Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

sexta-feira, 10 de setembro de 2021

São Bartolomeu: a vila turística do mundo

(Por Arnaldo Silva) Quem chega à São Bartolomeu percebe a calma, paz e silêncio do lugar. É possível andar pelas ruas da vila, sem ao menos ver uma pessoa sequer. Parece que São Bartolomeu parou no tempo. E literalmente sim, e seus moradores não se incomodam com isso, já que parar no tempo é preservar sua história, arquitetura, tradições, gastronomia, rios, nascentes e matas. Sim, São Bartolomeu preserva sua identidade cultural, gastronômica e arquitetônica, há mais de 300 anos.
          Famosa por suas belezas naturais, São Bartolomeu conta ainda com o charme de sua arquitetura setecentista, a simpatia e hospitalidade de seus moradores, além de preservar suas tradições folclóricas, religiosas e a arte de fazer doces, preservada por gerações. (fotografia acima de Peterson Bruschi)
          A pequena vila é daqueles lugares em Minas Gerais, fáceis de chegar e difícil de sair. Quem vem à São Bartolomeu, se sente em casa, quer voltar, quer vivenciar a vida simples do lugar. Sente-se num paraíso, não só por sua beleza, mas pela simplicidade da vila e de seu povo, além de se emocionar com o carinho com que seus moradores, cuidam do lugar em que vivem. (na foto acima, eu, Arnaldo Silva, ao lado de moradores da Vila. Eles são receptivos, acolhedores e gostam de uma boa prosa)
          Distrito da cidade de Ouro Preto, Região Central, São Bartolomeu, começou a ser povoado, ainda no final do século XVII, por bandeirantes paulistas, que chegaram à região, em busca de ouro. É mais antiga que a sede, Ouro Preto, fundada em 1711, no século XVIII. Está a 18 km de Ouro Preto, com acesso mais fácil por Cachoeira do Campo, na Rodovia dos Inconfidentes. (na foto acima do Peterson Bruschi, São Bartolomeu vista do morro da Igreja das Mercês)
          Cerca de 730 moradores vivem em São Bartolomeu. Gente simples, acolhedores, receptivos e hospitaleiros. A vila oferece uma excelente qualidade de vida, bem como, ótima estrutura para receber os visitantes, com pousadas e pequenos restaurantes, que servem comidas caseiras e pequenos comércios familiares, que vendem produtos artesanais como doces, bebidas e artesanatos.
          Às margens do Rio das Velhas, em São Bartolomeu, suas águas formam poços de águas cristalinas e ainda, com praias fluviais, cascatas e cachoeiras.
          O Rio das Velhas é um importante rio mineiro. Nas nasce no Parque das Andorinhas, em Ouro Preto MG. São Bartolomeu é a primeira localidade banhada pelo Rio das Velhas. As águas chegam limpas e são devolvidas ao leito do rio, igualmente limpas. Isso porque, o esgoto da Vila é tratado, desde 1990, quando foi construída uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE).  (na foto acima de Vinícius Barnabé/@viniciusbarnabe, cachoeira na Floresta Uaimii)
          São Bartolomeu tem ainda o privilégio de ser rodeada por uma densa mata nativa com uma flora riquíssima, formada por plantas nativas da Mata Atlântica como carobão (Jacarandá micranta), mulungus, quaresmeiras, embaúbas, ingá, pata-de-vaca, ipês, pau-ferro, pau-Brasil, cedro rosa, chuva de ouro, cipós, dentre tantas outras, preservadas no Parque Estadual do Uaimii, unidade de conservação administrada pelo Instituto Estadual de Florestas (IEF/MG). (fotografia acima de Arnaldo Silva)
          A charmosa Vila Setecentista se destaca pela conservação e cuidados de seus moradores com seu casario colonial e pela consciência ecologicamente correta e autossustentável, de seus moradores que preservam suas nascentes, matas, bem como, mantém as ruas da vila limpa. (fotografia acima de Arnaldo Silva)
          São Bartolomeu, um dos apóstolos de Jesus, conhecido por Natanael (Jo 1,46), é o padroeiro da Vila. 
          A igreja dedicada ao Santo Católico, foi erguida na primeira metade do século XVIII. É um dos mais antigos templos religiosos de Minas Gerais. (fotografia acima de Arnaldo Silva)
          Construída no estilo Nacional Português, a Igreja de São Bartolomeu, se mantém praticamente intacta, com pouquíssimas alterações, ao longo de três séculos de existência. Por sua importância, arquitetura e história, a Igreja de São Bartolomeu foi tombada em 1960 pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). 
          Além da arte sacra, de enorme valor religioso, o sino da igreja chama a atenção dos visitantes. O sino é mudo. Quando o sineiro toca, não sai som. Isso porque foi feito de madeira.
          Além da Igreja em São Bartolomeu, apenas mais 4 igrejas, dedicadas à São Bartolomeu, existe Brasil. Uma em Sem Peixe/MG, outra no Rio de Janeiro e duas na Bahia, nas cidades de Maragogipe e na capital, Salvador.
          No mês de agosto, a vila é toda decorada para a Festa de São Bartolomeu e a Festa do Divino Espírito Santo, Patrimônio Imaterial de Ouro Preto MG, desde 2014. (fotografia acima de Peterson Bruschi)
          Essas duas festas, são tradicionais, seculares e mostra a fé, religiosidade e valorização das tradições dos moradores da vila, passadas de geração para geração. (fotografia acima de Ane Souz, a Festa do Divino na Vila)
          Os moradores se mobilizam para enfeitar a rua principal da Vila e preparar os festejos, que conta com orações, missas, apresentação das tradicionais bandas de músicas da região, barracas com a culinária típica da região. (fotografia acima de Ane Souz)
          Outra igreja, a de Nossa Senhora das Mercês, é outro destaque em São Bartolomeu. A pequena igreja começou a ser construída em 1772 e foi concluída em 1822.
          Por estar no topo de uma colina, se destaca na Vila é um ponto privilegiado para contemplar toda a beleza de São Bartolomeu.
          São Bartolomeu é referência em gastronomia na região, com destaque para os pratos típicos da culinária mineira, cachaças, licores, mel e principalmente, na produção de geleias e doces de frutas, figo, laranja, mexerica, jabuticaba, pêssego, cidra, limão e principalmente, de goiaba. (na foto acima do Vinícius Barnabé/@viniciusbarnabe, a Igreja de Nossa Senhora das Mercês)
          A Goiabada Cascão, uma das maiores identidades da Vila e de Minas Gerais, está presente nas mesas de São Bartolomeu há mais de dois séculos. (na fotografia acima e abaixo de Ane Souz, os tradicionais doces de São Bartolomeu)
          A arte de fazer doces artesanais em São Bartolomeu, é uma tradição que vem de gerações. É reconhecido como Patrimônio Imaterial de Ouro Preto MG, desde 2008.
          Em São Bartolomeu, o tilintar dos doces e pratos típicos fervendo nos tachos, aquecidos pelas chamas fogões a lenha, nos quintais de seus moradores, podem ser ouvidos, em coro, de várias partes da vila. (na fotografia acima de Arnaldo Silva, Dona Doquinha, uma das mais tradicionais doceiras de São Bartolomeu) Parece uma orquestra de sabores. Goiabada, doce de leite e outros doces, saindo do tacho, exalando o cheiro, gosto e sabor de uma das melhores cozinhas do mundo: a Cozinha Mineira.
          Em abril, acontece um dos mais importantes festivais gastronômicos da região. É a Festa Cultural da Goiaba. Neste evento, acontece shows com bandas locais, sorteios, exposições, bandas de músicas de distritos vizinhos, oficinais, artesanato local, além dos melhores doces feitos na Vila, atraem milhares de turistas para São Bartolomeu.
O que fazer em São Bartolomeu?
          Além de experimentar os queijos, doces, cachaças, cervejas artesanais, além dos pratos típicos da nossa culinária, presente na Vila, o turista pode contemplar o charmoso casario colonial da Vila, os detalhes das Igrejas de Nossa Senhora das Mercês e de São Bartolomeu, e os oratórios de madeiras, presentes nas casas, principalmente da Rua do Carmo. Ter oratório em casa é uma tradição secular em São Bartolomeu. (fotografia acima de Arnaldo Silva)
          Estando em São Bartolomeu, o visitante se encantará com a hospitalidade, simpatia e acolhida dos moradores locais. Com certeza, a prosa será longa. Eles adoram puxar uma boa conversa. (na foto acima, eu, Arnaldo Silva, numa boa prosa com "Dona" Nhanhá, num banco na estreita calçada da rua principal)
          Saindo da Vila, o turista pode caminhar pelas trilhas, seja a pé, de bike ou mesmo a cavalo pelas belezas da Floresta do Uaimii e conhecer belíssimas cachoeiras, como a Cachoeira Norata e a de São Bartolomeu. É pertinho, cerca de 5 km do centro da vila. 
          Além das cachoeiras e belezas das matas, o turista pode se banhar nas águas do Rio das Velhas. Na localidade, o rio é limpo e com águas cristalinas.(na foto acima do Vinícius Barnabé/@viniciusbarnabe)
Melhores vilas turísticas do mundo
          Escolhida pelo Ministério do Turismo (MTur), São Bartolomeu, distrito de Ouro Preto MG, Região Central, é uma das 3 vilas turísticas brasileiras, indicadas como “Best Tourist Villages in the World” (“Melhores Vilas Turísticas do Mundo). Várias vilas, distritos e povoados brasileiros foram inscritos por suas respectivas prefeituras, junto ao MTur. (fotografia acima de Peterson Bruschi)
          Cabe ao Mistério do Turismo a análise e escolha das representantes, de acordo com os critérios estabelecidos pela OMT. Cada país pode indicar no máximo, três representantes.
          O concurso Melhores Vilas Turísticas do Mundo é um evento promovido pela Organização Mundial do Turismo (OMT), órgão das Nações Unidas. Todos os países, signatários da ONU, participam do evento, indicando suas vilas e aldeias, com até 15 mil habitantes, para concorrerem ao título de Melhores Vilas Turísticas do Mundo.
          Além São Bartolomeu, foram indicadas, pelo Ministério do Turismo, para concorrerem no mesmo concurso, Alberto Moreira, distrito de Barretos, em São Paulo e a Vila de Enxaimel, em Pomerode, no Estado de Santa Catarina.
          O objetivo do concurso é identificar as vilas e aldeias com forte ação no desenvolvimento do turismo rural, com ações inovadoras e transformadoras, em consonância com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), em todo o mundo.
          Para ser escolhida pela OMT, a vila indicada, tem que ter baixa densidade populacional, seus moradores tem que exercer atividades ligadas à agricultura, pecuária, silvicultura ou pesca, além de valores e estilo de vida da comunidade, ser um exemplo a ser compartilhado por outras vilas e aldeias.
          São Bartolomeu se enquadra perfeitamente nesses quesitos, definidos pela OMT, bem como as outras duas vilas. A indicação, promoverá o turismo, bem como a valorização e preservação cultural, social e arquitetônica, das vilas indicadas.
          A indicação de São Bartolomeu, pelo Ministério do Turismo, foi bastante comemorada pela Prefeitura de Ouro Preto, bem como pela Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult/MG), que recebeu com euforia a notícia da indicação de São Bartolomeu pelo MTur, como uma das 3 indicadas pelo Brasil, neste concurso internacional.
          As vilas vitoriosas no concurso, receberão o selo UNWTO, de reconhecimento como "Melhores Vilas Turísticas", que valorizam seus bens culturais, e naturais, além de preservarem seus valores rurais e comunitários, além da valorização e inovação em atividades de sustentabilidade, seja na proteção ambiental, cultural, das suas identidades rurais e sociais. As vilas premiadas com o selo da OMT, passam a ser um exemplo mundial de destino para turismo.
          Mesmo que não vença o concurso, o simples fato de ter sido escolhida pelo Ministério do Turismo, para ser uma das três representantes do Brasil, em um concurso mundial, já é uma grande conquista para São Bartolomeu e Minas Gerais.
          Isso porque, ganhando ou não, o simples fato de ter sido indicada pelo MTur e estar em um evento mundial, fez São Bartolomeu, ser reconhecida como uma das melhores vilas turísticas do mundo, o que contribui para desenvolver o turismo na vila, além de colocar São Bartolomeu, na rota do turismo nacional.
          O resultado final ainda não saiu. Assim que as vilas forem escolhidas, divulgaremos o resultado.

2 comentários:

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Facebook

Postagens populares

Seguidores