sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Enterrar umbigo e outras superstições com recém-nascidos.


Pelo que sei, meu umbigo foi enterrado próximo a essa igreja,

 na Vila Gontijo em Bom Despacho MG, bairro em que nasci, em 1965. Por Arnaldo Silva
A tradição de enterrar o umbigo do recém nascido quase não existe hoje, mas num tempo não muito distante isso era normal e até obrigatório, porque existia muita superstição em torno desse ato.
Numa época que quase não existia médicos e nem hospitais para atender toda a população, principalmente a rural, os partos eram feitos em casa mesmo, por parteiras.Pegar os restos do parto e enterrar nos quintais era prática comum, porque era o mais correto a fazer.
O umbigo, que caia uma semana depois, ficava sem destino certo e por isso, ao longo do tempo foram surgindo várias crendices, enraizada no meio popular, principalmente no interior.
Enterrar umbigo, tinha motivos, obrigações e objetivos dos pais, de acordo com suas crenças. Segundo a crença popular, o umbigo deve ser enterrado, porque na época porque acreditavam que se jogassem o umbigo no lixo e um rato o pegasse, a criança seria um ladrão. Alguns enterravam o umbigo junto a uma roseira, porque assim a criança nascia bonita, saudável e querida. Outros num terreno de hospital, pois acreditavam que a criança seria médico. Quando o umbigo era enterrado numa porteira, a criança seria um fazendeiro. Junto a soleira da porta de entrada, a criança seria caseira. Se o umbigo fosse enterrado num local onde os pais gostavam, os filhos voltasse depois de adultos. E nesse raciocínio, iam enterrando os umbigos, de acordo com seus motivos e objetivos para a criança.


Além dessas crenças, haviam outras superstições em relação a recém-nascidos e crianças:
- Após o desmame da criança, caso ela fique com vontade de mamar no peito, a mãe deve pedir leite de peito de três mulheres chamadas “Maria”. Esse leite é misturado ao leite da vaca que será dado em mamadeira
- O nome de um filho só deve ser escolhido pelo pai após o nascimento.
- Crê-se que a água do batismo não deverá ser enxugada na fronte da criança, devendo de deixar que seque naturalmente;
- Vestir na criança uma peça de cor vermelha;
- Não a deixar no escuro antes do batismo;
- Enterrar o umbigo de recém nascido debaixo do cocho para dar sorte.;
- Quem quiser ter boa sorte trate de beijar os pés de um recém nascido;
- Para proteger o recém nascido, deve-se colocar uma faca na soleira da porta, assim nenhum espírito maligno entrará no quarto;
- Quem conserva o umbigo, guardado como lembrança ou quem o enterra nunca sairá a viajar. E se o fizer, estará sempre desejoso de voltar a terra onde nasceu. Daí nasce o ditado “quero morrer na terra onde foi enterrado o meu umbigo”;
- Para amansar uma criança muito chorona, colocá-la numa peneira sob a cama dos pais. Pô-la nos pés da cama;
- Para criança não ter dor de barriga, não se deve torcer as fraldas;
- Tanto o berço quanto o carrinho do bebê não devem ser comprados antes do nascimento da criança;
- Um legume colocado na boca de um recém nascido impedirá que ele tenha cólicas;
- Para desaparecer marcas de nascença, a mãe deve lambê-la regularmente, por muitos dias após o nascimento da criança, dado o poder curativo da saliva;
- Acredita-se que se uma mulher grávida comer frutos inconhos , isto é pegados um ao outro, terá filhos gêmeos.



Com certeza, muitos de nós tivemos o umbigo enterrado e conhece bem essas superstições do nosso povo antigo.

Nenhum comentário:
Faça também comentários