Tecnologia do Blogger.

sexta-feira, 31 de março de 2017

Conheça as 10 menores cidades do Sul de Minas

O estado de Minas Gerais tem 853 municípios e cerca de 60 cidades com menos de três mil habitantes. Uma parte dessas pequenas cidades estão concentradas no Sul de Minas.
São cidades pacatas, charmosas, tranquilas, casario estilo colonial bem cuidado, ruas calçadas, com ótima qualidade de vida, sem o estresse e agitação do dia a dia das grandes cidades. (na foto acima, uma das mais belas cidades do Sul de Minas, Seritinga MG/Foto: Arquivo Prefeitura Municipal/Divulgação) O bom também dessas cidades é que quase todos os moradores se conhecem. Os moradores dessas cidades em sua maioria, tem na agricultura familiar e em pequenos comércios, suas maiores fontes de renda. Outra fonte de renda para os moradores e municípios é o turismo que vem crescendo muito nas cidades do interior mineiro, principalmente no Sul de Minas. Isso porque que são municípios privilegiados por exuberantes paisagens da Serra da Mantiqueira, cachoeiras e rios, bem como festas religiosas, culturais, rurais e eventos gastronômicos ao longo do ano, o que atrai turistas sempre.
A menor cidade mineira em número de habitantes não está no Sul de Minas e sim na Região Central. É Serra da Saudade (na foto acima de Sueli Santos),  com 781 moradores, segundo o IBGE. Serra da Saudade é inclusive, o menor município brasileiro em número de habitantes. Até 3 mil habitantes, segundo o IBGE, você vai conhecer 10 cidades do Sul de Minas Gerais que irão te encantar pela beleza simplicidade de cada um deles. (Por Arnaldo Silva)
Começando pela 10ª até a 1ª cidade
10ª) Alagoa - 2674 habitantes
Conheça nacionalmente como a Terra do Queijo Parmesão, Alagoa é uma charmosa cidade nas Terras Altas da Mantiqueira.(foto acima de Marlon Arantes) Seu clima, terras de qualidade e a altitude, favorece a criação de gado, consequentemente produzindo um leite de alta qualidade, originando um queijo único. Tanto é que tanto o parmesão, quanto o queijo Minas produzidos em Alagoa é recebeu premiações recentes em nível estadual, nacional e internacional, no último Mondial du Fromage, a "Copa do Mundo" dos queijos, que aconteceu na França. O município é rico em belezas naturais como cachoeiras, corredeiras, matas nativas e no perímetro urbano, o visitante encontra uma cidade tranquila, pacata, um casario em estilo colonial, com ruas calçadas e um povo muito gentil e hospitaleiro.  Alagoa contava com 2674 moradores em 2019, segundo o IBGE.
9ª) Olímpio Noronha - 2787 habitantes
O município de Olímpio Noronha contava em 2019 com 2887 habitantes, segundo o IBGE. (foto acima: Prefeitura Municipal/Divulgação) Sua origem é do século XX,com a chegada da estrada de ferro e construção de uma estação ferroviária, denominada Santa Catarina, em uma das propriedades de Olímpio Noronha, que pertencia ao município de Cristina MG. Com o passar do tempo, começou a surgir um povoado em torno da estação, popularmente chamado de Parada Santa Catarina. Seus moradores viviam da agropecuária, principalmente gado leiteiro e devotavam São Sebastião, santo católico protetor do gado. Com o crescimento do povoado e devoção a São Sebastião, o povoado foi elevado a distrito de Cristina MG em 1948, passando a se chamar São Sebastião dos Campos, sendo emancipado em 1962 e por fim, passando a se chamar Olímpio Noronha, homenageando uma das pessoas mais influentes e importantes na região no século passado.
A cidade é bem tranquila, pacata e muito charmosa. Quem visita a Olímpio Noronha encontra um povo é simples e hospitaleiro, além de poder conhecer os dois mais importantes pontos turísticos da cidade: a Cachoeira da Usina e a antiga Estação Ferroviária, que deu origem ao município.
8ª) Wenceslau Braz - 2552 habitantes
Wenceslau Braz conta contava em 2019, segundo o IBGE, com 2552 habitantes. Seu nome de origem era Vila de Bicas do Meio, quando era distrito de Itajubá. Foi emancipada em 1962, adotando o atual nome em 1964 em homenagem a Wenceslau Braz, ex presidente da República, natural de Brasópolis MG, que governou o Brasil entre 1914 e 1918. (Créditos da imagem acima: Arquivo Câmara Municipal de Wenceslau Braz)
A cidade é pitoresca, tranquila, hospitaleira, rodeada por belíssimas paisagens com matas nativas de araucárias e jacarandás, além de serras como a do Quilombo, Paiol, Alto da Onça e Alto do Alambique.
7ª) Fama - 2377 habitantes
Fama, banhada pelo Lagoa de Furnas (na foto acima de Fernando Campanella) é um dos mais atrativos municípios mineiros, justamente pelas águas do "Mar de Minas. Em 2019, eram 2377 moradores, segundo o IBGE. Como boa parte de seu território foi inundado pelas águas da Represa de Furnas em 1962, impactando sua atividade agropecuária, o turismo surgiu como grande fonte de recuperação do município. 
Fama é um dos exemplos de preservação ambiental, com incentivos ao turismo rural sustentável, protegendo seus recursos naturais, já que suas terras e águas, abriga uma grande bio diversidade. A cidade é bonita, bem cuidada, com ótima gastronomia, pousadas e hotéis aconchegantes. O maior atrativo da cidade é o Lago de Furnas, que espelha Fama, onde o visitante tem a opção de fazer passeios de barcos pelo "Mar de Minas" ou mesmo, passar pelas águas em pedalinhos.
6ª) São Sebastião do Rio Verde - 2241 habitantes
Localizada nas divisas dos Estados de São Paulo e Rio de Janeiro, nas Terras Altas da Mantiqueira. São Sebastião do Rio Verde, contava em 2019, segundo o IBGE, com 2241 habitantes. É considerada uma das melhores cidades da região Sul de Minas para se viver. O Rio Verde é um dos grandes atrativos do município, ótimo para pescaria, prática de canoagem e para pegar um sol, nos dias de verão, já que o Rio Verde forma algumas praias fluviais em seu percurso. 
O inverno é rigoroso na cidade, a natureza em seu redor, esplendorosa. Seus moradores guardam com carinho a mais pura tradição mineira, principalmente a nossa os sabores diversos de nossa culinária como doces, queijos e os pratos típicos de Minas. O artesanato é um dos destaques do município. São bordados, crochês, arte em barbante, palha e confecção de bonecas de pano. Outro destaque cidade é seu casario em estilo colonial. São casarões (foto acima de Sérgio Mourão) e fazendas ainda da época da Escravidão. Em algumas fazendas do município são fabricados carros de bois. 
5ª) Passa Vinte - 2039 habitantes
Passa Vinte (na foto acima de José Valter Maia/Divulgação) com 2039 habitantes, segundo o IBGE em 2019, é uma pacata, tranquila, calma e típica cidade do interior mineiro. Seus moradores vivem da agropecuária em destaque para produção de leite e milho. O município é montanhoso e um de seus grandes atrativos são corredeiras e a cachoeira do povoado de Carlos Euler, no distrito homônimo. Um dos destaques também é tradicional Festa de Santo Antônio, que acontece todos anos no dia dedicado ao Santo, 13 de junho. Após a semana da Páscoa, é realizado o Torneio Leiteiro atraindo grande número de turistas à cidade. Em novembro, a grande atração da cidade é o Festival do Shop, que atrai grande número de visitantes das cidades vizinhas e até de outros estados. 
4ª) Serranos - 1963 habitantes
Segundo o IBGE, a Serranos (na foto acima de Dalton Maciel) contava com 1963 moradores em 2019. Rodeada por montanhas, clima ameno, ar puro, a cidade é pacata, tranquila, onde a vida passa devagar. Seus moradores são muito hospitaleiros. Sua economia gira em torno de pequenos comércio, da agropecuária e turismo, já que no município, a natureza é um dos seus maiores atrativos, com belíssimas cachoeiras como a do Dantas, do Juarez e do Ademarzinho. Pra quem gosta de sossego e descanso, o município conta com pousadas muito atrativas, entre elas a do Rancho do Macota (na foto abaixo do Marlon Arantes).
As festividades religiosas, em torno da Matriz são as maiores atrações do município, como por exemplo a Festa do Jubileu em setembro de cada ano, que atrai visitantes de toda a região e mobiliza toda a cidade em torno do evento.  A paróquia de Serranos fica lotada a cada ano, quando chega setembro e com ele o dia do jubileu. Trata-se de uma imensa massa de fiéis, que a cada ano aumenta, que vão à paróquia para se beneficiar das Indulgências. À noite, no Desfile processional, a Praça da Matriz é aclamada em hinos de aclamações à Maria. Destaque também para a Cachoeira dos Dantas, do Juarez e do Ademazinho, pela beleza natural típica da região.
3ª) Seritinga - 1851 habitantes
Com 1841 habitantes, segundo o IBGE em 2019, a cidade de Seritinga surgiu com a chegada da Estrada de Ferro na região, que ligava Aiuruoca a Liberdade. Da lembrança dos tempos do trem de ferro, desativo em 1977, restou a antiga estação, um dos pontos turísticos do município. A economia da cidade é basicamente de pequenos comércios e na produção de queijos, inclusive, sendo famosa pela qualidade de seus queijos. Essa fama originou-se do Laticínios Skandia, de propriedade das família do Sr. Godfredson, de origem dinamarquesa. Começaram a produzir queijos em Seritinga da mesma forma que sua  família produzia na Dinamarca.Um queijo muita qualidade. Este laticínio foi desativado, mas a tradição do queijo dinamarquês foi preservada pelos produtores locais, mantendo a mesma qualidade do queijo produzido pela família dinamarquesa. É um queijo único e muito procurado pelos amantes de queijos de qualidade. 
Seritinga é uma das mais atraentes cidades mineiras, chamando a atenção suas ruas tranquilas, limpas e arborizadas, bem como a Igreja de São Pedro (na foto acima de Dalton Maciel, a Igreja de São Pedro em Seritinga)com arquitetura em formato de navio. Além da Estação e da Igreja de São Pedro, a Praça Sete de Setembro é um dos pontos mais frequentados por seus moradores, bem como seu casario, com influência da arquitetura dinamarquesa e colonial português! Pra quem gosta de apreciar a natureza, no município tem as praias fluviais dos rios Aiuruoca e dos Franceses., bem com a Cachoeira do Galvão
2ª ) Consolação - 1783 habitantes
Com 1783 habitantes, em 2019, segundo o IBGE, Consolação (na foto acima de Rosana Costa/Divulgação)  é uma pacata e charmosa cidade, com uma ótima qualidade de vida, tendo a atividade econômica principal de seus moradores, a agropecuária e pequenos comércios. Os consolenses vivem num ambiente calmo e tranquilo, vivenciando um estilo de vida tipicamente do interior mineiro. A cidade tem uma ótima gastronomia, bem como belezas naturais encantadoras como a cachoeira do Urubu, a Gruta do Zé Teixeira, a Pedra da Independência e a belíssima serra do bairro Cascavel.  A cidade oferece, como atrações, a Festa da Padroeira, com uma semana de quermesse, a encenação da Semana Santa, a Festa Junina e o Aniversário da cidade, com desfile de cavaleiros, gincanas e competições esportivas. No aniversário da cidade, 1º de março, acontece desfiles de cavaleiros, gincanas e competições esportivas. Duas festas são destaque na cidade: Festas Juninas e a tradicional Festa da Padroeira. A Semana Santa na cidade é marcada por muita religiosidade, fé e tradição.
1ª) Senador José Bento - 1.520 habitantes
A história do município inicia-se a partir de 1922, com a criação de uma Colônia Agrícola Padre José Bento em homenagem ao sacerdote católico, jornalista, deputado e senador do Império entre 1834 a 1844, José Bento Leite Ferreira de Melo (São Gonçalo do Sapucaí, 6 de janeiro de 1785 — Pouso Alegre, 8 de fevereiro de 1844). O objetivo da Colônia era o de abrigar imigrantes de várias nacionalidades que chegavam em grande número ao Brasil, após a primeira Guerra Mundial. Com o passar do tempo, agricultores da região foram se juntando à Colônia, dando origem a um povoado que hoje, que se transformou em cidade, emancipada em 30 de dezembro de 1962, adotando o mesmo nome da Colônia, Senador José Bento. (fotografia acima de Edson de Oliveira/Divulgação)
O município faz divisa com Borda da Mata, Ipiúna e Congonhal. Fica a 420 km de Belo Horizonte e contava em 2019, segundo o IBGE, com 1502 habitantes. A cidade é simples, muito acolhedora com belezas naturais como a Cachoeira das Tronqueiras e o Pico da Bela Vista. Sua economia gira em torno das atividades agropecuárias, pequenos comércios e artesanato. Na cidade existe a Casa do Artesão, com mostras dos trabalhos dos artistas locais. Um dos grandes eventos religiosos da cidade são as Festas de São Sebastião e São Benedito, que atraem grande número de turistas e devotos à cidade. 

28 comentários:

  1. Amo essas Serras Verdes! Consolação é minha terra natal.O meu presépio encantado!

    ResponderExcluir
  2. Dessa lista, eu já estive em Consolação, a conheci percorrendo o Caminho da Fé, realmente muito pitoresca, Senador José Bento só vi de longe entre as montanhas quando passei por Poços de Caldas, faltou Tocos Do Moji, que também é muito pequena...

    ResponderExcluir
  3. Na verdade, nossa Minas Gerais, o viajante que quiser descobrir raridades, como belas cachoeiras e uma beleza indescritível de suas montanhas, a tradicional comidinha mineira e o jeito mineiro de ser, tem que percorrer essas citadas cidades e muito mais.

    ResponderExcluir
  4. Faltou a minha querida Delfim Moreira pequena e encantadoura. Cidade que amo muito muitóooooooo

    ResponderExcluir
  5. Nas informações de Wenceslau Braz a cidade também faz divisa com Pirangucu/MG.

    ResponderExcluir
  6. Amo sul de Minas .
    Moro em Monte Verde .
    Paraíso , este lugar !!!!!!
    Nada é igual . NADA .

    ResponderExcluir
  7. Eu acrescentaria a cidade de Gonçalves... Linda.

    ResponderExcluir
  8. Natércia!!!tbm uma cidade mto boa p visitar!!

    ResponderExcluir
  9. Eu colocaria S.José do Alegre .Uma cidade calma e acolhedora .

    ResponderExcluir
  10. Lindas e charmosas, mas será que tem infraestrutura? Hospitais, escolas?

    ResponderExcluir
  11. E não demora, o trem turístico entre S.Sebastião do Rio Verde e São Lourenço começa a circular(previsão até o fim desse ano) trazendo(e levando) mais mineirice para essas localidades, afinal em Minas tudo é trem.

    ResponderExcluir
  12. Adoro São Lourenço passear na Maria Fumaca.Pocos de Caldas esta moda no meu coração.Adoro as noite e manhãs de inverno.Afumaca saindo d xícara de café co leite o pão de queijo wuentinqu.Bom demais da conta!!!!!?

    ResponderExcluir
  13. Ainda quero conhecer serra da saudada.tomar um sorvete lá na praça

    ResponderExcluir
  14. Ainda quero conhecer serra da saudada.tomar um sorvete lá na praça

    ResponderExcluir
  15. Sou de Congonhal. linda pequena, pacata, rodeada de belas montanhas e muitas águas. Conheçam!

    ResponderExcluir
  16. Poderiam ter mencionado Itanhandu,Passa Quatro e Itamonte, três cidades fantásticas.

    ResponderExcluir
  17. Dessas a que conheço muito bem, na qual passei boa parte de minha infância foi Wenceslau Bras, antiga Bicas do Meio. Meus avós por parte da minha mãe moraram lá por muitos anos. Meu avô trabalhou na REPI. Meu pai e minha mãe se conheceram lá, namoraram e casaram em Itajubá. Que saudades.....

    ResponderExcluir
  18. Minas Gerais de infinitas belezas, infinitas riquezas, só encontradas aqui!!

    ResponderExcluir
  19. Eu pensei que Minduri entraria nessa turma porque lá e bem pequeno eu não sei qts habitantes em torno de 3mil a quatro eu acho

    ResponderExcluir
  20. Carmo de Minas,terra dos melhores cafés do mundo.

    ResponderExcluir
  21. Conheço senador José Bento, cidade dos aposentados, costumo ir no pesqueiro situado na referida cidade, muito boa a cidade.

    ResponderExcluir
  22. Silvianopolis a mais encantadora de todas.seu ponto turistico o lago dos bandeirantes.festa do rosario
    Maravilhosa

    ResponderExcluir
  23. Consolação minha terra natal, temos a mesma idade, pacata,nunca cresceu, talvez melhor assim. Ainda paira muita inocência, hospitalidade e qualidade de vida.

    ResponderExcluir

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Facebook

Postagens populares

Seguidores