segunda-feira, 16 de abril de 2018

Cervejaria em Belo Horizonte conquista prêmio mundial de arquitetura

Inovação, criatividade, design, identidade. Com leiaute inusitado, semelhante a uma grande barrica de madeira que desvela o olhar para o lindo cenário das montanhas de Belo Horizonte, o projeto do Ateliê Wäls acaba de ser agraciado com o primeiro lugar no mais importante prêmio mundial de arquitetura comercial. O conjunto, idealizado pelo escritório GPA&A, de Gustavo Penna, faz jus à concepção de cerveja arte da marca e ganhou reconhecimento pela Unesco e pela União Internacional dos Arquitetos como o melhor trabalho de arquitetura na categoria restaurantes - etapa América do Sul, Central e Caribe - do Prix Versailles 2018.

O espaço começou a funcionar no ano passado, e é a primeira vez, em nível global, que uma cervejaria conquista o Grand Prix, condecoração máxima do evento. “O Ateliê Wäls era um sonho antigo que Gustavo Penna ajudou a colocar em pé. Mais do que um espaço dedicado à cerveja e com várias referências a ela, dos móveis ao ambiente, passando pelos locais voltados à inovação, ele foi pensado para ser a casa do mineiro e uma homenagem a Belo Horizonte", afirma José Felipe Carneiro, fundador da Cervejaria Wäls.

O ateliê é um vasto centro cervejeiro chancelado pela marca que foi selecionada pelo RateBeer, principal ranking do setor, como a melhor cervejaria do Brasil. Um destaque no bairro Olhos d'Água, o complexo inclui restaurante, loja, escritório, adega, cervejaria e área externa com um mirante especial para desfrutar a paisagem ao redor. "É um projeto lúdico e divertido, que mostra a união da arquitetura e do conceito de cerveja arte de maneira mágica", explica Gustavo Penna. 
 Na parte interna, a beleza, a harmonia e a inventividade do conceito saltam aos olhos. Um dos protagonistas é um generoso balcão avermelhado, que celebra a influência do icônico estilo inglês India Pale Ale, com 21 torneiras dedicadas às inovações cervejeiras da empresa. A estrutura empreende um diálogo direto com uma enorme estante cheia de garrafas, pensada exclusivamente para o lugar. As mesas para degustação estão dispostas entre centenas de barricas de madeira que adornam e dividem os ambientes. No barrel room- o maior da América Latina voltado ao envelhecimento de cervejas -, um volume superior a 100 mil litros da bebida descansam e fermentam. Tudo emoldurado por uma delicada cortina composta por 135 mil rolhas de cortiça, que tornam o clima um tanto quanto teatral. 

O prêmio é realizado desde 2015 e este ano aconteceu em Santiago, no Chile. A iniciativa já certificou internacionalmente composições de etiquetas como Dior, Dolce & Gabbana e Channel. A conquista atual atribui ao Ateliê Wäls uma força importante para se candidatar a ser o primeiro brasileiro a vencer a etapa mundial do Prix Versailles, marcada para maio, em cerimônia em Paris, na sede da Unesco.

O sonho da cervejaria começou a ser vivenciado em 29 de novembro de 1999, pelo casal Miguel e Ustane, que tinham enraizada a intenção de criá-la. A Wäls surgiu das mãos da família Pedras Carneiro, da capital mineira, e hoje é comandada pelos irmãos Tiago e José Felipe. "A missão é criar as melhores cervejas para os paladares mais diferenciados, harmonizando com momentos únicos. Produzimos obras de arte, mas alguns as chamam de cervejas. Nossa linha de produtos é inspirada nas tradicionais escolas cervejeiras belga e americana. Ousamos, inventamos e acreditamos que a cerveja é uma grande fonte de alegria", descrevem. 
O Prix Versailles é um prêmio anual dedicado à arquitetura de prédios comerciais. Abarcando diferentes categorias, com os vencedores selecionados por um painel de juízes independente formado por personalidades de áreas diversas, é a principal gratificação de arquitetura mundial para lojas, hotéis e restaurantes, e legitima obras que reúnem criatividade, arte e negócios.

Reportagem do Jornal O Estado de Minas

Nenhum comentário:
Faça também comentários