Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

domingo, 30 de maio de 2021

4 igrejas mineiras entre as 10 mais bonitas do Brasil

(Por Arnaldo Silva) A agência espanhola Civitalis, empresa que atua na área de distribuição on-line de visitas guiadas, excursões e atividades nos principais destinos turísticos do mundo, aponta Minas Gerais como o estado detentor do maior número de igrejas, entre as 10 igrejas mais bonitas do Brasil. No ranking da Civitalis, divulgado recentemente, consta quatro igrejas mineiras, na lista das mais bonitas do Brasil, localizadas nas cidades de Belo Horizonte, Sabará, Ouro Preto e Congonhas.
          São as Igreja de São Francisco de Assis, em Belo Horizonte, a Basílica Menor de Nossa Senhora do Pilar, em Ouro Preto, o Santuário do Senhor Bom Jesus de Matosinhos em Congonhas e a Igreja de Nossa Senhora do Ó, em Sabará.
          
Completam a lista do ranking das 10 mais bonitas igrejas do Brasil, segundo a agência espanhola, o Mosteiro de São Bento e a Igreja de São Francisco da Penitência, ambas no Rio de Janeiro; a Capela Dourada, em Recife; a Catedral da Sé, em São Paulo; a Igreja e Convento São Francisco, em Salvador e a Catedral Metropolitana de Brasília.
- A Basílica Menor de Nossa Senhora do Pilar
          Fica em Ouro Preto, a 100 km de Belo Horizonte. A Basílica Menor de Nossa Senhora do Pilar é uma das mais autênticas expressões do Barroco Mineiro. Construída em torno de uma pequena capela e ampliada nos primeiros anos do século XVIII, mesmo inacabada, foi inaugurada em 1733. Nos anos posteriores à sua inauguração, foi recebendo ornamentações e outros detalhes, até a conclusão final. É uma das mais ricas em arte barroca e em ouro do Brasil. (fotografia acima de Peterson Bruschi/@guiapeterson e abaixo de Arnaldo Silva)
          São quase meia tonelada de ouro puro, em seus detalhes, altares, ornamentações e talhas, incrivelmente muito bem trabalhadas. A riqueza se explica devido às várias irmandades, que juntas, se uniram para construir a igreja, dedicada à Nossa Senhora do Pilar. Foram décadas de obras, até a conclusão final da igreja, ainda no século XVIII. A imponência, a arte barroca, as impressionantes talhas em ouro, chegam a extasiar, por tamanha beleza.
- Igreja de São Francisco de Assis em BH
          Projetada em 1942 e erguida em 1943, foi o primeiro trabalho expressivo do a arquiteto Oscar Niemeyer. Foi o então prefeito de Belo Horizonte, na época, Juscelino Kubitscheck, que solicitou a Niemayer, o projeto. Uma obra ousada e inovadora para a época, sendo visto como o marco da arquitetura moderna brasileira. A beleza da igreja e de todo o conjunto modernista da Pampulha foi reconhecido pela Unesco, como Patrimônio Mundial da Humanidade, em 2016. (fotografia acima de Elvira Nascimento)
          Uma igreja singela, simples e ao mesmo tempo, rica em detalhes arquitetônicos em suas curvas, simbolizando as montanhas de Minas Gerais. Completando a riqueza e beleza da igreja, estão os painéis azuis e brancos, de Cândido Portinari e o charme dos jardins projetados pelo paisagista, Burle Marx.
- A Basílica do Bom Senhor Jesus de Matozinhos
          Fica em Congonhas, a 88 km de Belo Horizonte. Todo o conjunto em torno da Basílica, foi reconhecido pela Unesco, como Patrimônio Mundial da Humanidade, em 1985. Construído em etapas, entre os anos de 1757 e 1875, o conjunto forma uma das mais impressionantes obras de arte barroca do mundo. Durante os anos de sua construção, vários artistas e arquitetos, deram sua contribuição. Entre esses artistas, está Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho. O Mestre do Barroco Mineiro trabalhou na construção do Basílica e seu conjunto, de 1796 a 1805. (fotografia acima de Wellington Diniz)
          São 66 imagens sacras, representando a Paixão de Cristo e as esculturas dos 12 profetas, esculpidas em pedra sabão, formando um conjunto com 78 obras, esculpidas pelo Mestre Aleijadinho. O Mestre do Barroco Mineiro deixou, no Santuário de Congonhas, um dos mais completos conjuntos de obras do planeta, em expressão e originalidade.
          Para esculpir as feições dos personagens retratados nas 78 peças, Aleijadinho se inspirou em gravuras, que vieram de Portugal e chegaram às suas mãos. Eram pinturas sacras de artistas italianos dos séculos XV ao século XVIII. Nessas gravuras, os artistas italianos retratavam os personagens bíblicos com feições europeias, com vestimentas no estilo de vestir dos homens e mulheres turcas. Isso porque eram com os turcos, que os artistas italianos tinham mais contato, devido uma parte do território turco, estar na Europa. (na foto acima de Thelmo Lins, detalhes de um dos 12 profetas do Aleijadinho)
          Assim, desenhavam as figuras bíblicas, com as feições dos homens e mulheres europeus, principalmente, da Itália. Para vestir seus personagens, se inspiraram no jeito de vestir dos homens e mulheres turcas. Longas túnicas, com mangas longas, sandálias, turbantes nos homens e véus, cobrindo a cabeça das mulheres, além de barba, cabelos longos e encaracolados, comum dos turcos na época. E se inspirando nesse estilo, Aleijadinho recriava seus personagens bíblicos.
          A arquitetura do Santuário do Bom Jesus de Matosinhos, teve também inspiração europeia, tendo como base a arquitetura da Igreja de Bom Jesus do Monte, em Braga e no Santuário de Nossa Senhora dos Remédios, em Lamego, ambas cidades portuguesas. Assim, foi criada uma das mais expressivas obras do barroco mundial, unindo traços e detalhes europeus ao estilo e talentos dos artistas do barroco mineiro. O resultado é uma obra única, inigualável e impressionante.
- A Igreja de Nossa Senhora do Ó
          Fica em Sabará, a 20 km de Belo Horizonte. A pequena igreja, retrata bem o estilo Nacional Português: simples por fora, e de uma riqueza impressionante, por dentro. Foi construída entre 1717 e 1720, numa época que a identidade barroca mineira, ainda estava nascendo. (fotografia acima de Thelmo Lins)
          A construção e ornamentação da igreja teve a contribuição de artistas e arquitetos. O mais importante e mais marcante desses artistas, foi Jacinto Ribeiro, pintor de artes sacras. Nascido em Goa, na Índia portuguesa era um profundo conhecedor da cultura e vida de Macau, antiga colônia portuguesa, hoje pertencente à China, além da cultura e arte portuguesa. Veio para o Brasil em 1711, passando a viver em Minas Gerais, onde deixou suas obras, por várias outras cidades.
          Para pintar suas obras, se inspirava na arquitetura indiana e chinesa. Em Portugal, Jacinto conheceu a arte portuguesa e incorporou em suas obras, o estilo da arte europeia e oriental. Esses estilos, principalmente o chinês, estão presentes na Igreja de Nossa Senhora do Ó, em Sabará. (na foto acima do Thelmo Lins, do altar-mor da Igreja)
          Esse é o diferencial desta igreja. Toda ornamentada e pintada em ouro puro, em tom azul escuro, bordas vermelhas e molduras bem talhadas e douradas. Uma arte impactante ,que deixa extasiado, todos que visitam a igreja. É uma das relíquias da história de Minas e uma das mais bem trabalhadas igrejas do mundo. O interior da igreja é todo revestido em arte pura.
          São essas as quatro igrejas mineiras do ranking da agência espanhola Civitalis. Junto com as outras 6, formam a dezena das mais bonitas igrejas brasileiras, segundo a agência espanhola.
          Vindo à Minas Gerais, vivencie a história do Brasil. Maior parte da história brasileira e do acervo dos tempos do Brasil Colônia e do Império, estão em Minas. Cada cidade mineira, tem história, tem cultura, tem arquitetura, tem tradição, tem religiosidade, tem uma riquíssima gastronomia, com receitas tricentenárias, enfim, em Minas Gerais, você encontra um pouco da história e os maiores tesouros da arquitetura brasileira.

0 comentários:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Facebook

Postagens populares

Seguidores