sábado, 17 de março de 2018

Lagoa Dourada: o berço do Jumento Pêga

Compartilhe:

O Jumento Pêga | Foto: Retirada do site www.abcjpega.com.br
Lagoa Dourada mantém o título de berço do Jumento Pêga, raça de asininos que é motivo de orgulho da pecuária nacional, sendo uma das seis raças de cavalos marchadores formadas no país. Segundo consta, em 1810, um padre chamado Manoel Torquato experimentou cruzar jumentos das raças egípcia e siciliana e após 40 anos de seleção vendeu a tropa para o coronel Eduardo Resende, que vivia na fazenda Engenho dos Cataguases. O coronel levou em frente à criação, padronizou e multiplicou a nova raça. Curiosamente, continuou a utilizar a mesma marca usada pelo padre Manoel nos animais: o desenho de uma algema de escravos que era chamada de pêga.

Atualmente, fica em Lagoa Dourada a maior concentração de Jumentos Pêga do Brasil. Segundo a Associação de Brasileira de Criadores de Jumento Pêga (ABCJPêga) os jumentos Pêga são os mais procurados pelos criadores no Brasil, sua docilidade, inteligência e resistência explicam tal fato. Além de serem utilizados para o trabalho no campo, também são os preferidos para obtenção de híbridos (burros e mula) a partir do cruzamento com éguas altamente selecionadas, o que dá origem a animais com todas as características desejáveis.

Nenhum comentário:
Faça também comentários