quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019

Trem ligará BH ao Inhotim em Brumadinho

Compartilhe:

Minas Gerais terá um novo trem de passageiros que ligará Belo Horizonte ao Inhotim. A linha poderá ainda ser estendida até a comunidade de Marinhos, em Brumadinho.  O trem terá capacidade para transportar até 1400 passageiros por viagem. O projeto apresentado pelo Ministério do Turismo e Secretaria de Cultura e Turismo de Minas Gerais a executivos da Vale prevê 4 viagens por dia, totalizando o transporte diário de até 5.600 passageiros. Ainda não há previsão de quando o trem começará a circular.

A intenção do governo é tirar do papel um antigo projeto de trem turístico diário lingando o Museu de Artes e Ofícios, na Praça da Estação em Belo Horizonte, ao Museu de Arte Contemporânea do Inhotim, em Brumadinho. No dia 25 de janeiro de 2019 a barragem do Córrego do Feijão da Vale se rompeu, causando mortes, devastação ambiental e perdas na arrecadação do município. A estação seria dentro do Inhotim. A linha férrea já existe e pertence a MRS, controlada pela mineradora Vale. Bastaria apenas a criação de um novo ramal, disponibilização de pessoal e locomotivas.


O secretario de Cultura e Turismo de Minas Gerais, Marcelo Matte, em coletiva à imprensa em fevereiro de 2019, para apresentar o projeto, não deu detalhes de custos e de como seria o trem e nem como seria a implantação da linha, que no caso, envolveria a Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop) e a Vale. Disse apenas que “o projeto já está lá (na Setop), em conversa com organismos federais, estaduais e com a própria Vale, em parceria com a Advocacia-Geral do Estado, porque consideramos, entre outras hipóteses, uma medida compensatória da Vale, colocando esse trem em funcionamento rapidamente, e acreditamos no sucesso desse empreendimento.” Matte salientou ainda que a operação da linha deverá ser de uma empresa privada e que será da Vale e nem do Governo do Estado, mas não deu detalhes de como seria a operação da linha. 

Segundo o Ministério do Turismo que está empenhado na implementação dessa linha de trem turístico, os representantes da Vale declararam que vão apoiar e executar o projeto que será primordial para o crescimento do turismo em Brumadinho.

O projeto dessa linha de trem não é recente. Surgiu há mais de 10 anos com a iniciativa da Associação de Preservação das Tradições e do Patrimônio Cultural de Santa Bárbara (Apito). Com o rompimento da barragem do Córrego do Feijão, pertencente a Vale, surgiu a necessidade de colocar essa iniciativa em prática o quanto antes, com o objetivo de incrementar o turismo em Brumadinho.

No final de abril, o Ministério Público Federal (MPF) recomendou à ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) e ao Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre (Dnit) para que  agilizem os processos de liberações legais, pertinentes a cada um desses órgãos federais, para que a linha possa realmente entrar em operação esse ano, favorecendo o turismo em Brumadinho e região.

4 comentários:
Faça também comentários
  1. O Turismo é uma cadeia econômica riquíssima. Mas falta algo. Minas Gerais tá engatilhado. Chegar-se-À lá? Complexo. Por quê?

    ResponderExcluir
  2. O turismo é uma cadeia riquíntima. Mas falta algo. Minas Gerais tá engatinhando.Chegar-se-à lá? Mui complexo, por quê?

    ResponderExcluir
  3. É fundamental que atenda não só o inhotim, mas à todos os moradores do municipio

    ResponderExcluir