mantiqueira, até a vizinha Soledade de Minas (na foto acima de Cássia Almeida). Durante o trajeto, os passageiros da classe especial tem o privilégio de poder degustar produtos regionais como vinhos, doces, queijos, licores e cachaças. O passeio é imperdível. 
Lambari 
       Lambari  é uma surpresa agradável para o turista, não só por suas águas ter sido eleita a terceira melhor água mineral do mundo e suas sete fontes, sendo a primeira e segunda, comporem a maior fonte de água mineral naturalmente gasosa do mundo, mas por seus detalhes naturais e urbanos. 
          Sua charmosa arquitetura chama atenção, bem como suas belezas naturais e opções de diversão e entretenimento que a cidade oferece a seus habitantes e visitantes, como o Palácio do Cassino do Lago; Farol do Lago; Parque das Águas com suas piscinas e fontes de águas minerais com altas propriedades terapêuticas; Parque Wenceslau Braz; Duchas e Cascata; Parque Estadual Nova Baden (reserva ambiental natural e museu, 4 km da cidade); Mata Municipal (reserva da mata Atlântica); Rampa de asa delta na Serra das Águas; Cruzeiro; Igreja Matriz Nossa Senhora da Saúde, além de belas cachoeiras como a do Roncador, Sete Quedas, Serra das Águas e João Gonçalves, Lago Guanabara e o antigo cassino. (foto acima de William Cândido) Lugar ideal para quem busca equilíbrio entre o corpo e a mante e qualidade de vida.
Cambuquira
          Cambuquira, uma singela cidade, tipicamente mineira. Suas águas foram descobertas no século XIX, por escravos que foram hoje o Parque das Águas de Cambuquira com suas fontes de águas gasosas, sulfurosas, alcalino-gasosas-bi carbonatadas, magnesianas e ferruginosas
          Além do Parque das Águas, a cidade na cidade encontra-se um Observatório Astronômico, uma reserva biológica, onde encontra-se as principais nascentes da cidade, além de grutas e cachoeiras. Tem ainda o Mirante do Piripau, a 1372 metros de altitude, com ampla vista para os arredores da cidade e uma rampa para asa delta. Em Cambuquira, as tradições religiosas são preservadas e valorizadas, bem como a tradição do Carro de Bois e Cavalgadas. (foto acima e abaixo de Thelmo Lins)
          A arquitetura da cidade é charmosa, atraente e conta com boas acomodações e restaurantes com a tradicional comida típica mineira. Nas lojas da cidade, encontra-se artesanato e produtos artesanais como queijos e doces, além claro da famosa água mineral de Cambuquira, considerada uma das melhores do mundo. É um líquido precioso, diferente das outras águas engarrafadas que conhecemos, é quase como degustar um delicioso vinho fino. A água de Cambuquira é um orgulho nacional, todos os visitantes percebem isso e fazem questão de levar garrafas da água de Cambuquira para casa.
Caxambu
           Rodeada por montanhas, Caxambu encanta por suas belezas naturais, pelos jardins e belas praças, bem como o Parque das Águas, um dos mais belos de Minas Gerais com suas famosas fontes de água mineral. É uma das mais tradicionais e importantes estâncias hidrominerais do Brasil. É em Caxambu (na foto acima de Sérgio Mourão) que se encontra a maior concentração de águas carbogasosas do planeta. São 12 fontes diferentes de água mineral de alto poder diurético e desintoxicante, cada uma com propriedades químicas diferentes da outra.
          Descobertas em 1810, as fontes de águas de Caxambu passaram a ser procuradas por pessoas de toda a região. A partir de 1875, suas propriedades medicinais e curativas, atraindo ainda mais atenção de pessoas que buscavam curas para diversas enfermidades. (foto acima de Rafael Siqueira)
          Uma dessas pessoas foi a Princesa Isabel (cujo nome completo era Isabel Cristina Leopoldina Augusta Micaela Gabriela Rafaela Gonzaga de Bourbon de Orléans e Bragança). A princesa veio á cidade em 1868 em busca de tratamento contra sua infertilidade. Graças às propriedades medicinais das águas de Caxambu, conseguiu a cura para sua enfermidade, engravidando quatro vezes. 
          Com a repercussão da cura da princesa, Caxambu passou a receber cada vez mais gente vindas do Brasil inteiro, em busca das propriedades medicinais e terapêuticas de suas águas. Para receber tanta gente, em 1886, a Companhia das Águas de Contendas iniciou a construção do balneário, do jardim, do gradil do parque e a captação e abrigo das fontes. O projeto é do arquiteto Alfredo Burnier com detalhes arquitetônicos inspirados nos traços romanos. (na foto acima de Thelmo Lins)
          Além do Parque das Águas, Caxambu (foto acima de Rafael Siqueira) o visitante pode caminhar pelo horto florestal e pelas belas e calmas ruas, casarões e igrejas históricas, bem como belas praças, além de saborear a tradicional cozinha mineira, bem como conhecer o rico artesanato local.
          Tem ainda a opção de passeio de teleférico (na foto acima de Thelmo Lins), visitar os criatórios de cavalos Manga-larga Marchador e cavalgar pelas fazendas da região.
          Olavo Bilac, famoso poeta brasileiro, conheceu Caxambu e deixou suas impressões sobre a cidade, suas águas e seus povo: “O que sei é que as águas, santas são santíssimas… Esse milagre é operado, em parte, pelo uso das águas mas é também devido à doçura deste clima abençoado, desta serra e deste céu e, principalmente, à bondade sem par desta gente de Caxambu — uma gente que tem a alma na boca e nos olhos — uma gente meiga que conserva e zela como uma relíquia moral de valor inestimável, a tradição da fidalga e carinhosa hospitalidade mineira — uma gente que acolhe o forasteiro com
 um tal requinte de afeto e de sinceridade, que ele, ao partir, deixa cair por aqui um pedaço do coração.”
Baependi 
          Além do turismo ecológico, de suas belezas naturais como cachoeiras paradisíacas como a do Caldeirão (na foto acima de Jerez Costa), Itaúna e Juju, montanhas, matas nativas e de suas águas medicinais, Baependi tem forte vocação religiosa. 
          Foi no município que viveu a leiga Nhá Chica, reconhecida pela Igreja Católica como beata em 2013. Desde essa data, peregrinos vem constantemente à cidade para visitar o Santuário da Imaculada Conceição (na foto acima Elpídio Justino de Andrade), a Igreja de Nhá Chica, que fica no Centro da cidade. Os restos mortais de Nhá Chica estão no Santuário, bem como ao lado, o peregrino pode conhecer a casa em que viveu a beata, quando sua mãe e irmão, saíram de Rio das Mortes, distrito de São João Del Rei, para viverem em Baependi. Na bagagem, com muitos poucos pertences, trouxeram uma Imagem da Imaculada Conceição.
          O artesanato é uma importante atividade econômica em Baependi destacando a comercialização de pedras e peças feitas em bambu, palha de milho e tronco de cafeeiro que são distribuídas em grandes centros urbanos, como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e capitais da Região Nordeste do Brasil.
Passa Quatro
          Passa Quatro é um pacata e acolhedora cidade, com ares tipicamente mineiros, contando hoje com pouco mais de 16 mil habitantes. Charmosa em sua arquitetura colonial, do século XIX e eclético, do século XX, presentes em seu Centro Histórico, Passa Quatro um dos destinos mais atraentes e um surpreendente paraíso hidromineral, no Sul de Minas. Suas fontes estão espalhadas pela cidade, acessível a moradores e turistas. (na foto abaixo de Anderson Veloso, a charmosa Casa do Chocolate)
          Apesar das propriedades de suas águas medicinais, por ser um município rodeado pelas mais altas montanhas do Brasil, sendo este o seu maior atrativo. A cidade  é mais procurada por trilheiros e alpinistas e amantes da natureza, pela beleza da Serra da Mantiqueira, por suas belíssimas cachoeiras, em destaque a Cachoeira do Poço Paraíso, Cachoeira Poço do Quilombo, Cachoeira da Gomeira e do Andorinhão, o Rio Verde, o Pico Pedra da Mina.
          Além disso, da Estação de Passa Quatro (na foto acima de Sérgio Mourão), sai o trem que corta as montanhas da Mantiqueira, permitindo aos passageiros, vistas paradisíacas da região e ainda conhecer lugares históricos, como o Túnel da Mantiqueira, inaugurado por Dom Pedro II em 1881, que foi palco ainda da batalha entre mineiros e paulistas, na “Revolução Constitucionalista de 1932. A estação final do trem é na Estação Coronel Fulgêncio, na divisa com a vizinha Cruzeiro /SP. 
Como chegar às cidades da Mantiqueira
Vindo de Belo Horizonte pegue a Rodovia Fernão Dias rumo a Três Corações, no Sul de Minas.
Pra quem vem de São Paulo o melhor caminho é pela Fernão Dias, até Pouso Alegre, pegando a MG-458 até Heliodora.
Pra quem vem do Rio de Janeiro a estância hidromineral mais próxima é São Lourenço, distante 270 km da capital fluminense pegando a BR-116, seguindo até a BR-354.
Pra quem vem de avião o aeroporto mais próximo das Estâncias Hidrominerais do Sul de Minas é o de Varginha. 

2 comentários:

  1. Faltou Bom Repouso. Onde está a nascente do Mogi-Guaçu, este caminha 473Km e desagua no Rio Pardo e depois volta para Minas e desagua no Rio Grande. E o Grande no Paraná. Desenvolvemos um projeto de pesquisa nos pesque-pague da Bacia do Mogi-Guaçu. CHREA/SHS/EESC/USP financiado pela FAPESP. Foi uma honra conhecer a nascente do Rio.

    ResponderExcluir
  2. Corrigindo: O Pardo volta para Minas ao desaguar no Rio Grande. E o Grande desagua no Rio Paraná

    ResponderExcluir

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Facebook

Postagens populares

Seguidores