Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

sexta-feira, 5 de março de 2021

A Capela do Rosário em Ouro Preto

(Por Arnaldo Silva) Mais conhecida como Capela do Padre Faria, fica no bairro de mesmo nome, em Ouro Preto MG e foi tombada em 8 de setembro de 1939, como Patrimônio Histórico Nacional, pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). É um dos mais belos exemplares do Barroco Mineiro, não só por sua riqueza arquitetônica, mas por fazer parte da origem e história de Ouro Preto e de Minas Gerais. (fotografia acima e abaixo de Ane Souz, dos ornamentos interiores da Capela)
          Foi construída nos primeiros anos do século XVIII, pelo Padre João de Faria Fialho, nascido em 1636 na Ilha de São Sebastiao, atual Ilha Bela/SP, falecendo aos 76 anos em 1712, na Vila de Nossa Senhora do Bom Sucesso, no Vale do Paraíba, em São Paulo.
          Padre Faria era Capelão da Bandeira de Antônio Dias e também, tinha sua própria bandeira. Foi o responsável pela descoberta de ouro na região da antiga Vila Rica, hoje, Ouro Preto. O padre fundou ainda a cidade paulista de Pindamonhangaba, bem como, nesta mesma cidade, a Igreja de Nossa Senhora do Bom Sucesso. É atribuída ao Padre Faria, a celebração da primeira missa em Ouro Preto, que aconteceu num dia de São João.
          
Em Ouro Preto, o padre ergueu uma pequena ermida, dedicada à Nossa Senhora do Carmo. Em 1723, a administração e posse da Capela foi assumida pela Irmandade de Nossa Senhora do Parto do Bonsucesso, formada por homens pardos e mamelucos. (foto acima de Ane Souz)
          Por volta de 1740, a Capela passa a abrigar também Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Brancos. Nessa época, a pequena ermida erguida pelo Padre Faria, dá lugar a outra capela, um pouco maior, seguindo o estilo nacional português. Simples por fora e por dentro, uma riqueza impressionante.
 
          A pintura do forro da igreja, segue o estilo barroco mineiro e mostra a coroação de Nossa Senhora do Rosário por anjos, bem como também, pinturas de cenas do cotidiano da época. (foto acima de Ane Souz)
          A estrutura foi erguida em alvenaria seca e tijolos talhados de rocha bruta, chamado de cantaria. A fachada é bem simples, com uma porta frontal em de madeira maciça, emoldurada em pedra lavada e duas janelas com balaústres. Seu interior, conta com laterais talhadas em estilho joanino e três altares, com ornamentos dourados, muito bem talhados, em estilo rococó. (fotografia acima de Ane Souz)
          Nas imaginárias, estão as imagens de Nossa Senhora do Rosário e a de Nossa Senhora do Bom Parto. (fotografia acima de Ane Souz) O sino da Capela data de 1750 e a cruz pontifícia, de 1756. Essa cruz chama a atenção por possuir três braços. (na foto abaixo da Ane Souz)
          Acredita-se que os três braços da cruz, simbolize as três bulas pontifícias, assinadas pelo papa Pio VII (Cesena, 14 de agosto de 1742 — Vaticano, 20 de agosto de 1823). Uma bula era um tipo de alvará, assinado pelo papa, que concedia privilégios e indulgências, e tinham força de lei eclesiástica. Nesse caso, as três bulas, concedia privilégios e graças às capelas.

0 comentários:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Facebook

Postagens populares

Seguidores