Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

terça-feira, 23 de março de 2021

15 Capitais de Minas Gerais - Parte I

(Por Arnaldo Silva) A capital administrativa de Minas Gerais é Belo Horizonte, todos sabem. Mas pelas 12 regiões geográficas mineiras, alguns municípios se destacam no cenário estadual, nacional e até internacional, seja na gastronomia, indústria, artesanato, cultura, confecções, religiosidade, bebidas, moda, carnaval, confecções, pedras preciosas, agricultura, pecuária, dentre outras atividades, com saberes e sabores populares, alguns de origem secular. 
          Esses saberes e sabores, aliados à vocação natural de cada município, formam suas identidades, tornando-os também “capitais”, não só de Minas, mas também “capitais” nacionais e mundiais. 
          Em ordem alfabética, 30 “capitais” de Minas Gerais, dividida em duas partes. Nessa primeira parte, 15 "capitais". As outras 15, que completam as 15 capitais, estão na parte II
01 - Alvinópolis – Capital Nacional das Chitas
          Cidade histórica, charmosa, com pouco mais de 15 mil habitantes, Alvinópolis está a 162 km distante de Belo Horizonte, na Região Central. É na cidade que está instalada a Fabril Mascarenhas, uma das mais antigas, tradicionais e importantes indústrias têxteis do Brasil, presente na cidade desde 1912, produzindo a Chita, o tecido mais popular Brasil. 
          A Chita e a indústria, são tão importantes para a cidade que estão incorporados à identidade do município, sendo, Alvinópolis, a capital nacional do tecido de chita. Todos os anos, geralmente em junho, acontece a FestChita, um tradicional evento cultural, musical e gastronômico, com mostras das novidades da produção de chitas, em vários estandes, além de shows, barracas com comidas típicas e roupas feitas com chita. (Na foto acima de Elpídio Justino de Andrade, o Centro de Alvinópolis)
02 - Andradas – A terra do Vinho em Minas
          Com cerca de 45 mil habitantes e distante 463 km de Belo Horizonte, Andradas é uma charmosa, acolhedora e elegante cidade do Sul de Minas. Agraciada com as belezas das montanhas do Sul de Minas, suas paisagens naturais são de tirar o fôlego Sua origem é do século XIX, destacando em Minas pela sua produção de rosas e pela tradição vinícola. (foto abaixo de Alexandre Pastre)
          A produção de vinhos, foi introduzida na cidade no início do século XX, por famílias de imigrantes italianos, que se instalaram no município, existindo até os dias de hoje, vinícolas fundadas pelos italianos, como a Casa Geraldo, Belotto, Marcon, Muterle, Piagentine e Basso, uma das mais antigas, fundada em 1905. A altitude, o clima ameno da Serra da Mantiqueira e a qualidade das terras e água, permitem a produção de vinhos finos, um dos fatores da qualidade dos vinhos de Andradas. Desde 1954, acontece na cidade a Festa do Vinho, geralmente no mês de julho. Este evento atrai visitantes de toda a região e do Brasil, consolidando Andradas como a Terra do Vinho e Capital do vinho em Minas Gerais.
03 - Belo Horizonte - Capital Mundial dos Botecos
          Sem dúvida alguma, Belo Horizonte (na foto acima de Clésio Moreira), além de ser a capital de Minas Gerais, é a “Capital Mundial dos botecos”. Os quase doze mil bares espalhados por todas as regiões da cidade motivaram a criação de uma lei que declarou Belo Horizonte como "capital mundial dos botecos". São cerca de 12 mil bares, botecos e restaurantes, espalhados por toda a capital mineira, que atendem seus cerca de 2,5 milhões de habitantes. O título de “capital mundial dos botecos” é reconhecido pela Lei Municipal nº 9.714. Anualmente são realizados vários eventos gastronômicos na cidade, com destaque para o festival “Comida di Buteco”, que atraí milhares de turistas de todo o Brasil para experimentarem as novidades gastronômicos dos bares, botecos e restaurantes belo-horizontinos.
04 - Borda da Mata - Capital do Pijama
          Cidade com ótima estrutura urbana, charmosa, acolhedora, Borda da Mata, conta atualmente pouco mais de 20 mil habitantes. O município fica no Sul de no Sul de Minas, distante 410 km de Belo Horizonte, a margens da Rodovia MG-290 e faz parte do Circuito Turístico das Malhas do Sul de Minas. (fotografia acima de Marcos Pieroni)
          Se destaca em todo o Brasil no turismo de negócios. Todos os dias, são centenas de pessoas, vindas de vários estados do país, em busca de seu principal produto: o pijama. A cidade é um polo de confecções em Minas Gerais e os turistas adquirem os pijamas e malhas, no atacado e no varejo. A atividade de confecção de pijamas, malhas e tecelagens, respondem por cerca de 80% da economia da cidade, gerando cerca de 4 mil empregos diretos. Além das confecções, o artesanato e artigos para decoração em madeira, feitos pelos artesãos locais, são atrativos especiais à parte, bem como a bela Basílica do Carmo.
05 - Capitólio - Capital do Lago de Furnas
          Entre as 34 cidades, banhadas pelo imenso Lago da Represa de Furnas, Capitólio (na foto acima da Lucélia Miranda), a 276 km distante da Capital, no Sudoeste de Minas, conta com cerca de 10 mil habitantes. Capitólio se destaca no turismo, não só na região, mas no Brasil, por suas paisagens paradisíacas e espetaculares. É atualmente o mais badalado point de turismo em Minas Gerais. 
          A cidade recebe diariamente, centenas de turistas vindos de todas as partes de Minas e do Brasil. Vem à cidade desfrutar das maravilhas naturais do município, bem como da sua rica e diversificada gastronomia, o charme de suas construções, confortáveis e aconchegantes pousadas e restaurantes com seus pratos finos e variados, principalmente com os pratos feitos com peixes de água doce.
06 - Conceição dos Ouros – Capital Mundial do Polvilho
          Conceição dos Ouros, no Sul de Minas, conta atualmente com cerca de 12 mil habitantes, fica a 450 Km de Belo Horizonte e é conhecida carinhosamente como “Princesa da Mantiqueira”, a cidade é charmosa, acolhedora e com boa estrutura urbana.
          Cidade com tradição na agropecuária, desde o início do século XX, teve o auge de seu desenvolvimento a partir da década de 1970, com o surgimento de fábricas de móveis artesanais, de artefatos de gesso, de polvilho, confecções de roupas e calçados esportivos, produtos alimentícios diversos como geleias e derivados do leite e indústrias de autopeças. (fotografia acima de Leonardo Souza/@jleonardo_souza_srs)
          O grande destaque da indústria de Conceição dos Ouros atualmente é sem dúvida, o cultivo da mandioca e seus derivados, principalmente, o polvilho. A cidade é o maior produtor de polvilho do mundo. É o polvilho, um dos grandes responsáveis pelo desenvolvimento da cidade. São cerca de 20 fábricas no município, que produzem toneladas de polvilho doce e azedo por ano, gerando milhares de empregos diretos e indiretos. Produzindo tanto polvilho, assim, obviamente, a cidade se destaca na produção de pão de queijo e principalmente, biscoitos de polvilho.
          O polvilho é tão importante para Conceição dos Ouros, que todos os anos, a cidade realiza a Festa do Polvilho, geralmente no início de agosto, atraindo milhares de pessoas, vindas de todas as regiões. Na festa, acontecem shows e barraquinhas com comidas típicas, bem como as inovações da indústria de polvilho e claro, presença de todas as quitandas feitas com o polvilho. A festa é tão importante para Conceição dos Ouros, que é um dos patrimônios do município e um dos principais eventos culturais e gastronômicos de Minas Gerais.
07 - Estiva – A Capital do Morango
          Com cerca de 12 mil habitantes e distante 409 km de Belo Horizonte, a acolhedora cidade de Estiva, no Sul de Minas, se destaca em Minas Gerais e no Brasil na produção de morangos, desde a década de 1960, tendo sido a pioneira na produção da fruta no Estado de Minas Gerais, cultivando cerca de 15 variedades diferentes de morangos. Minas Gerais é responsável por 65% da produção nacional de morangos, produzindo uma média de 118 mil toneladas/ano, segundo dados da Emater em 2018. (foto ilustrativa acima de Mônica Rodrigues)
          A maior parte da produção de morangos em Minas estão concentradas na Região Central, Vale do Jequitinhonha e em sua maioria, no Sul de Minas, principalmente nas cidades de Estiva, Bom Repouso, Pouso Alegre, Espírito Santo do Dourado, Senador Amaral e Carvalhos, atualmente as maiores produtoras.
          Por ser a pioneira e a fruta ser tradição no município, além de Estiva ser uma das maiores produtoras do Estado, a cidade é considerada a Capital do Morango. O morango é tão importante para Estiva, que todos os anos, em julho, acontece a ExpoFest, um evento com shows, com eleição da Rainha do Morango, além da apresentação de tecnologias novas e todas as delícias feitas com morango.
08 - Governador Valadares – Capital mundial do voo livre
          A 320 km de Belo Horizonte, no Vale do Rio Doce, Governador Valadares, hoje com cerca de 282 mil habitantes, é uma das maiores cidades do Estado e uma das importantes cidades de Minas Gerais. Cidade com excelente estrutura urbana, tanto para seus moradores, bem como para os turistas que vem à cidade. A cidade conta com uma ótima malha rodoviária, trens de carga e de passageiros, com estação do Trem Vitória Minas e aeroporto. Se destaca em vários ramos comerciais e industriais, principalmente na mineração de minério e pedras preciosas. (fotografia acima de Sérgio Mourão)
          No entanto, o destaque maior da cidade, além de suas exposições de negócios, o GV Folia, é o Rio Doce, que permite a prática de canoagem e até surf e o Pico do Ibituruna, considerado o melhor lugar do mundo para a prática de voos livres. Isso devido a ótima estrutura do local e principalmente, pela função da corrente de ar favoráveis a prática desse tipo de esporte, segundo os praticamente de voo livre. Tanto é que campeonatos nacionais e internacionais dessa modalidade, são realizados no município, com a presença de grandes nomes desse esporte no mundo, o que faz com que a cidade seja considerada a Capital mundial do voo livre.
09 - Inconfidentes - Capital do Crochê
          A cidade é atraente, bonita, tranquila e seu povo muito acolhedor. Fica no Sul de Minas, distante 432 km de Belo Horizonte e conta atualmente com cerca de 7500 moradores. (foto acima de Pedro Massari/ Ascom/Prefeitura Municipal)
          Está numa região cafeeira e ainda com grande produção leiteira, de feijão e alho. Tem ainda a indústria extrativa de minerais, como o feldspato, quartzos, caulim e areia, além de ser uma região turística. 
          O grande atrativo de Inconfidentes, são as dezenas de fábricas de malhas, produção de tapetes, fibras e fios para crochês. A produção de crochês é toda feita de forma artesanal. É um dos mais antigos ofícios da cidade e sua maior identidade, o que faz de Inconfidentes, a Capital do Crochê. 
          A cidade organiza todos os anos, em junho, a Crochê Malhas, um dos grandes eventos do turismo de negócios em Minas Gerais, com a presença de milhares de turistas de tudo o Brasil para acompanhar as novidades do setor de malhas e conhecer um dos mais belos trabalhos artesanais em crochê, do Brasil, inclusive, presente nas praças e ruas da cidade, onde o crochê decora monumentos e árvores. 
10 - Ibiá – A capital Nacional do leite
          Distante 324 km de Belo Horizonte, Ibiá, charmosa e atraente cidade na Região do Alto Paranaíba, é uma das maiores produtoras de leite do Brasil. A produção de leite em média no município, é de 107.223 milhões litros de leite por ano. Tamanha produção leiteira, faz da cidade a Capital Nacional do Leite e uma das grandes produtoras de derivados do leite com laticínios como o Laticínio União, que produz queijo de diversos tipos como Provolone, Prato, Mozzarella, Parmesão, Queijo Minas, dentre outros derivados do leite, além da cidade sediar uma das maiores fábricas de leite em pó da Nestlé, na América Latina. (fotografia acima de Emílio Mendes Ferreira)
11 - Jacutinga – A Capital das Malhas
          Distante 490 km de Belo Horizonte, com cerca de 28 mil habitantes, Jacutinga é uma charmosa, atraente e acolhedora cidade no Sul de Minas. (fotografia acima do André Daniel)
          A cidade conta grande presença de descendentes de imigrantes europeus, principalmente italianos. Um desses italianos, Antônio Pieroni, na década de 1960, introduziu na cidade a confecção de malhas e tricôs. Pelas mãos dos italianos, o ofício cresceu, a cidade abraçou a nova atividade e virou fonte de renda de famílias. 
          Mais de 50 anos depois, a indústria da confecção de malhas e tricô de Jacutinga, é hoje a maior atividade industrial e comercial da cidade, sendo mais de 1000 empresas e cerca de 450 lojas comerciais, gerando milhares de empregos, bem como, Jacutinga, uma das referências nacionais no setor, sendo responsável por 25% de toda a produção de malhas e tricô do Brasil. 
          Cidade bem estruturada para receber turistas, se destaca no turismo de negócios, com a presença diária de turistas vindos de todos o Brasil para fazer compras no atacado e no varejo. Por isso Jacutinga é a Capital das Malhas.
12 - Juruaia - Capital da Lingerie
          Distante 450 km da capital mineira, Juruaia, fica no Sul de Minas e conta atualmente com cerca de 11 mil habitantes. A cidade oferece uma ótima estrutura urbana para seus moradores e visitantes. Além de suas belezas naturais, como montanhas, trilhas e cachoeiras paradisíacas, belíssimos casarões podem ser vistos na cidade e na zona rural, que conta ainda com suas belíssimas fazendas cafeeiras, já que Juruaia é uma das maiores produtoras de café do Brasil.
          Desde 1992, a cidade vem se destacando e crescendo ano a ano no ramo das confecções, com destaque maior para as lingeries. A pequena cidade mineira é uma das gigantes no Brasil na confecção de lingeries, com a qualidade de suas peças, famosas no Brasil e também no mundo. É o terceiro polo nacional de confecções de lingeries, além de ser a capital da lingerie.
          São mais de 200 confecções instaladas na cidade, que geram milhares de empregos diretos e indiretos. Todos os meses, saem das confecções de Juruaia, uma média de 1,5 milhão de peças, com ótimo preço, qualidade inquestionável e com designs atraentes e inovadores e sempre com novidades. Esses são os diferenciais, que garantem o sucesso das vendas e crescimento das confecções na cidade. Um detalhe importante é que 95% das confecções instaladas em Juruaia, são comandadas por mulheres.
          Todos os dias, turistas chegam de várias partes da região e do Brasil, para compras no atacado e varejo. A cidade tem ótima estrutura para receber os visitantes. Em maio, a cidade fica mais movimentada, já que é nesse mês, que acontece a Feira de Lingerie de Juruaia (Felinju) e também, em setembro, quando acontece a Fest Lingerie. (não temos fotos até o momento)
13 - Montes Claros – A capital do Pequi
          A cidade do Norte de Minas é uma das mais populosas e industrializadas do Estado de Minas, distante 422 km da capital. Com origem no século XIX, a cidade conta hoje com cerca de 415 mil habitantes. Com ótima estrutura urbana, um comércio variado, bons níveis de prestação de serviços, Montes Claros é uma cidade industrializada, além de ser uma cidade de destaque na agricultura e pecuária, no Norte de Minas. (fotografia acima de Eduardo Gomes)
          A Região Norte de Minas tem o Cerrado, como bioma predominante e seu principal fruto, o pequi, é largamente consumido in natura, em pratos especiais e industrializados, na região, principalmente em Monte Claros. O valioso fruto do Cerrado atrai investimentos, gera emprego e renda, além de fazer parte da cultura, tradição e gastronomia da cidade.
          Há três décadas, Montes Claros realiza uma das mais importantes festas culturais e gastronômicas do país: A Festa Nacional do Pequi. A identidade do pequi com Montes Claros é tão forte, que a cidade se considera, não só a capital do pequi de Minas, mas também do Brasil.
14 - Nova Lima – A capital da cerveja artesanal
           Está na divisa com a Zona Sul da capital, apenas 20 km de Belo Horizonte e conta atualmente com cerca de 95 mil habitantes. (foto acima de Andréia Gomes) Conta com um variado e desenvolvido parque industrial, um setor de prestação de serviços eficiente e comércio bem variado, além da cidade ser um dos maiores polos cervejeiros do país. A tradição cervejeira de Nova Lima teve início ainda no século XIX, sendo uma indústria sólida no município, além de ser destaque em Minas Gerais, no Brasil e no mundo. Isso graças às diversas premiações de seus rótulos, em eventos cervejeiros nacionais e internacionais. O pioneirismo e presença de um grande número de cervejarias artesanais na cidade, faz de Nova Lima, a Capital da Cerveja no Estado.
          Consolidando sua liderança no setor cervejeiro mineiro, todos os anos, no mês de outubro, a cidade realiza o Uaiktoberfest, inspirada na Oktoberfest, a tradicional festa de origem alemã, adaptada às tradições mineiras. O local da festa é todo decorado no estilo germânico, bem como figurinos, se vestem com as tradicionais roupas dos antigos colonos alemães, da região da Baviera. Além disso, na Uaiktoberfest acontece shows com artistas diversos, conta com a presença dos principais rótulos cervejeiros do país, além de muita animação e comidas típicas de Oktoberfest Nova Lima, como o Pastel Lamparina e o Bolo Queca, além da culinária mineira e de outros lugares do mundo.
15 - Mirabela - Capital Nacional da Carne de Sol
          Mirabela, no Norte de Minas, conta com cerca de14 mil habitantes e está distante 483 km da capital. A cidade tem forte tradição na agricultura e principalmente na pecuária de corte, com destaque para a carne de sol, tradição que tem origens no início do século XX.
          A carne de sol de Mirabela, não é apenas destaque na região, mas em todo o país. Isso porque a cidade tem a fama de ter a melhor carne de sol do Brasil, por isso, é a Capital Nacional da Carne de Sol.
          A atividade movimenta a economia local, gera emprego e renda para centenas de famílias. São mais de 20 açougues instalados em Mirabela, que preparam e comercializam toneladas de carne de sol por semana. 70% de sua produção vai para mercados da região e também de outras cidades, como Montes Claros, Belo Horizonte, São Paulo, Rio de Janeiro, Goiânia, Brasília, dentre outras. Muitas dessas cidades, recebem a carne encomendada pelos próprios consumidores, que experimentam a iguaria. Gostam tanto que passam a compra sempre e não tem dúvidas alguma em dizer que carne de sol de verdade, é a de Mirabela. A fama de ter a melhor carne do Brasil, não é por menos. (não temos foto até o momento)

6 comentários:

  1. Prezado Arnaldo Silva,sou de Uberaba-MG,médico formado em dezembro de 1978, na hoje Universidade Federal do Triângulo Mineiro,com mais de 30 cursos superiores.Gostei demais do seu artigo e vou divulgar na WEB,pois tenho 100 Blogues no Google Chrome,e sou responsável pelo Grupo de Uberabenses Ausentes do Facebook.A internet está cheia de Fotos sobre Uberaba,como Capital Mundial do Gado ZEBU,que sempre foi motivo de muito orgulho por nós uberabenses!
    Eis aqui uns exemplos:https://www.lancerural.com.br/queijos-produzidos-de-leite-zebu-sao-destaque-internacional/;https://g1.globo.com/mg/triangulo-mineiro/noticia/2020/03/02/uberaba-200-anos-terra-do-zebu-do-agronegocio-dos-dinossauros-e-de-chico-xavier.ghtmlhttps://www.dicionariotupiguarani.com.br/dicionario/uberaba/;https://www.hojeemdia.com.br/primeiro-plano/economia/uberaba-se-transforma-na-capital-mundial-do-zebu-1.318156.Portanto FOTOS é que não falta na internet.Vou mandar o link do seu artigo também para a Prefeitura de Uberaba e para o Jornal da Manhã,de muito prestígio na sociedade de Uberaba.Parabéns pelo artigo que exalta e divulva a cultura Mineira e qualidade e diversidade de nossa gastronomia,artesanato,etc!

    ResponderExcluir
  2. Moro e clinico,há mais de 30 anos em Belo Horizonte.Abraços!

    ResponderExcluir
  3. Bom dia Arnaldo. Por favor, verifique a possibilidade de incluir PARACATU, A CAPITAL MUNDIAL DO PÃO DE QUEIJO. Obrigado.

    ResponderExcluir
  4. Obrigado Arnaldo Silva, por incluir Paracatu como a Capital Mundial do Pão de Queijo. Abraço. Reinaldo Giati.

    ResponderExcluir
  5. Esqueceram-se da CAPITAL DO CAFÉ e da CAPITAL DO MILHO duas grandes locomotivas da economia agrícola do Estado de Minas Gerais.

    ResponderExcluir
  6. Patrocínio MG: Capital Mundial da produção de Café.

    ResponderExcluir

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Facebook

Postagens populares

Seguidores