Tecnologia do Blogger.

quarta-feira, 29 de julho de 2020

Carlos Euler: joia ferroviária de Minas

 (Por Arnaldo Silva) Carlos Euller é um charmoso e pitoresco distrito de Passa Vinte MG, Sul de Minas Gerais, distante apenas 13 km da sede. No distrito, cortado por linha férrea, vivem cerca de 300 pessoas com sua economia voltada para a agricultura, pecuária e produção artesanal de queijos, doces e quitadas.(foto acima e abaixo de Rildo Silveira)
         O local onde está o distrito hoje, era ponto de pousada de tropeiros antigamente. (foto acima de Rildo Silveira) Durante os encontros das tropas, a alegria contagiava os tropeiros, tendo o lugar do pouso ficado famoso e chamado então de Pouso Alegre.  Com a chegada da linha férrea na região, no final no início do século XX, a realidade mudou. 
          A linha de trem passava pelo local de pouso dos tropeiros e com isso foi chegando mais gente, novas casas começaram a ser construídas para abrigar os funcionários da ferrovia. Um desses que chegaram à região foi o engenheiro alemão Carlos Oiler, diretor da Estrada de Ferro Oeste de Minas entre 1913/14, responsável pela implantação da ferrovia na região, da estação, da construção do casario e até de uma pequena capela no distrito. Como a pronúncia do nome era meio difícil para o povo da época, seu sobrenome foi aportuguesado para Carlos Euler.  
          Antes da chegada do engenheiro alemão, viviam algumas famílias em arraial de Pouso Alegre, entre eles o casal de origem italiana, Fortunato Nardelli e sua esposa Corinna. Com a chegada da ferrovia, o casal percebeu que cada dia mais chegavam pessoas de outras localidades para trabalharem na construção da ferrovia e das casas para os funcionários. Decidiram então montar um comércio para atender os moradores da vila e bem como os novos que chegavam. Em 1910, montaram a "Casa Comercial Nardelli", vendendo de tudo um pouco, principalmente artigos de primeira necessidade como sal, querosene, lamparinas, carnes, arroz, feijão, café, etc. (fotografia acima e abaixo de Rildo Silveira)
          O nome Pouso Alegre era nome popular, mas quando da inauguração da estação em 15 de junho de 1914, passou a se chamar Carlos Euler, em homenagem ao engenheiro alemão, que foi de grande importância para o desenvolvimento da região. A linha servia para escoamento de carga, bem como transporte de passageiros, tendo sido desativada para passageiros em 1995, funcionando apenas para trens de carga. 
          Hoje, Carlos Euler é um dos patrimônios representativos de nossa história ferroviária e de Passa Vinte (na foto acima de Rildo Silveira). A estação e seu casario, seguiu o estilo arquitetônico das construções ferroviárias do início do século XX, sendo de grande valor cultural e histórico, bem como marcou a identidade dos moradores da localidade. A vila hoje é uma das maiores relíquias ferroviárias de Minas Gerais. 
Cachoeira
Além de seu histórico e charmoso casario, Carlos Euler se destaca por ter uma das mais belas cachoeiras da região, chamada por todos de Cachoeira Carlos Euler (na foto acima de Rildo Silveira), distante apenas 5 minutos da sede do distrito. Chegando ao distrito, são cerca de 800 metros de trilhas que pode ser percorrida a pé ou de bike. Vista de longe, encanta pela beleza das suas águas e paisagens deslumbrantes em seu redor. De perto, impressiona por sua imponência. Depois de uma boa pedalada ou caminhada, refrescar em suas águas limpas e cristalinas.

Um comentário:

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Facebook

Postagens populares

Seguidores