quarta-feira, 4 de setembro de 2019

Jabuticaba de Sabará ganha Selo de Origem

Compartilhe:

Sabará, na Região Metropolitana de Belo Horizonte é reconhecida como a terra da jabuticaba no Brasil. A árvore é cultivada em mais de 15 mil domicílios da cidade. A fruta é tão importante que desde 1987 é realizado o Festival da Jabuticaba, geralmente no final de novembro e inicio de dezembro. É um dos mais importantes eventos do calendário gastronômico de Minas Gerais com a presença milhares de turistas vindos de várias partes de Minas e do Brasil, atraídos pelas delicias oriundas da fruta, produzidos em Sabará. 

O festival explora a fruta e o visitante tem à mostra, todos os derivados da jabuticaba, bem como o artesanato local, que é exposto nos dias do festival, bem como a opção de conhecer os vários pontos da cidade. Sabará é uma das mais antigas cidades históricas de Minas Gerais, guardando tesouros da arte barroca mineira dos séculos 18 e 19, como obras do Mestre Aleijadinho, que morou na cidade e do Mestre Ataíde.
 Cuidar de jabuticaba, transformá-la em sucos, vinhos, licores, geleias, molhos, cascas cristalizadas, sorvetes, mostarda de jabuticaba, etc., é uma arte. A arte da culinária, uma vocação mineira. Por isso, quem trabalha com a jabuticaba em Sabará é chamado de artesão ou artesã. São artistas na arte da culinária com jabuticaba. São 14 derivados da jabuticaba produzidos no município. A Prefeitura incentiva, doando mudas e oferecendo descontos para quem tem pés de jabuticabas em seus quintais. 
Com o objetivo de fortalecer os pequenos negócios locais e valorizar a gastronomia local um grupo de artesãs ligadas Associação dos produtores de Derivados de Jabuticaba de Sabará (Asprodejas), requereu junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) o reconhecimento de Sabará como a legítima produtora de cinco derivados da jabuticaba: geleia, compota, licor, casca de jabuticaba cristalizada e molho de jabuticaba. O pedido foi aceito em 2018 pelo INPI e os cinco produtos citados, oriundos da jabuticaba, agora tem o selo Identidade Geográfica (IG) de Indicação de Procedência. Os produtos derivados da jabuticaba em Sabará agora fazem parte do mapa de Identidade Geográfica do IBGE.
O objetivo desse selo é reconhecer a origem de um produto característico de um determinado local, atribuir reputação, originalidade e identidade própria, ou seja, o nome está restrito ao detentor do selo de Indicação de Procedência e ao município de origem. No caso de Sabará, o nome “jabuticaba de Sabará” é restrito aos produtores e prestadores de serviço da região. Isso evita que outras pessoas tentem vender os itens com o mesmo nome em outras localidades e sem pertencerem à cidade.
O Selo de Identidade de Procedência fortalece os produtores artesanais de Sabará, além de favorecer maior divulgação dos produtos locais, atraindo mais turistas para a cidade e mais clientes, abrindo mais mercados em Minas Gerais e em estados brasileiros, aumentando assim a renda, a geração de empregos e arrecadação do município.

Os produtos com Identificação Geográfica em Minas Gerais
Atualmente no Brasil são 62 produtos que tem o registro de Indicação Geográfica reconhecidos pelo Instituto Nacional de Propriedade. Minas Gerais tem 10, desses 62 produtos que são: o café do Cerrado Mineiro, o café da região da Serra da Mantiqueira, o queijo Minas Artesanal do Serro, o artesanato em estanho de São João Del Rei MG, o queijo Canastra, a cachaça de Salinas MG, o biscoito de São Tiago, a própolis verde de uma região que abrange 102 municípios mineiros e agora os derivados da jabuticaba de Sabará MG.(Texto e fotografias de Arnaldo Silva)

Nenhum comentário:
Faça também comentários