Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

sábado, 19 de maio de 2018

Itamarandiba: uma das mais antigas cidades de Minas

(Por Arnaldo Silva) Fundada em 24 de junho de 1675, Itamarandiba, cujo nome indígena significa "pedra miúda que rola juntamente com as outras", foi uma das primeiras povoações de Minas Gerais e a primeira do Vale do Jequitinhonha, no Nordeste mineiro. Quando de sua origem, no final do século XVII, se chamava Arraial de São João Batista, elevado a freguesia, depois a distrito em 1840 e município emancipado em 1862. A cidade guarda traços e história dos tempos do Brasil Colônia, mas diferente das demais cidades oriundas do século XVII e XVIII, a povoação de Itamarandiba não teve origem somente nos bandeirantes portugueses, mas também em alemães e franceses. 
          Na região, alemães e franceses fundaram o arraial de Penha de França, em 1653, hoje distrito, antes mesmo da chegada dos portugueses e fundação do Arraial de São João Batista, que deu origem à cidade de Itamarandiba. (na foto acima de Sérgio Mourão, a Matriz de São João Batista)
           Franceses e alemães vieram para a região com o mesmo objetivo dos portugueses, encontrar ouro e outras pedras preciosas, fixando residência no arraial que fundaram. Tanto os portugueses, quantos os alemães e franceses, deixaram um pouco de suas culturas, tradições, arquiteturas e religiosidade, presentes ainda hoje no município, com destaque para os casarões da Rua Padre João Afonso e na Praça Dr. Alphonso Pavie, Largo do Souza, Rua Tiradentes, Igreja de Nossa Senhora do Rosário, Igreja de São João Batista, bem como charme e beleza colonial de seus distritos Penha de França (na foto abaixo de Sérgio Mourão), Contrato, Padre João Afonso e Santa Joana. 
          Hoje, Itamarandiba tem pouco mais de 35 mil habitantes, cidade que ao longo dos anos, vem conquistando boa infraestrutura urbana e desenvolvimento rural, sendo um dos principais municípios da região e um dos mais emergentes em Minas Gerais.
            Sua economia é baseada em pequenos comércios, prestação de serviços, na agropecuária, agricultura familiar e na produção de mel, sendo Itamarandiba um dos maiores produtores de mel de Minas, chamada de “Capital Mineira do Mel”. Se destaca ainda como um dos polos da silvicultura no país, sendo por isso conhecida também como “Capital do Eucalipto”, produzindo uma média de 30 milhões de mudas de eucalipto por ano. (foto de Sérgio Mourão)
          Faz divisa com os municípios de Aricanduva, Carbonita, Capelinha, Senador Modestino Gonçalves, Veredinha, Rio Vermelho, São Sebastião do Maranhão, Coluna, Frei Lagonegro, Felício dos Santos e São Pedro do Suaçuí. Distante 406 km de Belo Horizonte, com uma área territorial que abrange o bioma Cerrado e Mata Atlântica, tendo como destaque natural grandes chapadas, a Serra do Espinhaço, uma das reservas mundiais da Biosfera, reconhecida pela UNESCO e o Parque Estadual da Serra Negra, uma das mais belas e bem preservadas reservas naturais da região, sendo um dos maiores atrativos naturais de Itamarandiba. (foto abaixo de Sergio Mourão)
          Por suas belezas naturais, história, riqueza mineral e arquitetura colonial, é uma cidade com grande potencial turístico e ainda conta com um rico calendário festivo anual com destaque para a Expoita, uma das maiores exposições agropecuárias da região, a Festa de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos, as encenações da Semana Santa, as celebrações do Corpus Christi, o Carnaval, as festividades de fim de ano, a Festa de Nossa Senhora da Penha de França, em setembro, o aniversário da cidade em 24 de junho, são alguns eventos de destaque, que movimenta a comunidade e a economia na cidade. 
          Itamarandiba se destaca por organizar uma das melhores feiras da região com produtos da agricultura familiar, além de diversos produtos oriundos do Cerrado e Mata Atlântica. (na foto acima de Sérgio Mourão, a tradicional Feira do Mercado) É uma das mais importantes feiras do nordeste mineiro e uma das mais antigas também. Tem tradição secular e familiar. É mais que uma feira, é local de encontro dos itamarandibanos, que se encontram na Praça dos Agricultores, local da feira, todos os sábados pela manhã para uma conversa com amigos ou mesmo, passeio em família para conhecer os produtos feitos nas fazendas do município. 
          Além da feira aos sábados, nas quintas-feiras acontece também na cidade a Feira do Artesanato, também conhecida como “Forró dos Velhos”, onde são expostos artesanato do Vale do Jequitinhonha, bem como a culinária local e com o atrativo de ter muita música, alegrando os presentes. (na foto acima de Sérgio Mourão, mostra do artesanato local, feito com argila. Não está errado não gente, a escrita foi em mineirês) 
          Por falar em culinária, a gastronomia itamarandibana é riquíssima, tradicional, colonial e mineiríssima com as nossas principais receitas, presentes em nossa mesa há mais de três séculos, além das delícias que os frutos do Cerrado e Mata Atlântica possibilitam fazer como doces, compotas, sucos, farinhas, etc.

2 comentários:

  1. NÃO SEI DE OUTRO ESTADO BRASILEIRO COM GRANDES COISAS PARA CONHECER OU VER;.MAIS DO QUE EM MINAS GERAIS - MEU GRANDE ESTADO,COM MUITAS FAMAS, DESDE O S TEMPOS REMOTOS .SADY- 14-04-2020

    ResponderExcluir

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Facebook

Postagens populares

Seguidores