12 lindas cidades da Região Central Mineira

A Região Central Mineira é formada por 30 cidades divididas em 3 Microrregiões com sede nas cidades de Bom Despacho, Curvelo e Três Marias. Os 30 municípios da Região Central de Minas são:Araújos, Bom Despacho, Dores do Indaiá, Estrela do Indaiá, Japaraíba, Lagoa da Prata, Leandro Ferreira, Luz, Martinho Campos, Moema, Quartel Geral, Serra da Saudade, Augusto de Lima, Buenópolis, Corinto, Curvelo, Felixlândia, Inimutaba, Joaquim Felício, Monjolos, Morro da Garça, Presidente Juscelino, Santo Hipólito, Três Marias, Abaeté, Biquinhas, Cedro do Abaeté, Morada Nova de Minas (na foto acima de Stella Dayrel Moura), Paineiras, Pompéu.

A Micro Região de Bom Despacho é formada pelos municípios de Dores do Indaiá, Estrela do Indaiá, Japaraíba, Lagoa da Prata, Leandro Ferreira, Luz, Martinho Campos, Bom Despacho, Moema, Quartel Geral, Serra da Saudade.

01 – Bom Despacho

Bom Despacho, (foto acima de Hugo Cesar Pizzele Teixeira Leite) tem, segundo o IBGE, 49.650 habitantes em 2016. Segundo o Mapa das Regiões do Governo do Estado, Bom Despacho está localizado na Mesorregião Central Mineira, no estado de Minas Gerais, na região do Alto São Francisco, a 768 metros de altitude. Com uma área de 1.213,5 km², fica a 156 km de Belo Horizonte. É considerada polo para algumas cidades de pequeno porte próximas tendo recebido em 2015 o título de 4ª melhor cidade de pequeno porte de Minas Gerais. Está interligada aos principais centros urbanos da região por rodovias asfaltadas como a BR-262 e MG-164, esta última liga o município a BR-040.
Segundo os critérios do IBGE, Bom Despacho faz parte da Mesorregião Central Mineira, uma das 12 instituídas pelo órgão em Minas Gerais. A mesorregião é composta por 30 municípios onde vivem cerca de 466.521 pessoas. Bom Despacho é a segunda mais populosa cidade da mesorregião, atrás apenas de Curvelo.
Ainda de acordo com a classificação do IBGE, o município faz parte da Microrregião de Bom Despacho, que reúne 12 municípios que, somados, possuem cerca de 166.199 habitantes, sendo o mais populoso dos municípios do grupo.
O governo de Minas Gerais adota uma classificação regional diferente, na qual o estado é dividido em dez Regiões de Planejamento. Bom Despacho está localizado na Região VI, Centro-Oeste de Minas, onde é o 4º município mais populoso.
Até 2014 os principais produtos agrícolas do município, ou seja, aqueles de maior produção, extensão de plantio e colheita, foram a cana de açúcar, o milho e a soja. Somente esses três produtos são responsáveis por 6.470 hectares de área plantada e colhida, além de 217.100 toneladas de produção ao ano. (foto acima de Wilson Fortunato)
Além disso, assume destaque a pecuária e outras culturas. São 83.893 cabeças de gado e uma produção leiteira de 67.734 litros por dia (2014). Isso faz da Microrregião de Bom Despacho uma das maiores bacias leiteiras do Brasil. Ademais, a cidade possuía até 2014 cerca de 1.015 milhão cabeças de galináceos e 56.116 de suínos. O município ainda produziu 4.938 dúzias de ovos e 10.500 quilos de mel
Cultura e festas tradicionais
Bom Despacho é uma cidade hospitaleira, alegre e com muitas atrações durante todo o ano. Entre as festas assume destaque o Desfile Cívico de Aniversário da cidade, dia 1º de junho; o Arraía BD, que também acontece em junho; o Encontro Nacional dos Motociclistas, em julho; Cavalgada do Padre Libério, em julho; o Festival Gastronômico e Artesanal de Bom Despacho (Festigarte), no mês de agosto; Festa do Reinado, na foto acima de Arnaldo Silva (Assunção de Nossa Senhora), 15 de agosto; Desfile Cívico de 7 de Setembro; Exposição de Bom Despacho, que ocorre em setembro; a Inauguração das Luzes de Natal, no início de dezembro. Ademais, existem outras datas comemorativas como a Festa de Santa Rosa de Lima; de São Sebastião; de São Benedito; Dia da Padroeira Nossa Senhora do Bom Despacho. No Parque Mata do Batalhão, que está localizado no 7º Batalhão da Polícia Militar, acontece durante todo o ano atividades como concertos, caminhadas e apresentações artísticas.

2 – Dores do Indaiá

O município de Dores do Indaiá (foto acima de Sueli Santos) conta com 13.952 habitantes, segundo o IBGE 2016. Está localizado no centro-oeste de Minas Gerais, na latitude 19° 27' 46" S e longitude 45° 36' 07" O, fazendo parte da microrregião de Bom Despacho. O acesso a Dores do Indaiá pode ser feito basicamente por duas maneiras: a primeira é pela parte sul do município, através da rodovia BR-262 (partindo de Belo Horizonte ou do Triângulo Mineiro) e após a cidade de Luz, se dirigindo pela rodovia MG-176; já a segunda maneira é pela parte norte, pela rodovia BR-352 e em seguida se dirigindo pela rodovia MG-176, passando pelas cidades de Abaeté e Quartel Geral.
A distância de Dores do Indaiá com relação a algumas grandes metrópoles são razoáveis: com relação a Belo Horizonte é de 255 km, de São Paulo é 625 km, do Rio de Janeiro é de 668 km e Brasília é de 665 km. Já com relação aos municípios vizinhos, as distâncias são as seguintes: 36 km de Luz, 42 km de Abaeté, 27 km de Estrela do Indaiá, 26 km de Quartel Geral, 34 km de Serra da Saudade e a 90 km de Bom Despacho.
Cultura e Turismo
Os hábitos da população estão essencialmente pautados no campo e na religião, e portanto, a Exposição Agropecuária de Dores do Indaiá (Expodores), que é realizada todo mês de julho no Parque de Exposições Sigefredo Costa e a Festa do Rosário, realizada todo mês de agosto homenageando Nossa Senhora do Rosário. (foto  acima de Sueli Santos)
Festas de Nossa Senhora das Dores, São Benedito e Santa Efigênia, são os maiores eventos culturais e turísticos do município.
Pode-se destacar os casarões centenário da Praça Lacerda e das fazendas da cidade, os prédios da Escola Estadual "Francisco Campos", da Escola Estadual "Dr° Zacarias", da Igreja Matriz de Nossa Senhora das Dores, o Cristo do Alto da Capelinha e o Castelo Indaiá como os principais atrativos turísticos. Além disso, Dores do Indaiá é lugar onde nasceram importantes personalidades, como Francisco Campos, Emílio Guimarães Moura e Bolívar Lamounier, entre outros, que foram de suma importância no campo intelectual (literatura, artes) e político estadual e nacional.

03 – Lagoa da Prata
Lagoa da Prata, segundo o IBGE em 2016, contava com 50.714 habitantes.É um município muito conhecido pela bela lagoa que possui. Recebeu esse nome, porque o primeiro coronel da cidade viu a imagem da lua refletida na lagoa, por isso se chama Lagoa da Prata.(foto acima de Lauro Rocha) 
A cidade oferece atrativos turísticos naturais e de interesse ecológico, monumentos históricos e atividades ecoturísticas praticadas na região.
Atividades ecoturísticas praticadas na região
Lagoa da Prata (foto acima enviada por terceiro, com os créditos autorais informados sendo de Daniel Macedo) é também conhecida nacionalmente por abrigar os melhores jogadores de Truco do Brasil, com torneios realizados mensalmente no "Bar do Caçapava". Na cidade é realizado também, semestralmente, o mais conhecido e difícil campeonato de Truco do Brasil, o "Campeonato Oeste Estrela Clube de Truco".
Treking (caminhada longa) 
– Praticada na região do Catingueiro, percurso de 8 km e na Matinha.
Hikking (caminhada curta) 
– Praticada nos seguintes locais sem graus de dificuldades
Jacaré, 30 km de caminhada, trilhas no cerrado com cachoeira
Martins Guimarães, 20 km de trilhas de cerrado
Catingueiro, 15 km, região calcária e animais silvestres
Rapel (descida com cordas em cachoeiras, paredões e abismos)
 – Praticada nos seguintes locais: Catingueiro, 50 metros, Espinhaço, 35 metros, Forquilha, 30 metros, Matinha, 30 metros,
Mountain Bike – Praticado nos seguintes locais sem graus de dificuldades, Jacaré, 30 km de caminhada, trilhas no cerrado com cachoeira, Martins Guimarães, 20 km de trilhas de cerrado, Catingueiro, 15 km, região calcária e animais silvestres, 
Canoagem
– Praticada nos seguintes locais sem graus de dificuldades:Lagoa Verde, Praia Pública Municipal, Rio São Francisco
Cavalgada
– Praticada nos seguintes locais sem graus de dificuldades: Jacaré, 30 km de caminhada, trilhas no cerrado com cachoeira, Martins Guimarães, 20 km de trilhas de cerrado, Catingueiro, 15 km, região calcária e animais silvestres, 
Moto Traill 
– Praticado nos seguintes locais: Martins Guimarães, 5 km de trilhas de cerrado, Catingueiro, 15 km, região calcária e animais silvestres, Cascalheira, 8 km
Aeromodelismo
A cidade conta com uma equipe de aeromodelistas com uma associação registrada em cartório (ALA Associação Lagopratense de Aeromodelismo), com praticantes todos os finais de semana numa pista de terra em terreno alugado próximo ao pesque pague de Lagoa da Prata.
Algumas modalidades de esportes (rapel, moto traill), são realizadas em Ponte Pedra, distrito de Lagoa da Prata, e em Espraiado, distrito de Santo Antônio do Monte.

04 – Leandro Ferreira
Leandro Ferreira, (foto acima de Wilson Fortunato) antigo distrito criado em 1891 com a denominação de Largo e subordinado ao município de Pitangui, foi elevado à categoria de município pela lei estadual nº 2764 em 30 de dezembro de 1962. Sua população (2016): 3 299 habitantes. É banhada pelo Rio Pará e pelo Rio Lambari, onde formam várias praias que possuem diversos locais para acampamento e pescaria. Podemos destacar também algumas cachoeiras e cascatas, entre elas a do Sapateiro, Cachoeirão, Cachoeira do Funil e a Cascata do Ribeirão Areias.
Turismo
Todo ano acontece entre Bom Despacho e Leandro Ferreira a Cavalgada rumo ao túmulo do Padre Libério, religioso daquela região. Sua principal atração turística é o Museu e o Túmulo do milagroso Padre Libério, cujo processo de Beatificação já está em andamento.
Cultura
Suas principais festas são:Festa do Padroeiro São Sebastião – 20/01; Aniversário da cidade – 01/03; Sábado da Aleluia – Boi Chitão e Queima do Judas; Aniversário do Padre Libério, comemorada com uma grande cavalgada e participação de um número grande de cavaleiros da região – 30/06; Caminhada da Fé ao Túmulo do Padre Libério, com participação de um número grande de romeiros - 1º Domingo de julho; Aniversário de morte de Padre Libério – 22/12.Em outubro acontece a Festa de N.S. do Rosário, que é comumente chamada de Festa de Reinado, a qual conta com diversos grupos folclóricos de dança de origem africana como Congado, Moçambique e Catupé.

05 – Moema
Sua população, em 2016, era de 7 487 habitantes, segundo o IBGE. Localizado na região do Alto São Francisco, tem área de 202,663 km².Limita com os municípios de Araújos, Bom Despacho, Luz (pelo Rio São Francisco) e Santo Antônio do Monte. (foto acima de Alisson Gontijo)
Desmembrado do município de Bom Despacho, o município de Moema foi emancipado em 12 de dezembro de 1953. Seu primeiro prefeito, nomeado para mandato provisório, foi Fernando Xavier de Queiroz, que administrou o município desde sua instalação, em 1 de Janeiro de 1954, até o dia 30 de Janeiro de 1955. O primeiro prefeito eleito foi Pedro Ferreira da Silva, o Doca, que geriu o município de 31 de Janeiro de 1955 a 30 de Janeiro de 1959.
O topônimo "Moema" seria uma homenagem à homônima filha recém-falecida de um secretário do interior. Ou, então, uma referência à personagem homônima do poema Caramuru, de Santa Rita Durão, clássico da literatura árcade brasileira escrito em 1781. O nome da personagem, por sua vez, corresponde ao tupi antigo mo'ema, que significa "mentira" (no poema, Moema era a amante do personagem principal, Diogo Álvares, representando, assim, o amor falso, em contraposição ao amor verdadeiro representado pela esposa de Diogo, Catarina Paraguaçu).
Turismo
Moema realiza, anualmente, a Festa de Nossa Senhora do Rosário, também chamada Festa do Reinado e a Festa do Cavalo. O Congado, com suas "cortes" e instrumentos africanos tradicionais, é a principal tradição dessas festividades, que atraem pessoas de toda a região. Esta festa, que é, sempre, realizada na última semana de julho, tem características próprias, com comidas típicas, barracas e shows.
A cidade é banhada pelo Rio São Francisco, Ribeirão Santa Luzia, Ribeirão Santo Antônio, Córrego dos Machados, Rio Jacaré, Ribeirão Santo Antônio. Além deles, possui, também, belíssimas lagoas, como a Lagoa Grande, Lagoa das Piranhas, Lagoa dos Peixes, Lagoa Criminosa, Lagoa Mariana e Lagoa Comprida. Nelas, o turista poderá contemplar a natureza e sentir-se verdadeiramente livre das preocupações e vida agitada do cotidiano.

A Micro Região de Curvelo é formada pelos municípios de Augusto de Lima, Buenópolis, Corinto, Curvelo, Felixlândia, Inimutaba, Joaquim Felício, Monjolos, Morro da Garça, Presidente Juscelino, Santo Hipólito.

06 – Curvelo

Curvelo (na foto acima de Luiz Gustavo de Assis Moreira) tem, segundo o IBGE em 2016 o município tinha 79.401 habitantes. O município ocupa o 14º lugar no ranking das 50 cidades pequenas brasileiras que apresentam melhor desenvolvimento econômico, segundo estudos recentes.[6] Seu nome tem origem em um dos seus primeiros moradores, o padre Antônio de Ávila Curvelo.
É a cidade-mãe de muitos distritos hoje emancipados, tais como Morro da Garça, Inimutaba, Presidente Juscelino e Santana de Pirapama. É também o berço de uma das mais elegantes facas brasileiras, denominada "Curvelana" e que teria surgido por volta de 1880-90.
Entre os principais locais turísticos, existem:
o Centro Cultural de Curvelo. Localizado no prédio da antiga estação ferroviária da Estrada de Ferro Central do Brasil reformado, abriga um museu, um espaço de multimédia, biblioteca e galerias de arte.
a Basílica de São Geraldo. É a segunda Basílica dedicada a São Geraldo no mundo - a primeira está em Muros, na Itália, onde o santo está enterrado. A Oitava de São Geraldo acontece na última semana de agosto, com encerramento pela arrojada procissão de São Geraldo no primeiro domingo de setembro, quando a cidade recebe uma multidão de romeiros de todas as partes do país e até do exterior.
a Matriz de Santo Antônio. Benzida em 1877, tem como forte atração o altar-mor entalhado pelo mestre Chico Entalhador.
o Forró de Curvelo. Promovido por entidades, clubes de serviço e a prefeitura, é realizado em data que transita o entre o último fim de semana de junho e o primeiro fim de semana de julho. Durante os quatro dias de festa, são armadas barracas em praça pública com direito a grandes shows de artistas nacionais, concursos de música popular, danças e outras brincadeiras. Todas as barracas oferecem pratos típicos com cardápios variados. O Forró de Curvelo é um evento em âmbito estadual, envolvendo não só as cidades próximas, mas também trazendo turistas da capital, de cidades mais afastadas e até de outros estados.
o Parque de Exposições Ernesto Salvo. É o local onde se realizada anualmente, há mais de 60 anos, a tradicional Exposição Agropecuária e Industrial de Curvelo.
a Lapa do Mosquito. Uma das gruta exploradas pelo dinamarquês Peter Wilhelm Lund, aguarda mapeamento e adequação para visitação pública.
Além desses, há também a Praça Benedito Valadares; a Praça Tiradentes; a Praça Voluntários da Pátria (Praça da Basílica), a Praça Central do Brasil; a Feira do Bairro Bela Vista; o Estádio Salvo Filho; o Clube Recreativo Curvelano (Sede Campestre); e a Feira da Estação.

07 – Corinto

Sua população estimada em 2016 é de 24.407 habitantes. Corinto (na foto acima de Caldeira Banca) , Centro Geográfico de Minas Gerais, é parte integrante da região do Médio Rio das Velhas, na zona do Alto São Francisco. A cidade é conhecida como "A terra dos cristais" e "Centro das Gerais". A cidade é bastante acolhedora , além de ter festejos que são da tradição local como o Carnaval, Forró da Cidade, a Folia de Reis, os Quadros Vivos que são realizados na Semana Santa, a trezena de Santo Antonio, a novena de Nossa Senhora Aparecida e a novena da padroeira da cidade Nossa Senhora da Imaculada Conceição.
O auge econômico de Corinto se deu nos arredores da década de 70, quando a cidade possuía uma estação de trem de passageiros bastante movimentada. Após a desativação da linha ferroviária, a circulação de pessoas pela cidade caiu bastante. A economia atualmente se baseia na agropecuária e em menor grau, na indústria e na extração de cristais e pedras semi-preciosas.

08 – Santo Hipólito

Santo Hipólito é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. Sua população estimada em 2016 era de 3.231 habitantes. Localizado na margem direita do rio das Velhas e também banhado pelo Rio Pardo, o município tem sua economia baseada na agricultura e pecuária. Cidade criada à margem da antiga ferrovia, apresenta ricas paisagens com grutas, cachoeiras e outros pontos pitorescos. (na foto acima uma rua de Santo Hipólito por César Rocha)

09 – Mojolos

Monjolos (foto acima de César Rocha) tem uma população estimada em 2.339 habitantes (CENSO 2016). O município esta situado na Bacia do Rio das Velhas em um vale da Serra do Cabral, tendo como vertente dois grandes rios, o Rio Pardo Grande e o Rio Pardo Pequeno. Esses, com com seus afluentes, contribuem com um grande volume de águas cristalinas que faz parte da despoluição do Rio das Velhas e na do Rio da Integração Nacional, o Rio São Francisco.
O município é constituído em quase sua totalidade de terras com alto teor de calcário, próprias para pastagens, tendo em destaque a pecuária de corte e leite, a fruticultura como a cultura da pinha e da manga; também é um grande produtor de pimenta. Mas o município tem o seu potencial turístico, fazendo parte dos circuitos dos Diamantes[6] e da Estrada Real, parte antiga que liga o município à cidade de Diamantina, ainda conta com suas cachoeiras, corredeiras, várias grutas com vestígios do homem pré histórico, várias trilhas para bicicletas, motos, jipes e caminhadas.

A Micro Região de Três Marias é formada pelos municípios de Abaeté, Biquinhas, Cedro do Abaeté, Morada Nova de Minas, Paineiras, Pompéu, Três Marias.

10 – Três Marias

Sua população, foi estimada em 31.366 mil habitantes em 2016, pelo IBGE. Três Marias (na foto acima de Renato Weil) está localizado na região centro-norte de Minas Gerais. O rio São Francisco divide o município trimariense com o município São Gonçalo do Abaeté. A cidade é muito quente.
Três Marias se emancipou em 1 de março de 1963, portanto esta é a data de aniversário da cidade. Quem nasce nesta cidade é trimariense. No início da construção da Usina Hidrelétrica de Três Marias, Barreiro Grande era um sítio que pertencia à família Josh Pereira de Freitas. Sem nenhuma infraestrutura, a região começou a receber aventureiros, pequenos comerciantes e operários demitidos das firmas construtoras, provocando um crescimento desordenado. Com o crescimento vertiginoso, o povoado Barreiro Grande logo passou a distrito, pertencendo ao município de Corinto. Para o nome Barreiro Grande existem duas versões. Uma, expõe ser essa denominação derivada do nome de um córrego que passa pela região: Barreiro Grande é o nome dado ao córrego que nasce na fazenda Mangaba (perto do Aeroporto) e atravessa toda a cidade, de leste para nordeste, desaguando no Rio São Francisco. A outra, expõe que o nome Barreiro Grande origina-se da terra salgada (salitrada), que fica às margens de certo trecho do referido Córrego, principalmente no trecho onde hoje é o centro da cidade. 0 gado solto lambia a terra o dia todo, produzindo um Barreiro muito grande, daí o surgimento do nome. A 1° de março de 1963, foi instalado o município de Barreiro Grande, desmembrando-o de Corinto, sendo empossado como intendente municipal o Sr. Antônio Fonseca Leal. A Usina Hidrelétrica de Três Marias tornou-se conhecida em todo o Brasil devido ao seu potencial hidrelétrico, divulgando o seu nome como se fosse o da cidade. No ano de 1975, na administração municipal de Dario Soares, o povo se organizou e fez abaixo assinado com a assinatura da maioria dos eleitores para pleitear a mudança da denominação Barreiro Grande para Três Marias.Para o nome Três Marias existe a seguinte versão: Há muitos e muitos anos, residia às margens do Rio São Francisco uma família: mãe, pai e três filhas. Eram fazendeiros, trabalhadores e tementes a Deus. A família montou uma pequena hospedaria na fazenda, para o descanso dos tropeiros viajantes, pescadores cansados de viajar a pé, carro de boi ou no lombo dos animais. Com o passar dos anos, os dois velhos morreram e as filhas Maria Francisca, Maria das Dores e Maria Geralda continuaram com a hospedaria, ponto de parada obrigatória, porque na região era o único lugar de descanso. Aquela pequena hospedagem tornou-se popular como as Três Marias: Hoje vou pernoitar, lá, nas Três Marias... ; Quando atravessar o Rio São Francisco vou almoçar nas Três Marias... As irmãs Maria Geralda, Maria das Dores a Maria Francisca gostavam muito de nadar e mergulhar nas águas do Rio São Francisco. Certo dia, como de costume, as Três Marias foram nadar, sem saber que vinha vindo uma cabeça de enchente. As águas vinham revoltas, arrastando animais, árvores, plantações, carregando e destruindo tudo a sua passagem. E as águas foram chegando, chegando, cada vez mais se aproximavam com seu barulho ensurdecedor. As aves a animais se calaram ante a fúria da natureza. As Três Marias, ao sentirem a chegada das águas, tentaram, desesperadamente, sair do rio, mas Maria Geralda rodou nas águas, Maria Francisca tentou salvá-la e rodou também. Quando Maria das Dores viu as suas irmãs debatendo-se nas águas, numa luta mortal, tentou levá-las para as margens do Rio. Tudo em vão: as águas rodopiavam, levantavam mares a redemoinhos e carregaram as Três Marias para o fundo do Rio. Após o acidente trágico, o nome de Três Marias tornou-se mais popular ainda, ficando aquela região assim conhecida. Na década de 1950, o então presidente da república Juscelino Kubitschek autorizou a construção de uma Usina Hidrelétrica na região do Alto São Francisco, que mais tarde daria o nome a cidade que surgia.

11 – Abaeté

De acordo com o censo realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística em 2016, Abaeté (na foto acima de Carlos Noronha) possui 23.574 habitantes."Abaeté" é um termo oriundo da língua tupi e significa "homem verdadeiro", através da junção dos termos abá ("homem") e eté ("verdadeiro"). Localizada próxima à Represa de Três Marias, é cortada pelo Rio Marmelada, que em muitas situações de chuva, causou transtornos à população da cidade devido às suas cheias.
A cidade possui como principais atividades econômicas a pecuária leiteira, a pecuária de corte, a fruticultura, além de indústrias frigoríficas, confecções, laticínios e de produtos não-metálicos.Dos últimos anos para cá,a parte financeira da cidade vem crescendo muito graças ao Carnaval da cidade que é o ponto de atração de turistas de todas as partes do Brasil.

12 – Pompéu

Sua população é de 31.401 (Estimativa do IBGE para 2016). Com uma área de aproximadamente 2.551,074 km² possui diversificada geografia, estando a 168 km de distância da capital do estado, Belo Horizonte. (na foto acima, de Arnaldo Silva, Praça da Matriz de Pompéu)
A economia de Pompéu é bastante diversificada, baseada principalmente na produção leiteira, álcool combustível, móveis de madeira, mineração de ardósia e Eucalipto.
Pompéu possui uma série de atrativos no que diz respeito ao "entretenimento festivo". Por se tratar de um município pequeno e de povo receptivo, é sempre um bom lugar para encontrar os amigos e desfrutar de um ambiente calmo e descontraído.
A cidade conquistou a fama de realizar um dos melhores carnavais de Minas Gerais. Tendo como principal atração o Bloco Reduto, que atrair milhares de Foliões de todas a partes do Brasil e do mundo. O bloco conta com grandes atrações do mercado nacional e internacional de Música. A estrutura é semelhante a dos grandes blocos do Carnaval baiano.
O carnaval de rua em Pompéu, organizado pela prefeitura, é uma festa notória a nível nacional, que reúne milhares de pessoas de diversos estados do país.
O município, possui também um belo Museu e um Centro Cultural em homenagem a grande matriarca da cidade, Dona Joaquina, carinhosamente apelidada de Dona Joaquina do Pompéu. O Museu e Centro Cultural, resgatam a história de Joaquina de Pompéu e de toda sua família.
Uma outra atividade turística do município de grande repercussão é a pescaria. Prodigiosamente servido de rios o município possui um grande potencial para a atividade pesqueira São Francisco, Pará,Peixe,Pardo e Paraopeba além da Represa de Três Marias e a Usina Hidrelétrica de Retiro Baixo no Rio Paraopeba.

Fonte das informações: Wikipédia

AVISO LEGAL
Este conteúdo pode ser publicado livremente, no todo ou em parte, em qualquer mídia, eletrônica ou impressa, desde que contenha um link remetendo para o site www.conhecaminas.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário