sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

4 cidades da Região Metropolitana do Vale do Aço

Fábrica da Usiminas em Ipatinga. Fotografia de Elvira Nascimento
A Região Metropolitana do Vale do Aço (RMVA), mais conhecida por Vale do Aço, é uma região metropolitana brasileira no interior do estado de Minas Gerais e compõe a Região do Vale do Rio Doce. Foi reconhecida pela lei complementar nº 51, de 30 de dezembro de 1998, sendo efetivada como região metropolitana em 12 de janeiro de 2006. Além de Ipatinga, que sedia a agência metropolitana desde janeiro de 2012, é composta pelas cidades de Coronel Fabriciano, Santana do Paraíso e Timóteo e pelo colar metropolitano, que é constituído por outros 24 municípios.
Vista parcial de Timóteo. Fotografia de Elvira Nascimento
A locação da Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM) pela região, entre 1911 e 1929, levou ao surgimento dos primeiros núcleos urbanos, mas foi a instalação da Belgo-Mineira em Coronel Fabriciano, em 1936, a responsável por acelerar o desenvolvimento populacional e proporcionar a construção de casas e estabelecimentos e abertura de ruas. 
Coronel Fabriciano. Fotografia de Elvira Nascimento
A implantação da Acesita (atual Aperam South America, em Timóteo) e Usiminas (em Ipatinga), nas décadas de 1940 e 50, respectivamente, também trouxe infraestrutura básica e espaços de lazer à população e consolidou a integração das atuais cidades, cujos territórios encontravam-se subordinados a Coronel Fabriciano até 1964.
Ipatinga. Fotografia de Elvira Nascimento
A região tornou-se conhecida internacionalmente em virtude das grandes empresas locais, a exemplo da Aperam South America, Cenibra (em Belo Oriente) e Usiminas, e apesar de seu povoamento recente, corresponde a um dos principais polos urbanos do interior do estado.  
Santana do Paraiso. Fotografia de Arnaldo Silva
Segundo estatísticas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os quatro municípios principais reuniam, em 2015, um total de 485 584 habitantes. 
Parque Estadual do Rio Doce. Fotografia de Elvira Nascimento
Atrativos como o Parque Estadual do Rio Doce, o Parque Ipanema e a Serra dos Cocais também se fazem presentes na RMVA, bem como o artesanato e os grupos de congado das comunidades rurais e os espaços culturais, a exemplo da Fundação Aperam-Acesita e o Centro Cultural Usiminas.

Turismo
As quatro cidades do núcleo metropolitano e outras três de seu colar (Açucena, Jaguaraçu e Marliéria) fazem parte do Circuito Turístico Mata Atlântica de Minas Gerais, que foi criado em julho de 2001 e reestruturado em dezembro de 2009 pela Secretaria de Estado de Turismo com o objetivo de estimular o turismo ecológico e cultural na região do Vale do Aço e áreas adjacentes.Esses municípios possuem, a princípio, grandes reservas de Mata Atlântica, destacando-se dentre os atrativos que estão situados em sua área de abrangência a Serra dos Cocais (na foto de Elvira nascimento) vemos a Cachoeira de Cocais, o Parque Estadual do Rio Doce e o Pico do Ana Moura. 
A Serra dos Cocais (foto acima de Elvira Nascimento), zona rural de Coronel Fabriciano, concentra diversos atrativos ecoturísticos a exemplo de cachoeiras, trilhas e montanhas, que propiciam desde a simples visitação até a prática de esportes radicais, como mountain bike, escaladas, trekking, saltos de paraquedas e trilhas 4x4. Os povoados rurais da Serra dos Cocais abrigam tradições culturais que envolvem a produção artesanal com bordados e materiais naturais encontrados na região extraídos de plantas, como a palha de palmeira-indaiá, cabaça e sementes, além da Marujada dos Cocais. Nas zonas rurais de Ipatinga, Santana do Paraíso e Timóteo também há trilhas e cachoeiras abertas à visitação e cabem ser ressaltados os grupos de congado situados nas comunidades rurais.
Rio Doce próximo a Ipatinga. Fotografia de Elvira Nascimento
Os quatro municípios da RMVA contam com políticas de preservação e proteção do Conselho Municipal do Patrimônio Cultural. 
Igreja Matriz de São Sebastião em Cel Fabriciano. Foto de Elvira Nascimento
Na zona urbana, cabem ser ressaltados a Igreja Matriz de São Sebastião e o Colégio Angélica em Coronel Fabriciano; a Estação Memória Zeza Souto, onde funcionou a antiga principal estação ferroviária de Ipatinga até a década de 50 e atualmente existe um museu; e a Igreja Matriz de Santana do Paraíso. 
O Parque Ipanema (fotografia acima de Arnaldo Silva), em Ipatinga, é uma das maiores áreas verdes do país situadas dentro de um perímetro urbano e foi um dos últimos projetos do paisagista Roberto Burle Marx.

Colar metropolitano
Antônio Dias é uma das cidades que faz parte do Colar Metropolitano do Vale do Aço. Foto de Elvira Nascimento
Além dos 4 municípios principais Açucena, Antônio Dias, Belo Oriente, Bom Jesus do Galho,Braúnas, Bugre,Caratinga, Coronel Fabriciano, Córrego,Dionísio, Dom Cavati, Entre Folhas,Iapu, Ipaba, Jaguaraçu, Joanésia, Marliéria, Mesquita, Naque, Periquito, Pingo-d'Água, São João do Oriente, São José do Goiabal, Sobrália, Vargem Alegre fazem parte do colar metropolitano da Região do Vale do Aço

Fonte dos textos: Wikipedia.

Nenhum comentário:
Faça também comentários