segunda-feira, 16 de dezembro de 2019

Afeto

Compartilhe:

Afeto é café coado em manhãzinha de qualquer estação. A mão que o serve. Afeto.
A quitanda que sai do forno, e você sabe, pelo cheiro, que é pra você.
Ingrediente principal: afeto.
Mesmo que seja lembrança. Que seja passado. Que seja saudade: afeto.
Afeto é palavra simples, gesto simples, miudeza.
É flor que surge inesperada no cotidiano espinhoso. Um sorriso. O sorriso. Aquele sorriso: afeto.
É mão que pousa leve sobre a ferida. E que traz o remédio, o bálsamo, o elixir da cura.
Afeto é cura.
Afeto reinventa. Alimenta e salva.
É bênção. Igual àquela de pai e mãe: Vai com Deus. Vem com Deus. Deus te abençoe.
E você segue protegido por uma vida. Incontáveis dias. De afeto.
O olhar sem julgamento. A voz que silencia quando todas condenam.
A palavra que cai como uma luva, na hora precisa, no momento certo: afeto.
O gesto amoroso, o pisar leve pelo chão do outro: afeto.
O ombro no cansaço, o colo no tropeço, o abraço, regaço que emenda, une os destroços, as ruínas de nós mesmos.
O canto manso, a reza de cada um, o desejo de boa sorte. Um dedo apontando o Norte. A bússola, o rumo, a direção só se dão pelo afeto.
Afeto é poção mágica em panela do bem.
É o pequeno e inesperado milagre do dia a dia.
Ele vem do outro e parte de nós.
É via de mão dupla. É rua florida. É teimosia em tempos áridos, duros e sem poesia.
Afeto é poesia.
É melodia que nos acorda para as gentilezas, para o cuidado.
Cobrir o outro no seu dia mais frio. Aceitar cobertor, por favor, também é afeto.

A música do coração é o afeto
A canção da alma: afeto.
Afeto é o que o que nos veste, humaniza, enfeita.
É quando a outra face se vira para ser beijo.

E a gente supera mágoa, descarta ódios e vira perdão.
Porque afeto é olho por olho e dente por dente.
A vingança mais bonita,
do mais antigo, o velho conhecido, sagrado amor.


Por Miryan Lucy Rezende de Uberlândia MG com imagem ilustrativa de Marselha Rufino de Carrancas MG

Nenhum comentário:
Faça também comentários