Tecnologia do Blogger.

quinta-feira, 4 de maio de 2017

13 lindas cidades do Vale do Rio Doce

A Região do Vale do Rio Doce e formada pela união de 102 municípios agrupados em sete microrregiões, e tem como cidades principais Aimorés, Caratinga, Coronel Fabriciano, Governador Valadares, Guanhães, Ipatinga, Mantena, e Timóteo. Tem como atividades econômicas principais a indústria, comércio, agricultura e pecuária. (na foto acima de Sérgio Mourão, o Rio Doce em Periquito MG)
01 
– Ipanema
Localiza-se a leste da capital do estado, distando desta cerca de 360 kme sua população em 2019 era de 19.861 habitantes.(na foto acima de Sérgio Mourão, a Matriz de Ipanema)
O artesanato e a presença de grupos musicais, teatrais e de dança configuram-se como algumas das principais manifestações culturais, juntamente com os eventos festivos como o Carnaval, as comemorações do aniversário da cidade e as celebrações tradicionais religiosas da Semana Santa,  Corpus Christi,  as festas juninas, entre junho e julho, com apresentações de quadrilha, espetáculos musicais e barraquinhas com comidas típicas; e as festividades do aniversário de emancipação política, que é comemorado em 7 de setembro.
O turismo rural também se faz presente em Ipanema, com fazendas, trilhas e cachoeiras e propriedades rurais e escaladas e saltos em voo livre na Serra da Pipoca.
A Festa do Queijo, que é organizada pela prefeitura em parceria com a Cooperativa Agropecuária de Ipanema (Capil), envolve uma feira gastronômica de alimentos derivados do queijo e doce de leite, além de espetáculos musicais e distribuição de alimentos à população. O município se destacou durante a Festa do Queijo de 2019 com a produção do maior queijo Minas padrão do mundo, segundo a RankBrasil, com um total de 2.284 kg feito pelo Laticínios Dois Irmãos, além do maior doce de leite, com 828 kg feito pela Fábrica de Doces Nhá Nair. Teve ainda a maior queimadinha do país, do Laticínios Delbom, com 1.150 litros. Teve também a maior chaleira do Brasil com 1,80 metros de altura por 2 metros de diâmetro. 
02 – Aimorés
Localiza-se a leste da capital do estado, distando desta cerca de 440 km e sua população foi estimada em 2019 em 25.167 habitantes.(foto acima de Elpídio Justino de Andrade)
Os principais atrativos da cidade são a Usina Hidrelétrica da cidade e o Instituto Terra do fotógrafo Sebastião Salgado, natural da cidade. Na UHE destaca-se o Parque Botânico, que além de ter a função de preservar a fauna e flora local, é aberto diariamente ao público e conta com auditório, teatro de arena, espaço cultural, centro de educação ambiental e a realização de palestras, exposições e atividades ecológicas. Também organizam-se visitas temáticas para crianças e escolas. O Instituto Terra também é aberto ao público e nele são realizadas palestras e atividades ecológicas, havendo ainda o Cine Teatro Terra, com exibições de filmes e apresentação de peças teatrais com foco na preservação ambiental.
Vários agrupamentos rochosos também são alguns dos principais atrativos, tais como a pedra Bonita, a pedra da Fundanga, a pedra da Onça e a pedra Lorena, sendo esta última propícia para escaladas e saltos.
03 – Mutum
Sua população informada segundo dados do censo 2019 é de 26.979 habitantes. O município de Mutum (na foto acima de Elpídio Justino de Andrade) localiza se na região do Rio Doce do Estado de Minas Gerais e pertence a microrregião homogênea Vertente Ocidental do Caparaó.Possui uma área de 1.256,08 km², sendo limitado ao norte pelos municípios de Aimorés e Pocrane,ao sul pelos municípios de Chalé e Lajinha, a leste por Ibatiba (ES), Brejetuba (ES) e Afonso Cláudio (ES) e a oeste por Taparuba e Conceição de Ipanema.O município possui 6 distritos; Sede, Ocidente, Roseiral (que tem seu cartório constituído em 28 de agosto de 1892), Centenário, Humaitá e Imbiruçu, 4 povoados; Santa Rita, Santa Maria, Santa Efigênia, Lajinha do Mutum e 54 comunidades.
Mutum é servida pela rodovia MG-108 que faz ligação com a BR-262 na direção sul, asfaltada e na direção norte, com a BR-474 que dá acesso a cidade de Aimorés, parte asfaltada 42 km e parte sem asfalto 28 km.
04 – Resplendor

Localiza-se a leste da capital do estado, distando desta cerca de 440 km e sua população em 2019 era de 17.397 habitantes. (foto acima de Ivan Ruela) A agricultura foi por muito tempo a principal fonte de renda municipal, mais tarde substituída pela extração mineral. Um dos principais atrativos é o Parque Estadual de Sete Salões, uma das principais reservas ambientais de Mata Atlântica da região do Vale do Rio Doce, que possui um complexo de montanhas, matas, cachoeiras, e grutas com pinturas rupestres. Também destaca-se o lago da barragem da Usina Hidrelétrica de Aimorés, no caminho do Rio Doce, onde tornou-se comum a prática de esportes aquáticos, náuticos e da pesca.
Um dos principais atrativos turísticos de Resplendor é o Parque Estadual de Sete Salões, que além de ser uma das principais reservas ambientais de Mata Atlântica na região do Vale do Rio Doce, possui um complexo de montanhas, matas e cachoeiras, além da Gruta dos Sete Salões, com pinturas rupestres. Muitos dos atrativos do parque são abertos ao público, sendo interligados por trilhas. Também se destaca o conjunto paisagístico formado pelo lago da barragem da Usina Hidrelétrica de Aimorés, no caminho do Rio Doce, onde tornou-se comum a prática de esportes aquáticos, náuticos e da pesca e a apreciação das paisagens formadas pelo curso hidrográfico em meio ao relevo ondulado, principalmente durante o pôr do sol
05 – Caratinga

Localizando-se a leste da capital do estado, distando desta cerca de 310 km. Em 2019, sua população foi estimada pelo IBGE em 92.062 habitantes, sendo então o 37º mais populoso de seu estado e o primeiro de sua microrregião. (foto acima de Elvira Nascimento)
Turismo e eventos
Caratinga ainda conta com diversos pontos turísticos, como: a Praça Cesário Alvim, cujas obras tiveram início em 1880, sendo que em 1930 foi construída, ao lado da praça, a Catedral de São João Batista, e seu coreto, feito em 1980, foi planejado por Oscar Niemeyer; a Pedra Itaúna, já citada anteriormente, tombada pelo patrimônio histórico por seu valor paisagístico, sendo utilizada para a prática de esportes radicais o Santuário de Adoração Perpétua, utilizado para preces e adorações de fieis Católicos; a Reserva Feliciano Miguel Abdala, já citada anteriormente, destacando-se pelo turismo ecológico; o Palácio Episcopal, que, inaugurado em 28 de abril de 1944, que serve como residência dos Bispos da Diocese de Caratinga; a Escola Estadual Princesa Isabel, criada em 24 de agosto de 1909, destaca-se pelo sua arquitetura, fazendo parte do Conjunto Arquitetônico e Paisagístico da Praça Cesário Alvim; além da Lagoa Silvana, área de recreação localizada próxima a Ipatinga, que oferece trilhas, praias, restaurantes e parques.
Para estimular o desenvolvimento socioeconômico local, a prefeitura de Caratinga, juntamente ou não com empresas locais, investe no segmento de festas e eventos. Essas festas, muitas vezes atraem pessoas de outras cidades, exigindo uma melhor infraestrutura no município e estimulando a profissionalização do setor, o que é benéfico não só aos turistas, mas também a toda população da cidade. As atividades ocorrem durante o ano inteiro. Há: a Festa da Folia de Reis, em janeiro; O Carnaval de Caratinga, em fevereiro; o Pedra Itaúna Open de Voo Livre, competição de voo livre do município, em julho; o Festival Folclórico, em agosto; a Feira da Paz e da Solidariedade, em setembro;a Semana da Consciência Negra, em novembro;e as comemorações do Natal, em dezembro.
06 – Bom Jesus do Galho
Localiza-se a leste da capital do estado, estando desta cerca de 300 km. Ocupa uma área de 592,289 km², sendo que 2,2 km² estão em perímetro urbano, e sua população em 2019 era de 14.935 habitantes. (fotografia acima de Elvira Nascimento)
As principais manifestações culturais presentes no município são o artesanato e os grupos teatrais e de manifestação tradicional popular, além dos eventos festivos, tais como o Carnaval, a Festa do Bonjesuense Ausente e as comemorações religiosas da Semana Santa e da Festa do Jubileu do Senhor do Bom Jesus. Também destacam-se as cachoeiras e lagoas propícias a banhos e os atrativos naturais ligados ao complexo do Parque Estadual do Rio Doce (PERD), além do Cristo Paz da cidade.
07 – Pingo D´Água
Sua população estimada em 2019 era de 4.941 habitantes. (foto acima de Elvira Nascimento) A cidade está situada no Vale do Rio Doce e é cercada por cerca de 40 lagoas naturais, próximas ao Parque Estadual do Rio Doce, que conta com cerca de 35 mil hectares de floresta nativa e configura-se como um dos últimos remanescentes da Mata Atlântica em Minas Gerais.
08 – Tarumirim
Sua população estimada em 2019 era de 14.326 habitantes. O topônimo Tarumirim (foto acima de Zano Moreira) significa "céu pequeno". Provavelmente o nome seja uma formação híbrida da palavra krenak taru "céu" e o sufixo diminutivo tupi "pequeno". A palavra céu em tupi é ybáka.
A principal fonte de renda do município é a agropecuária, e os principais produtos são leite e carne bovina.Embora o leite seja o principal responsável pela geração de renda, o município atualmente não conta com nenhum estabelecimento de processamento, laticínio ou fábrica de derivados.
Cachaça - O município também é sede de uma fábrica de cachaça de qualidade. A cachaça Lenda Mineira é produzida pela Agropecuária Roda D´Água Ltda e possui selo da AMPAQ-Associação dos Produtores de Cachaça de Qualidade. O produto destaca-se pela qualidade superior e pela grande conceituação no mercado de exportação.Além desta fábrica, existem vários alambiques no município, que fabricam cachaça artesanal, comercializada no município e em cidades do entorno.
09 – Governador Valadares
 Localiza-se a leste da capital do estado, distando desta cerca de 320 km e sua população em 2019 era de 279.885 habitantes. O seu Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,727, considerando como alto em relação ao estado. (foto acima de Sérgio Mourão)
Turismo
Uma das principais fontes de renda da cidade ainda é o turismo. O município possui várias atrações turísticas. Com destaque para o Pico da Ibituruna. (foto acima de Sérgio Mourão) Com 1.123 metros de altitude acima do nível do mar, possui as melhores térmicas do mundo e se consagra como cenário nacional e internacional na prática do voo livre. Além do voo livre, a área do pico é propícia para a prática de outros esportes de aventura. É uma marca registrada de Governador Valadares, sendo um dos mais lindos cartões postais. Atualmente, o Ibituruna é considerado como APA (Área de preservação ambiental).
O município possui ainda outras diversas atrações turísticas e uma ótima rede hoteleira, com dezenas de hotéis, bem como restaurantes. Conta ainda com os seguintes pontos turísticos:Ilha dos Araújos; Açucareira; Praça Serra Lima; Praça da Estação; Ponte do São Raimundo; Rio Doce; Museu da Cidadee o Mercado Municipal. 
10 – Virginópolis
Sua população estimada em 2019 era de 10.510 habitantes.
A cidade é regionalmente conhecida pela tradicional Festa da Jabuticaba, que ocorre anualmente em setembro desde. Um aspecto interessante é que, apesar da festa, a cidade não se configura como grande produtor da fruta. (foto acima de Elpídio Justino de Andrade) Outro aspecto cultural interessante é a presença da Capela de Nossa Senhora do Patrocínio, que possui uma das maiores escadarias de igreja do mundo, com mais de 500 degraus, construídos pelos próprios moradores da cidade em mutirões realizados no fim da década de 1980.
11 - Marliéria
Sua população em 2019 era de 4.039 habitantes.Marliéria (fotos acima de Elvira Nascimento) tem boa parte de seu território demarcada pelo Parque Estadual do Rio Doce (PERD), maior reserva de Mata Atlântica de Minas Gerais e um dos maiores sistemas lacustres do mundo, sendo o município considerado porta de entrada para a reserva ecológica. O PERD foi um dos principais responsáveis pelo desenvolvimento do turismo rural e ecológico local, que é fortalecido pela presença de pousadas, propriedades rurais e áreas de camping e corresponde a uma das principais fontes de renda municipais, ao lado da agropecuária.
Cachoeiras e mirantes também estão entre os principais atrativos rurais, bem como as construções de valor histórico no perímetro urbano, a exemplo da Igreja Matriz, da Capela Santo Antônio e dos casarões no Centro de Marliéria que preservam a arquitetura original. O artesanato e eventos festivos, tais como a festa do Judas, a "Romaria Ecológica" no aniversário do PERD e as comemorações religiosas do dia de Nossa Senhora das Dores, padroeira municipal, são algumas das principais manifestações culturais.
12 - Mesquita 
Sua população estimada em 2019 era de 5.605 habitantes.
Mesquita é conhecida tradicionalmente pela Festa de Santo Antônio, realizada todo o mês de junho. (foto acima de Elvira Nascimento) O evento reúne milhares de participantes, com a queima da tradicional fogueira de 20 metros de altura. O município possui vários pontos turísticos, dentre eles: Lagoa do Budeca, Cachoeira dos Britos, Cachoeira do Tamanduá e a Torre de TV, que é propicia à prática de voo livre. A pracinha da cidade, situada em seu centro, concentra um considerável movimento noturno, especialmente nos finais de semana, quando as pessoas se reúnem para ouvir música, contar causos e namorar.
13 – Àgua Boa
Reza a tradição que o nome "Água Boa" vem da época em que os desbravadores, bandeirantes e tropeiros, circulavam pela região, transportando mantimentos e produtos no lombo de mulas de carga, para colonizar e abastecer o interior de Minas Gerais. (foto acima de Sérgio Mourão) Alguma das diversas nascentes, rios e córregos do local onde hoje está a cidade se tornou ponto de referência, parada e descanso dos colonizadores, que se referiam ao lugar como sendo "naquela nascente de água boa", ou seja, cuja água não era salobra ou barrenta, permitindo aos homens e animais beberem e servindo também para encher os cantis. Com o uso, o termo passou a ser resumido em "parada da Água Boa", que veio a originar o nome da cidade.
A estimativa de população para em 2019, segundo o IBGE, era de 13.735 habitantes, somando-se a população da sede do município e de todos os vilarejos e região rural. Possui, como festa principal, o "Água-boense Ausente", que ocorre tradicionalmente na última semana de julho, quando os egressos da cidade voltam à terra natal para se confraternizar. (Fonte das informações: Wikipédia)

0 comentários:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Facebook

Postagens populares

Seguidores