20 lindas cidades do Norte de Minas

A região Norte de Minas é formada pela união de 89 municípios, agrupados em sete microrregiões.Anteriormente ocupada por tribos indígenas pertencentes ao tronco linguístico macro-jê, o povoamento de origem europeia da região se deu sobretudo a partir do século XVII, em razão da exploração de pedras preciosas e da criação de gado.(na foto acima, de Sérgio Mourão, Montes Claros, a Princesa do Norte de Minas)
Na foto acima, São Romão, uma bela cidade do Norte de Minas, na foto de Tiago Soares. Em 2016 o município tinha 11.727 habitantes, segundo o IBGE)
A região Norte de MG vem se desenvolvendo muito desde o início do século XXI. Conta com grandes multinacionais como a Novo Nordisk, Lafarge, Nestlé, Rima e Petrobras. Conta também com extensas áreas irrigadas de grandes projetos como o Pirapora, o Jaíba e o Vale do Gorutuba, que exportam frutas para 6 países e atendem a todo o Brasil. Também tem extensas áreas de criação de gado e de silvicultura para alimentar as siderúrgicas do restante do estado.
Turismo e cultura

A cultura norte-mineira é uma das mais ricas do Brasil, se diferenciando em cada microrregião, mas quase sempre baseada em festas religiosas e folclóricas. A cidade de Montes Claros tem a Festa dos Catopês ou Festas de Agosto, com cortejo e levantamento de mastro a Nossa Senhora do Rosário, a São Benedito e ao Divino Espírito Santo, ocorrendo ainda marujadas, cabocladas e catopês. Nas cidades ribeirinhas, como Januária, Manga, Pirapora e São Francisco, há forte influência das lendas e crenças que rondam o Rio São Francisco, além da presença de comunidade de pescadores, com confecção de canoas, tarrafas (redes de pesca) e entalhe de carrancas (criaturas de aparência grotesca usada nas embarcações para espantar maus espíritos). Na região do Grande Sertão Veredas (Januária, Cônego Marinho, Miravânia, Chapada Gaúcha, Itacarambi, Bonito de Minas) há a forte tradição da Folia dos Três Reis Magos, que acontece em todo início do ano, em que os foliões passam de casa em casa e são servidos pão-de-queijo feito no forno caipira, pinga e café, finalizada com uma grande celebração na casa de um dos foliões ou devotos.
Conta com grandes pontos turísticos como 
O Parque Nacional Cavernas do Peruaçu. (na foto acima, uma das cavernas do parque, de autoria de Deniston Diamantino) 
Pesca esportiva e belas Praias de água doce em Pirapora, Januária, São Francisco, São Romão, Janaúba, entre outras. 
Possui lindos balneários como o do Rio Catolé em Bonito de Minas, o do Rio Pandeiros em Januária (na foto acima de Marcelo Santos), o do Rio Lajedo em Cônego Marinho e da Barragem Bico da Pedra em Janaúba. 
Em Pirapora encontra-se o único navio a vapor em funcionamento no mundo, o Benjamim Guimarães (na foto acima de Sérgio Mourão), utilizado em passeios turísticos e como palco da sinfonia.
De acordo com estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas, em 2016 havia na mesorregião cinco municípios com mais de 50 mil habitantes:
1° Montes Claros 398.288
2° Janaúba 71.279
3° Januária 68.420
4º São Francisco 56.619
5º Pirapora 56.474

A Micro Região de Grão Mogol é formada pelos municípios de Botumirim, Cristália, Grão Mogol, Itacambira, Josenópolis, Padre Carvalho

01 – Grão Mogol
Com 17 mil habitantes e 167 anos como cidade, embora seja dos tempos coloniais, Grão Mogol tem com um dos principais monumentos a Matriz de Santo Antônio, toda construída em pedra. Em 2016, seu núcleo histórico local foi tombado pelo Conselho Estadual do Patrimônio Cultural de Minas Gerais (Conep)
A cidade hoje vem crescendo no potencial turístico, a partir de grandes investimentos na manutenção do patrimônio e na promoção da cidade em todo o estado. Com a inauguração da Usina Hidrelétrica de Irapé no município, a aposta dessa cidade é tornar-se pólo turístico nacional em poucos anos. (Iepha/MG - Divulgação foto: Com população de 17 mil habitantes e 167 anos como cidade, Grão Mogol tem na matriz construída em pedra uma das atrações)

02 – Itacambira
Situado a uma altitude de 1.048 m. Itacambira (foto acima extraída da fanpage  Itacambira - MG. Facebook) Itacambira tem cerca de cinco mil habitantes, fundado em 1962, tem um total de 5.346 habitantes EM 2016, numa área de 1.795,7 km². 
Turismo
 Entre as atrações está a Matriz de Santo Antônio, uma construção iniciada na primeira metade do século XVIII. O interior dela causa impacto visual pelo aspecto despojado e diferente das apresentações estéticas de templos católicos. Em 2009, o IEPHA entregou as obras de restauração de nove imagens sacras, além do retábulo-mor, oratório da sacristia, quatro oratórios da nave, púlpito, coro e a balaustrada da nave. A igreja chegou a guardar as "múmias de Itacambira". Próximo a Itacambira encontram-se diversas cachoeiras contabilizando um total de sete quedas d'água. (As sempre vivas são abundantes no município. Fotografia de Eduardo Gomes)

A Micro Região de Janauba é formada pelos municípios de Catuti, Espinosa, Gameleiras, Jaíba, Janaúba, Mamonas, Mato Verde, Monte Azul, Nova Porteirinha, Pai Pedro, Porteirinha, Riacho dos Machados, Serranópolis de Minas.

03 – Janaúba
 
Tem, como atividades principais, a agricultura, a pecuária e serviços (comércio). Sua população em julho de 2016 foi estimada em 71.279 habitantes. É a segunda cidade mais populosa do Norte de Minas e a 52º de todo o estado.( foto de Diou - Vista da Pça. Péricles O. Santos, no centro de Janaúba)
Pontos turísticos
A cidade de Janaúba apresenta diversos pontos turísticos. Banhada por rios, principalmente o Rio Gorutuba, concentra meios naturais para a diversão do turista e da população local. Destacam-se o Balneário Bico da Pedra, Avenida do Comércio (principal centro comercial da Serra Geral de Minas Gerais), as Praças Drº Rockert, Cristo Redentor, Rômulo Sales, Justino Pereira (Praça do Triângulo - encontra-se a Academia Pública da Terceira Idade), o Mercado Municipal (repleto de tradições e costumes mineiros), o Parque de Exposições Valdir Nunes (o Sindicato Rural realiza a maior Exposição Agropecuária do interior de Minas, com shows de artistas nacionais e regionais, leilões, feira da Agricultura Familiar etc.), a PROSSEG (Potencialidades da Serra Geral de Minas), o Espaço Cultural Central do Brasil (Biblioteca Pública, espaço de Dança, música, artes em geral) o Centro Cultural Marly Sarney em frente a Rodoviária, a Estação Ferroviária de Janaúba (preservada), as Pontes de Ferro que ligam a cidade de Janaúba a Nova Porteirinha e os trilhos da Rede Ferroviária sobre o Rio Gorutuba no Bairro Gameleira/Nova Esperança. Os costumes do povo Gorutubano podem ser observados em bairros como: Barbosas, Industrial (Dente Grande), Rio Novo, Santa Terezinha.

04 – Mato Verde
Sua população em 2016 era de 12.871 habitantes. (foto acima de  Erico_Brito)
Turismo
A Cachoeira de Maria Rosa é a maior queda d'água do Rio Viamão. Localiza-se a 12 km de Mato Verde. (foto da cachoeira ao lado de Elson Pereira)
Há também a Cachoeira do Rio das Gramas, próximo ao distrito de São João do Bonito; o Rio Garipau; e há também um sítio a 15 minutos de Mato Verde que fica nas margens do Rio Viamão (Sítio do Sidney). É uma propriedade privada e para a entrada de visitantes é necessária uma autorização do dono do terreno, que não é difícil de ser conseguida. 
Além disso tudo, há também outras cachoeiras no rio Viamão (mais próximas à sua nascente na foto acima de Marcelo Santos), entre elas o Poço do Ouro, que fica a aproximadamente 16 km da cidade, sendo um dos locais de acesso mais difíceis do município. E existem mais quedas d'água acessíveis apos escalar grandes pedras. Há também o Rio do sr. Heitor, uma barragem na comunidade de Caveira d'Anta no Rio Garipau.
Outros pontos turísticos na cidade são:
Praça Geraldo Clemente Alves e Avenida José Alves Miranda (Centro-Alto São João), locais com lanchonetes frequentados principalmente à noite
Complexo Poliesportivo, local com playground, quadra de areia, estacionamento, bar no meio da ilha da lagoa, ginásio poliesportivo Baianinho e o estádio Baianão.(na foto acima, autoria desconhecida)
O Carnaxé de Mato Verde também atrai turistas do Norte de Minas e do Sul da Bahia. A entrada é franca. Há também as famosas festas da Camiseta e Caipy Fest, que acontecem anualmente em Janeiro. As entradas são compradas na forma de camisetas.
Festas Juninas
As festas juninas são festejadas por toda a comunidade, sendo que na véspera do dia de São João, realizam-se quadrilhas, rezas e levantamento de mastros. A festa do padroeiro Santo Antônio começa em 10 de maio e termina em 13 de junho, dia do santo.

A Micro Região de Januária é formada pelos municípios de Bonito de Minas, Chapada Gaúcha, Cônego Marinho, Icaraí de Minas, Itacarambi, Januária, Juvenília, Manga, Matias Cardoso, Miravânia, Montalvânia, Pedras de Maria da Cruz, Pintópolis, São Francisco, São João das Missões, Urucuia.

05 – Januária

O município de Januária (na foto acima, vista parcial da cidade. A direita o Rio São Francisco. Foto de  DA DRONES Imagens Aéreas. No Facebook: DA Drones Imagens Aéreas ) está situado na região do Médio São Francisco, localizada ao lado esquerdo do rio do mesmo nome. Conta com uma população, em 2016, segundo o IBGE, de 68.420 habitantes, sendo a 3º em população geral do Norte de Minas, sendo também a 54º maior do estado. Januária, considerada uma cidade universitária, conta com um campus do IFNMG, Unimontes, Unopar, Unip, FUNAM e Ceiva. Sua economia concentra-se na agricultura, na pecuária e nos serviços gerais. Januária é uma das principais cidades do Norte de Minas, sendo cidade-polo da microrregião do alto médio São Francisco.
Out-door ressaltando as riquezas da cidade
Cachaça
Januária possui ótimas referências na produção de cachaça. O segredo está na umidade natural do solo e no clima do distrito de Brejo do Amparo.
O município produz a cana-de-açúcar desde o seu surgimento. São mais de trinta engenhos nas imediações do povoado. Parte da produção da cachaça é exportada para outros estados e para todos os países europeus e asiáticos, dado o alto grau de qualidade da cachaça ali produzida.A cachaça de Januária é considerada uma das melhores do Brasil.
Artesanato
O artesanato da região é passado de geração em geração como forma de sobrevivência. De origem indígena, tem características primitivas, conservando sua forma pura. A matéria-prima utilizada é extraída da natureza.São utilizados barro, fibras vegetais, madeira, flandres ou folha de zinco, couro, algodão.O artesanato pode ser encontrado na Casa do Artesão,Casa da Memória,Centro de Artesanato e Mercado Municipal.
Culinária
A culinária regional apresenta vários pratos saborosos, como o arroz com pequi, carne de sol, moquecas de surubim, pão de queijo, angu com quiabo, paçoca, papudo, manué, galinha ao molho pardo, feijão tropeiro com torresmo, beiju, rapadura, panelada, picado de arroz, dourado assado, vários pratos feitos com o tradicional surubim do Rio São Francisco, e ainda saborosas frutas do cerrado, como umbu, pinha, tamarindo, fruta do conde, coquinho, cagaita, caju, cajuí, maxixe, cabeça-de-nego, buriti, babaçu, fava-d'anta, jenipapo, anajá, banana-caturra, utilizados na produção artesanal de sucos, licores e doces.
Maior destaque cabe ao famoso fruto do cerrado, rico em vitamina "A" e excelente no combate dos radicais livres, o "pequi" é encontrado com grande fartura na região e largamente usado na culinária em pratos diversificados como, o picado de arroz com pequi, frango com pequi e mandioca, farofa de pequi e até o fruto cozido, podendo acrescentar sal ou açúcar. A polpa e o óleo do pequi, também muito utilizado na culinária januarense, podem encontrados durante todo o ano em pequenas fabriquetas artesanais. Do pequi ainda se extrai a castanha que é vendida no mercado municipal e na feira livre aos sábados. A castanha é muito saborosa e também é usada na culinária, devendo ser reidratada antes do consumo, pois é vendida seca.


06 – Itacarambi

"Itacarambi" é originário do termo tupi itákarãî'y, que significa "rio das pedras arranhadas" (itá, pedra + karãî, arranhado + 'y, rio). Em 2016, sua população era de 18.414 habitantes.Situa-se na margem esquerda do rio São Francisco. Se localiza a 660 quilômetros da capital estadual, Belo Horizonte. (foto acima de  Erico_Brito)
No Alto Médio São Francisco, o município oferece muitos lugares para o lazer e práticas esportivas, como praias fluviais e locais favoráveis para pescaria, além de grutas, como a Olhos d'Água, com 1 180 metros em seu eixo principal, que é considerada a quarta maior do país, atraindo visitantes não só da região mas de lugares distantes. (na foto acima, paineira barriguda na zona rural do município, fotografado por Manoel Freitas)

07 – Manga

Em 2016, Manga (na foto acima de Manoel Freitas. Manga tem suas margens banhada pelo Rio São Francisco) contava com 19.494 habitantes, segundo o IBGE.O município está situado no semiárido mineiro, no alto médio vale do Rio São Francisco, localizado à margem esquerda do mesmo rio.O ponto mais alto do município, a cabeceira do Rio Itacarambi, está a 828 metros de altitude.
A população é originária, conforme consta nos anais da história manguense, de caboclos, escravos e naturais de Pernambuco que ali instalaram-se com o ex-governador das Minas Gerais, um dos líderes dos emboabas, Manuel Nunes Viana.
Turismo
Há as festas de São Benedito, Nossa Senhora da Conceição, bem como as visitas às misteriosas grutas do Morro de Matias Cardoso. Deve-se percorrer 702 quilômetros a partir de Belo Horizonte, pela BR-135 e MG-401. Então, atravessa-se o Rio São Francisco, havendo inclusive porto, de onde há acesso a Pirapora. Pequenos aviões também pousam no seu campo de terra. Recentemente, foi criado o Parque da Mata Seca.

08 – Matias Cardoso

 Sua população estimada em julho de 2016 era de 10 905 habitantes. O nome do município é uma homenagem ao bandeirante Matias Cardoso de Almeida, desbravador da região. Na cidade está a Matriz de Nossa Senhora da Imaculada Conceição, apontada como a igreja mais antiga do estado de Minas Gerais. (foto acima de Manoel Freitas)

09 – Monte Azul

Sua população em 2016 era de 21.884 habitantes. O ponto mais alto do município é de 1820 metros, local: Serra Geral.(foto acima de Marcelo Santos)
Turismo

Monte Azul, apesar do clima e vegetação serem de transição entre os pertencentes ao Cerrado e Caatinga, é um município com muitas cachoeiras, cercadas de belíssimas serras. Entretanto, o turismo ecológico é praticamente inexplorado por governo e população da cidade. O máximo que se pode usufruir das belezas naturais monteazulinas é conseguido através dos acessos por estradas de terra e de "guias", que seriam os próprios moradores da região.
As serras que cercam a cidade além de ter referência na mudança do nome de Tremedal para Monte Azul, é de grande atração turística. Ao chegar a Monte Azul e ver as lindas serras azuis o viajante ou turista logo já sabe o por que do nome.
Tradicionalmente, são realizados alguns eventos no Parque de Exposições, como réveillon, micaretas e exposições agropecuárias, as quais geralmente contam com leilões bovinos, shows musicais, exposições artesanais, concursos de culinária, etc, atraindo grande parte da população regional.

A Micro Região de Montes Claros é formada pelos municípios de Brasília de Minas, Campo Azul, Capitão Enéas, Claro dos Poções, Coração de Jesus, Francisco Sá, Glaucilândia, Ibiracatu, Japonvar, Juramento, Lontra, Luislândia, Mirabela, Montes Claros, Patis, Ponto Chique, São João da Lagoa, São João da Ponte, São João do Pacuí, Ubaí, Varzelândia, Verdelândia.

10 – Montes Claros

Montes Claros (na foto acima de Eduardo Gomes) localiza-se a norte da capital do estado, distando desta cerca de 422 km. Em julho de 2016 sua população foi estimada pelo IBGE em 398 288 habitantes.
Montes Claros foi emancipada no século XIX, tendo, há bastante tempo, a indústria e o comércio como importantes atividades econômicas, sendo considerada um polo industrial regional. Atualmente é formada por dez distritos, sendo que é subdivida ainda em cerca de 200 bairros e povoados. 
Conta com diversos atrativos naturais, históricos ou culturais, como os Parques Municipal Milton Prates, Guimarães Rosa e Sapucaia, que são importantes áreas verdes, e construções como a Catedral de Nossa Senhora Aparecida e a Igrejinha dos Morrinhos, além dos vários sítios arqueológicos. (foto acima de Eduardo Gomes)

11 – Coração de Jesus

De acordo com o IBGE em 2016 a população estimada é de 27.014.Coração de Jesus (na foto acima de Bezete Leite) está localizado a: 77 km de Montes Claros 32 km de São João do Pacuí 55 km de Brasília de Minas e a 475 da capital, Belo Horizonte

12 – Japonvar

Entrada de Japonvar, por ocasião da Tradicional Festa do Biscoito e Festa do Pequi. Japonvar tem orgulho de ser a Capital Nacional do Pequi. O fruto produzido na cidade é considerado de alta qualidade com polpa, textura, coloração e sabor diferenciados. (foto acima de Eduardo Gomes. Na foto abaixo, pequis de Japonvar, por Manoel Freitas).
Sua população estimada em 2016 era de 8.664 habitantes. O nome Japonvar se origina do fato de a localidade ter surgido como um simples entroncamento de três estradas rústicas que levavam, respectivamente, a Januária, São João da Ponte e Varzelândia.

13 – Mirabela

Sua população no censo de 2016 é de 13.685 habitantes. É conhecida por ser a capital nacional da tradicional carne de sol e do pequi. (foto acima de Carlos H. Maia)
Festas e comemorações
A vaquejada, evento tradicional no município, juntamente com a festa do Divino Espírito Santo, festa da carne de sol e o aniversario da cidade destacam-se como comemorações realizadas anualmente no município.A tradicional Festa de Agosto De Mirabela é famosa pelo Norte de Minas por trazer pessoas de todos os lugares.

Turismo local
Os principais atrativos turísticos são:Caverna da região; Rio Riachão; Cachoeira do Riachão; Pesquipague do Cácio, Praça da Igreja Matriz de São Sebastião; Cachoeira Barragem; Clube Dos Pequizeiros; AABB; Parque de vaqueijada Dr.Márcio Rabelo
Pilastras; Pedão(em Riachão); O município conta também com cavernas e cachoeiras, que são destino de pesquisadores de universidades e de turistas ao longo do ano.

A Micro Região de Pirapora é formada pelos municípios de Buritizeiro, Ibiaí, Jequitaí, Lagoa dos Patos, Lassance, Pirapora, Riachinho, Santa Fé de Minas, São Romão, Várzea da Palma .

14 – Pirapora

Em 2016, segundo o IBGE, Pirapora tinha 56.774 habitantes . O município está localizado a aproximadamente 340 quilômetros da capital Belo Horizonte. É o segundo maior pólo industrial do norte de Minas Gerais, 33ª economia exportadora do estado e 2° PIB norte-mineiro. Destaca-se por ser o começo do trecho navegável do Rio São Francisco e por suas indústrias de ferro-silício, silício metálico, ferro-ligas, ligas de alumínio e tecidos que são os principais produtos exportados pelo município.
Cultura
Cidade de praia fluvial e cachoeiras, atrai turistas de todo o país. Tem um dos melhores carnavais do Norte de Minas.
Vapor Benjamim Guimarães
O vapor foi construído em 1913, nos EUA, pela empresa James Rees & Com. Navegou no Rio Mississipi e, posteriormente, em rios da Bacia Amazônica. Na década de 1920, a embarcação foi montada no porto de Pirapora.
Hoje, o Benjamim é o único exemplar movido a lenha ainda em funcionamento no mundo e faz, rotineiramente, passeios públicos de ida e volta do porto de Pirapora até o encontro do Rio São Francisco com o Rio das Velhas, na Barra do Guaicuí, distrito de Várzea da Palma.
Ponte Marechal Hermes
Liga os municípios de Pirapora e Buritizeiro e foi inaugurada em 10 de novembro de 1922.( na foto acima, d
a esquerda para a direita: Vapor Benjamim Guimaraes, Praça dos Cariris, Centro de Convenções. Ao Meio: Ponte Marechal Hermes, Fonte Luminosa. Abaixo: skyline parcial de Pirapora. Texto e fotos Wikipedia)
15 – Várzea da Palma
 Várzea da Palma (foto acima de Alonso Alves) está no Alto São Francisco, com a sede a 515 metros de altitude. É um cidade muito acolhedora e tem como fonte de renda a agropecuária, metalúrgicas, comércios e indústrias. E também tem festa como o Forró da Palma, considerada a festa mais tradicional do mês de Julho no estado de Minas Gerais.
E é o terceiro maior pólo industrial e econômico do Norte de Minas. Fonte: IBGE
Turismo
Ponte construída em 1928 (na foto acima de Alonso Alves);Lagoa da Olaria, considerada como um dos berçários da vida aquática do Rio das Velhas; Serra da Piedade; Serra do Cabral; Igreja de pedra na Barra do Guaicuí; Ponte sobre o Rio das Velhas construída em 1928.
Turismo urbano
Praça Frei Jorge - centro; Praça de Eventos - centro; Cristo redentor na serrinha; Busto de Fernão Dias Paes na Barra do Guaicuí; Casa da cultura localizada na Estação ferroviária construída em 1909 - centro.

A Micro Região de Salinas é formada pelos municípios de Águas Vermelhas, Berizal, Curral de Dentro, Divisa Alegre, Fruta de Leite, Indaiabira, Montezuma, Ninheira, Novorizonte, Rio Pardo de Minas, Rubelita, Salinas, Santa Cruz de Salinas, Santo Antônio do Retiro, São João do Paraíso, Taiobeiras, Vargem Grande do Rio Pardo.

16 – Salinas

Sua população estimada é de 41.494 habitantes conforme dados do IBGE para 2016. Está localizado na mesorregião do Norte de Minas e Microrregião de Salinas . Compõe com outros municípios da região o Alto Rio Pardo. (na foto, vista parcial de Salinas. Autoria até o momento desconhecida, assim que identificarmos o autor será creditado a autoria da imagem)
O município é conhecido pela qualidade do requeijão e da carne de sol, pelas tradições, pelo folclore e pela produção agropecuária. Mas nada lhe dá mais notoriedade do que as suas famosas cachaças. Outras atrações da cidade são as Festas Juninas, a Corrida e Caminhada de Salinas, realizada em 26 de junho, o Festival Mundial da Cachaça, as jazidas minerais e o artesanato.
Turismo

Atualmente, a cachaça é uma importante atividade econômica do município e, recentemente, também tem sido adotada como elemento de identificação para a estruturação turística. Foi instalado em 2012 o Museu da Cachaça (foto acima de Wellington Pedro), no antigo aeroporto da cidade, formado por oito salas que incluem um acervo de garrafas e um moinho montados a partir de temas como sociedade do açúcar, engenhos antigos e atuais, plantação, colheita e moagem da cana e história da cachaça em Salinas

17 – Montezuma

Montezuma (foto acima de Vinícius Gomes/revistaforum.com.br) é famosa por possuir um balneário de águas quentes naturais, uma das principais fontes de renda para sua população. As principais produções do município são: agropecuária e produção de carvão vegetal.O município faz divisa com a cidade de Mortugaba, no estado da Bahia e com os municípios mineiros de Espinosa, Santo Antônio do Retiro, Rio Pardo de Minas, Vargem Grande do Rio Pardo e São João do Paraíso.

19 – Taiobeiras

Sua população, estimada em 2016 pelo IBGE era de 33.576 habitantes. (a bela imagem da cidade acima, foi feita pelo Studio Foco e Arte)
Festa do Pequi

Acontece em Lagoa Grande, comunidade rural do município, a Festa do Pequi (foto acima, arquivo da Prefeitura Municipal), que resgata e valoriza a cultura do pequi na região. A festa, realizada pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais, inclui shows musicais, teatro, cavalgada, eco ciclismo, torneios esportivos, concurso de redação e de roedor de pequi às barraquinhas de comidas, bebidas típicas, palestra sobre a preservação do Cerrado e de frutas típicas como o araticum, além do plantio de mudas de plantas do Cerrado. Em 2017, a festa completará 24 anos.

A Micro Região de Bocaiuva é formada pelos municípios de Bocaiuva, Engenheiro Navarro, Francisco Dumont, Guaraciama, Olhos d- água

19 – Bocaiuva

Bocaiuva (acima o portal de entrada da cidade - foto de autoria desconhecida) está a cerca de 369 km ao norte da capital Belo Horizonte. É a quinta cidade mais populosa do Norte de Minas e a 69ª do estado, com população estimada em 2016 em 49.891 habitantes.Está na bacia hidrográfica do Rio Jequitinhonha.
Bocaiuva possui uma das melhores infra-estruturas sanitárias do Norte de Minas, asfaltamento em mais de 80% das ruas e tem a segunda melhor arrecadação norte-mineira.

20 – Francisco Dumont

Francisco Dumont é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. Sua população, em 2016, era estimada em 6.188 habitantes. O município está localizado nos pés da Serra do Cabral, na região norte do estado, mais conhecida como "gerais", e integra uma rede de pequenas cidades e povoados próximos, com características em geral similares.
A base da economia é a agropecuária bovina voltada para o corte. Francisco Dumont é conhecida pela sua beleza natural - visto que sua vegetação nativa é o cerrado, por sua gente hospitaleira e pela tradicional festa do Divino Espírito Santo e Nossa Senhora da Conceição, padroeira do município, que ocorre em meados do mês de julho.Outro atrativo é a piscina pública de águas naturais, que acolhe os turistas das cidades vizinhas durante os fins de semana e feriados, movimentando a economia do município.(na foto acima, de Marcelo Santos)

Fontes dos textos: Wikipédia - Ilustrações nossas

AVISO LEGAL
Este conteúdo pode ser publicado livremente, no todo ou em parte, em qualquer mídia, eletrônica ou impressa, desde que contenha um link remetendo para o site www.conhecaminas.com

3 comentários:

  1. A foto aérea de Januária foi tirada pela DA DRONES Imagens Aéreas. No Facebook: DA Drones Imagens Aéres

    ResponderExcluir
  2. Conheça um pouco mais o nosso querido e belo Estado de Minas Gerais, especificamente as belezas das principais cidades da Região Norte do Estado, com toda certeza e muito legal.!!!

    ResponderExcluir