sábado, 20 de janeiro de 2018

Conheça Catas Altas da Noruega

Catas Altas da Noruega (foto acima do Barbosa) é uma pequena cidade com apenas 3666 habitantes, segundo o IBGE/2017. Seu povo é simples, de uma hospitalidade incrível. Quem nasce em Catas Altas da Noruega é Catasaltenses. Faz divisa com os municípios de Itaverava, Piranga, Lamim, Ouro Preto. A pequena cidade possui belos casarões, paisagens lindas e igrejas centenárias. Para conhecer a história do município, tem o Museu e Aquivo Histórico, o Memorial Padre Luiz Gonzaga Pinheiro localizado em um casarão centenário em estrutura de madeira com vedação em pau-a-pique. 
Apesar da proximidade geográfica com Catas Altas, famosa cidade histórica onde está a Serra do Caraça, não tem nada a ver com Catas Altas da Noruega. São duas cidades diferentes, apenas com nomes parecidos. (foto acima do Barbosa)
A origem do município é Luzitana e nada a ver com o país Noruega. Mas porque Catas Altas da Noruega? Para entendermos o porque, vamos contar um pouco da historia da formação do município. (foto acima do Barbosa)
Minas Gerais é o estado brasileiro onde floresceram os primeiros municípios, através da riqueza da terra (o ouro) que originou o enriquecimento cultural e os traços de nossa gente.
Catas Altas da Noruega começou a ser povoada aproximadamente em torno de 1690 por membros das Bandeiras de Miguel Garcia e do Coronel Salvador Furtado de Mendonça enquanto exploravam a região da Serra de Itaverava. (foto abaixo de Pedro Henrique)

Alguns bandeirantes foram mais felizes encontrando com facilidade e abundância o ouro cobiçado, que aflorava na terra sem grande trabalho das escavações profundas. Daí o nome da localidade - Catas que significa lavras; Catas Altas - lavras Altas. Já a origem do nome "Noruega" ainda é desconhecida, a versão mais aceita é a que o nome foi dado pelos primeiros desbravadores ao encontrar aqueles morros frios e úmidos que "escondiam a face do sol". A palavra Noruega significa terra úmida e sombria na encosta sul de montanha que recebe pouco sol. Por isso no nome Noruega. Portanto, não tem nada a ver com o país Noruega ou algum imigrante norueguês que tenha vivido no local. 
Para Catas Altas (foto acima do Barbosa) começou logo a afluência de forasteiros à cata do ouro fácil de ser colhido. Foram lusitanos em sua maioria, os chefes do trabalho. Não podia ter outra origem o povoado que se formou sobre altos montes e ao longo de um ribeirão cujas águas vão ter ao rio Piranga. (foto abaixo de Pedro Henrique)
Pelos idos de 1750, surgiram os primeiros sinais de decadência da mineração do ouro, ocasionada pelo progressivo esgotamento das minas superficiais, e ainda pelo elevado montante fixado para a cobrança dos quintos do Rei, que não era somente estendido aos mineiros, mas também a pessoas que se dedicavam a outras profissões. Muitos ficaram reduzidos à miséria. Diante dessa situação, e incentivados pela iniciativa do Conde de Bobadella, o Governador da Capitania das Minas Gerais, que procurou incentivar novas descobertas, os garimpos de Catas Altas e o da Noruega (atual localidade rural do município) foram reativados e se uniram, originando o nome atual da cidade: Catas Altas da Noruega. (foto abaixo do Barbosa)
FORMAÇÃO ADMINISTRATIVA:
Até 1718, o povoado pertencia à Vila Rica (Ouro Preto), quando aos 07 de março, o então Governador da Capitania, o Conde de Assumar, subordinou o distrito à jurisdição da recém-criada Villa de Sam Joseph Del Rey (Tiradentes).

No ano de 1840, em 03 de abril foi criada a Freguesia de Catas Altas da Noruega, pela Lei Nº 184, subordinada ao município de Conselheiro Lafaiete.
Catas Altas da Noruega emancipou-se pela Lei Nº 2.764 de 30 de dezembro de 1962 e foi instalado como município em 1º de março de 1963.
Catas Altas da Noruega é subordinado judicialmente à Comarga de Conselheiro Lafaiete.
Fonte das informações:Wikipédia, Site Estrada Real, IBGE, e Antigos Documentos em arquivo do IBGE - SERDIB (Serviço de Divulgação e Biblioteca).

Nenhum comentário:
Faça também comentários