quinta-feira, 8 de novembro de 2018

Queijo Azul de Cruzília é premiado na Noruega

Compartilhe:

O 31º Concurso Mundial de Queijos, realizado em novembro de 2018 em Bergen, na Noruega,  trouxe uma grata surpresa para Minas. O queijo tipo gorgonzola, Azul de Minas, da cidade de Cruzília no Sul de Minas, a 320 km de Belo Horizonte, levou a medalha de prata, neste importante concurso internacional de queijos. 

Foram avaliados 3472 queijos de todo o mundo, sendo premiados 599 queijos com medalha de bronze, 486 de prata, 339 de ouro e 78 "super ouro". Os vencedores da medalha "super ouro" disputam o título de melhor queijo do mundo. 

O queijo gorgonzola mineiro Azul de Minas de Cruzília levou a medalha de prata nesse concurso que tradicionalmente era realizado em Nantwich, na Inglaterra, mas passou a ser realizado nas cidades premiadas com queijos vencedores. Em 2019, o 32º concurso realizado em Bergamo, na Itália.

O queijo Azul de Minas é um dos queijos produzidos pela Queijos Cruzília, dos irmãos Luiz e Carlos Medeiros. Além do Azul de Minas, a Queijos Cruzília produz as tradicionais marcas A lenda, Cruzília Reserva, Todos os Dias e Santo Casamenteiro. 

O gorgonzola mineiro, Azul de Minas, é considerado um dos melhores do mundo. Tem um sabor único, é cremoso, com um sabor surpreendente. O queijo é feito com leite selecionado e cepas especiais de fermento. A maturação do queijo é por 45 dias. 

Mineiros premiados
Em 2017, 11 queijos produzidos em Minas Gerais foram premiados no Salão Mundial do Queijo, realizado em Paris, na França. Concorreram mais de 700 competidores de 20 países com queijos de alta qualidade.

O queijo da Fazenda Caxambu, de Sacramento, no Alto Paranaíba, foi premiado com o selo ‘Super Ouro’. O queijo de leite gir do Serro MG, do produtor Túlio Madureira levou medalha de prata e Queijo de Alagoa, da cidade de Alagoa, no Sul de Minas, do produtor Osvaldo Filho, ficou com a medalha de bronze. Outro queijo da Cruzília, o Santo Casamenteiro, também foi agraciado no concurso francês.

O queijo minas artesanal é reconhecido como Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro pelo Instituto de Patrimônio Histórico Nacional (Iphan).

Mais informações sobre o queijo, onde comprar e contactar a empresa, pode fazer através do site: http://www.cruzilia.com.br/  

Nenhum comentário:
Faça também comentários