terça-feira, 10 de outubro de 2017

Conheça sete regiões produtoras de queijo mineiro e saiba como visitar as fazendas

Famoso queijo de leite Gir de Túlio Madureira, no Serro MG
O estado de Minas Gerais tem uma das tradições queijeiras mais antigas do país, graças aos colonizadores portugueses, que transmitiram os métodos de produção no século 18. 

Considerado patrimônio cultural imaterial brasileiro em 2008, o queijo mineiro mantém a tradição artesanal, sempre produzido com leite cru. São mais de 30 mil pequenos produtores, em 600 municípios.

Nesta matéria você conhecerá as sete regiões produtoras do estado e confere as cidades nas quais as fazendas são abertas para visitas. Assim como o mineiro, que é louco por queijo, você também vai se apaixonar por esta iguaria!

Araxá
A produção queijeira local é feita pelos municípios da microrregião de Irajá, que compreende os municípios de Araxá, Tapira, Pratinha, Conquista, Ibiá, Campos Altos, Perdizes, Pedrinópolis, Sacramento e Medeiro. Entre os destaques está o produtor Alexandre Honorato, ganhador do título de melhor queijo do estado em 2009, que se dedica ao ofício há 30 anos e hoje tem uma produção de 100 quilos por dia na Fazenda Só Nata.


Serra do Salitre
A produção do queijo é facilitada por características naturais do local, como a fertilidade do solo e a abundância de água, além de um clima ameno. Na Fazenda Pavão, a família de João José de Melo trabalha no ramo há quatro gerações, produzindo o queijo Artesanal Imperial, que recebe uma resina amarela para promover uma cura mais lenta.

Serro
O queijo da região é produzido em 10 municípios: Serro, Rio Vermelho, Serra Azul de Minas, Santo Antônio do Itambé, Materlândia, Sabinópolis, Alvorada de Minas, Dom Joaquim, Conceição do Mato Dentro e Paulistas. Graças ao clima quente, a iguaria local é menos maturada e costuma também ser macia. O Túlio Madureira, do Queijo do Gir, recebe os turistas em sua fazenda.

Campo das Vertentes
A microrregião abrange 15 municípios. É possível realizar o Roteiro dos Queijos Finos no Caminho Velho da Estrada Real, que vai de Paraty (RJ) a Ouro Preto, passando por São Vicente de Minas, Carrancas, Madre de Deus de Minas, Andrelândia, Cruzília, São João del-Rei e São Sebastião da Vitória. No caminho, provam-se os queijos locais trazidos ao Brasil nos anos 1920 pelos dinamarqueses, como os azuis, brancos e suíços.

São Roque de Minas
O queijo canastra, que hoje é um dos mais notórios de Minas, é fabricado em sete cidades da região, mas é em São Roque de Minas que está concentrado o maior número de produtores, que abrem suas fazendas e casas para receber os visitantes. Eles são tão organizados que criaram a Associação dos Produtores de Queijo Canastra (Aprocan), onde você pode conhecer um pouco sobre cada associado e o trabalho desenvolvido pela entidade (www.queijodacanastra.com.br). Entre os produtores mais conhecidos estão o Zé Mario, da Fazenda São Bento; o Guilherme, da Capim Canastra; o Carlos Henrique e a Solange, da Capão Grande; e o João Carlos, da Agro Serra.

Cerrado
A região do Alto Paranaíba, no Oeste do estado, lançou, em 2006, o selo “Queijo do Cerrado”. Diferente do queijo da Canastra, o do cerrado deve ser consumido mais cedo, em uma fase de maturação média, e tem como características o sabor amanteigado e a consistência macia.

Triângulo Mineiro
Entre os 10 municípios que a compõem há 1,3 mil produtores de queijo. Entre eles está Gilson Fernandes da Costa, de Monte Carmelo, vencedor do primeiro concurso da região, que trabalha na área há 20 anos e produz 13 quilos de queijo por dia.


Fonte:Jornal O Estado de Minas:www.uai.com.br/app/noticia/turismo/2017/09/26/noticias-turismo,214067/conheca-sete-regioes-produtoras-de-queijo-mineiro.shtml

Nenhum comentário:
Faça também comentários