segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Minas Gerais: Biomas, Clima e Geografia

Olho D´água em Bom Despacho  MG. Fotografia de Fabrício Martins
Ao longo dos seus 4727 km de perímetro, Minas Gerais faz divisa com os estados de São Paulo a sudoeste e sul, com o Rio de Janeiro a sudeste, com o Espírito Santo a leste, com a Bahia a nordeste e norte, com Goiás e o Distrito Federal a noroeste e com o Mato Grosso do Sul a oeste. As distâncias entre os pontos extremos do estado são de 986 km no sentido norte-sul e de 1248 km no sentido leste-oeste.

É o segundo Estado mais populoso do país, com 21 milhões de habitantes que se distribuem por 853 municípios, sendo a unidade da federação brasileira com o maior número de municípios. Os municípios mineiros representam 51,2% dos existentes na Região Sudeste e 15,5% dos existentes no Brasil. A capital Belo Horizonte ocupa a região central do estado.

Vista aérea de Belo Horizonte, capital de Minas Gerais. Fotografia de Copagov
Belo Horizonte foi concebida e planejada para substituir a colonial Ouro Preto ao final do século 19, então saturada e esgotada em sua capacidade de infra-estrutura para sediar o governo. Teve sua construção marcada pela formulação de planejamento urbano específico, espelhado no exemplo de Boston (EUA). Foi inaugurada em 12 de dezembro de 1897. Dentre os inúmeros fatores que pesaram na criação de Belo Horizonte, a localização privilegiada foi determinante, por estar a capital quase centralizada no estado. Em relação aos municípios das capitais brasileiras, a distância máxima (até Boa Vista) não passa de 3.118 km, e dentro do próprio estado não vai além de 865 km (Formoso). Sua localização faz com que por meio dela ou em suas cercanias passem rodovias federais muito importantes para a interligação nacional, como as rodovias BR-040, BR-262,BR-265 e BR-381, dentre outras.

Belo Horizonte é a cidade mais populosa do estado, com 2,5 milhões de habitantes (IBGE 2016). Com outros 33 municípios, forma a principal região metropolitana do estado, com 5,5 milhões de habitantes.
Serra do Cipó em Sacramento, Triângulo Mineiro. Ao fundo, o Rio Grande. Fotografia de Arnaldo Silva 
 Relevo
As regiões mineiras estão situadas num planalto cuja altitude varia de 100 a 1554 metros, possuindo um território inteiramente planáltico, não apresentando planícies. Mais da metade do estado localiza-se no Planalto Atlântico, com relevos de "mares de morros ou ondulados" e altitude média de 700 m. Já na porção do noroeste mineiro, apresentam-se os platôs do Planalto Central.
Paisagem rural de Lagoa da Prata, Centro Oeste de Minas. Fotografia de Arnaldo Silva 
As altitudes mais baixas estão nas várzeas dos rios no sudeste, leste e norte do estado. Os pontos mais altos estão nas serras da Mantiqueira, do Espinhaço, da Canastra e do Caparaó, com terrenos acima dos 1700 m. O ponto culminante do estado é o Pico da Bandeira, com 2891,3 m de altitude, situado na divisa com o estado do Espírito Santo. Outros pontos altos do estado são a Pedra da Mina com 2798,1 m, o Pico das Agulhas Negras com 2790,9 m e o Pico do Cristal com 2769,7 m.
Topo do Pico da Bandeira em Alto Caparaó MG, ponto mais alto de Minas. Foto de Naiara Cler 
Exemplo de algumas cidades mineiras com relevo tipicamente montanhoso em suas sedes municipais:
Acima de 1000m de altitude na sede: Senador Amaral, São Tomé das Letras, Maria da Fé, Marmelópolis, Munhoz, São Gotardo, Gonçalves, Bom Repouso, Bueno Brandão, Delfim Moreira, Poços de Caldas, Alagoa, Barbacena, Ouro Preto, Caldas, Ouro Branco, Araguari, Diamantina, Camanducaia, Cruzília, Cristina, Carvalhos, Carrancas. Serra do Salitre, Tiros, Matutina, Arantina, Bom Jardim de Minas, Bocaina de Minas, Pratinha, Campos Altos, Muzambinho, Campestre, Ipuiúna, Lagoa Dourada, Santa Rita de Caldas e Camanducaia (especificamente Monte Verde, que é tem a altitude de 1566 metros, sendo o perímetro urbano mais alto de Minas e o segundo mais alto de Brasil).
Com os seus 1556 metros de altitude, o charmoso distrito de Camanducaia é o ponto urbano mais alto de Minas, e segundo mais alto Brasil. Fotografia de Ricardo Cozzo
Entre 900m a 1000m: Andradas, Andrelândia, Alto Caparaó, Aiuruoca, Araxá, Botelhos, Campo Belo, Conselheiro Lafaiete, São Sebastião do Paraíso, Extrema, Itapeva, Patrocínio, Lavras, Varginha, Passa Quatro, Itamonte, Cambuquira, Senador José Bento, Tiradentes, São João Del Rey, Ibitiúra de Minas, Ouro Fino, Santo Antônio do Amparo, Camacho, Paraisópolis, Piedade de Caratinga. 
Parque do Rio Doce em Marliéria MG. Reserva de Mata Atlântica. Foto de Elvira Nascimento
Clima
No Território mineiro o clima que predomina é o tropical de altitude, além de apresentar o tropical. O primeiro ocorre nas áreas de relevo mais elevadas nas quais desenvolvem temperaturas que variam entre 17 a 20 °C, com índices pluviométricos que superam os 1.300 mm anuais. O clima tropical se apresenta nas áreas mais baixas, a temperatura nessa região oscila entre 22 e 23 °C com duas estações bem definidas, com verões chuvosos e invernos secos. As chuvas no norte do estado variam de 700 a 900 mm e no sul 1300 a 3500 mm.
Paisagem rural de Medina, Norte de Minas. Fotografia de Manoel Freitas 
Vegetação
Originalmente, a cobertura vegetal de Minas Gerais era constituída por dois biomas principais: Cerrado e Mata Atlântica, apresentando todas as suas fitocenoses.
Mata nativa de Cerrado. Bom Despacho MG. Fotografia de Arnaldo Silva 
O Cerrado (campo sujo, campo limpo, cerrado, cerradão, mata galeria, mata seca, campo rupestre) ocorre em praticamente metade de Minas Gerais, principalmente no Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba, Oeste, Metropolitana de BH, Central Mineira, Nordeste, Noroeste e Norte de Minas. A fauna é representada principalmente pelo tamanduá, tatu, anta, jibóia, cascavel e o cachorro-do-mato, lobo-guará, veado-campeiro, o mico-estrela e o pato-mergulhão.

Mata Atlântica na região do Vale do Aço. Fotografia de Elvira Nascimento
A Mata Atlântica ocupava a segunda maior área de ocorrência em Minas Gerais, nas regiões da Zona da Mata, Campos das Vertentes, Sul, Metropolitana de BH, Vale do Rio Doce e Vale do Mucuri. Foi fortemente devastada, ocorrendo atualmente em áreas restritas.
Campos rupestres. Serra da Canastra. Fotografia de Arnaldo Silva 
Os Campos Rupestres são típicos das terras altas do estado, ocorrendo nos pontos mais elevados das serras da Mantiqueira, do Espinhaço e da Canastra.
Paisagem de Manga, extremo Norte de Minas. Fotografia de Manoel Freitas 
A Mata Seca é uma fitocenose do bioma Cerrado, ocorrendo sobre formações calcárias da Formação Bambuí, notadamente na depressão Sanfranciscana. Fonte das informações: Wikipedia

Nenhum comentário:
Faça também comentários