segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

Café produzido em Patrocínio MG bate recorde de mais caro do mundo em leilão.

Café foi colhido manualmente e secado por 23 dias (Foto: Vitor Jubini/ A Gazeta)
É de Patrocínio, no Alto Paranaíba, o café especial mais caro do mundo. A saca de 60 Kg do produto foi comprada em um leilão internacional realizado virtualmente pela Alliance for Coffee Excellence (ACE) por R$ 55.457,60. O quilo do café, que equivale a cerca de R$ 917, foi adquirido em seis sacas por japoneses e australianos.

De acordo com a Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA), o recorde mundial foi conquistado em 13 de novembro após o cafeicultor de Patrocínio figurar como campeão da categoria “Pulped Naturals" - cereja descascado, café produzido por via úmida -, do concurso Cup of Excellence realizado no Espírito Santo em outubro.

O recorde anterior foi alcançado no mesmo leilão, em 2016, quando o lote de um produtor da Fazenda Santa Bárbara, em Piatã (BA) foi comprado por R$ 18.921,67 a saca.
Café especial movimentou no varejo bilhões em 2016 (Foto: Mauro Pimental/AFP)
O produtor recordista, Gabriel Nunes, de 28 anos, da Fazenda Bom Jardim, contou ao G1 nesta terça-feira (12), que o café Bourbon é cultivado a 935 metros de altitude, com grãos colhidos manualmente. Além disso, o lote vencedor passou por processo de fermentação, foi descascado e secado por 23 dias.

"Os seis lotes vendidos a preço recorde são de grãos muito bem tratados e finos, no entanto não esperava um valor tão alto. O recorde do ano passado foi de cerca de R$ 18 mil, então a minha expectativa era de R$ 25 mil. Somos uma empresa familiar e estamos muito felizes, pois temos uma equipe dedicada. O objetivo agora é continuar crescendo no mercado", comemorou.

Um levantamento encomendado pela BSCA revelou que o mercado de cafés especiais movimentou no varejo, em 2016, R$ 3,2 bilhões. Entre 2012 e 2016 o crescimento médio anual foi de 18,1% no consumo de café especial, que é um café tratado com diferencial na pós-colheita.
Fazenda Bom Jardim é familiar e produziu o café mais caro do mundo, diz BSCA (Foto: Gabriel Nunes/Arquivo Pessoal)
Cerrado mineiro
A fazenda de Nunes fica na região do Cerrado Mineiro. De acordo com o Sebrae, que fornece consultoria para cafeicultores do local, a disposição do produtor favorece a obtenção da altíssima qualidade do grão.

“A taxa de renovação anual da fazenda de Gabriel é de 15%, enquanto que a média dos outros produtores da região é de 7%. Apesar de ter um custo elevado, a renovação do parque cafeeiro confere mais qualidade ao café”, explicou o consultor do projeto Educampo do Sebrae em Patrocínio, Caio Lazarini.

Café especial foi comprado por japoneses e australianos em leilão (Foto: Marcos Santos/ USP Imagens)
Cup of Excellence
O Cup of Excellence é um concurso que começou a ser realizado no Brasil em 1999 e depois também passou a ser difundido para vários países. A competição reúne jurados internacionais que avaliam lotes de cafés especiais produzidos nos países onde é organizado.

O concurso reúne produtores nacionais de café arábica e um júri com reconhecimento internacional, em rigorosas rodadas de análise sensorial de cafés de alta qualidade.

No Brasil, concorrem amostras de cafés lavados e cerejas descascados e, desde 2010, amostras de cafés naturais. As competições ocorrem somente com amostras de produtores de um mesmo país. No entanto, as maiores notas obtidas até hoje nas duas categorias em todo o mundo foram registradas no Brasil.
Café especial foi premiado em concurso internacional realizado no Espiríto Santo (Foto: Anna Gabriela Ribeiro / G1)
Reportagem de Bárbara Almeida/G1 Triângulo Mineiro
Link original:https://g1.globo.com/mg/triangulo-mineiro/noticia/cafe-produzido-em-mg-bate-recorde-de-mais-caro-do-mundo-em-leilao-quilo-foi-comprado-por-mais-de-r-915.ghtml

Nenhum comentário:
Faça também comentários