sábado, 2 de março de 2019

A história e receita do rocambole de Lagoa Dourada

Compartilhe:

A cidade de Lagoa Dourada fica no Campo das Vertentes e conta 15 mil habitantes. Fica a 146 km de BH. A cidade tem origem no século XVIII e ainda preserva algumas construções e detalhes  do período colonial. Mas o que chama a atenção na cidade  é o rocambole. (foto acima: Prefeitura de Lagoa Dourada MG/Divulgação)

Nas primeiras décadas do século passado, começou a chegar ao Brasil imigrantes europeus e libaneses. Um desses imigrantes libaneses foi Miguel Yossef,  que aqui casou-se com a lagoense Dolores de Mello. Na cidade fixou residência e criou família. Montaram um pequeno botequim onde Miguel Yossef começou a fazer guloseimas e pão de ló, um bolo de origem italiana caracterizado por uma massa fina a base de ovos, açúcar e farinha de trigo. Posteriormente, na França, na era Napoleônica, usaram a receita do pão de ló mas com uma massa mais fina, passavam chocolate ou doce por cima e enrolavam. Os franceses deram o nome a essa iguaria de rocambole.

Conhecendo a receita, Miguel e sua esposa começaram a fazer pão de ló. Faziam a massa bem fina e recheavam com o nosso tradicional doce de leite. Em seguida, enrolavam. Não deu outra, o doce agradou a todos e a fama da nova iguaria começou a se popularizar na cidade e região. 

Após o falecimento de Miguel Yossef, seu filho Paulo, continuou com o negócio. Muitas pessoas da cidade e também viajantes iam ao local para comer o doce. Muitos queriam levar para casa e não tinham como. Foi ai que teve a ideia de criar uma embalagem especial para o doce, colocando a guloseima numa caixinha. Assim, podiam levar o doce para suas casas, mesmo morando em outras cidade, sem danificá-lo. Essa simples ideia alavancou as vendas e tornou a iguaria mais conhecida ainda. Tempos depois, Ricardo, filho do Paulo, assumiu os negócios da família e começou a colocar placas nas estradas, anunciando o doce. Isso atraiu a atenção de quem passava pelas estradas. Por curiosidade em conhecer e experimentar rocambole, não resistiam e iam para a cidade. 

Hoje o rocambole movimenta a economia de Lagoa Dourada. Praticamente em todas as ruas tem uma loja. A cidade reconhece Miguel Yossef e sua importância para o município. Tanto é que na cidade tem uma avenida em seu nome, a Avenida Miguel Yossef. É a rua do rocambole. Uma loja ao lado da outra, que leva todos os visitantes à loucura, com tantos rocamboles à vista. 

Em Lagoa Dourada tem rocambole com diversos recheios, como goiabada, doce de coco, chocolate, etc, mas o original e mais procurado é com doce de leite. Veja a receita:

INGREDIENTES
5 ovos;
100 g de açúcar;
100 g de farinha de trigo e
1 colher rasa de fermento

Modo de Preparo
Separe as claras das gemas. Bater as claras em neve e acrescentar as gemas e o açúcar, batendo sempre.
Misture o fermento na farinha e coloque na massa, misturando sempre e sem demorar.
Forre uma forma com papel e despeje a massa espalhando bem.
Leve ao forno com temperatura de 180º graus por 15 minutos.
Passe a espátula do lado da forma para a massa se soltar, vire no pano e retire o papel. Espalhe o doce de leite colocando canela e cravo. Enrole com o pano e passe no açúcar refinado.

Festa do Rocambole e Mostra Cultural 
Todos os anos, geralmente em setembro, acontece a tradicional Festa do Rocambole na cidade (na foto acima de Marcelo Santos). Na festa o visitante poderá conhecer e degustar todos os vários sabores do tradicional doce, além de conhecer pratos típicos, como doces de cachaça, comida de boteco e participar de decoração de bolos e rocamboles. Grupos de teatros, folias de Reis e bandas regionais se apresentam durante o evento. Informações sobre o evento e cidade você encontra no site da Prefeitura:lagoadourada.mg.gov.br (Reportagem: Arnaldo Silva)

Um comentário:
Faça também comentários