Azeite artesanal de Andradas (MG) está entre os melhores do mundo


 Em Andradas (MG), no sul de Minas, a repórter Edlaine Garcia conheceu uma família que produz um azeite artesanal que está entre os melhores do mundo, segundo um guia italiano. Para entender mais sobre como reconhecer a qualidade de um azeite, a nossa repórter faz uma degustação e aprende a identificar algumas características que apontam se o produto é de qualidade. (na foto acima Edlaine Garcia aprende a como degustar um azeite e identificar as qualidades do produto (Foto acima: reprodução EPTV)

Em uma loja em Campinas (SP), onde são encontradas 200 marcas de azeite, que variam entre 10 nacionalidades diferentes, a repórter do Mais Caminhos se encontra com uma especialista no assunto. Edna Bertoncini é pesquisadora da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), fez curso na Itália e ministra aulas aqui no Brasil sobre o produto e como identificar as suas características.

Dicas
O primeiro detalhe que deve ser observado na hora de comprar um azeite é a embalagem. As mais escuras, segundo a especialista, são as mais adequadas, pois tanto a luz quanto o oxigênio interferem na qualidade do produto. Outro tipo de recipiente que contribui para um azeite de qualidade são as latas, entretanto, “tem que ser uma lata sem costura”, diz Edna. As pequenas embalagens também são as melhores, pois toda vez que o produto é aberto, mais luz e oxigênio entram e ele vai perdendo a qualidade.

Com relação à acidez, a pesquisadora explica que os melhores estão abaixo de 0,80%, o que significa que o produto passou por várias análises antes de ser aprovado e é considerado extravirgem. Acima deste índice, "a legislação fala que não seria um azeite extravirgem, cai para a categoria virgem”, pontua Bertoncini. A diferença básica do dois é que o extra virgem é um azeite mais puro e distante do óleo tradicional.

A especialista conta que o consumidor tem que buscar no azeite um aroma de “grama fresca cortada”, afinal o produto vem de uma fruta, que é a azeitona, então quando exprimido, tem que haver o odor de fruta fresca.

Chegou a hora da degustação! 

O primeiro azeite que nossa repórter experimenta é um produto nacional, vencedor de um evento na Sicília, região italiana. Os copos indicados para experimentar, no caso da nossa reportagem, seguem um padrão internacional, em um formato no qual a base é mais larga que o topo. “O copo tem este formato, porque você coloca o azeite aqui dentro e ele é aquecido a vinte e oito graus”, explica Edna. Já o consumidor “pode fazer em um copinho de café”, completa a especialista.

Antes de degustar é necessário esquentar o azeite com as mãos; também é importante tentar sentir se há o cheiro de frutado, colocando o produto no nariz e tirando em seguida”. O próximo passo é colocar o azeite na boca e fazê-lo girar para depois empurrar o produto para o fundo da boca serrar os dentes, a fim de sentir o seu real sabor.

Andradas (MG)
Depois de pegar diversas dicas sobre a degustação de azeite, Edlaine foi a Andradas (MG), onde também há variedades de oliveiras europeias, uma delas a “Arbequina”, da Espanha. No meio da Serra da Mantiqueira, um casal começou com 900 pés, há oito anos, e hoje já são quatro mil. “Nós utilizamos dez quilos para produzir 1 litro de azeite”, conta a produtora Carla Retuci.

O Azeite produzido na propriedade vai para 25 pontos de venda no Brasil e faz parte de uma associação de olivicultores de cinquenta municípios dos estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo. Juntos, eles produzem dez mil litros de azeite por ano.

O produto da agricultora Carla Bertuci já recebeu reconhecimento internacional. “Existe um guia na Itália que se chama ‘Flos Olei’ e ele mapeia os principais azeites do mundo; nós estamos representando o Brasil hoje neste guia mundial”, conta a produtora. E não para por aí! Carla conta que eles receberam um convite para participar de uma feira no Japão e exportar para a China. Mas a produtora afirma que a produção “ainda é pequena e atende apenas o mercado local”. No entanto, futuramente o casal pretende investir para aumentar a produção e exportar para diversos países.


Fonte da reportagem:http://gshow.globo.com/EPTV/Mais-Caminhos/noticia/2016/11/azeite-artesanal-de-andradas-mg-esta-entre-os-melhores-do-mundo.html

Algumas marcas de Azeites da Serra da Mantiqueira


BORRIELLO

A marca pertence ao Casal Carla Retuci e Mário Borriello, de Andradas MG. Extraem azeite de arbequina e grappolo na fazenda, aberta a visitação. Informações: https:www.azeiteborriello.com.br/

VERDE OLIVA

Azeite orgânico produzido em Delfim Moreira MG, pelo casal Newton Litwinski e Fátima Garcia. Visitas a fazenda podem ser agendadas e também aceitam encomendas pelo correio.
Informações: tel.: 35 3624-1334 (foto acima de Mateus Ribeiro)

PAIOL VELHO
Numa fazenda em Cristina MG, pertencente a família de Luiz Menezes, são plantados 4 variedades de azeitonas. A produção desse azeite vem crescendo a cada ano.
Informações: tel.: 12 99719-2083

EPAMIG

A Estatal Mineira sediada em Maria da Fé MG, produz azeites em seus olivais experimentais e processa azeitonas de produtores da Região da Mantiqueira. Informações: tel.: 35 3662-1227
(foto acima de Rosane Vidinhas)

9 comentários:

  1. Puro orgulho. Num Brasil caótico de hoje uma alegria saber destes brasileiros que tanto valorizam está terra maravilhosa .
    Parabéns e meu respeito para vocês produtores.
    Patrícia Bernardes

    ResponderExcluir
  2. Falta apoio do governo com um marketing pesado, pois não há necessidade de importar azeite de outros países, já que temos is melhores azeites do mundo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro que tem que importar. A produção brasileira é muito pequena.

      Excluir
    2. vai uns 50 a 100 anos até sermos autosuficientes ... pode crer!!!

      Excluir
    3. BR já é grande produtor ...
      azeite chinês !

      Excluir
  3. Merecem todo apoio. Adoro azeites, vivo experimentando e vou procurar com certeza. Parabéns

    ResponderExcluir
  4. Adorei saber que produzimos azeites renomados, vou procurar no mercado. Os de arbequina são os meus preferidos!
    Só fica a dúvida se esse "exprimir" não deveria ser "espremer".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. quando você olhar o prêço de nossos excelentes azeites, teu entusiasmo irá lá pra baixo ... CARÍSSIMOS!!!!!!!

      Excluir
  5. Parabéns!!!!! Vou começar a procurar esses azeites nos mercados!!!! Viva o Brasil!!!! Viva Minas Gerais!!!!!

    ResponderExcluir