quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Leite ao pé da vaca

Lembranças e doces emoções sempre marcam nossas vidas.

Na roça, antes do galo cantar, todos já estão de pé. Acordava com o mugido do gado no curral que ficava a alguns metros da casa. Abria a janela e aquela cena sempre me vem à mente. Verdes campos a minha frente, ao lado esquerdo plantação de arroz e acima, plantação de café.

No curral lá estava meu avô, ordenhando.

Ia pra cozinha, pegava um copo esmaltado e colocava farinha de mandioca e um pouco de sal e ia rumo ao curral correndo e feliz. Agachava-me e meu avô ia tirando o leite. O copo enchia. Ás vezes me deixava tirar, mas não saia quase nada, porque eu não tinha força nas mãos ainda, era bem menino.

O barulho do leite enchendo o copo soa como música aos meus ouvidos. Meu avô sabia tirar leite, saia muito e o copo até espumava.

Levantava feliz, pegava uma colher e mexia e ia de colherada em colherada, tomando meu leite com farinha e sal. Ainda faço isso até hoje.

Às vezes tomava o leite puro mesmo. O leite saia quentinho e deixava até bigodinho na gente.


Eu sempre guardava leite para fazer coalhada. É fácil fazer e mesmo criança, eu fazia. Eu enchia um vasilhame de leite, tampava e deixava coalhar. Esperava um ou dois dias e pronto, era a minha coalhada. Comia com açúcar.

Hoje a receita de coalhada mais usada é essa que segue:

Os Ingredientes são: 

 1 litro de leite 2 colheres (sopa) de leite em pó integral 
1 iogurte natural 
Canela e açúcar ou mel, se desejar

A noite é o melhor horário para fazer a coalhada porque o leite tem que descansar.

O jeito de fazer é o seguinte: 
Ferva o leite e espere esfriar um pouco; 
Enquanto o leite ferve, misture bem o leite em pó no iogurte até formar um creme; 
Faça isso na vasilha onde pretende que fique a coalhada; 
Despeje o leite, já na temperatura ideal, sobre esse creme que está na vasilha; 
Misture bem; 
Tampe bem sem deixar frestas e se quiser, embrulhe em bastante jornal e deixe até o amanhecer.

Pela manhã, repare se a coalhada está consistente. Caso esteja, coloque na geladeira

A coalhada, após muitos dias, fica meio aguada, o que é normal. Dê uma mexidinha e coma, sem problemas. Pode usar essa coalhada para fazer outra, sem utilizar mais iogurte.

A minha avó fazia requeijão. É muito bom. Hoje é mais fácil fazer requeijão, naqueles tempos demorava muito. A receita atual para um bom Requeijão caseiro é essa:

Ingredientes 

 2 litros de leite 
 6 colheres (sopa) de vinagre 
 2 colheres (sopa) de manteiga com sal (1 para cada litro de leite) Pitada de sal 
(1/2 colher de chá) 
 2 dedos do copo (americano) de leite

Pra fazer, inicialmente ferva o leite e após fervura, desligue; Coloque o vinagre sobre o leite e mexa em seguida, em alguns segundos o leite irá coalhar; 
Retire a coalhada do soro com uma peneira; 
Enfie a peneira na panela e recolha a coalhada; 
Esprema a coalhada da peneira com uma colher;
O soro deverá ser jogado fora. 
Aproveite somente a coalhada e jogue-a quente ou fria, não fará diferença, no liquidificador; 
Coloque a manteiga e o sal; 
Coloque o leite até o ponto de liga que desejar; 
Bater no liquidificador por 5 minutos; 
Levar para gelar de um dia para outro. 
Dura mais ou menos 1 semana bem acondicionado na geladeira.

Minha mãe fazia sempre Bolo de fubá com coalhada. Eu gosto desse bolo com coalhada e queijo.

Ingredientes
 2 xícaras de chá de farinha de trigo 
 2 xícaras de chá de fubá 2 colheres sopa de manteiga 
 4 ovos 1 pires de queijo ralado 
 2 xícaras de chá de coalhada 
 1 xícara de chá de açúcar 
 1 colher sopa de fermento em pó 1 colher de café de bicarbonato de sódio 

Pra fazer, basta misturar tudo num vasilhame grande, misturar, mexendo devagar. 
Pode bater em liquidificador se quiser, mas melhor é manual; Depois de bem misturado, despeje em forma untada; 
Em uma vasilha grande misture todos os ingredientes e mexa devagar delicadamente; 
Assim que estiverem bem misturados despeje em uma forma untada e deixe assando por 40 minutos. 
Prontinho.

Por Arnaldo Silva
Essa história faz parte do livro Doces Momentos
Quem quiser adquirí-lo, entre em contato pelo e-mail:arnaldosilva@bdonline.com.br

(as fotos são de autoria de Vilma Santos de São Sebastião do Paraíso e não fazem parte do livro, apenas ilustram essa postagem)

Nenhum comentário:
Faça também comentários