Tecnologia do Blogger.

domingo, 5 de abril de 2020

Em Lambari nasceu o Catupiry

(Por Arnaldo Silva) O requeijão Catupiry, hoje um ingrediente muito comum no Brasil, indispensável nas receitas de pizzas, quibes, lasanhas, pastéis, coxinhas e outros pratos, nasceu em Minas Gerais. Está presente na vida dos mineiros há mais de 100 anos. 
          É uma invenção mineira criada em 1911 pelo casal de imigrantes italianos, Mário e Isaíra Silvestrini, que viviam na charmosa estância hidromineral de Lambari (na foto acima de Joseane Astério), no Sul de Minas, município com um cerca de 22 mil habitantes. O tipo de requeijão, criado pelo casal, foi denominado por eles por catupiry. Não há informação exata sobre o significado do nome catupiry. Acredita-se que tenha origem na palavra indígena Tupi-guarani katupyryb que significa “excelente” ou “muito bom”. (na foto abaixo, de Joseane Astério, vista parcial da estância de Lambari)
          No mesmo ano, o casal começou a produzir seu requeijão, fundando uma pequena fábrica, a Laticínios Catupiry, na cidade de Lambari, com produção artesanal do requeijão. O sucesso da receita familiar se popularizou tanto que a produção cresceu, bem como a empresa, fazendo com que o requeijão se se torna hoje um dos principais ingredientes culinários, usado em receitas de todo o mundo. A fábrica foi transferida de Lambari para São Paulo em 1949, onde existe até os dias de hoje. 
          Mesmo o catupiry sendo uma marca, o nome é associado ao requeijão em qualquer lugar do mundo e também, no nome dos pratos preparados, como exemplo coxinha de frango com catupiry, quibe com catupiry, pizza com catupiry, etc. São poucas receitas que conseguem essa união impressionante, entre marca, produto e consumidor. O nome é tão forte que qualquer requeijão cremoso hoje é chamado de catupiry, mesmo que não seja o requeijão original e tradicional da marca Catupiry.. 
Você também pode aprender a fazer requeijão cremoso em sua casa. (foto acima de Lafaiete Prince, da Delícias da Roça de Lambari MG) Veja a receita: 
Ingredientes
. 4 colheres de sopa de maisena
. 3 colheres de sopa de manteiga em temperatura ambiente
. 2 xícaras de chá de leite
. ½ xícara de chá de muçarela ralada
. ½ xícara de chá de parmesão ralado
. ½ caixa de creme de leite
Utensílios: 2 fôrmas tipo bolo inglês ou mesmo duas vasilhas pequenas. A receita renderá dois requeijões.
Modo de preparo
- Coloque numa panela o leite, a manteiga e a maisena e leve ao fogo. Acrescente os queijos ralados e cozinhe até virar um mingau.
- Despeje o mingau numa batedeira e bata até amornar. 
- Coloque o creme de leite e bata por mais 5 minutos.
- Forre a fôrma, vasilha ou panela e despeje o requeijão.
- Tampe e leve à geladeira por 6 horas. 
Em Belo Horizonte, nasceu a coxinha de frango com catupiry
          Requeijão combina muito bem com biscoitos e salgados. Como recheio de coxinha é maravilhoso.
          O catupiry é invenção mineira de Lambari no Sul de Minas, e rechear coxinha de frango com catupiry é invenção belo-horizontina. Foi na década de 1970 que a ideia surgiu pela criatividade da empresária e cozinheira Thereza Cistina Martins de Oliveira, da tradicional lanchonete Doce Docê, que funcionava no bairro Funcionários em Belo Horizonte. 
          Coxinha de frango em Belo Horizonte tinha que ter catupiry, uma combinação perfeita que caiu no gosto dos belo-horizontinos e também de todos os mineiros.

2 comentários:

  1. Hoje podemos comer um ainda melhor,a familia Silvestrini com seu laticinio em SAO LOURENÇO,uma receita ainda melhor,o qual trabalhamos aqui no ganso complexo de lazer,laticinio Miramar ,perto da Estacao de trem,fica a dica!!!

    ResponderExcluir
  2. Sempre compro essa marca de requeijão, gosto muito.
    A cidade de Lambari em minas ,tive o privilégio de conhecer.
    Cidade pitoresca,acolhedora,tdo de bom.

    ResponderExcluir

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Facebook

Postagens populares

Seguidores