segunda-feira, 17 de setembro de 2018

O teatrinho barroco de Ouro Preto

A Casa da Ópera de Ouro Preto, conhecido por Teatro de Ouro Preto, foi inaugurada em 6 de julho de 1770 em homenagem ao aniversário do então rei de Portugal, Dom José I (174-1777)
É um dos mais belos teatros do período colonial brasileiro e o mais antigo das Américas. Fica a poucos metros da frente da Igreja do Carmo, em pleno centro histórico de Ouro Preto. A arquitetura é genuína, em formato de lira, sendo um dos poucos no mundo com esse formato. A obra foi erguida pelo coronel João de Souza Lisboa com projeto arquitetônico atribuído a Mateus Garcia. Originalmente a fachada seguiu os traços do barroco italiano, mas modificada para o barroco mineiro em 1861. Sua acústica é considerada perfeita pelos cantores e artistas que se apresentaram e ainda se apresentam no teatro.
No auge do Ciclo do Ouro, a vida cultura de Ouro Preto se tornou mais efervescente. Vários artista se apresentaram nesse teatro, alguns de fama internacional. Peças de escritores famosos como  Moliére (1622-1673), Calderón de La Barca (1600-1681) e outros autores europeus eram traduzidas para o português e encenadas para um teatro abarrotado de gente.
Cláudio Manoel da Costa (1729-1789), grande poeta mineiro e inconfidente, colaborou para o surgimento da Casa da Ópera e estava sempre presente nas apresentações. Era fã de teatro e ópera de carteirinha. Tinha até um camarote no teatro.
Os outros inconfidentes também eram. Acredita-se que, por falta de espaços públicos seguros na cidade para reuniões, os inconfidentes marcavam seus encontros no local, no horários das apresentações para discutirem os andamentos do movimento. Alguns inconfidentes que eram poetas e escritores, usavam também o local para apresentações de seus poemas e textos. 
No século XIX, os cinemas começam a popularizarem no mundo. As atividades teatrais começam a perder espaço e a frequência da presença das pessoas nos teatros, diminui. Mas esse fenômeno não foi muito sentido em Ouro Preto. A Casa da Ópera sempre foi palco dos mais importantes eventos artísticos e culturais da cidade. E até hoje mantém seu charme e é um dos mais visitados locais de Ouro Preto.
Quem entra no "teatrinho", como é carinhosamente chamado, logo se encanta, impressionado com a beleza barroca em todos os seus detalhes e contornos. O visitante se deslumbra, se imagina naquela época do auge das apresentações no período colonial e barroco. (Por Arnaldo Silva, texto e fotos)

Nenhum comentário:
Faça também comentários