Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

domingo, 24 de janeiro de 2021

A rotina de trabalho do João de Barro

(Por Arnaldo Silva) Sempre são exibidas imagens de outras aves ocupando as casas do João de Barro (Furnarius rufus) que trabalha tanto e vem outras espécies e ocupam a casinha deles. É o que todos pensam e mostram em fotos, veem na sequência da matéria. Mas será isso verdade? 
           Não, não é verdade. O João de Barro leva em média 30 dias para fazer sua casinha. Observando a rotina do dia a dia do João de Barro, foi percebido que eles tem um senso de organização e disciplina durante a construção de suas casas, que impressiona em muito. (fotografia acima de Raul Moura)
A rotina diária do João de Barro
          Acompanhando a rotina diária do João de Barro, desde o início da construção de sua casinha, até a finalização da obra, foi observado que o "Pedreiro da Floresta", não trabalha sozinho. Sempre está acompanhado de sua companheira, que o ajuda na construção da casa. 
          Sua casa tem uma entrada, onde o casal pode passar tranquilamente e espaço que acomode bem os dois, além de ser forrada com penas e pelos, para que a fêmea ponha os ovos e os filhotes fiquem confortáveis e mais protegidos dos predadores.
          Antes de começarem sua obra, escolhem o melhor lugar para sua edificação, que tem em média 30 cm, em formato esférico e com uma abertura. Optam por lugares como troncos firmes de árvores ou mesmo postes, que lhes deem segurança e que tenha menos corrente de vento. Calculam ainda a posição da casa, sempre na posição contrária aos ventos. (fotografia acima de Eduardo Afonso)
          Escolhem com atenção onde irão retirar a matéria prima para construírem juntos, sua morada. Retiram o barro úmido da natureza, misturam com palha e esterco de gado e amassam bem, usando os bicos e os pés. (fotografia abaixo de Eduardo Afonso)
          Escolhido o local de sua casa e onde irá retirar a matéria prima sua casa, percebeu-se que o casal de João-de-Barro, começava a trabalhar por volta das 7 horas da manhã, dava uma pausa por volta do meio dia, retornava pouco tempo depois e parava o trabalho por volta das 17 horas. Ou seja, trabalhava em média de 8 a 10 horas por dia, de segunda a sábado, sempre com a ajuda de sua companheira.
          Um detalhe interessante observado na rotina do casal de João-de-Barro é que eles não apareciam aos domingos para trabalhar. Em nenhum momento, durante os dias de construção de sua casinha, o casal foi visto trabalhando nesse dia da semana.
          Depois da casa e o ninho já prontos, eles se mudam e lá ficam, mas não a vida toda. Vocês pensam que depois da construção ele fica descansando, curtindo a casinha? Nada disso. Acabou sua casa, pouco tempo depois, já começa a construir outra. O João de Barro constrói sua casa e nela vive por alguns meses apenas. O tempo de duas, três ou quatro ninhadas. (fotografia acima de Odilon Euzébio, casas de João de Barro em na zona rural de Inhapim MG)
          Esse ciclo é repetido constantemente. Ele não para de trabalhar. As outras espécies de aves, entre elas os periquitos, tuins, canários-da-terra, etc., só se aproximam da casa quando o João de Barro não está mais vivendo nela. Somente quando o João de Barro já fez sua outra casinha, é que outras aves, as ocupam. Em sua maioria, as espécies não invadem o habitat dos outros. A natureza tem suas leis e estas são respeitadas. (na fotografia acima de Paulo Santos em Itamonte MG, periquitos ocupando a casa do João de Barro)
          Há poucas exceções, já que algumas espécies, tem como hábito usar ninhos de outras aves, já prontos, independentemente da espécie que seja. 
          Como exemplo, o pardal, que chega a expulsar aves de seus ninhos, para usá-lo, bem como o chupim, que coloca seus ovos, em ninhos alheios, para que as aves choquem e criem seus filhotes.
          Essas espécies invadem qualquer ninho, podendo também invadir, o ninho do João-de-barro e lá, depositarem seus ovos. As demais espécies, não. Apenas quando o João-de-barro deixa sua casinha, elas ocupam sua moradia.
A lenda

          No século passado, existia uma crença de que o João de Barro não aceitava traição e deixava sua amada presa na casinha para o resto da vida. (fotografia acima de Paulo Santos em Itamonte MG)
A lenda ganhou mais popularidade pela música "João de Barro", composta por Teddy Vieira e Muhib Cury, interpretada por grandes nomes da música sertaneja brasileira como Tonico e Tinoco e Sérgio Reis.
          A letra foi inspirada nessa crença popular, mas pesquisadores, que estudaram e analisaram o comportamento da ave durante anos, não encontraram nenhuma evidência da veracidade desse fato. É apenas uma lenda, nada mais que lenda.

15 comentários:

  1. Adorei saber sobre o João de Barro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bom saber q o João de Barro não prende sua companheira por traição essa lenda eu acreditava

      Excluir
  2. Que história linda!! A natureza sempre nos ensinando!

    ResponderExcluir
  3. Pode ate ser raro, mas na minha chácara o canário chocou numa casa de Joao de Barro recém construída

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito aprendi mais uma história da natureza

    ResponderExcluir
  5. Amei a natureza sempre nos suroreende

    ResponderExcluir
  6. Que história linda os pássaros dando uma aula aos humanos os chupins parecido com alguns humanos amei saber sobre o João de barro,fiquei feliz saber que ele não prende sua companheira é apenas uma lenda..

    ResponderExcluir
  7. Não sabia que o João de Barro sabia os dias da semana e descansando no Domingo conforme diz a reportagem kkk

    ResponderExcluir
  8. Texto bacana, muito informativo. Só gostaria de chamar atenção (espero ser uma critica construtiva) para tomar mais atenção quando ao uso da vírgula, o erro em geral é usar virgular excessivamente separando elementos que não podem ser separados textualmente (vide regras quanto ao uso da mesma em video no youtube, caso haja curiosidade). Obrigado pelo texto.

    ResponderExcluir
  9. GOSTO DAS pessoas que procurasm ficar a par das coisas verdadeiras, pois VIVEM MELHOR, POR SABER DISCERNIR o certo do errado.

    ResponderExcluir
  10. Excelente matéria, parabéns, no interior de SP tem muitos, e já percebi realmente esse ciclo da casinha deles.

    ResponderExcluir
  11. Gostei, principalmente pela confirmação da lenda, até porque não existe traição entre os casais de João de Barro.
    O descanso aos domingos ficou um pouco puxado.

    ResponderExcluir
  12. Já ouvi histórias de João-de-Barro que eles não trabalham no sábado

    ResponderExcluir
  13. Onde trabalho tem cerca de oito poste de iluminação com placas de energia solar, em cada um deles tem uma casa de João de Barro. Incrível m

    ResponderExcluir

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Facebook

Postagens populares

Seguidores