sábado, 13 de janeiro de 2018

Diamantina: a cidade musical de Minas Gerais

Compartilhe:

Diamantina, está a 292 km de Belo Horizonte, no Vale do Jequitinhonha, rodeada por belas formações rochosas e poucas áreas planas, o que favoreceu o surgimento de belas cachoeiras. Sua altitude é de 1290 metros. Diamantina se destaca na produção de queijos e sua elevada altitude, favorece a produção de café de alta qualidade. No inverno, as temperaturas costumam ser bem baixas.

Conhecida como a capital do Jequitinhonha, da seresta, terra de Chica da Silva e Jk, é também conhecida como a cidade da música. Além das serestas, bartucada e da vesperata famosas no Brasil inteiro, a vocação do diamantinense para música está presente no dia a dia da cidade histórica, em todos os ritmos. É raro nas famílias diamantinenses, não ter pelo menos um músico. (foto acima de Wilson Fortunato)
A cadeia do Espinhaço, a arquitetura colonial preservada, as belas cachoeiras e a riquíssima história do antigo Arraial do Tejuco, hoje Diamantina, inspiram notas musicas e ritmos diversos que ecoam pela cidade. (foto ao lado de Ernani Calazans)
Vozes e os sons dos instrumentos podem ser ouvidos pelos becos, ladeiras e cantos da cidade Patrimônio Cultural da Humanidade.
Parar e ouvir os grupos cantando é quase que obrigatório. Muitos não se contentam em apenas ouvir, mas dançar e esbanjar sua alegria. A música é de qualidade e o talento dos artistas é indiscutível. Eles cantam não apenas por profissão, mas sim com alegria e orgulho por saberem que a música que tocam, traz alegria ao coração dos cerca de 200 mil turistas que visitam Diamantina todos os anos. O turista vem à cidade e guarda na lembrança o som dos instrumentos e a alegria dos artistas cantando nas ruas. 
Nos dias de Vesperata (na foto acima de Edson Zanatto), onde das sacadas dos casarões, bandas locais entoam músicas em ritmos diversos, impressiona e emociona os milhares de presentes. Além da Vesperata, tem o Carnaval de rua, com a famosa Bartucada, que atrai outros milhares de visitantes para a festa, percorrendo as ruas da cidade ao som do famoso grupo de percussão.
Visitando a cidade, o turista além da música, pode conhecer pelas ruas da cidade o artesanato local, feito com flores de Sempre-vivas. Na Feira dos Produtores Rurais e Artesanato o visitante encontra cachaça, queijos, doces, mel, comida mineira, o famoso artesanato em cerâmica do Vale do Jequitinhonha, etc. (foto acima de Elvira Nascimento)
Além do artesanato e da excelente culinária da cidade, alguns pontos turísticos não podem deixar de ser visitado como o Mercado Municipal (na foto acima de Elvira Nascimento), a casa em que viveu Juscelino Kubistchek, hoje museu, o casarão de Chica da Silva e João Fernandes de Oliveira, o Passadiço do Glória, a Catedral de Santo Antônio, a Casa do Padre José da Silva Rolim (Museu do Diamante), Capela da Santa Casa de Caridade, Praça da Unesco, Cruzeiro do Cula, Vila de Biribiri, Museu do Tropeiro, Distrito de Extração, cachoeira como a dos Cristais, da Sentinela, dentre outras belezas naturais e arquitetônicas.
Diamantina oferece uma boa estrutura hoteleira, com ótimos hotéis e pousadas. Uma excelente rede gastronômica, com comidas típicas bem como uma boa infraestrutura para receber o turista. (foto acima de Wilson Fortunato) (Pelo site da Prefeitura de Diamantina http://diamantina.mg.gov.br/ você pode obter mais informações) (Por Arnaldo Silva)

Um comentário:
Faça também comentários
  1. Tenho mta vontade de conhecer! Meu bisavô nasceu aí em Diamantina e veio p a Lençois na Chapada Diamantina,onde se estabeleceu.Devo parentes aí.

    ResponderExcluir