sábado, 29 de setembro de 2018

Queijo maturado com ácaros

Compartilhe:

Pesquisadores identificaram uma espécie de ácaro queijeiro, na cidade histórica do Serro MG, Jequitinhonha. Esse ácaro teve sua primeira identificação a nível mundial nessa região e é o que dá a textura e o sabor diferenciado ao Queijo do Serro maturado com ácaros. Essa pesquisa foi publicada no mês de setembro de 2018, numa renomada revista americana Journal of Stored Products Research . Quem apresentou o estudo na revista, foi a equipe de pesquisa coordenada pelo prof. Juliano De Dea Lindner, da Universidade Federal de Santa Catarina. 
Michelle Carvalho, uma das pesquisadoras da Universidade FEderal de Santa Catarina, explica em detalhes o que é esse ácaro queijeiro: "Os ácaros são relatados na literatura tanto como um problema causando perdas econômicas significativas tanto como adjuvantes tecnológicos proporcionando características de sabores específicos e desejáveis para certos tipos de queijos, como é o caso dos Queijos francês Mimolete e alemão Milbenkäse. A produção de queijos com ácaros tem ganhado novos adeptos no Brasil, porém é feita de forma empírica e sem suporte legislativo. O estudo realizado sumarizou a produção e tecnologia aplicada pelos fabricantes de queijos brasileiros que realizavam a maturação do queijo com ácaros e identificou as espécies de ácaros presentes nesses queijos através de análises taxonômicas e moleculares. Os ácaros presentes nos queijos brasileiros estudados são predominantemente Tyrophagus putrescentiae. Além dessa espécie, Sancassania aff. feytaudi foi identificada no Queijo Minas Artesanal do Serro, sendo a primeira notificação deste tipo de ácaros em queijos em todo o mundo. A equipe de pesquisa continua seus estudos de queijos maturados com ácaros para verificar sua segurança de consumo e potencial aptidão tecnológica com intuito de contribuir para a regulamentação deste tipo de produção no Brasil. "
Essa espécie de ácaro queijeiro, que despertou interesse em estudos dos pesquisadores está se tornando um marco na produção de queijos do serro. Em todas as fazendas pesquisadas e amostras colhidas, esse ácaro na maturação de queijos foi encontrado somente na fazenda do Túlio Madureira, produtor de queijo tradicional na região do Serro MG. É o primeiro achado desse ácaro em queijo em todo o mundo!
Por isso que o queijo do Serro, em especial o produzido por Túlio Madureira, é reconhecido e premiado como um dos melhores do mundo. O nome do queijo é Curupira. Tem esse nome, segundo informou Túlio Madureira, "pelo fato de as antenas desse ácaro diferente ter suas antenas viradas para trás assim como os pés do folclórico ser que defende a biodiversidade brasileira, o Curupira."
O queijo Curupira é macio, tem gosto picante e amendoado. Vem a cada dia despertando paladares refinados. Para chegar a esse ponto, de venda e ter esse sabor, a maturação é de 6 meses. (na foto ao lado, de autoria de Tiago Geisler, vista parcial da cidade do Serro MG)
Quem não conhece de queijo, ao ver um assim, como está na foto, pode até se assustar. Mas é assim mesmo. Não tem nada estragado não. A casca marrom é a ação dos ácaros. Obviamente você não irá comer a casca, é pra comer o que está dentro. Você retira a casca e pronto, pode comer à vontade. É a mesma coisa de você comer um abacaxi, por exemplo. Não vai comer com a casca né? Tem que tirar a casca e comer a polpa. Mesmo caso desse queijo. O queijo Curupira custa hoje em média R$150,00 o quilo. 
Túlio Madureira possui uma escola de produção de queijos artesanais no Serro MG. Quem se interessar em aprender a fazer queijo ou se informar mais sobre o produto pode entrar em contato:
Whatsapp: 38 998234207 E-mail grifedoqueijo@hotmail.com
escolaartesanal@gmail.com
----------------------------------------------------------
Reportagem de Arnaldo Silva. 
Fotos do queijo e informações da publicação na revista foram enviadas por Túlio Madureira e pela pesquisadora Michelle Carvalho.

Nenhum comentário:
Faça também comentários