sexta-feira, 19 de maio de 2017

Barco a vapor Benjamim Guimarães

Fotografia de Sérgio Mourão
 O vapor Benjamim Guimarães é o único modelo existente deste tipo no mundo, ainda em atividade. Originário do Mississipe , o Benjamin Guimarães foi construído em 1912, nos EUA. Nos anos 20, depois de navegar por algum tempo no Amazonas, foi adquirido pela empresa Julio Mourão Guimarães, daí batizado pelo nome de Benjamim Guimarães. Em 1963 ficou sob a guarda do serviço da Comissão do Vale São Francisco (CVSF). O Benjamin Guimarães, junto com outros vapores da mesma origem, os “gaiolas” Barão de Cotegipe, Wenceslau Braz e São Francisco constituíam a frota que, durante décadas, navegaram e simbolizaram a navegação no São Francisco, marcando importante ciclo na vida da região, até a década de 80, que com a decadência da navegação no São Francisco, o vapor passou a ser utilizado em passeios turísticos e o agenciamento das viagens, atraindo turistas de todo o Brasil. 
Fotografia de Sérgio Mourão
Em 1995, a embarcação apresentou falhas na caldeira e, por motivo de segurança, foi interditada pela Capitania dos Portos de Minas Gerais. Em 29 de janeiro de 1997, o Benjamim passou a integrar-se ao patrimônio do município de Pirapora, por termo de transferência firmado entre a Companhia de Navegação do São Francisco (Franave) e a Prefeitura.
Fotografia de Sérgio Mourão
Em janeiro de 2002, o Benjamim Guimarães começou a ser restaurado e hoje é um dos maiores atrativos turísticos da região do Médio São Francisco, fazendo pequenas viagens de Pirapora à Barra do Guaicuí, ponto de encontro do Velhas com o São Francisco. No ínicio desse ano foi instalada uma caldeira nova no barco (a antiga tinha mais de 90 anos!) e ele voltou a operar normalmente, fazendo um passeio muito agradável de 4 horas de duração, bem diferente dos velhos tempos do barco, quando eram necessários 9 dias para ir de Pirapora-MG até Juazeiro-BA e mais 14 dias na volta!

Prefeitura Municipal de Pirapora - Mais Informações

Nenhum comentário:
Faça também comentários