3 Rotas do Café em Minas Gerais


Minas Gerais detêm o título de maior produtor e exportador de café do Brasil. (foto acima de José Carlos de Oliveira Neres) O café tem importância econômica em 520 municípios de Minas Gerais. Cerca de 52% da safra brasileira é mineira e corresponde a 66,5% da exportação total, chegando a mais de 60 países do mundo. Em Minas, é possível percorrer os roteiros do café, onde o turista vivencia experiências sensoriais através dos cinco sentidos: ouvindo histórias, degustando quitandas, olhando a paisagem, sentindo aromas e moldando a terra. 

Uma viagem para viver as cidades nas suas memórias, nos seus tons e nas suas expressões, se aventurando a ser parte da natureza. O roteiro inclui também visitas a oficinas e ateliers para conhecer o talento dos artesãos e artistas plásticos da região, além de passeios às fazendas centenárias, caminhada entre os cafezais e acompanhamento de todo o processo, desde o beneficiamento até a embalagem do café.

1 - Rota do Café - Região das Águas 

A história desse fruto precioso remete aos fatos passados do desenvolvimento do Brasil. (na foto acima, cafezal em Três Pontas. Autoria de Ciclo TP) Do norte do país desceu para o nordeste, expandiu-se pela Serra do Mar e chegou a Minas Gerais, no inicio do século XIX. O clima e as terras férteis do estado favoreceram um salto na produção do grão. Atualmente, Minas Gerais produz 50% do café brasileiro e é principal produto de exportação do estado. Por seu sabor e aroma, hoje, o café é mania mundial e tomar um cafezinho faz parte do cotidiano de milhares de pessoas. Os roteiros abaixo são um convite para você conhecer esse delicioso produto que é cultivado e fabricado em um estado hospitaleiro e que tem sua história escrita com tinta do café.
NA REGIÃO DAS ÁGUAS
 
As elevadas altitudes contribuem para a produção diferenciada que vem gerando uma safra de cafés premiados internacionalmente, e criando a cultura gourmet desta bebida tradicional e requintada em sabores e estilos de servir. (na foto acima, Lambari uma das cidades da região das Águas, de autoria de Joseane Astério)
Como dividir sua viagem 
Dia 1 - São Lourenço/Carmo de Minas
O roteiro tem como atrativos uma leve caminhada às lavouras de café, com paradas em mirantes de altitude e explicações sobre a cadeia produtiva do café especial, desde o pé à xícara. Degustação de diferentes cafés, além de visita ao Museu do Café onde se guardam peças e artefatos de relevância histórica à sua na produção.
Dia 2 - São Lourenço
Visita à Unique Store, uma cafeteria requintada e concebida para apresentar aos clientes locais, turistas, conhecedores e experts em café os diversos métodos de preparo da bebida, além de oferecer um cardápio com as delicias do interior de Minas associadas à alta gastronomia local.

2 - Rota do Café - Serras de Minas
A história desse fruto precioso remete aos fatos passados do desenvolvimento do Brasil. Do norte do país desceu para o nordeste, expandiu-se pela Serra do Mar e chegou a Minas Gerais, no inicio do século XIX. O clima e as terras férteis do estado favoreceram um salto na produção do grão. Atualmente, Minas Gerais produz 50% do café brasileiro e é principal produto de exportação do estado. Por seu sabor e aroma, hoje, o café é mania mundial e tomar um cafezinho faz parte do cotidiano de milhares de pessoas. Os roteiros abaixo são um convite para você conhecer esse delicioso produto que é cultivado e fabricado em um estado hospitaleiro e que tem sua história escrita com tinta do café. (na foto acima, terreiro de café em Caparaó, Zona da Mata Mineira por Geremias Corrêa)

Nas Serras de Minas
Possibilidade de vivenciar a produção de duas bebidas tipicamente brasileiras: o café e a cachaça. Esse roteiro é uma ótima oportunidade para conhecer propriedades rurais em Araponga e Guaraciaba. (na foto acima de Elpídio Filho, Viçosa MG)

Como dividir sua viagem
Dia 1 - Viçosa/Araponga

Visita à produção familiar de café orgânico produzido a mais de 1572 metros de altitude, característica que influencia o aroma da bebida. O resultado desse conjunto são as premiações em vários concursos internacionais. Na visita, o turista conhecerá o manejo do solo, a seleção do café, o torrador e a secagem do grão ao final temos uma degustação.
Dia 2 - Araponga/ Guaraciaba
Visita à produção artesanal da cachaça, que está entre as cinco melhores cachaças do Brasil. No passeio você conhecerá a colheita da cana e a fermentação natural da cachaça, e ao final degustar essa deliciosa bebida.

3 - Rota do Café - Sul de Minas
A história desse fruto precioso remete aos fatos passados do desenvolvimento do Brasil. Do norte do país desceu para o nordeste, expandiu-se pela Serra do Mar e chegou a Minas Gerais, no inicio do século XIX. O clima e as terras férteis do estado favoreceram um salto na produção do grão. Atualmente, Minas Gerais produz 50% do café brasileiro e é principal produto de exportação do estado. Por seu sabor e aroma, hoje, o café é mania mundial e tomar um cafezinho faz parte do cotidiano de milhares de pessoas. Os roteiros abaixo são um convite para você conhecer esse delicioso produto que é cultivado e fabricado em um estado hospitaleiro e que tem sua história escrita com tinta do café.(na foto acima, fazenda em Cristina MG por Sandra Walsh)

NO SUL DE MINAS
 Nas Serras Verdes do Sul de Minas (na foto acima, a cidade de Cristina, fotografada por Sandra Walsh), a maior riqueza são as pessoas e seus saberes, que nos envolvem através dos cinco sentidos, com experiências sensoriais: ouvindo histórias, degustando quitandas, olhando a paisagem, sentindo aromas e moldando a terra. Uma viagem para viver as cidades nas suas memórias, nos seus tons e nas suas expressões, se aventurando a ser parte da natureza.

Como dividir sua viagem
Dia 1 -Maria da Fé

Caminhada interpretativa para conhecer a agricultura orgânica e biodinâmica singular dessa região. Depois, passeio pela Fazenda Experimental da Epamig, pioneira no Brasil no cultivo de oliveiras e na produção de azeite.
Dia 2 - Maria da Fé/Cristina
Roteiro de Arte e Design para conhecer o talento dos artesãos e artistas plásticos da Maria da Fé. Depois, visita à Oficina Gente de Fibra, para aprender na prática técnicas de criação de artesanatos utilitários ou decorativos. À tarde, visita à Casa do Artesão no Centro Cultura.
Dia 3 - Cristina
Visita a uma fazenda histórica, com caminhada entre os cafezais de altitude. Almoço. Acompanhamento de todo o processo, desde o beneficiamento até a embalagem do café. À tarde, passeio cultural e histórico com visitas ao Museu do Trem, à Praça Santo Antônio, à Praça do Chafariz ao Túmulo do Conselheiro e ao Centro de Restauração de Conhecimentos. Na Fundação Sara Kauage conheceremos o artesanato que resgatou o ofício dos bordados. Retorno à cidade de origem.


Matérias produzidas pelo Jornal O Estado de Minas
Link:http://minasgerais.com.br/pt/o-que-fazer/gastronomia/cafe
Ilustrações nossa

Nenhum comentário:

Postar um comentário