Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

domingo, 31 de março de 2019

Kaol: o popular prato de Belo Horizonte

(Por Arnaldo Silva) O tradicional Café Palhares, é mais que um pequeno bar em Belo Horizonte. É parte da história da capital. Foi fundado em 1938 na rua dos Tupinambás, 638, bem no coração de BH. Resistiu a inúmeras mudanças de época e do centro e neste mesmo endereço está até os dias de hoje. Durante esses quase 80 anos em funcionamento, milhares de pessoas anônimas e famosas passaram pelo local. Numa mesa ou no balcão do Palhares tomando cerveja geladinha e degustando os famosos pratos criados, muitas conversas e histórias contadas pelos seus frequentadores. Uma dessas conversas era de que a lendária Hilda Furacão chegou a frequentar o local. 
Na foto do Carlos Magno Foureaux o atual e tradicional Kaol, direto do balcão do Café Palhares:  Arroz, couve refogada, ovo frito, farofa de feijão inteiro, torresmo, linguiça de pernil e molho (ambos da casa)
          Até a década dos anos 1980 os bares tinham pouca presença de mulheres. Eram mais frequentados por homens. Com o objetivo de atrair um público mais diversificado para o estabelecimento, o Café Palhares passou a ser cafeteria, bar e restaurante. Foi no início dos anos 1980 que um prato bem simples criado no Café Palhares caiu no gosto dos belo-horizontinos. É o famoso kaol. 
          Antes basicamente frequentado por homens, hoje recebe famílias inteiras para almoçar no local. É um dos principais pontos da gastronomia mineira em Belo Horizonte. Antes era uma cafeteria que funcionava 24 horas por dia. Hoje um dos mais famosos e procurados restaurantes da capital mineira.
          O carro chefe do restaurante é sem dúvida o kaol, batizado com esse nome pelo compositor Rômulo Paes. O curioso é que esse prato foi preparado para os funcionários que trabalhavam no café. Kaol é uma sigla e quer dizer cachaça (com k mesmo para chamar mais a atenção), arroz, ovo e linguiça. O k é porque naqueles tempos o povo gostava muito de tomar um aperitivo antes do almoço. Diziam que era para abrir o apetite.
          Essa receita clássica caiu no gosto de quem experimentava por ser fácil de preparar, barata e bem simples. Pouco tempo depois vários outros estabelecimentos de Belo Horizonte começaram a servir kaol, mas acrescentavam uma rodela de tomate e as vezes uma, folha de alface. Era mais em conta que o tradicional Prato Feito.
          No Café Palhares, a receita original foi incrementada e hoje o kaol tem couve, torresmo, farofa de feijão, ovo frito e um molho de tomate com um segredo especial. Mas os proprietários não revelam o ingrediente secreto do molho. Está melhor que antes e continua sendo o prato mais pedido pelos clientes.

3 comentários:

  1. Deve ser uma delícia, principalmente, em solo mineirês!!!

    ResponderExcluir
  2. Deve ser uma delícia, principalmente, em solo mineirês!!!

    ResponderExcluir
  3. Estudante universitário em BH no início dos anos 80. Donheiro curto.Frequentei o Palhares na Tupinambás, perto de onde morava. O prato é singeli, mas rico em nutrientes, equilibrado e, mais importante, delicioso. Bons tempos.

    ResponderExcluir

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Facebook

Postagens populares

Seguidores